Quantcast
PplWare Mobile

Curiosidade: Bioimpressão de órgãos a 3D… é possível

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Arlindo Pereira says:

    A “skynet” e os Cyborgs… ou até “robocop’s” afinal de contas, não estão a anos luz em ficção cientifica. 🙂

    • Nelson says:

      Que disparate.

      Esta tecnologia é para fazer exatamente o oposto! Criar orgãos biológicos em vez de mecânicos/electrónicos.

      Ou vais chegar á beira de uma pessoa que tenha uma perna prostética, e chamar-lhe de “robocop”

      Uma pessoa que lhe roubaram os rins por meia dúzia de trocos “é a skynet”…

      Se é isso…

      • Marcelo Barros says:

        Boa noite,

        O que ele quer dizer é que no futuro será possível criar controlar as duas partes, criar metade homem metade maquina.
        Apesar de isto estar a ser criado com um intuito também pode ter outras finalidades.

        Cumprimentos

        • Nelson says:

          A ideia deste projeto é não ter a parte máquina.

          • Nunes says:

            Ao contrário do que dá a entender o texto, o objectivo tb não é esse! O que é criado são tecidos, não orgãos, para testar fármacos!

          • Marcelo Barros says:

            Nelson vou te explicar muito devagarinho.

            Quando se descobriu a fusão nuclear, teoricamente o objectivo não era produzir uma bomba, anos mais tarde uma rebenta em Hiroshima y Nagasaki.

            Já agora relembro a celebre frase “Agora me tornei a morte, a destruidora de mundos.”
            Vai la perguntar ao SIRI quem disse isso.

            Cumprimentos

          • Nelson says:

            Não subscrevo teorias da conspiração.

        • Marcelo Barros says:

          “Agora me tornei a morte, a destruidora de mundos.”

          É de Bhagavad Gita e foi citada por J. Robert Oppenheimer considerado o Pai da Bomba atómica, se não me engano após a primeira detonação no espaço da bomba nuclear.

          “Agora, eu me torno a Morte, o destruidor de mundos”

          • Ricardo Carvalho says:

            Boa tarde.
            Marcelo Barros, deixo aqui apenas um reparo. As bombas atómicas não explodem devido à Fusão Nuclear mas sim à Fissão Nuclear, que são duas coisas bastante distintas.
            Cumps,

  2. Nelson says:

    Boa tecnologia!

    Espero é que não seja utilizada para fins maus, como aquelas clínicas de operações estéticas que fazem tudo o que lhes pedem…

  3. Scal says:

    E a avaliar pela primeira imagem utilizam uma 690C adaptada…

    Se eu soubesse nunca tinha deitado a minha fora…

  4. Nunes says:

    O que esta companhia apresenta não é a impressão de um orgão, mas de tecidos tridimensionais para ensaios farmacêuticos! É uma diferença muito grande!
    Poderá ou não esta técnica servir como um passo para no futuro imprimir um orgão, mas tenho muitas dúvidas que o seja, pois o objectivo para tal seria criar um orgão compatível com uma pessoa. Para isso é preciso usar células da pessoa, uma coisa muito complicada de obter na quantidade e variedade necessária para obter um orgão, e manter viáveis. Creio que a estratégia que virá a ser seguida no futuro (e que já está a ser perseguida por alguns grupos) é imprimir uma estrutura tridminensional que sirva de molde para que algumas células possam crescer, dividir e diferenciar-se para no fim obter um orgão funcional!

  5. Antonio says:

    qualquer dia imprime-se logo os filhos.

  6. Luis says:

    É um excelente avanço, espero que seja o quanto antes.
    Existe um enorme pedidos de dadores de órgãos, para salvar crianças e pessoas que a vida lhes corria bem, até uma deficiência no órgão se acentuar numa fase da sua vida.

    Poderá ser a salvação de muita gente que não consegue dadores e que morrerá cedo com a falta deles. Pode-se evitar isso, os avanços na medicina estão a evoluir rapidamente. Acho que estamos a chegar ao ponto de que quando éramos pequenos, sonhávamos com os carros voadores do futuro, como no filme que acabou de passar na TV.

    • Nunes says:

      Atenção que isto não é para impressão de um orgão, mas sim de tecidos! O seu objectivo é para testar fármacos em laboratório, não para transplantes!

  7. Hugo says:

    Mesmo que só seja possível imprimir órgãos “simples” e de espessura reduzida, por exemplo pele, imaginem os benefícios que isso poderá ter para vitimas de queimaduras graves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.