Quantcast
PplWare Mobile

Comprou um iPhone? Vai mantê-lo durante 3 anos! O Planeta agradece

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Ângelo says:

    Também há um motivo óbvio: os smartphones topo de gama estão cada vez mais caros. Eu lembro-me de pagar 500€ pelo iPhone 4 e mana altura ter achado que tinha sido uma extravagância da minha parte, caríssimo. O Samsung Note 3 que comprei mais tarde custou-me 580€ e na altura também achei caríssimo, mas não resisti.
    Anos mais tarde, decidi comprar um telemóvel mais em conta, pois não queria acompanhar a escalada de preços. Comprei o OnePlus 6 por 570€ e já achei um preço acessível (quando anos mais tarde quase me sentia culpado por gastar algo semelhante num smartphone).

    Agora os smartphones de topo est\ao entre os 800 e 1400€. O iPhone “budget” SE que saiu há pouco tempo, custa 500€.

    Ora, que eu saiba os rendimentos das pessoas não subiram como a escalada de preços dos smartphones. E presumo que com menos vendas, vão continuar a subir os preços.

    • AqueleAmigo says:

      +1
      THIS! ^^ ^^

    • David Guerreiro says:

      O problema é que apesar dos rendimentos não terem subido proporcionalmente, as pessoas compram na mesma. Endividam-se, vão pagando em prestações, e acabam por dar força aos fabricantes para subir preços. Eles sobem, e como se vende bem, é natural que subam mais para testar o mercado. Se podem vender por 1000€ porque haveriam de vender por 800€? Se as vendas caíssem a pique logo se via se não baixavam os preços.

  2. Antonio says:

    Ao preço que os novos telemóvel estão a sair, e bom esperar 3 anos para os preços descerem :))

  3. Vida says:

    Eu tenho um Huawei P8, a unica coisa que podia ser melhor era a Câmara, mas mesmo assim só troco quando avariar de vez, anda faz tudo o que preciso, não preciso de mostar aos meus conhecidos que tenho um telemóvel de ultima geração. Aos meus amigos que têm telemóveis melhores que o meu, peço para tirar uma fotografia com muito mais qualidade que eu consigo e depoos enviam para mim e alguns já se habituaram a fazer o mesmo

    • TwoEyez says:

      Adorei o teu comentário, é mesmo isso não existe necessidade de andar sempre na crista da onda no que toca a telemóveis, hoje em dia um telemóvel com 3 anos dá para a maior parte das tarefas usuais de cada um.

      • IDroid says:

        Concordo com tudo o que disseram; o consumismo desenfreado não é sustentável, e qualquer telemóvel de alta gama dos últimos 3 anos serve perfeitamente para a maioria da pessoas e usos.

    • David Guerreiro says:

      O grande problema de manter um smartphone muito tempo é a desvalorização. A menos que se troque só quando o mesmo avariar, chega a uma altura que o smartphone tem um valor tão baixo que temos quase de pagar para alguém ficar com ele. Se a pessoa trocar de 2 em 2 anos é mais fácil conseguir vender o antigo e obter um valor considerável pelo mesmo. Também é uma forma de evitar desperdício, o facto de passar de mão o smartphone.

      • Blackbit says:

        Depende da gama de telemoveis que comprares. Se for medio, medio-baixo entao esquece, ao fim de 2 a 3 anos a bateria ja nao tem carga e nem cpu para as aplicações que entretanto foram engordando.
        Se o telemóvel for medio-alto ou alto ainda es capaz de o vender mas aí a bateria também já não deverá estar muito famosa…
        Pessoalmente aguento os telemóveis até falharem (bateria, armazenamento, falta de desempenho, etc) e vão para uma gaveta.

