Edward Snowden comenta o novo Face ID da Apple

Por Tomás Santiago para Pplware.com

Destaques PPLWARE

72 Respostas

  1. Raposao says:

    O Face ID não funcionou porque alguém ligou o celular pela primeira vez e não digitou a senha. Até mesmo para o Touch ID funcionar precisa destravar com a senha na primeira vez. Tanto é que, no video, aparece o aviso “Your passcode is required to enable Face ID”.

    • V.T. says:

      Escreve-se “telemóvel”…

      • Jona says:

        neste caso é mais smartphone….telemóvel é mais do século passado…welcome to 2017?

        • Edwardo Neveden says:

          É para telefonar. É móvel. Portanto é um telemóvel.

          O 1º smartphone chegou ao mercado já depois de 2000 (último ano do século passado), logo telemóvel não é uma coisa do século passado.
          Continuam a ser os mais robustos, baratos, eficientes, e amigos do ambiente. Portanto, bem vistas as coisas, o smartphone foi mais andar para o lado (para a frente numas cosias, para trás noutras) do que um avanço. Mas como o ecrã dá para jogar melhor e ver certos filmes (que todos sabemos quais), o pessoal passa-se com aquilo. Se for preciso, e isto é história verídica, até vende um rim para ter dinheiro para o comprar.

          E no caso do iPhone, um telemóvel que custa 250 € a ser fabricado, mas que é vendido por 1000 €, o nome que melhor assenta é DumbChoice, e se não fosse esse, seria MoneyWaste.

          Welcome to logic?

          • Rui says:

            “custa apenas 250€ a ser fabricado” – este não de certeza. Só o display são quase 150€.

          • Goncalo says:

            Rui, esse ecrã é vendido à Apple por sensivelmente 110 euros, mas mesmo que fossem os 150 que dizes, o resto todo junto ficará aproximadamente pelo mesmo valor, logo, o preço de custo deverá rondar cerca de 300/310 euros, ou seja, a Apple lucra quase 1000 euros com cada equipamento. Isto claro, acreditando que os valores de custo serão estes, o que pode ser sobrevalorizado, tendo em conta que marcas concorrentes conseguem equipamentos que se aproximama bastante , por preços de venda a publico menores que o preço de custo de um iPhone.
            Mas pronto, cada um tem os seus princípios, e os meus não são compatíveis com extorsão, chulice, fanatismo, aproveitamento, burla disfarçada, etc.

          • Goncalo says:

            Rui, convém indicar que o ecrã custa sensivelmente o dobro dos anteriores, que custavam cerca de 60 euros a unidade.

          • Bruno says:

            @ Gonçalo, gostava de saber donde é que desenterraste essa tua especulação sobre lucros. Deves pensar que as análises que lês são os custos totais com materiais, produção, comercialização, desenvolvimento e licenciamento.

        • Goncalo says:

          “Telemóvel” é uma palavra resultante da junção entre duas palavras: “telefone” + “móvel”. A palavra “Smartphone” resulta da junção de outras duas palavras: “Smart” + “Phone” (Em Português: “Inteligente” + “telefone”). Logo, conclui-se que tanto um nome como o outro apontam para um telefone, e tendo em conta que se trata de um objecto portátil e “inteligente”, tanto um nome como o outro se aplicam, não se aplicando o segundo (Smartphone) aos telemóveis ditos “antigos”. Conclusão: Um Smartphone é um telemóvel, mas um telemóvel pode não ser um Smartphone.
          Está esclarecido?

      • dajosova says:

        Celular, senha, destravar…
        Deixa lá o Raposao escrever à maneira dele; pois certamente é brasileiro e não há problema nenhum nisso!

