PplWare Mobile

iBooks – Uma biblioteca no seu iPad


Autor: Vítor M.


  1. ricardo says:

    Se eu tivesse um bixinho destes, eu acredito que iria ler bastante mais… so pela sua simplicidade em adquirir os livros e o conforto de ter tudo centralizado e à “mão”, sem contar com a possível interactividade.
    Felizmente nunca tive desconforto em ler num ecrã.

    Na sua apresentação eu não dava muito pelo iPad, mas com o tempo tenho mudado de ideias 🙂

  2. Pedro M. says:

    Gostaria de referir que ler um livro num iPad, apesar de apelativo, é incomodo e afecta negativamente a visão ao fim de algum tempo de leitura, isto devido ao tipo de ecrã usado no iPad.
    Pelo contrário, no kindle da Amazon, encontramos um ecrã pensado para este efeito. Ler livros. Proporciona assim, uma experiência de leitura mais confortável e amiga da sua vista.
    Assim, apesar de possivelmente menos apelativo, aconselho claramente o kindle para quem deseje ler livros digitais!

    • chicosoft says:

      É excelente… até fiquei pasmado quando li qualquer coisa no kindle… pensei, se lesse ebooks assim tanto era certamente uma compra a pensar, é excelente, parece que estamos mesmo a ler um livro…

      Qualquer outro tipo de monitores vai causar problemas de visão mais cedo ou mais tarde, portanto o IPAD não me parece o ideal para ler livros.

      • Vítor M. says:

        Ler um livro ou ler o iPad pode até ser benéfico ler o iPad, isto porque podemos regular a luminosidade evitando que os olhos estejam em esforço por falta de luz.

        A Hipermetropia tanto se ganha a ler um livro como a ler o iPad ou a trabalhar frente a um PC.

        É subjectiva essa critica a estes dispositivos.

        • mmick says:

          A hipermetropia é focagem para além da retina (nao directamente influenciada pela leitura), o que pode acontecer a quem lê muito / está muito tempo à frente de monitores é a Presbicia (ou Presbiopia) ou (em alguma literatura) Sd da Vista Cansada. A presbicia é no essencial um problema de focagem ao perto (leitura) devido á perda da força muscular nos músculos que controlam o cristalino (elemento de focagem nos olhos estilo as lentes das máquinas fotográficas) 🙂 Só para dar um pouquinho de info para a malta que gosta da saúde 😀 😀 😀

    • Rui Oliveira says:

      Concordo plenamente. A experiência que tens com um ipad é semlhante ao de um portátil.

      Ok, tem um interface mais intuítivo, simples e talhado para ler livros. Mas o grande problema é o ecrã, que para já é feito de um material reflector. Ou seja verem livros com a luz do dia é para esquecer.

      O Kindle, usa a tecnologia e-ink, que é ideal para ver documentos em formato electrónico, nunca tive com um na mão porque não temos cá no mais, mas já tive na mão com um cool-er da Fnac e aquilo pode vir qualquer luz, que se vê muito bem. Podem saber mais dele aqui no nosso artigo.

      https://pplware.sapo.pt/high-tech/cool-er-–-o-leitor-de-documentos-portatil/

      Ou seja, o iPad é para alguem que alem de ocasionalmente ver algumas noticias, queira ler muito lentamente um livro. Não aconselho passar tardes a ler livros no iPad, como qualquer portátil actual com o tipo de ecrã que são usados agora.

      Além de que este artigo da Marisa, dá que pensar:

      https://pplware.sapo.pt/informacao/forte-luz-do-ipad-pode-causar-insnia/

      • Vítor M. says:

        Isso pode ser facilmente contornado. O iPad que estou a testar tem uma película anti reflexo e anti dedadas que permite uma visão sobre o iPad limpa, sem aqueles reflexos próprios dos ecrãs.

        Depois, como disse em cima, podemos ajustar a luminosidade, fazendo descansar os olhos.

        Podemos aumentar o tamanho da letra, para que seja mais fácil a leitura- Tudo isso, num livro, é impossível.

        Logo, há, eventualmente, desvantagens mas há, seguramente, vantagens em usar o iPad como eReader.

        • RCS says:

          Num monitor dum pc também é possível não ter pedadas, escolher o tamanho da letra e até mesmo o brilho!
          mas continua a ser uma experiência claramente inferior comparativamente a ler directamente do papel.

        • Luis says:

          Olá Vitor,

          A película anti reflexo a que se refere na resposta dada acima, já vinha com o Ipad ou foi adquirida como “acessório”?

          • Vítor M. says:

            Foi adquirida na Promais. Embora proteja e eu prefira assim, mas no vidro 😀 é mais “intimo” mas como não sou o único utilizador cá em casa… e a utilizadora mais nova é “viciada” no “ecrã” do papa… todo o cuidado é pouco 😀

    • Pedro says:

      É por isso que usaste o kindle pa comentar aqui no pplware né?

      Cuidadinho com as vistas meninas e meninos, pc’s, telemoveis, tv’s, etc, tudo po lixinho!

