PplWare Mobile

Carlsberg, provavelmente a melhor garrafa de cerveja em papel do mundo


Imagem: Carlsberg

Fonte: Carlsberg

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Sebastiao F says:

    Qual o propósito de uma garrafa de papel quando temos as de vidro que são 100% recicláveis já?

    • Mark says:

      ia dizer o mesmo…

    • nao digo says:

      possivelmente porque o vidro nao é biodegradavel

    • Ricardo Santos says:

      Porque não é biodegradável, embora “infinitamente” reciclável. O papel normalmente 6 a 7 vezes apenas.

    • gonsa says:

      Quantas e quantas garrafas de vidro vejo espalhadas pelas bermas da estrada e até atiradas ao rio.. material biodegradável é sempre benvindo.

    • david says:

      Primeiro, a educação! para a aquisição de produtos só e apenas recicláveis ou 100%Bio degradáveis!
      As limpezas to que quer que seja, passeios, rios, etc etc… tem custos! contudo com tanta despesa que criamos par coisas fúteis, pq não centrar no que realmente interessa? ahhh não tem retorno aos grandes… ahhhh então não se faz!!! Faz mal ao planeta? uiii azar! basicamente é isso!
      Sim o vidro não é degradáveis, mas se fizermos por obrigação como as grandes superfícies o fazem que dão desconto para a devolução das garrafas, etc etc a população cria o habito de as devolver! e as grandes empresas de as encaminhar ao seu devido sitio!
      Hoje, já deveria ser proibido fazer garrafas de plástico! os sacos do Super tb já deveriam ser proibidos… desenvolver produtos com base em plásticos, só com base em plásticos reciclados, jamais novos plásticos! etc etc…

      Mas como não é rentável, está de difícil adoção… e vamos enrolando para as próximas gerações…. os que vem depois que se lixem… e continuamos com isso… um dia irão pagar bem caro, e nos culpar por isso… mas como já não estaremos lá para ver… não nos interessa! enfim…é assim que o mundo trabalha pensa… a vida não sorriu para todos! mas tb não ajudamos a que os que não podem sorrir, possam pelo menos nem que seja um dia sorrir…

      Uns fazem fila para comprar um telemóvel… outros para terem direito a um “pingo” de água!!! que se escassa a cada dia!!!!

    • Carlos Ribeiro says:

      Que ideia mais triste. O vidro é reciclável e é feito a partir de areia. já o papel vem de árvores.
      Quanto ao vidro não ser biodegradável, um pedaço de vidro que vá parar ao mar tem o mesmo efeito de pedra/rocha qualquer.

  2. Victor says:

    A solução está em tornar obrigatório dividir e reciclar os materiais. Claro que não é pelo sistema actual, mas sim porta-a-porta. Os projectos de construção devem incluir sistemas de sucçao com separação de lixo obrigatórias. Exige investimento, mas não há volta a dar.

  3. KodiakShadows says:

    É caso para dizer que no final de uma ressaca fica tudo a saber a papel

  4. Antonio Carvalho says:

    O problema também é a fabricação das garrafas de vidro que utiliza combustíveis fosseis

  5. Quim says:

    Que asneira enorme.
    Pior do que uma embalagem de plastico (mono material) é uma com dois materiais (plastico e papel), porque obrigam a usar quimicos para fazer a separacao e respectiva reciclagem!!!
    Vidro!!! As bebidas já têm a vida resolvida, podem usar vidro: mono material e reciclavel!!

    O problema sao os restantes alimentos onde não é possivel usar vidro.

  6. Andre Moreno says:

    Quando estive na Estónia e na Lituânia todos os supermercados tinham máquinas para as pessoas colocarem lá garrafas de plásticos, vidro e latas. Estas garrafas/latas tinham uma taxa que, em caso de serem recicladas eram novamente devolvidas em talão para usufruto no supermercado. Já é um belo começo. E havia muita adesão por parte das pessoas. Em Portugal já várias vezes se falou disto, mas até agora ainda nada se viu, pelo menos em grande escala.

    À quantidade de supermercados que temos em Portugal, além de estarmos a contribuir, estaríamos também a simplificar no que toca a recolha.

  7. albino negro says:

    Isto resolve-se. Monta-se um pipeline de cerveja para casa de cada um…

  8. Mauricio Carvalho says:

    E Quase que uma desculpa já que bio degradável, pode-se jogar em qualquer lugar.

  9. Tuaregue says:

    Ainda sou do tempo em que se pagava a tara de uma garrafa. mas já estou como o Andre Moreno é colocar nos supermercado máquinas que nos dão talões com euros para se gastar no super. BTW, estas máquinas tb existem na Alemanha.

  10. joao says:

    a solução das garrafas é tão simples, é só voltar atras no tempo, Todas as garrafas em vidro e com vasilhame a pagar.

  11. falcaobranco says:

    Dois pormenores:

    1º – Desde de 2015 que andam em testes e quatro volvidos sai este tipo de garrafas, certamente devem ter feitos testes a todos os níveis, seja na parte de ser biodegradavel, como manter a cerveja fresca, como se quer, sempre.

    2º – Se a cerveja não se manter fresca, e eles começarem a ver as vendas em garrafas a manter-se e essa a baixar, logo essa ideia vem por agua abaixo…sim, porque como qualquer empresa, têm que ter lucros…e se não tiverem… xau garrafa de papel!!

  12. Ricardo says:

    E aqui está um excelente exemplo de GREEN WASHING. Porque não passa disso… de sustentável não tem absolutamente nada… Quantas árvores é que vão ter de abater para servir estas cervejas? ainda por cima por um produto que nem sequer é reciclável.. fantástico Carlsberg! (not)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.