    • Toder says:

      es mesmo fanboy e acreditas em tudo que os outros dizem! mas o face id falhou sim! tenta meter o dedo errado no touch id e se falhar algumas vezes vai te dar para inserires o pin! ou se não quiseres desbloquear o telemóvel com o touch id ou fingeprint scanner nos androids podes desbloquear com o pin, mas patos como tu acreditam em tudo

    • Vítor M. says:

      Tens razão, não falhou obviamente. Quem tem Touch ID sabe que há essa medida de segurança e viu-se bem, mas esta novidade da Apple parece ter feito ali alguma comichão 😉 a alguns 😀

      Os tais que hoje usam o Touch ID mas que também no início diziam mal dele 😀 sempre os suspeitos do costume 😉

      • Andre says:

        Não só falhou como vai falhar muito, os equipamentos estavam preparados para a apresentação e por isso esse argumento é inválido… Será que reiniciou depois de ter sido preparado?

      • Conrad Electronics says:

        Novidade? Tenho um “Face ID” no Android há já algum tempo…

        • Francisco Pinto says:

          Claro que tens! Tens um”foto Id” no teu android 🙂

          • Filipe F. says:

            Leitor de Retina é diferente de Leitor Facial.

            O leitor facial na maioria dos Android é inseguro, basta uma boa foto. O leitor de retina é bem mais complicado…
            É mais facil ir ao Facebook de alguem, usar um programa que transforma fotos 2D em 3D e imprimir um molde (que a Apple diz que nao resulta mas isso era estupido pois a camera apenas lê um padrao de relevo, e não se é pele, se é maquilhagem, se é mascara, etc) , do que tirar uma foto macro a uma retina de um olho com uma camera de infravermelhos para depois imprimir e enganar o sistema usado nos Samsung para Retina.

            Portanto sim vai ser giro ver o quão facil, com fotos a distancia ou redes sociais será fazer ”moldes” 3D para ultrapassar o Face ID.

          • Bruno says:

            @ Filipe F., estúpido é achar que fazer um compósito 3D a partir de fotos retiradas do Facebook é capaz de criar algo com precisão tridimensional suficiente para enganar um sistema especializado para mapeamento facial 3D duma única pessoa, e que analisa mais do que as dimensões da cara – é por isso que a Apple falou que o sistema foi treinado para não ser enganado por máscaras (imitações).
            Não é preciso tirar uma foto macro da Iris (não retina) em infravermelhos para enganar – primeiro porque não precisa de ser “macro”, segundo porque não é obrigatório usar uma foto em infravermelhos. A Chaos Computer na sua análise diz que uma boa foto colocada na internet pela pessoa pode ser suficiente.

          • Goncalo says:

            Filipe F., sou obrigado a concordar com o Bruno, através de uma foto (2D) não se consegue criar um molde 3D com o mínimo de precisão para enganar este sistema, a única maneira que estou a ver que possa eventualmente aproximar-se disso, seria fazer um scan 3D com uma aplicação como a que a MS apresentou num dos seus últimos eventos, em que a precisão e facilidade são pontos fortes, assim como a lata precisão do mesmo, mas fica uma pergunta: será que essa precisão chega para ludibriar um sistema destes? Talvez ainda não, mas com a rápida evolução desta área acredito que será apenas uma questão de tempo se não for já possível.

          • Bruno says:

            @ Goncalo, a Apple referiu que “treinou” o sistema para não ser ludibriado por máscaras realistas (o sistema usa AI), por isso não basta ter uma reprodução tridimensional da cara.
            A haver algum método terá que ser capaz de reproduzir as propriedades electromagnéticas da cara no infravermelho, a que se soma uma solução para o movimento dos olhos, já que também parece avaliar o olhar da pessoa. Ou seja, não aparentam ser métodos simples.

        • Alberto José says:

          Tens nada 🙂 querias ter, sonhas ter, e tão cedo não terás.

        • kadu says:

          Tens o Trusted face apresentado no smart lock do Lollipop… Já tem 3 anos!
          Se queres ter ter alguma razão no teu comentário ou argumento tens que chamar os “bois” pelos nomes!!
          O Face ID da Apple usa hardware para mapear a tua cara e enquanto o Trusted face usa software (e atenção que a Google tem dos melhores softwares de manipulação de imagem)…
          Uso-o desde sempre e nunca me falhou. Com óculos (graduados) ou sem, com barba ou sem… Já se usar uns óculos de sol não me reconhece!!!
          Já o Face ID tem todo um mapeamento completo incluindo profundidade…

          Minha opinião: Não vejo qual a necessidade de ter de incluir hardware para segurança (consequentemente aumento do preço do dispositivo) quando já têm tanta coisa boa… Talvez saibam que o “Apple Fanboy” nunca questiona a necessidade de nada… Apenas tem que ter só porque sim!!!
          No fundo é uma questão de software vs hardware!!