  3. Silva says:

    “Provavelmente, num futuro não muito longínquo, este será o método para os usar e adquirir os livros escolares. Será a evolução natural e estes dispositivos serão ferramentas extraordinárias para uma aprendizagem com qualidade e ligação aos mais avançados métodos de informação.”

    Há anos que oiço afirmações deste género e ainda bem que a realidade não as confirma. Não há nada que substitua um livro físico, tanto para lazer como para estudar!

    • Vítor M. says:

      Sim, mas já há meios. Até há bem pouco tempo não havia. Já vemos nas salas de aula quadros interactivos, alunos com ferramentas de trabalho como o Magalhães, dispositivos como o iPad mais acessíveis ao publico em geral… coisas desconhecidas do passado.

      Acredito que o livro não desaparece, mas acredito que muita gente já compra livros desta forma quando dantes o fazia em papel.

      Também acredito que o lobby das empresas livreiras é grande mas tudo caminha para quem em breve este seja a ferramenta de trabalho dos alunos nas escolas.

      Nos estados Unidos há já faculdades onde todo o material disponibilizado é em PDF, livros escolares e científicos.

      Quando o iPad ou algum concorrente estiver num preço que valha a pena comprar em detrimento de outro material escolar, certamente não haverá outra forma de trabalhar nas escolas.

      Por exemplo: vamos imaginar que um aluno leva os seus livros dentro deste dispositivo, em vez de comprar em papel comprou neste formado, haverá quem o impeça de ter este dispositivo como “livros e cadernos” escolares?

      Gostava de saber isso…

      • Silva says:

        vamos por partes:

        primeiro, numa perspectiva de portabilidade concordo que o iPad poderá dar jeito aos estudantes para o transporte de informação em formato electrónico (é melhor levar um iPad para escola do que 10Kg de livros), mas numa perspectiva de estudo em casa já não concordo, a necessidade de estudar por vários livros simultâneamente, de rasurar, de fazer side notes com post-its torna o livro físico muito mais prático que qualquer outro sistema.

        segundo, uma coisa é adquirir livros em formato electrónico, outra coisa é ler livros em formato electrónico, no meu caso pessoal compro e leio imensos pdfs no computador, mas quando quero estudar algo a partir de um pdf imprimo-o! a leitura torna-se bastante mais cómoda.

        terceiro, lembro-me quando começaram a surgir os pdfs em que se dizia que a necessidade de imprimir iria decrescer drasticamente, pelo contrário, nunca se imprimiu tanto como actualmente.

        quarto, todas estas razões que dei para a leitura aplicam-se para a escrita. a meu ver, os cadernos manuscritos com notas das aulas, resolução de problemas matemáticos, etc também dificilmente irão desaparecer.

        • Vítor M. says:

          Sim de facto ao nível de estudo, apontamentos… sim faz sentido, embora que eu na faculdade tinha resmas de fotocópias, na verdade com estes livros podemos imprimir, copiar excertos e tal…

          Não estou a ver como caderno escolar, ainda não acho que se consiga chegar a extremos, mas para “as aulas” como livro de leitura e posteriormente como auxiliar de estudo…

  4. J. P. Fernandes says:

    Eu ainda prefiro o papel até pq posso dobrar os cantos às páginas onde encontro citações engraçadas.

    A propósito vejam isto:

    https://www.youtube.com/watch?v=_an5z2lxXH4&feature=watch_response

  5. mmick says:

    Os melhores aparelhos para leitura sao os e-Books (e-ink), isto sem ponto de comparaçao possível, sem falar da bateria que dura infinidades e nao tem encravanços, tempos de inicializaçao, nada. Além disso o tipo de “ecra” nao cansa os olhos mais que um livro. Ecras LCD/OLED/CRT cansam a vista infinitamente mais, se bem que um ecra LCD/OLED de excelente qualidade e COM A LUZ entre 30-50% (*NUNCA* usem a luz 70% para ler)
    No entanto os preços rondam os 180-300€ e já fazem pensar num netbook (eu leio no meu, girando-o 90º) ou mesmo num polivalente iPAD.

  6. a Friend® says:

    Se o iPad fosse a preto e branco (e-ink) seria outro kindle.

    Com má experiência web, filmes, aplicações, jogos, etc…

    Têm que perceber, esta é mais uma das excelentes modalidades que ele tem e não única e exclusiva. Livros é optimo, mas para mim melhor ainda é ver registas digitais no iPad.

    A revista Wired lançou uma App que já está a fazer furor lá fora:
    https://www.youtube.com/watch?v=zBIitccr7bw

    Agora digam… preferiam comprar um Kindle ao preço do iPad e abdicar de tudo o resto que ele tem que é fenomenal só para poderem ler ao sol?! 😉

    • V4sk0 says:

      Das poucas apps que comprei para iPad: Wired e Angry Birds (e muitos comics da Marvel: in-app billing).

      Nada se compara ao iPad. Normalmente de noite, após um dia de trabalho, é das melhores opções para puro fun e delight.

      Após dois meses de utilização, talvez o peso seja o mais desconfortável.

      Volto a referir o purpose do iPad: “enhanced multimedia fun”… not “technical geek fun”, bale?

      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.