PplWare Mobile

Afinal o e-mail do macOS da Apple não é tão privado como se pensava


Fonte: Bob Gentler

Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Vitor says:

    Por algum motivo INTERNET e PRIVACIDADE não rimam…

    • Fixo says:

      Nada tem a ver com internet.
      No Mac o Siri, em determinadas situações, guarda mails não codificados.
      Tens que ir ao próprio Mac aceder a eles. Não é um ataque remoto.

      • Vitor says:

        Amigo,quando escrevi INTERNET é claro que me estava a referir ao geral do mundo virtual e não apenas aos emails.E nunca ouviu (ou leu) dizer que a própria Google lia uma partte significativa dos emails enviados pelo Gmail? Se a Google o fazia (faz ainda!) quem me diz que a Apple(ou outro provedor qualquer) não o faz também? E para que é necessário um “ataque remoto” quando são os próprios desenvolvedores a fazelo..?!

  2. ToFerreira says:

    É surpreendente isto não estar inundado de comentários dos aproveitadores do costume a cascar na Apple. A Apple perdeu mesmo o protagonismo que tinha, já era…

    • Vítor M. says:

      Bem pelo contrário. Sempre foi assim, e sempre que assim for, a Apple mostra o quanto não é indiferente. Por isso vende muito e continua a ser líder em vários mercados. Pretende-se que seja melhor, até porque os que usam, os que não usam e os que nunca vão usar, estão todos de olhos em cima. Ao contrário de qualquer outra marca, na Apple nada passa despercebido. Já no tempo de Steve Jobs era assim, e agora assim é. 😉 Contudo, ano após ano vende mais, cresce, espalha-se nos vários segmentos e se não é a melhor, é das melhores.

      Vemos ainda o seu domínio no segmento dos smartphones, novos, usados e recondicionados (embora hoje tenha concorrentes com produtos fantásticos), ainda é das marcas que mais vende. Nos smartwatches não dá chance. Luta no mundo dos auscultadores pelo pódio, com os AirPods e os Beat. Nos tablets continua sem concorrência. Nos computadores, continua a vender bem e está sempre nos primeiros do mercado, mas este é um mercado com muita oscilação na última década (mas continua a marcar o mercado com propostas icónicas, como sempre o fez).

      No que toca a software, não tem a liderança no sistema operativo (o Windows não dá hipótese), mas mantém nas suas plataformas um sistema para cada uma (macOS, iOS, iPadOS, audioOS, tvOS e watchOS), ao passo que as outras marcas não têm. Umas usam o sistema operativo da Google e a Google não tem segmentos como tem a Apple. A Microsoft agora já usa Android, porque não conseguiu dar continuidade ao mobile.

      Ainda sobre software, cada vez vemos mais marcas a desenvolver para macOS. Um exemplo é a Corel, que durante décadas não fez questão de ter o Corel Draw no ecossistema Apple. Vergou. Além disso, o melhor que a Google faz, o melhor que a Microsoft faz, está no ecossistema Apple.

      Nos serviços, bom, aqui a Apple desde “quase sempre” teve o mérito de levar sempre na liderança alguns dos seus serviços. O iTunes foi pioneiro de um mercado de venda de música, depois as lojas de apps seguiram as pisadas, estas estão cada vez mais recheadas e fortes. Trazem milhões à Apple e têm alguns atributos únicos. Por exemplo, a Apple é a maior empresa do mundo em termos de cartões de crédito ativos dos seus clientes. Tem a Apple Music, não sendo o primeiro do pódio, está a caminhar para atacar o primeiro lugar (vamos ver se conseguirá bater o fantástico Spotify).

      No que toca à TV. Bom, com a Apple TV+ a Apple está já a dar passos para crescer aqui também (mas a Netflix e a HBO são gigantes). A Apple aqui ainda é fraquinha em quantidade, mas qualidade está no bom caminho. Daqui a um ano veremos.

      Portanto, como podes ver e ainda há muito mais, a Apple nunca esteve tão forte, tão grande e com tanta oferta. Atualmente caminha para oferecer alguns serviços na área do bem-estar e da saúde, o que vai catapultar a marca noutras direções, onde já semeou a sua presença.

      • Naphius says:

        Mas desistiu do mercado de servidores. Tinha o server que depois migrou para uma aplicação (que ainda assim funcionava bem) mas agora desapareceu completamente assim como os seus dispositivos de rede. Para quem tinha uma pequena empresa a app server era ouro sobre azul pois alem de ser barata era simples e funcionava (ainda funciona porque continuo a manter a mesma (mas já não tem atualizações (as que tem não tem os mesmos serviços)

        • Vítor M. says:

          Sim, não tinha viabilidade, o mundo dos servidores não é rentável para o modelo de negócio da Apple. São mercados com operadores dedicados de muita qualidade. Por exemplo, a IBM é parceria da Apple, a Cisco é parceira da Apple estas duas empresas são lideres em vários segmentos. Provavelmente a Apple ganha mais dinheiro ter estes parceiros.

