Já há uma petição contra a aprovação da Lei da Cópia Privada


Destaques PPLWARE

68 Respostas

  1. João Pereira says:

    Se resulta ou não? Talvez não, mas eu já assinei xb

  2. Samuel 19 says:

    Não sei para quê tanta preocupação com isto da cópia privada e a compra de material… Está certo o preço dos produtos vão subir e quem vai pagar como sempre é o “Zé Povinho”. Mas estamos a falar de uma geração que já vive em natural convivência com a “era digital” e por isso vai optar por outras opções para comprar o seu material… Há anos que já o faço e mesmo com gastos de envio e algumas taxas acaba por ficar mais barato que nas Fnac’s e coisas similares…

    Este artigo define tudo:
    a. Os consumidores refrear-se-ão de possíveis compras ou optarão por fazê-las em territórios que não estejam sujeitos a taxa levando à quebra de vendas no sector, com impacto negativo nas receitas do Estado Português e provável aumento do desemprego nos sectores afectados por esta lei

    Boa Noite….

    • DASSE says:

      Por causa de pessoas como tu é que vivemos num país carregado de taxas e taxinhas para tudo e mais alguma coisa.

      • luislelis says:

        Dasse=+1
        Chamam-se os conformados. Quando nao tiver emprego vai dizer q a culpa e do governo.
        Taxas e taxinhas para sustentar quem nao trabalha.
        Aquele abraco

    • Jonathan Fitzgerald says:

      O DASSE já disse uma grande verdade…E nem todos gostam de comprar tudo “lá fora”.

      Para além disso, eu pago pela minha música porque subscrevo a um serviço de streaming, compro um disco para armazenar fotos e ainda tenho que pagar uma taxa para direitos de autor? Já estou pagando pela música, vou pagar duas vezes?! E eu que sou “autor” das minhas fotos, como recebo a minha parte desse imposto?!

    • Gonçalo says:

      Não fazer nada e esperar que tudo fique bem … é não querer saber.
      Se podes ser prejudicado por fazer algo por vezes podes mas nada na história da nossa espécie mudou por estarmos a espera … tirando o cameçar de guerras, proguedir de doenças, etc.

    • YaBa says:

      Esta lei basicamente chama-te pirata, sejas ou não.
      Pagas pelos outros, é justo? então paga tu.
      Isto, e andar a financiar instituições/associações que em NADA contribuem para o desenvolvimento da cultura.
      Pagar só porque sim? repito… paga tu então.

  3. Bernardo Leitão says:

    Qual é o drama com a PL? Pagas a taxa podes piratear…. é basicamente e resumidamente isto que é para mim o resultado desta PL.

    • Marisa Pinto says:

      O drama é que nem todos usam os equipamentos com esse objectivo. 🙂

      Cumps,

    • DASSE says:

      O drama é que pessoas mal informadas pensam que isto tem alguma relação com pirataria. Há um nível de ignorância muito alto em relação a esta taxa que os próprios beneficiários deste roubo justificam-se criando confusão com a pirataria. Copia privada é a copia para uso próprio de obras adquiridas LEGALMENTE.

    • Ricardo says:

      Para alem disso Bernardo, a PL nada tem a ver com Pirataria. Esta continua a ser ilegal. A PL contempla apenas a copia de uma obra que já adquiriste ou seja, de um original. Que na maioria dos casos contem DRM e é ilegal na mesma contornar o mesmo! Portanto, a PL é apenas um tacho para uma entidade que nada faz e nada produz e pretende viver a custa de quem trabalha!

    • Só um gajo says:

      Okay…
      Então imagina só este cenário:
      Eu sou programador, além do meu emprego, faço umas brincadeiras em casa no meu PC, tendo computadores só para esse propósito, onde não há música nem filmes, só código feito por mim.
      É justo esses equipamentos pagarem uma taxa por causa da lei da cópia privada? Eu tenho que pagar um taxa para poder armazenar aquilo que fui eu que criei?
      Agora, em vez de me imaginares a mim como programador que produzo, talvez, 1GB de código por mês, imagina um fotógrafo que fotografa um casamento e produz 30 ou 40 GB de fotografias. É justo para ele ter que pagar para poder armazenar aquilo que ele produziu, que ele criou?
      Esta proposta de lei parte do princípio de que todos os consumidores são infractores. No entanto, estamos num estado de direito onde todos somos inocentes até provado o contrário num tribunal.
      Mais, as taxas propostas são passíveis de IVA, por isso o estado também buscar o seu quinhão. Tendo em conta que praticamente todos os dispositivos vendidos irão pagar a taxa máxima, entre os 7,5€ e os 15€ (não estou a falar de DVDs nem CDs, apenas falo de discos, pens e outros suportes que ainda não são taxados) o estado vai buscar entre 1,725€ a 3,45€ a mais por dispositivo vendido.
      Esta proposta de lei não é mais do que uma proposta de roubo… Tanto por parte das associações que representam aqueles que não se souberam adaptar ao digital, como do estado que espera aqui encaixar mais uns trocos no IVA.

