PplWare Mobile

Apple pediu desculpa e define melhorias para a privacidade dos utilizadores na Siri


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. V.T. says:

    “What happens on your iPhone, stays on your iPhone”

    • Toni da Adega says:

      É o que dá as pessoas acreditarem de forma cega naquilo que qualquer empresa/corporacao afirma.
      Eles podem dizer o que quiserem que os tolos comem e ainda batem palmas.

      (Isto é para todas as empresas, seja Apple, M$, Google, Amazon, etc)

  2. Ricardo M. says:

    To late.

  3. LG says:

    A… A…. Ap… “Apple pediu desculpa”?

    A Apple não pede desculpa aos seus clientes. Pedir desculpa é admitir erro. A Apple não admite erros. Para a Apple, o erro reside sempre no utilizador.

    • Toni da Adega says:

      Mas neste caso o erro é 100% do utilizador. O utilizador cometeu o erro de confiar numa grande empresa.

    • Sujeito says:

      Tens estado desatento.

      A Apple já pediu desculpas várias vezes, quer literalmente quer desculpas indirectas, através de mudanças de comportamentos, que deixa implícito um reconhecimento de culpa.

      Contudo, pelo menos alteram comportamentos de acordo com a revolta do público. Nisso a Apple está a milhas da maioria da maioria das outras corporações e é enganador perpetuar o mito do contrário.

      O problema é a malta não ver a realidade e desviar o assunto.

      O assunto não é a Apple pedir desculpa ou não. O assunto é que não deveria sequer de ter de pedir desculpas, principalmente num comportamento que contraria toda a posição pró-privacidade que têm tomado ultimamente.
      Isso deveria deixar claro que é como diz o Toni da Adega, confiar num fabricante, qualquer ele que seja, é culpa do utilizador.

      • LG says:

        Mudanças de comportamento não é um pedido de desculpas.

        Isto é um pedido de desculpas:
        “(…) Samsung Electronics, shared detailed results of the investigation and expressed his sincere apology and gratitude to Galaxy Note7 customers (…)”

        Uma press-release da Apple deste gênero não é um pedido de desculpas, é sim, deixar de omitir já que foram apanhados…

        • Fixo says:

          Comparar o Note 7 a isto – não é demais???
          No Note 7 recolheram as baterias, porque andavam a explodir. Recolheram-nos, substituíram as baterias, devolveram-nos – mas continuaram a explodir.
          Tiveram que fazer uma segunda recolha e destruí-los. Para alguém que não os tivesse entregue, fizeram uma atualização de software que os tornou inúteis.
          E a questão é a diferença entre “sincere apology” (Samsung) e “we apologise” (Apple)?
          Quem trouxer o Note 7 à baila tem que pensar duas vezes 😉

          • LG says:

            Esquece o caso Note 7 em específico. Isto foi meramente um exemplo que onde numa press-release há um pedido de desculpas. Posso te arranjar mais exemplos de casos pequenos. Ex: https://www.lg.com/us/public-notices/mobile/lg-mobile-optimus-facebook-posting

            Se a gigante bilionária Apple sublinha claramente a sua posição face à privacidade e é apanhada assim, não é de admirar que a mesma toma estratégias defensivas.

          • Sujeito says:

            O teu ponto continua a ser erróneo. Estás a reforçar que a Apple nunca pediu desculpas, o que não é verdade. E para isso estás a comparar com desculpas de outros fabricantes que, após desculpas, nem sequer mudam comportamentos, pedem desculpas e continuam com as mesmas práticas.

            De toda a forma o ponto maior aqui é de que a Apple, no grande plano de asneiras, é mais correcta que muitos outros, fazem asneira e alteram comportamentos.

            Contudo, não quer isso dizer que sejam uma empresa modelo. Apenas são menos más que as outras. São todas trastes.

  4. Fixo says:

    Mas onde é que está o pedido de desculpa (“we apologize”)?

    O que a Apple diz (link do 5º § do post) é:
    “Sabemos que os clientes ficaram preocupados com os recentes relatos de pessoas ouvindo gravações de áudio do Siri como parte de nosso processo de avaliação da qualidade da Siri – que chamamos de classificação. Ouvimos as suas preocupações, suspendemos imediatamente a classificação humana das solicitações do Siri e iniciámos uma revisão completa de nossas práticas e políticas. Como resultado, decidimos fazer algumas alterações no Siri “.

    Quando se vai ao encontro das preocupações dos clientes, o que qualquer empresa deve fazer, está-se a pedir desculpa ou, apenas, a dizer que se vai fazer melhor?

  5. censo says:

    Mas como é que acham que se fazem os assistentes pessoais ? Como acham que são aprimorados de forma tão rápida? Não conhecem os fundamentos da informática e depois queixam-se da privacidade. A privacidade está no utilizador. A partir do momento em que dela abdica (o tal sim a tudo que o aparece no écran) o utilizador expoe-se e aí acabou.

    • Sujeito says:

      Isso são duas associações de ideias não relacionadas.

      O modo como o utilizador abdica da sua privacidade e o modo como os assistentes virtuais funcionam são duas coisas distintas, não relacionadas. Ou seja, uma não valida a outra.

      E é perfeitamente válido que os usuários dos iPhones ainda menos tivessem feita uma associação dessas, devido à constante publicidade da Apple em que, dizem, valorizar a privacidade. E até o fazem em muitos aspectos. Só que muito menos do que deram a entender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.