Tecnologias 1G, 2G, 2.5 G, 3G e 4G – Sabe a diferença?


Destaques PPLWARE

50 Respostas

  1. Jose Ribeiro says:

    Penso que o artigo não está correcto.
    Os SMS são da 2G. Na geração 2.5 surgiram os MMS!

    • Pedro Pinto says:

      Em 1993, uma operadora da Finlândia enviou o primeiro SMS. Segundo algumas pesquisas que realizei, o MMS até é considerado de terceira geração. José, não sei se tens alguma informação que possa complementar a tua afirmação. Se tiveres, envia sff.

      • Penso que o José Ribeiro tem razão.

        2G
        http://en.wikipedia.org/wiki/2G -> “…and 2G introduced data services for mobile, starting with SMS text messages.”

        2.5G
        http://en.wikipedia.org/wiki/2.5G#2.5G_.28GPRS.29 -> “…It can be used for services such as Wireless Application Protocol (WAP) access, Multimedia Messaging Service (MMS),…”

      • Nuno says:

        Pedro, os 1ºs telefones a suportar MMS em Portugal foram o Sharp GX10, um Nokia de slide (não me recordo o modelo) e um SE que se tinha de juntar uma camara, em 2002. Isto a funcionar em GPRS. O 3G seria lançado em 2004. Isto apenas para os telefones, pq ambas as tecnologias já tinham sido lançadas mais cedo, mas apenas a funcionarem em placa de dados.
        As sms já existem desde 95 ou 96. Era um serviço exclusivo dos serviços pós-pagos, sendo mais tarde alargado a todos os serviços.

        • Marcos Santos says:

          Nokia 7650, tive um 😉
          Mas os SMS vieram primeiro que a 2G 😐

        • Rui Silva says:

          O nokia slide foi o 7650. Confirmo a data de final 2002 (setembro/outubro)

        • BV says:

          Penso que o SE foi o T68i.
          Tive este modelo juntamente com a câmera.

        • Tiago Silva says:

          “As sms já existem desde 95 ou 96. Era um serviço exclusivo dos serviços pós-pagos, sendo mais tarde alargado a todos os serviços.”

          Achei interessante esta parte e por isso, permita(m)-me corrigir qualquer dúvida que possa(m) ter.

          As SMS já existem desde 1985. É um protocolo de envio de texto, bastante básico, com um limite de 160 caracteres codificados segundo o idioma pretendido (com um máximo de 7 bits cada um).

          Quanto a “exclusivo dos serviços pós-pagos”, bem, em 1995 ainda não existiam pré-pagos em nenhuma operadora mundial, excepto a TMN, que foi o inventor e percursor dos cartões pré-pagos, os famosos MIMO, que surgiram precisamente nesse mesmo ano.

          Espero vos ter iluminado um pouco mais.

      • Proprio says:

        Bom dia, o José está correcto, e ainda sobre o SMS, em Portugal foi a TMN a pioneira a usar o SMS, uma vez que no período de desenvolvimento e implementação da Rede 2G confirmaram que havia espaço para usar na largura de banda, e lembraram-se do SMS, a Finlândia fez isso em conjunto com a TMN. Da mesma forma como a TMN inventou o SIM e não patenteou e todas as operadoras o usam. Enfim.

      • pph says:

        Bastava a memoria para comprovar o que o Jose disse, bem antes de termos GPRS tinhamos SMS, e a comunicação de dados era feita por uma linha dedicada, tanto que na altura o telefone do meu pai tinha 2 números de telefone, um para voz e outro para dados. Em jeito de curiosidade dava para telefonar para os dois numeros:P

        • Pedro Pinto says:

          eh eh eh, bastava a memória se tiveres idade para recordar tal facto. Por curiosidade, isso foi há quantos anos?

          • Kombo says:

            Boas Pedro – ninguém falou da tecnologia 3.5G que antecede ao 4G mas conhecida por (HSDPA) High-Speed Downlink Packet Access. O HSDPA é um serviço de transmissão de pacotes de dados que funciona dentro do W-CDMA.

      • Pacheco says:

        Vejam o site da wikipedia e tirem conclusões:
        http://en.wikipedia.org/wiki/SMS

    • Nuno says:

      Exactamente.

    • lmviana says:

      Pois… tambem é essa ideia que eu tenho, alias tive telemovel por volta de 1998 e ja existia as SMS, mas so os planos de assinatura podiam usar o serviço….

  2. Rui "ALL" Sousa says:

    Parabéns Pedro, mt bom artigo, estava mm a precisar algo do género para me esclarecer.

  3. Noémio Dória says:

    Muito bom artigo. E pelos vistos, suscita discussões interessantes sobre o tema.

    Tendo isto, podemos ter uma ideia das tecnologias e como as mesmas foram implementadas por cá

  4. Pedro A. says:

    Só uma pequena adenda:
    desde Dezembro do ano passado que as tecnologias apresentadas na tabela como pré-4G são já consideradas 4G pelo organismo responsável pelos standards (ITU).

  5. Sammboga says:

    Infelizmente, e como a tabela bem informa, isto nao passa de teoria. Costumo usar a 3G no meu telefone. Normalmente as velocidades nunca passam da teoria. Ha dias em que preciso dar uma vista de olhos na minha mailbox e e um castigo. Outros vai ate rapidamente.

    • Noémio Dória says:

      As tabelas, normalmente, são criadas tendo em conta testes em ambientes controlados e propícios para os mesmos. O que acontece, normalmente, é que no final a realidade é bem diferente.