    • pixar says:

      Não!
      A cópia privada não é isso. Esta proposta de Lei não permite a partilha de obras protegidas por direitos de autor.
      O pressuposto da Lei é este:
      Compro um CD de música. Como o meu iQualquerCoisa não tem leitor de CD, vou ripar para mp3. Ou seja, passo a ter 2 suportes para a mesma obra.
      Ora, na mente destes iluminados, os autores (entenda-se editoras) foram prejudicados porque partem do princípio que eu iria comprar a obra nos dois formatos e só comprei em um.
      Como se alguém no seu perfeito juízo fosse comprar a mesma obra duas vezes…
      Então inventaram esta taxa para compensar as perdas das editoras, digo, autores. Sim, porque as editoras preocupam-se muito com os autores. Os autores que digam…

      • MM says:

        O problema é que o dinheiro não vai para as editoras! O dinheiro vai parte para o Estado e vai parte para as associações dos autores (p.ex., SPA). O problema, como eu já referi na outra notícia relacionada com isto, o problema é que a SPA por seu lado não distribui o dinheiro pelos autores.
        A lei em si é uma estupidez, mas a mim o que mais me irrita nisto tudo é que estamos a encher a carteira a uma cambada de chulos que dizem defender os artistas mas o que fazem é defender interesses próprios e dos amigos (alguns artistas).
        Neste processo as editoras ficam de fora (depende dos contratos de cada artista), mas é comum os royalties dos direitos serem entregues aos autores.
        Resumindo: esta lei só é útil para uns e foi aprovada claramente tendo como base lobbies e nada mais.

  4. Serginho M says:

    Não sei se vai funcionar mas, a minha parte esta feita! Ficar de braços cruzados é que não. 🙂

  5. Esteves says:

    Deixem-se andar.. é mesmo com petições que vão lá!!!!!!!! Que não haja homenes de coragem com “eles” no sitio que vão ver…

  6. maria gouveia says:

    Qual é a percentagem de lucro de um autor quando publica a sua obra? Qual é a percentagem de lucro para a SPA? Porque os autores estão presos a uma sociedade que para os representar tem que receber tanto como eles? Porque é que em vez de esperarem sentados, 10 anos por uma lei penalizadora para os consumidores (que eles dizem que “roubam” as obras) não criaram mecanismos de acompanhamento das novas tecnologias por forma a defenderem os superiores interesses dos autores e dinamizarem a sua divulgação de formas mais actuais, onde todos ganhassem sem esta treta de mais uma taxa???

    • antonio says:

      O objectivo é mesmo esse A TAXA. Este governo faz todo o tipo de malabarismo para colocar a mão cada vez mais fundo no bolso do zé semVinho

    • MM says:

      Pois, o problema dos artistas é haver um intermediário – SPA. Ainda há dias vinha num jornal a confirmação de que a SPA não distribui os valores devidos aos artistas.
      Se o Governo aprovou um pouco à toa esta lei, com base em argumentos falsos dos dirigentes da SPA, por outro lado a SPA soube mexer-se e com isto tudo eles são os principais beneficiados nisto tudo (quase que diria que são os únicos + uns amigos).

  7. lab says:

    eu como fotógrafo se fizer 2/3gb de imagens por dia, ao fim de 250dias de trabalho tenho um disco de 1tb cheio.. se quiser ter backups dos meus trabalhos em 3 discos distintos (para o caso de avarias), é só fazer contas

    esta merd@ de confundirem cópia privada com piratas dá nisto

    • M says:

      Ninguém te obriga a comprar o material “cá dentro”. Aliás, lá fora é sempre muito mais barato. Se ainda não fazes devias fazer para beneficio da tua própria carteira.

