Quantcast
PplWare Mobile

App Store da Apple é a mais recente vítima do cenário económico que atravessamos

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Hugo says:

    A perder ou a ganhar menos….

  2. Guilherme says:

    Muitas das Apps que tinham um valor de compra fixo seguem agora um modelo de subscrição e em grande parte delas a subscrição nem é feita obrigatoriamente via Apple Store. Por outro lado, a própria Apple alinhou nesta ideia e criou também ela uma subscrição gaming (Apple Arcade) onde este lucro deixa de entrar nestas contas da Apple Store. Ao mesmo tempo , com estes novos modelos o cliente tornou se mais rigoroso nas compras que faz porque é obrigado a adoptar um modelo de pagamento recorrente em vez de fazer uma compra singular.

  3. qui says:

    Uma das razões é que a Apple reduziu as “fees” e passou a permitir operações exteriores… se usarem os serviços bancários da Apple.
    Maioria das apps passaram a pagar meia dúzia de cêntimos mas, a Apple cobra pelos pagamentos feitos dentro das apps. Nessa parte os lucros dispararam algo acima de 200%. E a Apple fornece esses serviços a outras apps que usem qualquer outra loja (o Spotify europeu usa o Applepay como base para receber as subscrições e compras internas).

  4. PM says:

    Empresas que valem Biliões, têm de alargar os cordões. Se a economia pesar naqueles que gastam o dinheiro nos seus produtos e se estas empresas continuarem a aumentar os preços como estão a fazer, então não desesperem….Ainda vai ser pior. Este último iPhone 14 tem um preço exorbitante aqui em PT. Eu sou fã da Apple, mas a continuar assim não compro mais nada desta marca e se todos o fizessem as coisas mudavam.

  5. FilipeB says:

    Gostava de perder €€€ como estas empresas. A sobrar €€ no final do mês (todos os meses, todos os anos) mas com 5% a menos num ano…
    Tal como não foi preciso grande génio de marketing para aumentar os lucros de tudo o que era serviço digital (apps/streaming/etc.) durante a pandemia, também não é preciso procurar muito para perceber que acabando a pandemia esse pico de consumo desaparece ou reduz mesmo a valores inferiores ao início por exaustão ou redução de despesas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.