Quantcast
PplWare Mobile

Steve Jobs morreu há dois anos

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. Ricardo says:

    O Steve Balmer vai deixar a Microsoft, também vão escrever algo tão longo sobre isso?

  2. Hell_Shoot says:

    A “maçã” anda perdida sem este homem. R.I.P. Steve Jobs

    • Johnybogas says:

      Anda perdida? Não sei porquê, a avaliar pela quantidade de novos iphones que tem vendido… Perdida anda a samsung que lança uns 500 modelos por ano.

      • Bruno M. says:

        @Johnybogas, lembra-te que muitas destas ideias de sairam dos papéis da Apple eram do Jobs… Dá mais 2 ou 3 anos.. talvez nem tanto e vais ver a Apple a entrar em desespero..

        Acredito que ainda tenham muitos protótipos, muitas ideias do Jobs e não só… O problema é que sem ele, o método de trabalho não é a mesma coisa.

        Relativamente ao artigo, muito bom mesmo… Parabéns!

        • Pedro says:

          Não concordo com isso.
          Acredito que grande parte das ideias eram do Jobs, mas esquecem-se que a Apple tem um grande designer e visionário que é o Jonathan Ive….

    • Gil says:

      A maçã garantiu o seu futuro com a iTunes store. Se alguma vez “deixarem de vender” hardware vendem música.

  3. Gilberto Pereira says:

    Grande post para relembrar um grande visionário.

  4. Tavares says:

    Não sou,nem nunca fui,um apreciador e consumidor de produtos da Apple.Isso,no entanto,não me impede de reconhecer em Steve Jobs um dos maiores visionários de sempre no mundo da informática/eletrónica.Além de “conseguir adivinhar” aquilo que as pessoas queriam/gostariam de consumir teve o talento de “embrulhar” toda essa tecnologia numa “embalagem” atrativa com um design espetacular.Depois foi criar uma boa campanha publicitária,uma boa rede de distribuição,uma legião de fieis capazes de “passar fome” para adquirir a ultima novidade(que muitas vezes não era novidade nenhuma!) e por fim…vender a preços muito altos produtos,muitas vezes,iguais ou inferiores à concorrência!! Mas nada disto invalida o genio de um visionário…com muitos defeitos como qualquer mortal!!

    • Rui says:

      Estavas bem até à 6ª linha. Depois espalhaste-te 🙂

      • Bónus says:

        Pensei exactamente o mesmo 🙂

      • Nuno Vieira says:

        Olha que não, pois existe muita verdade no comentário.

        • Rui says:

          Existe verdade até à parte em que escreve coisas tipo:
          “para adquirir a ultima novidade(que muitas vezes não era novidade nenhuma!) e por fim…vender a preços muito altos produtos,muitas vezes,iguais ou inferiores à concorrência!”
          O resto é apenas reflexo das 1ªs 11 palavras 😉

          • Tavares says:

            Rui,fico satisfeito com o segundo comentário que fizeste ao poste que publiquei.O que dizes é que mesmo não concordando(o que é bastante saudável) com a totalidade do que escrevi…concordas que a extrapolação do meu pensamento para a escrita é bastante coerente!! Obrigado…

          • Rui says:

            @Tavares, acho saudável haverem e conviverem as diferentes opiniões.

            Malucos há nós dois lados das trincheiras e é engraçado ver certo pessoal ficar dias e noites à espera de comprar um gadjet, seja iPhone, PlayStation, Wii, etc.

            Talvez pelo facto de não gostares nem possuíres nada Apple é que falas das pseudo novidades Apple. O iPhone, o iPad, o iPod, não foram inovadores no conceito? Não tem ido tudo atrás? E na qualidade, achas mesmo que são iguais ou inferiores? Experimenta usar algo Apple durante algum tempo e retira as devidas conclusões 😉

            Como profissional de IT, já lido com pc’s à muito tempo, e apesar de usar Win diariamente, já não dispenso o meu Mac. Cansei de bugs e reinstalações de formatações! A Apple tem um sistema integrado que funciona e funciona bem, e como tal, estou muito satisfeito.

            Como complemento, até à poucos anos também não gostava da Apple 😉

    • stiffmeister says:

      Tavares, cocnordo plenamente contigo!!!!

  5. Nelson says:

    “Samsung é a sua “rival preferida”.”

    What???

    Samsung, rival da Apple?

    Quando tiverem classe para isso, podem ser rivais, por enquanto são só um fabricante android…

    • Freitas says:

      Realmente, as melhores televisões que andam para aí, os frigoríficos, etc, não contam para nada.