  8. Maria says:

    Estava a ler na web e encontrei isto e concordo absolutamente devia tar no parlamento para nos defender
    http://flavitulinux.blogspot.pt/2014/09/amordacar-cultura-copia-e-ma-portanto.html

    • Sandro says:

      Também vi esse blog e conheço os autores, aí pelo menos percebi melhor do que no programa que deu na tv parecia-me uma «peixeirada» e do lado dos que se opunham à lei ninguém falou no negócio obscuro que está em causa ninguém mencionou as licenças livres nem ninguém no facto dos ministérios da cultura europeus estarem a defender interesses dos que vivem dos autores empresas e não dos autores por exemplo colaborando para que as escolas sejam usadas para dar a conhecer o Copyright e não informando sobre as outras licenças ou omitindo a sua existência. Só é pena os videos do blog não estarem com as legendas em pt, acho que é um bom ponto de vista, diferente e que podia contribuir muito.

  9. Luís Pereira says:

    É mais uma lei para os agiotas da SPA e outras entidades que se dizen de gestão colectiva, ou seja, aldrabões, vivam à grande à conta de quem produz,

  10. Hélio Lima says:

    Ai agora a Lei da Cópia Privada já andava a ser debatida há tanto tempo… não fizeram nada então mas agora querem fazer como sempre andamos atrasados. Mas no entanto vou assinar há mesma.

    • DASSE says:

      A a primeira conhecida como a PL118 foi para a gaveta, agora foi renascida outra vez na mão de um secretário de estado com um carácter complemente duvidoso (mirós e falsificação de documentos) e é contra essa nova PL246 que se está a lutar outra vez.

  11. André Sá says:

    Se eu for apanhado com um disco portatil, com milhares de musicas sacadas da net, mas tiver uma fatura desse disco da Fnac, estou legal ?

    • Ricardo says:

      Só se tiveres em casa os originas. A taxação não preve copias piratas. Apenas copias de obras que possuis os originais.

      • Mota says:

        … Mas como pagas uma taxa extra já podes sacar tudo o que quiseres. Já estás a pagar dinheiro ao estado e.. ao estado 😀

        Isto sim é que é uma lei pirata, isto é insinuar que quem compra 1 disco externo é pq tem uma data de filmes sacados que quer guardar.. enfim, ideias.

        • Gonçalves says:

          Errado!
          Se não tens o original, continuas a ser pirata de acordo com a lei.

          A pirataria só entra aqui para desviar atenções do que realmente interessa.

          Não fiques com ilusões, porque se fores apanhado, estás entalado na mesma!

      • José says:

        Para já não tem que ser “apanhado”, o facto de ter um disco rígido não é crime! Ter músicas ou filmes não são crimes de sangue nem afectam ninguém, sempre houve cópias privadas e isso nuca foi problema, mesmo quando está indústria e neste modelo dava imenso dinheiro! Ninguém me vem dizer aonde, em minha casa ou no meu automóvel irei ouvir uma cópia de uma obra (um bem incorpóreo) e cujo direito de audição livre já paguei! Era só o que faltava uma espécie de polícia privada SPA, e que defende interesses privados, vir dizer-me como devo ouvir e ver as obras que compro e em que formato hei-de ouvir! Isso é um logro, e este secretário de estado deve estar a fazer ” ninho” para quando largar o ta… Digo o lugar, até parece um desenho de banda desenhada, não sei onde vão encontrar estes cromos. Portanto é sim um crime, sem motivo irem bisbilhotar o que é seu e mexer em algo que é propriedade sua ( não a obra, essa será sempre do autor, mas a cópia que já pagou!). Além do mais ontem no programa, daqueles cromos todos quem tem discos ou obras deles? Eu não! Nada, nadinha podem por as barbas de molho! Se estão a lutar por “direitos” lutam para ganhar à pala do trabalho dos outros! Jamais compraria algo do ToZe Martinho, um tipo com qual não simpatizo em absoluto, e do qual não conheço “obra” alguma nem me interessa! Por isso, até moralmente, isto pode levar a muita conversa.