  4. Filipe F. says:

    Bem o gráfico é obvio ao contrário do que o título quer induzir… Mais de 80% dos donos de iPhone não o mantém 3 anos. Provavelmente neste caso pelo titulo o planeta não está muito grato aos 80 e tal % que o mantém menos do que 3 anos certo?
    No entanto, e falando do outro lado da análise, nota-se que os equipamentos duram cada vez mais , principalmente os premium, seja em que marca for, e duram não só pela qualidade de construção que melhorou nos ultimos anos, como pela falta de real inovação que faz com que as pessoas que invistam 600, 800, 1000 euros num telemóvel não o queiram considerar obsoleto tão rápido, passando-o para irmaos, filhos, etc porque enquanto funcionar certamente fará jeito a alguem

  5. JCFB says:

    Big deal. Ainda estou a usar o meu galaxy s3…
    Se como eu so usarem o telemovel para ir a net e ocasionalmente ouvir musica, acreditem que vos dura vários anos.
    Prefiro usar o computador para quase tudo por isso o telemovel nao me importa mto.

  6. Dark Sky says:

    Reconheço, sem qualquer dificuldade, a importância dos reparadores não oficiais.

    A iServices, passe a publicidade, resolveu-me dois problemas:
    – As antenas internas avariadas de um iPhone 6 (a do GPS não funcionava), problema muito comum neste iPhone – paguei 35€, resolveram na hora. Num reparador oficial pagava 350€ (substituíam quase todo o miolo do iPhone) e tinha que esperar semanas até ir e vir ao centro de reparação).
    – A outra ainda me envergonha – não conseguia que o cabo ficasse seguro na porta. Pensei … a porta está avariada, vou gastar mais uma data de dinheiro … se a reparação for possível. Assim que entrego o iPhone e explico – o funcionário pega num clip, ou parecido, e começa a tirar montes de cotão! 🙂

    Quanto ao tempo que se tem um smartphone e ao lixo electrónico, o preço conta. E poder vendê-lo em vez de mandar para o lixo. Convinha perceber qual é o tempo de vida útil efetiva de um iPhone, na mão do 1.º dono (a que se refere o post) e na mão do segundo.

  7. R says:

    O meu equipamento de trabalho (e pessoal também) é o OnePlus 3T (faz 4 anos este ano) e espero que continue a durar.
    Se gostava de uma câmara melhor ou outros melhoramentos? Sim, mas não justifica o investimento de um novo.
    A maioria das pessoas que querem o “último grito” não tem necessidade absolutamente nenhuma. Mas são formas de estar… E custam muito dinheiro…

  8. desinformado says:

    Por cá ainda ando com o meu iPhone 6 – que foi duas vezes substituído (a primeira porque uma parte do ecrã deixou de funcionar e a segunda porque perdia a rede). Enquanto ele andar, não tiver falhas de segurança e tiver a performance necessária para o que faço, será o meu equipamento.

  9. iSad says:

    Tenho Iphone X que faz 3 anos este Outono. Por acaso ia trocar este fim de ano, mas tera de ser algo que algo muito bom que justifique, tenho serias dúvidas acerca do dito 12.
    PS: Se trocar este X tera futuro dono que o usara por mais 3-4 anos. Concordo planeta agradece. Ter o ultimo grito? Deixem isso para os Ytubers.

  10. Ze says:

    O meu iPhone 4 está guardado para um desenrasque se for preciso. O meu iPhone 5 dei ao meu pai quando comprei o meu iPhone 6S e ele ainda o usa. Vendi o iPhone 6S por 300€ quando saiu o iPhone X há 3 anos. Até ver este iPhone ainda me vai aguentar até 2021 altura na qual tenciono dá-lo ao meu pai para ele então arrumar o iPhone 5 que nessa altura terá… 9 anos, e ainda há uns meses recebeu mais um update.

    Se souberem tomar conta dos vossos equipamentos eles aguentam muito tempo 😉

  11. Fulano says:

    O meu velhinho Galaxy S3 ainda roda como no dia em que o comprei. recebeu todas as actualizações que tinha de receber e passados todos estes anos está 100% funcional.
    Não sei porque razão só uma marca especifica é que é boa, quando o gráfico indica exactamente o contrário.

