Quantcast
PplWare Mobile

Qual a sua opinião dos mais recentes produtos apresentados pela Apple?

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. SteveRobs says:

    Mais do mesmo…

  2. DB says:

    Nada de novo, produtos caríssimos onde metade do preço é o nome.
    Há melhor por menos.

    • na says:

      Ha? apple silicon tem bom performace..

    • Almeida says:

      Verdade, mas existem porque há quem goste de pagar o dobro pelo mesmo,

    • Rodrigo says:

      Uma marca que consegue cobrar metade do preço só pelo nome vale muito!

      Porque lá está… esse “há melhor por menos” é literalmente numa comparação de componentes/características, mas quando compras um produto que metade é pela marca tens todo um conjunto de serviços e características indiretas que as outras marcas não te conseguem dar, por isso o preço não é caro, é uma questão de saberes o que queres…

      Existem inúmeras marcas que fazem isso em todas as áreas. O produto em si não é melhor que o outro, mas toda a experiência que a marca proporciona pode ser valorizado, bem como o sentimento de exclusividade, por certas pessoas.

    • :-) says:

      Falar da boca para fora é fácil. Já foste saber qual é a margem de lucro de um iPhone? Já foste ver que também tens que pagar pelo software e pelos constantes updates que são “gratuitos” e a longevidade do mesmo? E o preço de um iPhone usado que é muito superior ao de um Android?

      Android fanboys on suicide watch sempre que saí um novo iPhone e vêm logo a vir criticar.

    • Gil says:

      Provavelmente diz isso alguém que tem um samsung topo de gama que custa mais 200€ que um iPhone e 30% a mais que um topo de gama android de outr marca…

      PS.: Sff encontre lá um produto com a mesma qualidade de construção, desempenho com e sem bateria, e que aguente mais de 17 horas sem estar ligado à tomada…

  3. To Canelas says:

    Uma caquinha. Processadores ARM incompativeis com montes de coisas. Só se for para brincar.

    • Otioobvio says:

      Curioso, o meu Mac mini M1 corre office da Microsoft, muitos jogos, nativo a maior parte dos editors de vídeo, foto e som, Dropbox, Onedrive. Algum outro programa corro através de Crossover/Parallels. Inclusive podes correr Windows 11 ARM com emulação x64 e aí corre tudo (no meu não uso porque comprei a versão de 8 GB RAM porque não iria usar algo assim).

      Em suma: falas por ser do contra.

      • To Canelas says:

        Vários plugins do Cubase e outros DAW por exemplo não funcionam. E alguns programas profissionais de modelação 3d a performance é fraca, mas neste caso é possível melhorar julgo eu.

    • Bruno says:

      Comentar por comentar. Uso á 4 meses um M1 Pro com 16GB e um i7 de 11a geração de 32Gb (i7-1185G7). Uso as mesmas ferramentas para Desenvolver em ambos, o M1 faz um full build de projectos complexos em 1/10 do tempo. Podes pensar que estou a inventar e que estou a defender a Apple, mas não estou a inventar, estou mesmo a usar os 2. O M1 Pro no MacBook é muito melhor (apesar de ser um ARM), do que o I7! Agora também é muito, muito mais caro, e acho que só quem necessita mesmo o deve comprar! Mas quem disser que o M1 é um ARM incompatível com montes de coisas e serve só para brincar é porque não sabe do que está a falar.

    • LarilasOS says:

      Vou oferecer te um Surface Pro X no natal para ver se aquilo roda o Crysis….acho que nem isso a Microsoft consegue fazer de jeito! Inventaram o Windows on Arm mas coitadinho…a Qualcomm bem que pode inventar o que quiser…enquanto o software for uma treta, não vale de nada ..posso ter um processador de 64 cores…mas se o After Effects não estiver optimizado pra isso, nem vale a pena!

  4. Carolina Costa says:

    gostei das novidades, mas para mim o melhor foi o Iphone SE, ja encomendei o meu em verde e 32gb de memoria

  5. Traplaflame says:

    A ser verdade o que a Apple anuncia sobre a performance do “novo” chip, não preciso ser fanboy para dar valor ao avanço tecnológico que o Apple silicon nos traz

  6. Diego says:

    então eu gostei pelo M1 Ultra. não é novidade o stack de pastilhas para ganhar performance, mas fizeram bem.
    o restante é mais do mesmo.

  7. Tiago Silva says:

    Como assim nada de novo? Metem cá fora um processador brutal em termos de consumo/performance, quero ver alguém construir um pc com aquele tamanho com a performace do ultra…
    Quanto a preços isso já é outra história, mas inovação não falta!

    • Otioobvio says:

      A Apple é comparável a uma marca de carros premium:
      – não é para todos

      – não significa que não haja marcas generalistas com tantos ou mais CVs

      No final as marcas premium dão-te mais qualidade, refinamento e assistência. Não significa mais CV.