      • Nelson says:

        Mesmo em televisões, prefiro IPS da LG e Philips (e agora Sony, Panasonic, etc). 🙂

      • Rui says:

        TV’s? Frigorificos? os melhores? LOL

        • Nelson says:

          Não sei se ele está a ser irónico ou sério…

          Really? Frigoríficos?

          Piada do dia: Para a Apple estar ao nível da Samsung, tem de criar o seu próprio frigorífico.

          • Rui says:

            É que nem nas TV’s nem nos frigorificos são melhores. Fico com a sensação que de verem tanto Android à frente começam a alucinar.

          • Miguel says:

            és grande nelson! ahahah, que nabos. e mesmo que fizessem o frigorifico tenho a certeza que iam revolucionar, para a samsung depois copiar, como sempre.

      • Rodrigo says:

        Samsung? Melhor?

        A samsung é sim uma excelente marca qualidade/preço devido ao enorme leque de produtos que lança para o mercado (independentemente da area do produto).

        A nivel de qualidade, consegues sempre, mas sempre ter melhor. A samsung ganha mercado devido à quantidade e somente por causa disto. Não é a melhor em nada nem será..

        Atenção nao sou fã de coisa nenhuma, mas a verdade é esta. Vais fazer um inventário das taxas de devoluções por marca em cada SPV das grandes superficies portuguesas e verás rapidamente a SAMSUNG no topo. E atenção, falo de taxas de devoluções, o que tem em conta o numero de artigos vendidos comparativamente aos disponibilizados.

    • TMC says:

      LOL quem pensa que a samsung é só smartphones não faz a mais pequena ideia da dimensão da empresa (desde computadores, a frigorificos, a televisões , a unidades de ar condicionado etc etc etc)

      • Nelson says:

        Computadores?

        Que computadores?

        Faz “PC-clones”, mas isso qualquer um faz…

        Se fizessem “PC’s” e o segundo maior Sistema Operativo por market share, ok…

        Mas lá está… tudo coisas hi-tech, frigoríficos, televisões, AC’s… muito hi-tech!

        Quando a Samsung fizer algo de relevante, avisa-me…

        • Nuno Vieira says:

          Claro, a Samsung não faz nada de relevante… Por favor, tira esses oculos de macieira que te tanto cegam.

          • Nelson says:

            Além isso…

            Como é que vais comparar uma marca que faz qualquer produto para pôr nas prateleiras das lojas, desde que ganhe dinheiro… tipo “Galaxy Gio”… com uma marca que só faz o topo-dos-topos.

            A Apple não faz um leitor de MP3, faz o iPod.

            A Apple não faz computadores, faz o iMac, MacMini, MacBook Pro, MacBook Air, MacPro. A referência, o benchmark da indústria.

            A Apple só faz um telemóvel, mas é o melhor smartphone do mercado, que agrada a um número maior de pessoas, e isso reflecte-se nas vendas, que vende mais que qualquer telemóvel na sua gama de preços ($200 para cima com contrato, mais de $500 sem contrato).

            Se a Apple fizesse um frigorífico? Só se fosse o melhor frigorífico do mundo, em que deixavas as sacas ao pé, e ele guardava-te as coisas, não ia fazer mais um frigorífico como qualquer outra marca, Siemens, Bosch, LG e essas marcas que sim, ao nível da Samsung…

          • Nuno Vieira says:

            Eu acho que estas a confundir o meu comentário. Eu não estou para aqui a comparar marcas, a dizer que a Samsung é melhor que a Apple ou vice versa. Eu não possuo nenhum aparelho com a marca Samsung e que eu lembra nunca possuí nenhum. No entanto tenho vários produtos Apple, e se calhar já utilizo produtos da marca oriunda de Cupertino à bem mais anos que tu.

            Mesmo assim não sou cego pela Apple. Gosto dos produtos deles. Mas dizer que a Samsung não faz nada de relevante é de alguém que é simplesmente fanático. És tão fanático como aqueles que dizem que a Apple não produz nada de relevante.

    • iNelson says:

      Lol! Alguém precisa de um dicionário…
      Mas é que até num artigo destes (apesar da publicidade nele explicita) tinhas de vir meter o veneno…

  6. Alberto says:

    Artigo bem construído. Parabéns.

  7. soundsyt says:

    Amazing… não sou fanatico mas gostei muito deste post… sempre gostei da Apple, desde o imac G3.
    Ainda me lembro desses tempos, desde dai prefiro sempre produto da Apple.

  8. Visitante says:

    Parece que foi ontem… 🙁

  9. Marco Sousa says:

    Realmente,um visionário,um homem muito á frente do seu tempo.

    Cumprimentos.

  10. Manuel Barbosa says:

    Um fantástico visionário – um homem fora de série sem dúvida, mas dai até ser um fantástico ser humano… não era própriamente o ghandi….