          • Goncalo says:

            O teu comentário trouxe-me mais umas duvidas: e se tivermos um qualquer inchaço no rosto? ou uma ferida qualquer que de alguma forma provoque alterações no volume do rosto? Ou se esvermos com olheiras? Duvido que funcione, a não ser que a Apple tenha tido isso em conta e ter adicionado uma margem de erro confortável, o que certamente iria retirar imenso da sua segurança.

        • Goncalo says:

          Funciona de forma diferente, inicialmente pensei o mesmo, mas depois de investigar sobre esta tecnologia usada pela Apple verifiquei que é muito diferente que o reconhecimento facial usado nos Android. Não sou fanboy da Apple, pelo contrário, mas a verdade tem de ser dita, até agora esta parece ser a opção mais segura existente, mas continuo com a mesma pergunta, será que uma impressão 3D de excelente qualidade não será capaz de ludribriar este sistema? Seria um teste interessante.

    • Sqn+ says:

      Não deixa de ser um fail para uma apresentação a nível mundial

    • umgajoqueletudoateaofim says:

      “No geral, a opinião dada por Snowden quanto ao novo sistema de autenticação da marca da maçã é positiva. O norte-americano mostrou-se surpreendido e considerou que é um sistema bastante robusto em termos de segurança.” Duas ao poste, e mais tem o print por cima, primeiro ele diz que o design parece robusto não o sistema operativo ou a segurança, depois não me parece que dizer que o sistema pode ser abusado seja uma coisa positiva sobre a autenticação. Sinceramente senhores, essas palas…

      • Bruno says:

        Se leres o segundo tweet verificas que ele usa design para se referir à implementação do FaceID (SISTEMA de autenticação) e à forma como evita falhas comuns de segurança. Ou seja ao falar em robustez do design está a dar uma opinião sobre a aparência de segurança do SISTEMA (de autenticação), mas ele adverte que é preciso esperar para saber o quão seguro é.
        O abuso que ele fala é sobre a tecnologia de reconhecimento facial em geral, por causa da banalização deste tipo de tecnologia. Ele não está a falar de abuso do sistema de autenticação do iPhone.

    • Jorgejorge@jorge.pt says:

      ‘A tech certain to be abused’ não me parece uma reacção positiva à segurança.

      • Bruno says:

        relê o tweet. Ele está a falar sobre a banalização da tecnologia de reconhecimento facial, ou seja não é uma crítica à segurança deste sistema, é uma crítica à possibilidade deste tipo de tecnologia passar a ser aceite pelas pessoas em vários lados, o que pode ser aproveitado para outros fins (abuso).

  2. LG says:

    O problema do “fail” não foi o FaceID não funcionar … (que pelos vistos bastava do passcode para desbloquear no primeiro uso)… O que foi mau foi a reação de Federighi que não estava a espera do mesmo quando se fala de uma funcionalidade simples e natural como colhar para o iPhone que depois aconteceu exactamente o contrário e depois ainda disse que vai utilizar o “backup”… isso sim foi mau…

    Alguem como o Federighi deveria saber a funcionalidade do produto e saír-se dessa de forma, e cito, “simples e natural”

    Também é estranho após tanta preparação esse iPhone ainda ter sido bloqueado.

    Mas sinceramente considerei este pior: https://www.youtube.com/watch?v=n5jXg_NNiCA&feature=youtu.be&t=30m50s (Tudo que seja com Siri não é uma live-demo)

    • Francisco Pinto says:

      @LG O iPhone pode ter ter crachado.