      Eu tive portáteis da Asus e hp de topo de gama (>1300€) e apesar do CPU e GPU serem mega potentes, tive demasiados problemas de:
      1) aquecimento
      2) barulho da ventoinha
      3) ruído ao carregar
      4) bloqueios por problemas ao passar da iGPU à dGPU
      5) a edição de foto e vídeo medíocre vs. iPad Pro ou MacBook Air M1
      6) baterias após um ano a durarem uma porcaria
      7) ecrãs em comparação, medíocres

      No total de que me deve ter benchmark altos num PC normal, se a optimização é reles? De que me serve um consumo de 150W e barulho de ventoinhas editando vídeo ou fotos, se num MBA M1 é mais rápido e sem ventoinhas?

      Lembro me há uns anos bons que havia o Seat Ibiza tdi 130cv que era uma caixa de fósforos, mal insonorizado, mais plásticos e insonorização, mas andava muito e que muita gente comparava com BMW de 136cv e diziam que o Ibiza “anda mais e custa metade… ah que bom!” …. lolol o Ibiza era para os tunning com síndrome de a ter “pequena” em que só a velocidade contra; o BMW era para quem queria qualidade. A verdade é que as miúdas queriam era os tipos do BMW (eu não tinha dinheiro nem para o Ibiza…) e os do Ibiza andavam sempre só gajos e de chapéu à noite….

  8. eu says:

    Excelente. Espero ver o novo processador em breve no MacBook Pro.

    • Tadeu says:

      Aquele processador nunca será usado num MacBook. Os picos de consumo seriam demasiado elevados para o tipo de portáteis que a Apple cria, se bem que há portáteis PC que provavelmente têm picos de consumo superiores.

    • Filipe Mota says:

      pro so daqui a 1 ano e meio no minimo. O que terás este ano é um air

  9. Rui says:

    Acho que o novo cpu ultra.. Dois juntos.. É em teoria impressionante! Do ponto de vista de engenharia.. Bravo! Já o modelo do studio.. Sem espaço para nada.. Penso ser novamente um erro como foi o outro trash bin.

    • Tadeu says:

      O Mac Studio é uma nova gama, não substitui o Mac Pro. Na prática está a substituir um dos modelos iMac.

      • Rui says:

        OK.. Certo.. Mas meter todo aquele hardware numa caixa daquelas.. Sem espaço para nada.. Não me parece boa ideia.. Mas veremos. Uma das grandes vantagens de um desktop, em relação aos laptops, é ter espaço.. Circulação de ar.. É claro espaço para meter mais hardware e ser fácil de manter. O studio parece não ter nenhuma destas vantagens

        • G-rod says:

          o Studio é um produto para substituir o iMac Pro, que foi descontinuado no ano passado, que vinha com os intel Xeon e custavam mais de 5000€.

          O Mac Pro será apresentado lá para setembro ou Outubro, quando estiverem a terminar os 2 anos que a apple prometeu para a transição total.

          Desconfio que, entretanto, ainda apresentem um iMac 27” com o M1 Pro.

        • Tadeu says:

          É uma opção como outra qualquer… Há “milhentos” outros desktops de tamanho reduzido, sendo que nem toda a gente necessita de adicionar outro hardware por PCIe, e há quem tenha necessidade de hardware que ocupe pouco espaço, tenha boa performance e funcione de forma silenciosa.
          Circulação de ar não parece ser de todo um problema, sendo que mais espaço no interior não é sinónimo de melhor ventilação. Quando muito é sinónimo de mais espaço para um “cooler” de maior tamanho, mas tudo indica que boa parte do volume interior do Mac Studio já é ocupado por um “cooler” de tamanho considerável, isto para um SoC (CPU/GPU) que nem deve ultrapassar os 200W de consumo.

          • Rui says:

            Vou esperar para ver reviews do studio com o ultra.. Para ver como se aguenta com heavy loads.. É depois se verá. De qualquer forma.. A nível de engenharia.. Bravo apple pelo ultra.. Já a escolha do design da caixa.. É discutível.. Mas pouco me importa

          • Tadeu says:

            Rui, até agora a Apple tem apresentado modelos com os seus processadores capazes de sustentar a performance mesmo em “heavy loads” – parece óbvio que teve uma atenção muito especial quanto a isso. Tendo em conta as imagens que mostrou do cooler do Mac Studio, este deverá ir pelo mesmo caminho.

        • G-rod says:

          Basta pensar que o MacBook Pro 16′ com o M1 Max funciona com cargas máximas sem que se ouçam as ventoinhas… se duplicares o envelope térmico para fazer face ao ULTRA será muito inferior ao que o STUDIO propõe.

          quem duvida da capacidade de dissipação de energia que é proposta não tem a mínima noção do desemprenho dos produtos Apple Silicon.

          Basta pensar que o cooler do M1 Ultra (Cobre) pesa o dobro do Studio M1 Max (alumínio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.