  11. Bónus says:

    Quando que me recordo deste grande senhor, vem-me à cabeça sempre a mesma frase:
    “Thank You!”
    Quanto ao que seria a Apple hoje com Steve Jobs, penso que não seria muito diferente uma vez que a morte dele é muito recente e ele deixou traçados muitos projectos e orientações.
    No que diz respeito a um futuro mais longínquo, penso que infelizmente nunca será a mesma. Era um grande visionário e obcecado pela perfeição, como nunca vi ninguém.

  12. So_true says:

    “Stay hungry. Stay foolish”.

  13. Benchmark do iPhone 5 says:

    “A lot of companies have chosen to downsize, and maybe that was the right thing for them. We chose a different path. Our belief was that if we kept putting great products in front of customers, they would continue to open their wallets.” 🙂

    Steve Jobs

    http://www.brainyquote.com/quotes/authors/s/steve_jobs.html

    • Benchmark do iPhone 5 says:

      E quando Steve Jobs fez a apresentação do iPhone, em Janeiro de 2007, seis meses antes de ser posto á venda, com exemplares que mal funcionanavam 🙂

      http://www.nytimes.com/2013/10/06/magazine/and-then-steve-said-let-there-be-an-iphone.html?pagewanted=all&_r=1&

      • Pedro says:

        Nuns tempos em que se fala em batota da samsung, é engraçado ler coisas como:

        “The iPhone could play a section of a song or a video, but it couldn’t play an entire clip reliably without crashing.”

        “The software in the iPhone’s Wi-Fi radio was so unstable that Grignon and his team had to extend the phones’ antennas by connecting them to wires running offstage so the wireless signal wouldn’t have to travel as far.”

        “They had AT&T, the iPhone’s wireless carrier, bring in a portable cell tower, so they knew reception would be strong”

        “None of these kludges fixed the iPhone’s biggest problem: it often ran out of memory and had to be restarted if made to do more than a handful of tasks at a time. Jobs had a number of demo units onstage with him to manage this problem. If memory ran low on one, he would switch to another while the first was restarted.”

        e em especial,

        “then, with Jobs’s approval, they preprogrammed the phone’s display to always show five bars of signal strength regardless of its true strength. The chances of the radio’s crashing during the few minutes that Jobs would use it to make a call were small, but the chances of its crashing at some point during the 90-minute presentation were high. “If the radio crashed and restarted, as we suspected it might, we didn’t want people in the audience to see that,” Grignon says. “So we just hard-coded it to always show five bars.”

        • Benchmark do iPhone 5 says:

          Por acaso Steve Jobs demonstrou, seis meses antes de estar terminado, alguma coisa que o iPhone não veio a ter ?

          A Samsung ao fazer batota com os benchmarks, de equipamentos que já estão a ser comercializados, apenas quer enganar os consumidores com os resultados obtidos nos testes.

        • Nunes says:

          tens noção do que é que é um protótipo?
          Ou será que acreditas que as pessoas que compraram o primeiro iPhone não puderam fazer nada daquilo que foi demonstrado, e tinham que andar com cabos de antena atrás, só podiam ouvir pequenos excertos de músicas, perdiam o Wi-Fi, e o sinal de rede era sempre o mesmo?
          enfim… há quem perca o senso comum

          • Pedro says:

            provavelmente tu perdeste. mas se leres com calma pode ser que tenhas outra interpretação 😉

          • Benchmark do iPhone 5 says:

            Que só há uma vez para causar a primeira (boa) impressão e que Steve Jobs sabia isso ? Deviam ensinar isso na escola.

            A questão é apenas porque fez a apresentação em Janeiro e não mais tarde quando o iPhone estava finalizado. Isso tem que ver com o secretismo do projecto. Em primeiro lugar era difícil manter o iPhone em segredo, já circulavam bastantes rumores. Em segundo lugar o secretismo, interno, era prejudicial ao desenvolvimento, pouquíssimas pessoas tinham acesso ao iPhone, ninguém conseguia fazer testes em condições, como deves ter lido no artigo. Com o anúncio o secretismo deixou de ter esse peso. Que, mesmo com protótipos, tenham conseguido fazer uma excelente apresentação só demonstra qualidades de organização.

            Ver Eric Scmidt a fazer a apresentação do flash num Android e que não funcionou fica para a história. A comparação com a trafulhice dos testes não tem nada a ver.

          • Nunes says:

            @ Pedro
            explica lá então, do alto da tua clarividência, onde é que está a batota, se tudo o que foi mostrado num protótipo apareceu no produto final! Melhor que isso, foi apresentado com um comportamento igual ao produto final!
            Explica lá como é que farias uma demonstração com um protótipo! Provavelmente farias o que quase todos os outros fazem, que é mostrar o protótipo e depois usar um simulador qualquer noutro hardware para teres uma apresentação sem surpresas, ou então apresentar uns videos ou slides, que isso realmente é muito mais fiel à realidade!