      • Ricardo says:

        A Apple devia ter comprado a Netflix. Deve aproveitar enquanto está em cima.
        A Microsoft errou há uns anos, e olha aonde chegou a Apple.

      • Pingu says:

        Isto é que é defesa… Bolas, entro numa loja da Apple e nunca vi um vendedor com tanta energia a vender o produto.

        • Vítor M. says:

          Alguma vez entraste numa loja Apple? 😉 Depois, aprender e saber o que se diz é uma vantagem. Saber do que se fala é uma qualidade. Devias informar-te antes de opinares, nisto ou em qualquer assunto. Como diz o outro “estudasses”.

      • ToFerreira says:

        Os comentários ao artigo provam que eu tenho razão e tu não. Há uma grande indiferença, ao contrário de há algum tempo atrás onde um artigo destes era logo inundado de comentários pelos “que usam”, mas sobretudo pelos que “não usam e os que nunca vão usar”. Concordo que nunca esteve tão grande e tão forte, sobretudo nos serviços, que foram uma boa aposta de Cooks, mas perdeu o protagonismo, a aura, o misticismo que só Steve Jobs lhe conseguia dar e podia até nem ser a maior nem a líder de mercado, mas era a líder de inovação, de admiração, era diferente do resto e uma marca de desejo e acho que era isso que não deixava ninguém indiferente e criava a polaridade de sentimentos que inundava estes artigos de comentários com guerras tão acérrimas entre eles.

        • Vítor M. says:

          Não tens, a está presente isso mesmo. O assunto é o mail do macOS, e mesmo assim está com milhares de views 😀 tu não podes dizer. Mas mais que isso, um erro em qualquer coisa da Apple continua a motivar, sobretudo, os que não gostam da marca e os que ambicionam a marca, de uma forma “estranha” 😀 e muito, em forma de surdina, os que usam e seguem a empresa. Como tal, reforço, estás completamente errado. Basta ver um simples update do iOS, o buzz que tem. Mas é assim, é normal. É salutar 😉

          • ToFerreira says:

            Reforço que me referi desde o início aos comentários aqui no pplware, é fácil ver a quantidade e as guerras há algum tempo atrás e agora e acho que pode ser uma boa métrica para avaliar.

          • Cortano says:

            Eu só cá vim ler mesmo para confirmar uma coisa… e confirmou-se.

      • Cortano says:

        “O iTunes foi pioneiro de um mercado de venda de música,”
        não foi nada.

        Só falta dizer que a Apple inventou a roda.

    • Jorge Carvalho says:

      Quem quiser pode comprar o novo Pixel 4 que com 2 semas de mercado está com 400$ de desconto na Best Buy. 50% Off !

      Abc

    • rodrigo says:

      pessoal don’t feed the trolls!

  3. mmendez says:

    Eu trabalhei com um colega que dizia o Marketing faz milagres em tudo seja nas pessoas seja nos produtos.
    e é verdade.

    • Nelson says:

      O marketing só engana em 1 ou 2 produtos que se compre, a partir do momento em que estou á 11 anos com a mesma marca e com mais de 10 produtos passados pelas mãos não há marketing que consiga enganar.

  4. Tinajh says:

    Cá estão estes com os afinais do costume. Obrigado por virem dizer o óbvio. Afinal nada é privado, afinal nada é seguro, afinal…

    • Vítor M. says:

      Verdade, mas quando não é vedado por falha, há que reparar. Neste caso, que é um caso, embora que afetará alguns poucos em muitos, a Apple terá de corrigir. Na verdade, a Apple, entre outras empresas, estão cada vez mais atentas à privacidade do utilizador. E tem de ser assume tem de se obrigar a ser assim.

  5. Xnelox says:

    A capacidade de vender o peixe não é para qualquer um. A Apple é muito boa a propagandear a pseudo proteção de privacidade dos seus clientes.

  6. Joao Magalhaes says:

    O inicio das vossas noticias sobre as falhas de segurança da Apple começam sempre com ” A Apple segue uma linha rigida….segurança” ” A Apple em segurança…..” e depois novamente ( e têm sido bastantes as vezes ) lá vem as falhas gravíssimas e todos os outros problemas que não a torna diferente do Android, resumindo, isso da segurança da Apple já começa a ser uma ilusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.