  12. AC says:

    Voltamos ao tempo da ditadura….
    Lembram-se da licença para uso de isqueiros no tempo do Salazar??
    Para proteger a industria dos fósforos…!!!
    Tenham vergonha seus canalhas.
    BASTA DE ROUBOS AO POVO

  13. Ro301 says:

    O problema da queda das vendas das obras portuguesas na minha opinião é diferente daquilo que acontece lá fora. Lá fora realmente o problema é a pirataria mas cá não.

    O que acontece é que as pessoas deixaram de consumir tanto aqueles produtos. A associação dos autores e alguns artistas estão a tomar um fato dos outros.

    As pessoas não consomem como consumiam os produtos nacionais porque temos acesso a uma grande demanda lá de fora.

    Doi, mas é a realidade. O que falta são pessoas que saibam o que se passa e articulem medidas para promover melhor o trabalho dos artistas portuguses.

    Vi ontem no programa várias barbaridades sobre o uso da tecnologia por pessoas que estão a representar os artistas. Isto justifica o estado em que chegamos. Eles são muito incompetentes.

    Dizeram que o consumidor quando compra a obra de um artista em cd pode apagar o conteúdo e colocar outra coisa. Num cd-r? Como?

    Também ouvi pessoas do lado dos consumidores a se aproveitarem da ignorancia alheia. Ora, alguma vez as pessoas só fazem cópias usando um cd-r (virgem) ou cd-rw?

    Hoje usa-se os discos rigidos e externos. Deve ser o que é mais usado. Muito pouca gente usa o cd para copiar. Até porque sairia caro. Hoje os equipamentos (até o auto-radio do carro) aceitam a pen.

    Como já disse apesar de haver ainda muita pirataria não acredito que se aplique significativamente aos produtos portugueses. Para isso seria necessário alguém se dar ao trabalho de copiar para a internet.

    Hoje consumimos mais com os serviços da MEO music, filmes no video clube em casa. Usamos serviços pagos para consumir conteúdo português.

    Os argumentos da pirataria como desculpa não pegam. Isto fez-me lembrar aquela noticia do jornalista de rádio que foi despedido. Quando é jornalista a justificação é sempre porque foi censurado. Um jornalista não pode ser despedido, é censura. Quando é um trabalhador é por incompetencia ou falencia da empresa. Ora, assim é fácil. Numa empresa quando não funcionam as coisas começa-se a despedir. Estes senhores das associações que protegem os artistas já mereciam.

  14. Rui says:

    Devo dizer que vi ontem o prós e contras, precisamente sobre este assunto da Cópia Privada e fiquei admirado pelos convidados fraquinhos que tinha o lado contra a taxa em contraposição aos que estão a favor, que pelo que percebi, foram mobilizados os artistas para estarem o máximo possível na plateia a “berrar” a favor de mais uma taxa!

    Devo ainda dizer que um dos aspectos que a Troika (que tanta gente fala mal) pretendia acabar, era precisamente estas taxas garantidas sem contrapartida de quem as paga. Temos um contador de energia eléctrica e pagamos logo a taxa para passar os cabos, a taxa de audiovisual (mesmo que seja um contador para casas de banho ou um cemitério), a taxa da energia garantida (fenómeno de pagarmos a centrais térmicas para não produzirem e servirem de reserva e por estranho que pareça, recebem em duplicado quando produzem energia!), taxa para diminuír o déficite tarifário….

    Esta é só mais uma taxa (pasme-se que ficamos em 3º lugar do país com taxas deste género das mais elevadas na Europa, já eu gostava que os salários acompanhassem), das muitas que estão escondidas em todos os preços. Basta de tanto roubo! Esta lei mais não faz do que dizer, somos todos piratas, logo temos de pagar!

    Eu ainda gostava que me explicassem como é possível fazer pirataria na memória de uma impressora!!! Ou quando uma infeliz empresa decide comprar um servidor com 30 ou mais discos de 4 tera cada um, também o faz para cometer ilegalidades? Já nem falo no fenómeno da Sociedade Portuguesa de Autores cobrar taxas mesmo quando contratamos um artista que à partida não pratica plágio, seja ele qual for!!!

    Os europeus deviam parar para pensar porque é que os seus países estão a perder a sua indústria (e a empobrecer) e nem sequer me lembro de 1 só marca do sector informático relevante! Porque será!? Será que há países que estão a borrifar-se para sustentar tanta gente sem produzir em vez de incentivar quem produz de facto (é que não existem só 300.000 a receber rendimentos mínimos, temos de somar os consumidores das receitas das taxas e taxinhas)!