      • Vítor M. says:

        Não crachou nada, o dispositivo irá solicitar o código sempre que:
        – Ligar ou reiniciar o dispositivo
        – Premir o botão principal para desbloquear o dispositivo (pode alterar esta opção)
        – Atualizar o software
        – Apagar o dispositivo
        – Visualizar ou alterar as definições do código
        – Instalar perfis de configuração do iOS

        Não era de estranhar que os dispositivos tenham sido reiniciados antes de entrar em palco e um deles foi iniciado com o código, porque nota-se que reconheceu de imediato, enquanto o primeiro solicita o código para ativar o Face ID. Comportamento normal.

    • Vítor M. says:

      Exactamente, ele é que não contava com aquilo e não sabia o código 😀 essa foi a cena mais caricata 😀 mas estas cenas acontecem, são o gáudio de alguns 😀

      Seja como for, a tecnologia é brutal, vejam os vídeos da malta a testar no showroom.

      • Filipe F. says:

        Vitor, a tecnologia é tal e qual como ter o Leitor Retina no S8 ou Note8, não tem nada de wow, o procedimento é o memso: ativar o ecra, ter a cara de frente para o telemóvel e demoram pelas demos, ambos a mesma coisa, 1 seg ou menos, mas claramente menos instantâneo que uma fingerprint.

        A diferença é que no iPhone X vais voltar a usar muitas vezes o Pin, porque quando a cara falhar, porque irá falhar, o leitor n irá ser 100% preciso ou era muito facil de enganar, n tens uma fingerprint como método imediato alternativo e portanto precisas de digitar um pin,
        Alem disso a cena de desbloquear com segurança, em cima da mesa sem ter que se mexer o corpo ou rosto para cima do telemóvel e sem ter de pegar nele parece que também acabou na Apple.

        Agora isto é novidade para os Apple clients, mas para quem tem e falo do rival direto, um S8, isto ja é normal, sendo que tens nao um mas dois metodos rápidos e que usam algo do teu corpo para desbloquear (impressão digital e retina). Mas em duvida que finalmente o X é um telemóvel que não tendo nada de novo a não ser os emoji animado, já tem finalmente tecnologia usada noutros topo de gama desde há anos. É bom ver o salto tremendo de modernidade.

        • Bruno says:

          Tal e qual? Não sabes o que dizes. Um é um leitor de Iris, outro é reconhecimento facial com mapeamento 3D, o Note não tem esta tecnologia.
          Gostava de saber como é que chegas a essa conclusão de demorar o mesmo tempo e não ser instantâneo? No iPhone X a autenticação não leva automaticamente para o ecrã inicial, continua-se no lock screen até se fazer um “swipe” no ecrã, dando a possibilidade de ler as notificações. A autenticação em si parece ser extremamente rápida.
          Tu não fazes ideia qual é a taxa de falha de reconhecimento no iPhone X para saber que é pior que a do leitor de impressões, para saber que se vai usar mais vezes o “PIN”.

    • Bruno says:

      Podia ter tido mais cabeça fria e dito outras palavras, mas é o estilo típico da pessoa e uma reacção natural a algo que não corre bem. O certo é que naquela situação ele tinha que passar para outro aparelho, pois ele não tinha tempo para avaliar o que se estava a passar, ele não podia correr o risco de poder ser uma falha persistente naquele aparelho.

  3. AiOGajo says:

    Quanto mais se fala da Apple mais força ela ganha… eu cá não volto a dizer nada. lol

  4. Foodie says:

    “Assim, os sistemas de reconhecimento facial podem vir a ser usados para motivos de espionagem e, deste modo, tornarem-se numa invasão de privacidade.”

    Como a invasão de privacidade não existe apenas quando existe espionagem…..cabe a cada um decidir se quer ou não usar o sistema, optando por usar alternativamente um sistema standard de autenticação.

    Ter um dispositivo com maior avanço tecnológico não significa necessariamente ganhar mais liberdade, infelizmente…

    • Bruno says:

      Não é por usar este sistema que ocorre invasão de privacidade a quem usa, os dados biométricos são protegidos de maneira semelhante ao que é feito com o TouchID, segundo a descrição da Apple, ou seja não estão acessíveis ao resto do sistema e aplicações.
      O problema que o Snowden levanta é com a banalização no uso deste tipo de tecnologia, o que pode levar as pessoas a deixar de se preocupar com a recolha de imagens da sua cara, sendo isso aproveitado por outras entidades que não estão interessadas em manter a privacidade desta informação.