    • Galo says:

      O gráfico indica que pelo menos 70% mantém o iphone entre 2 a 3 anos…. Mas concordo contigo! Isto não se limita aos telemoveis da Apple… Há muita gente que parece ignorar a evolução feita no “mundo android” nos últimos anos e a qualidade de outras marcas, e pretende ficar agarrado ao passado, pensando que apenas iphone é fluido, tem qualidade de construção, e recebe updates frequente e por tempo consideravel…

  12. Pedro Fonseca says:

    Por aqui o meu Nokia 5 vai durar ainda um bom tempo, comprei há 2 anos e a bateria ainda dura que se farta e está rápido como tudo.

  13. SANDOKAN 1513 says:

    “Mantê-lo” ?? Há quem tenha todos os iPhones desde a sua 1° edição/geração.Desde o ano de 2007 há quem tenha todos os iPhones que saíram até ao dia de hoje !! Fanáticos são estes. 🙂

  14. Ricardo Dias says:

    Uma solução também para este problema seria existirem programas à séria de retoma dos iPhones.

  15. Luís Rodrigues says:

    Neste momento uso iPhone. Inicialmente comprei o iPhone 3G, depois tive 2 androids- 1 samsung e depois um xperia da Sony, e depois voltei aos iPhone. Na minha experiência, embora sejam mais caros e sempre que aparece um, chovem críticas com Androids como alternativas mais baratas, etc, os iPhones duram mais tempo. Penso terem melhor qualidade de construção e os updates mantém se bastante tempo.

    • Galo says:

      Pareces encaixar perfeitamente no meu comentário acima XD

      Só por curiosidade há quanto tempo tiveste esses “2 androids”? E como se comparou o preço deles com o do teu atual iPhone?

      É que não se pode comparar um Iphone que é suposto ser o telemovel de gama alta, com um telemovel de gama média/baixa android.

      É verdade que antes, mesmo os “androids” de gama alta tinham updates oficiais da marca durante um tempo limitado, comparado com os da Apple.

      No entanto, atualmente isso já nao é verdade! Depende das marcas. Algumas até oferecem updates durante bastante tempo a modelos de gama baixa! Por exemplo o redmi 4x com 3 anos de update e o Redmi 5 com pouco mais de 2 anos que ainda irá receber a miui 12.

      Qualidade de construção é outra conversa..os iphones sempre primaram por um aspeto premium, no entanto tiveram vários modelos problemas de construçao, tal como outras marcas tiveram. E outras marcas de topo desde que me lembro sempre tiveram modelos de qualidade de construção elevada.

      Atualmente eu diria que consegues telemoveis com qualidade de construição igual à do iphone por menos €. Aspecto “premium” nao falo porque depende em parte de gostos….Para um fã android cego um iphone será sempre uma “algo feio e caro”, para um fã Apple, o iphone será sempre “o unico com aspecto premium”.

      • Luís Rodrigues says:

        Deixei de usar Android há cerca de 6 anos, altura em que as teclas deixaram de funcionar, com menos de 2 anos de uso.Os iPhones foram oferecidos. Destes dois, o primeiro ainda funciona e é usado por um familiar meu.
        Não estou a ser fanboy, nem nada. Estou apenas a constatar um facto e a partilhar a minha experiência.

        • Luís Rodrigues says:

          E os Android eram de gama alta, já agora. O preço ligeiramente inferior aos iPhone na altura, mas não muito inferior.

        • Galo says:

          Não te estava a categorizar como fanboy.
          Por isso mesmo é que te coloquei essas questões. Agora compreendo melhor as tuas afirmações. Há 6 anos a diferença nas atualizações entre mundo Apple e Android eram grandes.
          Hoje em dia já não, se escolheremos as marcas certas.
          Esse problema na teclas pode ter sido “azar”…cheguei a ter um telemovel “chinês” de marca nao conhecida que me durou 4 anos a funcionar sem problemas (tirando a bateria que tive que trocar, e a falta de actualizações oficiais). Hoje em dia tenho um mi 9, que custou 320€ e na minha opinião se enquadra na categoria de topo, seja qualidade de construção, hardware, funcionalidade, e atualizações.

          • Luís Rosa says:

            A minha experiência é bastante positiva com um android de média-baixa gama: Xiaomi Redmi 3. Desde 2016 sem falhar e tem o MIUI 10. A bateria só recentemente começou a drenar mais rápido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.