    • Pedro Nunes says:

      É exactamente isso que me chateia..
      Eu não tenho nada contra a taxa privada, excepto da maneira que está a ser aplicada, ou seja, julgarem que qualquer disco rígido, memória será usado para as nossas coisas, mas que garantidamente servirá para copiar conteúdo legal para outros equipamentos, como por exemplo uma pen para ouvir no carro.

      É a mesma coisa que eu comprar uma arma e pagar uma taxa de assaltos a pressupor que vou assaltar um banco, ou comprar copo de água e pagar uma taxa à fanta porque estão a supor que vou beber sumo nesse copo XD

      Esta taxa para existir terá de ser taxada é no ato da compra da música, filme ou na mensalidade do streaming e não nos equipamentos de armazenamento.

  15. António says:

    Pais de samsugas

  16. Henrique Manso says:

    Esta lei não tem sentido nenhum… Agora se eu tirar fotografias ou filmar estou a piratear. Se compro um jogo na Steam estou a piratear. Os alunos que têm de fotocopiar teses ou coisas parecidas, da sua autoria, estão a plagiar?

    Típico deste é taxas a tudo o que existe!!! Qualquer dia até para respirar temos de pagar…

  17. Pedro says:

    Situação completamente anormal e proteccionista de interesses há muito instalados !!! (tou a ser simpático para não lhes chamar outros nomes)

    1) imaginem aplicar-se este principio, por exemplo, ao IVA. Todos os meses teríamos que pagar IVA adicional quer comprássemos ou não mais produtos, pois o Estado iria dizer que tem necessidade desses recursos financeiros para pagar as despesas de saúde e educação da população.

    2) Quando compro um produto sujeito a direitos de autor, isso já está incluído no preço. Não se pode taxar produtos e dispositivos de armazenamento cujos conteúdos não se conhecem, pois dependem da utilização do seu proprietário !!! isto é taxar em abstrato …

    3) então quando utilizar a minha maquina fotográfica sou autor das minhas fotos, se as vender ou disponibilizar na net também vou pedir a compensação financeira á SPA (sociedade portuguesa de autores) ?

    4) Ao legalizar a cópia privada, todos os conteúdos que se armazenarem nos dispositivos sujeitos a taxa tornam-se legais. Boa !!! agora e que vai ser copiar á fartazana !!!

    5) Como toda a gente sabe, o elo mais fraco nesta cadeia de valor é o consumidor final (seguido depois dos autores). Por isso, as editoras e distribuidores do mercado vão reflectir esse custo (taxa) adicional no preço final a pagar nos produtos. No médio prazo, estas empresas vão perder facturação por via do volume (quantidade) e consequentemente depois os autores.

    6) Não se deve taxar em abstrato, já chega o mau exemplo da Taxa de Audio Visuais !!! Devem existir compensações dadas aos autores mas vindas directamente do Orçamento de Estado de acordo com os níveis de consumo e de índices de vendas credíveis e sérios (é mais justo e transparente). Neste mercado quem tem que se encolher são as editoras, pois são elas que ganham, de longe, a maior fatia dos lucros.

    Em suma, se esta Lei entrar em vigor, apenas se vai beneficiar as perdas das editoras porque as plataformas mudaram (querem arranjar receitas por via legal, i.e. proteccionismo, o que deviam recuperar pelas leis do mercado). O principal prejudicado é o consumidor final.

  18. Dumitru says:

    Estou fora do pais agora, mas tambem ja assinei! Acho uma roubalheira esta lei!

  19. João Terra says:

    Eu já assinei esta petição.

    Esta lei não passa de uma importação de outros paises

    • Ro301 says:

      Aqui está mais outro erro. Ouvi pessoas ligadas ao direito comenter um pecado básico de primeiro semestre de qualquer curso de jurista. Não se pode comparar a lei de dois paises mesmo que vivam perto um do outro.

      São realidades diferentes. São culturas diferentes. O pensamento do secretário de estado é simples, ele sabe o que é uma opinião mas para ele nada vale porque é ele que manda. Basicamente foi o que disse. Depois comete estes erros grosseiros.