      • Francisco Pinto says:

        E o que é gravado no secure enclave não é a “image” da face do utilizador mas sim uma fórmula matemática que representa a face. Como já li mesmo que alguém consiga aceder é praticamente impossível converter essa fórmula numa imagem da face

  5. Vitor says:

    Como este modelo do iPhone só ontem foi apresentado, ainda não foi colocado à venda e o Snowden se encontra “refugiado” na Rússia…quer dizer que alguém da Apple lhe “ofereceu” antecipadamente um “aparelho” para ele analisar e validar as características do mesmo!! Ou escreve esses “twitters” para não ser esquecido…

  6. Osvander says:

    Uma dúvida, se o cara faz o reconhecimento facial no smart com o rosto lizo sem barba e, depois deixa a barba crescer. Será que vai reconhecer o dono?

  7. Helder Vaz says:

    Na minha opinião, nunca nenhum sistema será seguro enquanto for necessário password como alternativa caso algum destes falhe, finger print, iris, Face ID ou até mesmo padrão desenhado…
    Para mim o sistema mais seguro e prático, seria o uso de impressão digital sem a password caso esta falhe!!!

    Para mim, as impressões digitais seriam guardadas na kernel e usadas mesmo antes de iniciar o OS, depois de iniciado o OS esta seria a única forma de autenticação e em caso de falha após 5 tentativas, o telemóvel enviaria um sms com um código aleatório e com utilização temporária, o sms seria enviado para um número pré registado através de um sistema tipo 112 em que não é necessário o cartão SIM… Assim acredito que a segurança dos nossos dados guardados neste equipamento, estariam seguros…

    Isto sim

    • celso says:

      Para isso, preferia o velhinho nokia N9. Ao fim de um certo numero de tentativas falhadas, tens a opção de o smartphone formatar-se automaticamente para prevenir o roubo de dados.
      Claro que isso poderia ser usado para algum malandro formatar-te o tlm de proposito.

    • Joao says:

      Boas
      O problema reside no facto de, por exemplo no meu caso, ter constantemente as mãos molhadas e consequentemente os dedos enrugados, ou seja, não consigo utilizar a impressão digital e desbloqueio por padrão. Fora do trabalho(no qual o telemóvel também faz parte) é sempre por impressão digital. Seria impensável sempre que quisesse ver alguma informação de trabalho, ter de esperar de secar as mãos!
      Mas percebo o seu ponto de vista
      Abraço

  8. Vitor says:

    FaceID, TouchID, Apple Watch com LTE e bla bla bla…. pouco a pouco um grupo de empresas irao poder “brincar” livremente com a vida das pessoas… skynet is coming

  9. Antonio says:

    Acho que alguém não fez o trabalho de casa. Quando se usa o touchid e este vai pedir o código, aparece o ecrã para digitar o código. No entanto não foi o que aconteceu. Ele pegou no telemóvel, olhou para o telemóvel e este não fez rigorosamente nada. Depois ele desliga o ecrã, volta a ligar e devia novamente ter aparecido o ecrã(se tiveres o ecrã desligado, e carregares no botão, vai logo aparecer o ecrã para por o código) e este só apareceu quando ele tocou na tela.

  10. Samuel says:

    Inventar o inventado é só o que Apple faz. Francamente é uma marca que já me enoja. Foi com a suposta primeira app store que é quase copy/paste do “Gestor de Pacotes Synaptic” (linux). A Apple e a Microsoft só fazem é copiar o Linux e se não fosse o Linux provavelmente ainda era tudo “um utilizador uma tarefa”.

  11. Carlos says:

    É por causa do Face ID que pedem mais de 1.000€ pelo smartphone iPhone ?
    É que reconhecimento facial, o Android tem pelo menos desde a versão 4.2, e o Win 10 Mobile e Windows 10 têm o Windows Hello.
    Se é só por isso não estou a entender o preço, pois a tecnologia já existe há vários anos.