      • João Pedro says:

        Errado.
        Os valores apresentados são bem reais.
        No entanto a velocidade útil é uma porção da velocidade total.
        Exemplo: Para transportar 1 único bit de informação útil, podem ser necessários 5 bits de transporte/sinalização/redundância,
        Num exemplo de 6 Mb/s de ligação total, apenas 1 Mb/s é útil para o consumidor.
        Aplica-se o mesmo no WiFi e em todos os sistemas sem fios.

        • Noémio Dória says:

          Desculpa. Mas onde disse eu que os valores não são reais? O que quis dizer tal como tu fizeste é que na realidade os valores não são utilizados claramente como a tabela estipula.

          • João Pedro says:

            Os valores são utilizados claramente como a tabela estipula.

            Apenas uma porção desse ritmo binário pode transportar tráfego útil ao utilizador.

      • Concordo. A verdade é que o débito é enormemente influenciado pelo meio circundante. Os débitos apresentados apenas são conseguidos (no nível de comunicação físico) em ambientes ideais, com linha de vista e a curtas distâncias. A esmagadora maioria dos utilizadores nunca terá valores próximos dos anunciados.

  6. Poisadon says:

    Alguém sabe a localização das antenas 3G em Portugal Continental pois tenho de escolher operadora para usar na terrinha e todas me indicam que tem igual velocidade de download mas na pratica os valores são diferentes, por experiência de outros vizinhos.

  7. Jose Ribeiro says:

    Para quem quiser saber mais sobre comunicações móveis, visitem http://paginas.fe.up.pt/~mricardo/08_09/cmov-mieic/

  8. Jota says:

    Excelente artigo! Parabéns Pedro

  9. José Sousa says:

    Boas.
    Posso até estar a dizer alguma asneira, mas nao existe 3.5G ?
    Pelo menos no meu telemovel (Nokia N8) diz 3.5 😀

    Obrigado

    • MrViper says:

      A tecnologia 3.5G foi introduzida em portugal com a introdução do HSDPA ou seja com a velocidade de 3.6Mbps.
      em que o primeiro tlm da TMN foi um lg U830 ou uma variante do mesmo modelo.

  10. Tiago Dias says:

    Grande artigo Pedro!

    Quanto à pergunta final, eu espero que mude o preço actual da internet móvel, e que apareçam melhores serviços a melhor preço 😛 Os preços actuais, para o que oferecem, são , digamos, puxadotes :\

  11. STP says:

    Espero que não venha aumentar a probabilidade de apanha cancro, ou como o que se diz agora nas noticias.

    De facto andar apanhar radiação diária não deve fazer bem, não é?

  12. Gerardo says:

    Na tecnologia 4G o que significa fixed e mobile? Fixo em comunicações móveis?

  13. VLopes says:

    Ora viva

    Sou ex.técnico de computadores reformado (deixei de trabalhar em 1992), tenho como hobby todos estes problemas e gadjets (agora maníaco dos tablets), e continuo a aprender com 73 anos.
    Só conhecia o 2G, o 3G, o 3,5G e o novo 4G, afinal há mais que isso.
    Obrigado a todos pelos ensinamentos que me estão a dar.

    Saudações
    Manuel Lopes

  14. Ivan Silva says:

    E a tecnologia 3.5G?

  15. dajosova says:

    Já agora podia falar na tecnologia 5G que pode vir a ser uma realidade lá para 2020!

    A Wikipedia não refere mas havia trabalhos conjuntos entre alguns governos e empresas privadas para criar a base da tecnologia 5G que unificará as redes modernas “wireless” e “wired”.

    É apenas uma curiosidade mas que vai ditar o futuro por muitos anos, segundo o anunciado 😉

  16. Ricardo Batista says:

    Pedro, bom artigo!

    Sabes dizer-me onde encontrar a fonte para essa tabela?

  17. Dúvidas says:

    Olá essas tecnologias 2G,3G,4G etc… influencia na velocidade da Internet de móvel eu sei que também conta o sinal etc… podiam me esclarecer este assunto se faz favor

  18. Rei Naldo says:

    Olá 4G

    Tenho um cartão 3G TMN de banda larga Plus a 7,2 Mbs e a Pen idem. Mas no local onde habito fazia testes e a velocidade andava nos 2,5 3,0 e ficava por aqui.
    Com vi que a cobertura da TMN aqui já era de 21,6 sendo garantida os 14,4 eu andava a pensar em comprar uma Pen de 21,6 para ver se com o meu actual cartão a velocidade aumentava. Mas destas pens já não há.
    Mas nas compras On Line da TMN apareceu entretanto a nova Pen 4G e eu não exitei e lá foi uma extravagância, encomendei-a.

    E foi um êxito. Coloquei-a no meu router 3G da BeeWi, funcionou à primeira (este router é livre de operador e aceita qualquer Pen), e liguei-me de imediato por WiFi. Feitos testes de velocidade passaram para 6,5. 7 7,5 8, e na navegação tudo mais rápido. Páginas, downloads, vídeos… tudo melhor.
    Estou contente pelo investimento, e quando sair o 4G já estou preparado. O pior serão os tarifários que vão sair … veremos.

    Saudações

    –> Coment. enviado do meu Eee Pad.

  19. hallysson chagas says:

    artigo muito útil, Pedro!
    Vou acrescentar o link da página nas fontes do meu trabalho 😉

  20. Meu Asha 305 tem rede 2.5G, e os dowloads chegam ao 53kbp/s na internet da vivo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.