      Outro assunto que foi discutido mal foi a comparação do novo iphone de xx gb. Ora, foram buscar um produto muito caro para justificarem que o preço mais relevante de imposto ali faz sentido já que o publico alvo tem mais poder de compra. Outro erro, não se aplicam as taxas pelo preço dos produtos mas pela quantidade de memória. Um cartão para uma máquina fotográfica de 32gb custa tanto imposto que um iphone 6 de 32 gb.

      O debate foi em muitos aspetos defraldado. Estava na plateia um senhor do lado dos consumidores que criticou duramente a direcção da associação dos direitos de autor mas esse mesmo senhor apresentou fracos argumentos. Queria ter visto lá o Vitor M ou qualquer outro escritor aqui do pplware. Eles sim defendiam bem a não tributação da taxa.

      As pessoas foram muito mal escolhidas. Estava lá uma blogguer que nunca vi na vida. Foi a única que apresentou bons argumentos mesmo assim cometeu o erro de falar dos cd’s como o único meio de cópia pirata. Não devia ter ido por ai…

      A discusão podia ter sido mais proveitosa se o grupo que convida as pessoas para este programa variasse um pouco. Há uma coisa que se chama “rondar o mercado”. Chamam sempre os mesmos. Pessoas que não nos relacionamos nem seguimos o trabalho…

  20. JoseM says:

    Os lobbies estão-se nas tintas se esta lei é uma aberração TOTAL ou não. Estamos em Portugal e pela experiencia de outras tretas iguais, mesmo que 99% da população não esteja de acordo em principio irá ser aprovada, para mal do nossos pecados. No entanto claramente quem perde é o país.

  21. Marco says:

    Basicamente esta lei presume que todos os contribuintes são criminosos …

  22. Osmar says:

    Respeito até onde faz sentido, porém revogo perante consequências descabidas aos consumidores.

    No meu ver, acho que os membros do governo, bem como o representante máximo da SPA, não fizeram bem a análise das consequências e subestimam a repercussão negativa que uma medida destas pode originar.

    Começando pelo despedimento de pessoal das empresas; o estado sem IVA, desc. SS e Finanças, pelo simples facto de baixar desastrosa-mente as vendas; empresas que unicamente vendem esse género de equipamento acabarem por fechar…

    Na era que vivemos, esta lei não faz sentido!
    Com o avanço da tecnologia e existência de dispositivos capazes de gerar ficheiros de grandes dimensões, houve a necessidade de se aumentar a capacidade de armazenamento dos equipamentos feitos para tal.

    Assim sendo, não faz sentido por exemplo que eu vá pagar mais impostos sobre um cartão de memória, ou um disco rígido de grandes GBs e TBs, que eu comprei para arquivar ficheiros quer seja de fotos, vídeo, ou mesmo de música que eu tenha “gerado”. Sim, porque hoje em dia até as maquinas mais simples gravam em Full HD, e tiram fotos com elevados MBs.

    Aparte: Pessoalmente tenho uma máquina capaz de gerar uma única foto com 100Mbs e poucos. Num cálculo rápido, com um cartão de 1Gb só posso tirar 10 fotos, logo preciso de um com maior capacidade, para atender a minha necessidade e consequentemente um disco rígido que armazene todos esses ficheiros.

    Caros governantes e presidente da SPA, a vossa atitude só demonstra frustração, incapacidade de desempenhar as vossas reais funções. Numa carência de ideias atacam os consumidores (se é que despenderam algum tempo para pensar noutra alternativa).

    Ser “governante”, ou ocupar qualquer cargo de dirigente em portugal, está fácil.! Perder tempo a pensar/solucionar porquê, o povo esta sempre a mão de semear para levar mais uma “paulada”!
    Imagino as vossas reuniões, faz-me lembrar a sala de aulas, quando a professora faz uma pergunta e todo mundo calado, uns com o lápis na boca, outros a verificar sei lá o que no estojo…

    Dignifiquem o cargo que ocupam, tenham ideias inteligentes.!

    Quando carece no vosso seio, perguntem a aquele “povinho” que tanto usam para “bater”.