        • Nelson says:

          Comentário infeliz, já que AQUELE era um iPhone protótipo, e não interessa se funciona a 100% ou não, pois não é um produto que tu pudesses sequer ter nas mãos.

  14. Luna says:

    Dois anos já se foram… passaram rápido. A Apple parece ter mudado pouco sem o Steve Jobs, mas talvez também não o tivesse que fazer, por agora. Mas sinto falta das grandes apresentações que ele dava, e do famoso “one more thing” (mais uma coisa) que surpreendia toda a gente, quando pensavam que já não havia mais nada para ver. A Apple tem uma página dedicada ao Steve Jobs no seu site que gostava de partilhar para quem nunca viu. http://www.apple.com/stevejobs RIP Steve.

  15. Pedro D. says:

    E para quando um post de um inovador a sério (hint: http://en.wikipedia.org/wiki/Dennis_Ritchie)?

    • Benchmark do iPhone 5 says:

      E do concebeu os frigoríficos da Samsung também não sai nada 🙁

      • So_true says:

        Por acaso estás a comparar a linguagem C a um frigorífico?!

        • Benchmark do iPhone 5 says:

          Eu não. Tu é que estás a comparar Steve Jobs ao inventor da linguagem C.
          Limitei-me a dizer que talvez o que concebeu o frigorífico da Samsung se lhes pudesse comparar.

          • Luís Nabais says:

            Passaste mesmo ao lado do ponto, não foi?

            A questão aqui é idolatrarem o Steve Jobs quando ele foi apenas uma pessoa de Marketing e Design, que não inventou nada nem fez nada de mais, apenas agarrou em ideias juntas e pediu aos funcionários para criarem um produto. (não estou a querer ofender ninguém com isto nem querer provocar guerras)

            Agora, já pensaste o que não farias se não existisse C?

          • Nunes says:

            @ Luís Nabais
            Se ele só tivesse estado envolvido num grande produto até que poderia fazer sentido o que dizes, mas quando ele foi responsável por mais do que 3 produtos que revolucionaram a tecnologia, quando esteve envolvido em mudanças profundas em diversas áreas de negócio (música, filmes, retalho, lojas online), já é coincidência a mais para alguém que pouco faz! O teu erro é pensar que uma invenção só pode vir duma única pessoa, e não de trabalho de equipa orientado por uma visão e objectivo!

          • Luís Nabais says:

            Nunes, não cometi esse erro. Tu estás a cometer o erro inverso. Porque há-de ele ter o crédito de todo o trabalho duma equipa e ser idolatrado como tal, quando uma personagem como o Dennis Ritchie por si só fez algo realmente muito mais importante, sem qualquer crédito?

            Não escondo que ele tenha fãs e seja reconhecido como um grande profissional e líder, mas daí a ser um génio criador, vai uma grande diferença.

            Volto a repetir, não estou a querer causar guerras, se ofendo alguém com esta opinião, as minhas desculpas. Inclusive não quero faltar ao respeito à memória do Steve Jobs, apenas não concordo o nível tão elevado de adoração.

          • Nunes says:

            Não percebes que é preciso ter visão, saber pegar em ideias dispares e ligá-las para inovar?
            O Steve Jobs rodeou-se de pessoas de excelência para poder criar coisas que revolucionaram o mundo da tecnologia… não criou nada sozinho, e provavelmente nem resolveu problemas técnicos, mas sabia como ninguém o que era preciso para ter um aparelho que funciona-se da maneira certa, sabia como ninguém o grau de exigência e perfeição que era necessário no desenvolvimento e sabia como ninguém para onde se devia caminhar e em que cavalo apostar.
            Fazer isso 3, 4, 5 vezes não está ao alcance de qualquer um! Se achas o contrário, os factos mostram o contrário, pois não encontras muitos exemplos idênticos nos últimos 50 anos!

        • Nelson says:

          O frigorífico foi MUITO mais importante.

          • So_true says:

            O frigorifico da Samsung foi mais importante? A sério Nelson, isto de te meteres nas conversas dos outros sem saberes do que falamos dá-te má imagem!

  16. Rio says:

    O gandhi era um fantástico ser humano…

  17. Miguel says:

    Para quem diz que a samsung é uma boa marca, o steve jobs respondeu a isso e é por isso que a Apple é muito mais do que uma marca. “I skate to where the puck is going to be, not where it has been”
    É a melhor frase para descrever o Steve Jobs. Nem há resposta a isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.