PplWare Mobile

Invenção muito importante pode revolucionar a cibersegurança


Tomás Santiago

A tecnologia e aquilo que é possível fazer com ela sempre foi algo que me cativou bastante. Estudo Ciência de Computadores na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Adoro programar e desenvolvimento de aplicações móveis, principalmente para iOS. É a escrever para o Pplware que partilho os meus conhecimentos. Sigam-me no Twitter: @mrtomasantiago

Destaques PPLWARE

  1. Rui RM says:

    “gerador de números quânticos” ? números quânticos??

    • Carlos Rino says:

      Gerador de números aleatórios baseado no estado quântico da matéria.

    • Style says:

      Acho que se querem referir ao modelo de implementação aí que é similar ás práticas nas estruturas discretas.
      Isto aqui aplicado a protocolos tipo TLS/SSL e a encriptação tipo PGP pode ser um passo de gigante a nível de segurança. Com cifras random dinâmicas de 128 bits para cima fica dificil. Mas como as história se tende a repetir ad eternum, mais tarde ou mais cedo alguém parte isso. Já vimos esse filme com o Triple DES que supostamente viria revolucionar isto tudo já que usava 3 cifras distintas para um mesmo fim mas acabou por revelar ser um algoritmo relativamente fácil de circundar. Mais recentemente tivemos o RSA que apostou na assimetria da cifragem. Também ñ demorou muito a tombar.

    • Tiago André says:

      numeros sao numeros que podem estar em 2 estados ao mesmo tempo, tipo o 1 pode estar em 0 em 1 ou em 0 e 1 ao mesmo tempo =D

      • Style says:

        Isso que estás a falar são os Qbits. Aqui a numenclatura “número quântico” parece-me que é noutro sentido, mais concretamente na parte de matemática discreta que se relaciona com a estruturação algoritmica da coisa, até porque os Qbits tiram partido da sobreposição quântica e isso apenas é possível (por agora) com máquinas especificas (quantum computers) e como o artigo menciona, este tipo de tecnologia vai estar acessível ao público em dispositivos genéricos.

  2. Jozé Antoine says:

    “Os ciberataques podem tornar-se muito menos frequentes e menos devastadores” isto é uma afirmação um bocado forte… Tanto quanto sei utilização de números pseudo-aleatórios não é um fator que permita ataques.
    A má utilização desses algoritmos sim, é um fator. E que continuará a existir mesmo com números puramente aleatórios.

  3. me and me says:

    ideia mais genial do que airbags para smartphones

  4. Joao says:

    mas voces ainda acreditam no pai natal? estao a ver o estado americano/russo/etc a deixar esses protocolos ir a diante sem terem uma “chave” que podem ir cuscar quando lhes apetece?

  5. Mentecaptor says:

    O mito da cibersegurança volta a atacar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.