    • Bruno says:

      O Win 10 Mobile não tem reconhecimento facial, só encontras este tipo de tecnologia em computadores Win 10 mas com hardware menos compacto, tanto quanto eu sei.
      Queres mesmo comparar uma coisa destas com tecnologia de reconhecimento que podia ser enganada facilmente por uma fotografia?

    • Rui says:

      O principio da tecnologia é bem diferente, e mais complexo, e com certeza mais valioso do que qualquer um feito até hoje.

  12. Douglas Ferreira says:

    Feio como é o Craig Federighi acho que qualquer smartphone se recusaria a reconhece-lo.

  13. Fabio says:

    Alguns dizem que o iPhone foi reiniciado, mas a mensagem de reinício no iPhone indica claramente “reiniciar” como o motivo da autenticação extra. As tentativas falhas do touch Id, por outro lado, acabarão com a mensagem que Craig conseguiu no palco. Experimente você mesmo, toque repetidamente o sensor do iPhone com o dedo errado e, eventualmente, você obterá “Sua senha é necessária para ativar o touch id”. O momento decisivo para mim é quando ele esfrega o rosto.A maneira como ele esfregou o rosto instantaneamente implica que ele teve algum problema anteriormente.

    • Bruno says:

      Falhas no TouchID dão uma indicação visual de falha antes de sequer pedir a password, coisa que não aconteceu ali, com o teclado só a aparecer quando ele faz o swipe no ecrã.
      Ou seja o telemóvel já estaria na situação em que necessitava de password para autenticar.

  14. Xello says:

    Como será com os gémeos? Posso espreitar o IPhone X do meu irmão gémeo?
    PS.: Não tenho irmão gémeo, é apenas uma questão.

  15. Craig oh oh oh says:

    Acho piada aos nomes que a Apple dá às coisas, Face ID, AirPods, AirPower, Icloud… Designações que mais parece saídos de uma banda desenhada com Super Heróis, onde os JetSkates ou Lazer Guns fazem brilhar os olhos dos mais pequenos levando os seus pequenos cérebros nas ondas da imaginação. Claro que o sucesso de um produto que nada tem para oferecer, depende sempre de uma boa campanha de marketing, se o carro do Batman de chamasse Batman Wheels ninguém ia comprar, então vamos dar um nome bonito às coisas e ficamos com um Batmobile ou uma BatSword sem esquecer o BatTracer… No caso da Apple temos o Iphone e não o Apple Phone, o AirPods e não earphones, o AirPower e não o Wireless Charger, enfim…
    A Apple se tornou especialista em ilusionismo, incutindo nos consumidores de tecnologia a ideia que são eles que inventam tudo, são eles os senhores da perfeição, são eles os mais que tudo, mas no fundo não passa de marketing ilusionista…
    Claro que gostos são gostos e não se discutem, mas dizer que estão a pagar 1359€ por um smartphone inovado e com tecnologia nunca antes utilizada em Smartphones, é no mínimo uma consequência evidente do ailusionismo …

  16. somewhereovertherainbow says:

    …eu penso que a “mensagem do Snowden” vai mais no sentido de chamar a atenção para o facto de que realmente a banalização da tecnologia [porque outros seguirão “as novidades agora apresentadas”] irá permitir no futuro…como em tudo “para o bem e/ou para o mal”…sou um leigo nestas matérias, mas acredito que haja já tecnologia bem mais desenvolvida, por exemplo como ele refere, a nível militar, que muitos julgam ser ainda uma “quimera” mas que acredito ser já uma realidade “ainda bem guardada”…quem “manda” cria a ilusão da necessidade de algo…e nós “carneiros” vamos todos atrás, de uma maneira ou de outra e não importa a “Marca”…não importa a marca! Somos cada vez mais controlados…com a nossa inteira colaboração! [é que sem dar conta acabamos por fazer o suposto “trabalhinho deles” e nem piamos…podemos reclamar depois e ter opinões para fóruns e mesas de café – se é que ainda há gente que se “encontra fisicamente”…esta é mesmo somente uma ligeira provocação! ] 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.