  23. José Maria Oliveira Simões says:

    Adorei ver o programa de TV, Prós e contras. Depois de ver algumas pessoas a se insultarem e a desrespeitarem-se mutuamente umas às ontras, fiquei a saber que afinal, tudo anda à volta dum problema bicudo. De “Como sacar dinheiro ao maralhal para depois dar subsidios aos amigos”. Afinal, tudo anda à roda do eterno problema do “bolo do meu compadre, groça fatia ao meu afilhado, mas da minha não que custou a ganhar”. Se os coitadinhos dos artitas ficarem sem rendimentos, nós os pacovios somos obrigados por Lei a pagar a imcompetencia e inépcia dos artistas em ter dois palmos de testa para ganhar o ganhar pão. Eles são os eleitos e uma casta intocavel que tem o direito de mamar na teta. Ora, para eles mamarem na teta, há arranjar aonde sacar o dinheiro. A partir de agora, também quero ser artista, pois também quero mamar na teta. Arranjem-se, tem que haver também lugar para mim. Eu também tenho direitos, ora então. Venha o guito !!! *<8^)

    • MM says:

      Ora aí está o motivo desta taxa: dinheiro para os amigos, nada mais.
      E não meter todos os artistas no mesmo saco, porque os que ganham comissões e que recebem da SPA são muito poucos (são os tais amigos, aqueles que vão à TV queixar-se que ninguém lhes compra as coisas).

      • Silvio m says:

        mas a verdade é outra.
        Isto é uma grande ilusão.!
        Os artistas nãos e andam a queixar.
        Quem anda a fazer esta choradeira toda, e pressão contra o governo para aprovar a LEI, é um grupo de várias editoras.

        Essa corja das editoras é que lucram uns 88% dos lucros de vendas, os autores depois desta LEI ser aprovada, vão continuar a ganhar o mesmo.

        As editoras uniram-se à escala Mundial, editoras de filmes e músicas, nos Estados Unidos a RIAA /recording Industry Association of America) fez pressão e o FBI encerrou vários sites de partilhas de ficheiros.

        As editoras é que andam a fazer esta choradeira toda. E se o Governo aprovar a LEi, ficam ambos a ganhar $$$, o Governo mama uma percentagem, as editoras mamam o resto

  24. JoseM says:

    Tb tiro umas fotos e faço uns videos tb sou artista vou exigir a minha parte, ainda não sei bem a quem recorrer!!!!!! Todos deviam fazer o mesmo. Se somos todos piratas, também somos todos artitas. Já pensaram nisso?

    • Silvio m says:

      quem vai lucrar com estas taxas são 2 entidades: O Governo e as editoras.
      Os artistas vão continuar a ganhar o mesmo, os míseros 12% de direitos.

  25. EXP001 says:

    Nem os sacos de plastico vão escapar a ser taxados

  26. YaBa says:

    Neste país é assim, rouba-se legalmente.
    Roubas para comer: prisão
    Roubas alegando motivos ridiculamente estúpidos e imbecis: é lei
    Welcome to Portugal!

  27. Robert Soares says:

    Já está assinada =)

  28. ups says:

    Quero um disco? Mando vir de fora. Sacar jogos? Torrents
    Ver filmes? Existe em streaming com excelente qualidade.
    Comprar jogos? Faço um vpn noutro país e compro a 1/3 do preço. Nem vou falar da questão de conteúdo áudio pois o artista quase nada recebe na compra de CD’s/digital.

    • Silvio m says:

      O governo deve querer que nós vejamos filmes na televisão 🙂
      filmes velhos com mais de 5 anos, e constantemente interrompidos por intervalos de 30 minutos de publicidade …

  29. Alex says:

    Venho do futuro, e a petição não serviu de nada contra estes “#$%&/(

  30. Silvio m says:

    Já assinei a petição, juntos teremos força.

    Esta lei é uma desculpa esfarrapada para taxar os cidadãos com mais impostos. Se realmente se preocupassem com as remunerações dos autores, deveriam falar com as editoras, que lucram 88% dos lucros de vendas e só pagam cerca de 12% aos autores.

    Os gadgets electrónicos que compramos já possuem impostos.
    Gravar músicas mp3 para consumo próprio não é “ilegal” nem fonte de rendimento ilícita.

    O Governo Português,. burro como sempre, irá perder milhões de euros de impostos porque os cidadãos vão passar a comprar gadgets no ebay, vindos da China.

  31. Silvio m says:

    E os tablet’s, telemóveis, Pens e computadores que centenas de Políticos Portugueses usam? Eles pagaram-nos? Aposto que foram todos de borla, oferecidos pelo Estado(Com os nossos impostos, claro).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.