PplWare Mobile

Screencast Ubuntu: Synaptic – Fontes de Aplicações


Ana Narciso

Ana Narciso, colabora com o Pplware desde 2008 e tem especial preferência pela escrita acerca de eventos em que participa, análises a gadgets, análises a serviços Web e notícias em geral. Formada em Engenharia Informática e de Computadores pelo Instituto Superior Técnico, trabalha actualmente como Consultora de Business Intelligence. Gosta de poesia e adora concertos de metal.

Destaques PPLWARE

  1. Dgpalma says:

    Muito bom icentivo para aqueles que acham dificil o uso de linux…

    mais simples que windows muitas das vezes…

    Nice Topic :p

    • FILIPE CHAVES says:

      ate pode ser mais simples mas como voce disse muitas das vezes e eu acho o windowns sempre facil.
      e ja pensaram nas pessoas que nao tem internet ligada ao pc.
      como baixam os programas para depois irem instalar no linux.
      eu ca gosto mesmo do windows embora utilize o linux, mas so pk sinto que é o futuro e nao quero ficar para tras.

      • Zialus says:

        Mas hoje em dia nao se faz nada sem ter o PC ligado à net….Seja Linux,seja Windows, seja o que for

      • Marco Sousa says:

        Filipe, como podes-te ver, quando ele instalou um programa do site getdeb fica o instalador no ambiente de trabalho.

        O mesmo se pode fazer no caso de uma instalação offline, fazer download do site do instalador para uma Pen, e depois instalar no computador.

        Nota: Para efeitos de ter os programas mais actualizados possiveis normalmente no instalador não vêm com as dependências.. o que pode ser um problema numa instalação offline.
        Neste caso terias que fazer o download de todas as dependências para a Pen e do programa.

        • Filipe Chaves says:

          Marcos Sousa
          é bem verdade que nao se faz muita coisa sem internet mas nao deixa de ser possivel trabalhar sem ela e mais a mais aqui em angola que a net é estupidamente cara e ainda mais estupidamente lenta, e nem cobre todos os cantos da cidade.
          por isso ajuda bastante instalar os programas de forma offline.

      • R o B says:

        Se o utilizador não tiver acesso à internet na maquina alvo terá sempre a mesma “dificuldade” independentemente do sistema operativo que utilize, é necessário ter sempre um pacote de instalação. Seja ele obtido por download ou por qualquer dispositivo de armazenamento.

        Para o caso do sistema operativo que este post trata, existe também a possibilidade de descarregar da internet os pacotes .deb utilizando uma maquina com ligação à internet, armazenar os pacote num dispositivo de armazenamento e instalar os respectivos pacotes na maquina alvo sem ligação à net, julgo que futuramente alguém venha a postar – se é que já não existe por aqui – algo sobre como instalar pacotes .deb da mesma forma que se instala um .exe ou .msi em Windows (só cliques)

        Simples mas eficaz.

    • Zialus says:

      Sem duvida. A ideia de que o windows é mais fácil é um mito.

  2. Bug Killer 03 says:

    Muito bom, mais fácil é difícil! Cada vez mais me agrada a utilização deste Linux!

    Aquela pasta dos bookmarks a dizer IST é que me aterrorizou 😛

    MEMec, algures no 4º ano 🙂

  3. Intense says:

    Bom tuturial

    Bem eu tenho uma duvida, gostava de haver se existe algum programa para fazer um site, mas com janelinhas para fazer escolha personalizada…

    tipo quero fazer um pc por peças, e fazer um site em que possa ir escolhendo placas em cada janelinha de modo a fazer um pc completo, existe algo pa fazer algo deste genero? ou vou ter de andar a bater codigo?

    • Ana Narciso says:

      Porque não colocas a tua dúvida no nosso fórum? Dado que não diz respeito ao assunto desta publicação. 🙂

      http://forum.pplware.com/

      • Intense says:

        nem sabia que ja tinham forum 😀
        grandes avanços que andam por aqui

        • sight says:

          fiz um trabalho desses o ano passado, fiz tudo em html, escrevi o codigo no notepad lol. Mas acho que para o que queres e melhor utilizares flash : /
          sempre ficaria com um aspecto mais limpo.

          Quanto ao screencast, infelizmente nao funciona o video :/ so consegui ver ate aos 2minutos e picos…
          Quanto ao tema, eu pessoalmente nao gosto muito de usar o synaptic, prefiro usar a consola e os pacotes deb lol. Alias, arrisco a dizer ate que o synaptic e o mais chato/dificil deles todos 😀
          No entanto sao 3 maneiras faceis de instalar aplicacoes no ubuntu 😉
          bom screencast.

  4. Pedro Ribeiro says:

    Excelente post !! Os meus parabéns…

    Continuem a colocar aqui screencasts para de uma vez por todas desmistificar o menos familiarizados com o mundo maravilhoso do Linux. Eu de alguma forma considero-me um “evangelizador” de Linux, uma vez que já consegui “converter” os meus amigos quase todos, que por sua vez sei, já terem “evangelizado” outras pessoas.

    Windows nunca mais (nem quero saber do Windows 7) !! Só mesmo por uma grande necessidade!!

  5. Rui Brás says:

    @Ana Narciso

    Clap, clap, clap.

    Depois de ver o Simões a dizer bem do Vista (num artigo anterior), eu pensei que o mundo Linux estava perdido por estas bandas. A sorte é que tu estás a projectar a qualidade para uma patamar bem alto: screencasts simples mas completos. Parabéns e obrigado. 😀

  6. Nuno José says:

    Olá Ana uma criticazinha

    Não é preciso abrir o editor de texto basta fazer o download do ficheiro para o Desktop por exemplo que é como eu faço.

    E venha a linha de comandos e usa o colar com o botão do meio para a malta que não usa linux ficar meio aparvalhada a ver a rapidez que é trabalhar em linux quando se aprende a miríade de funcionalidades.

    • R o B says:

      Existe muitas maneiras de o fazer mas o que importa é que se faça de maneira a que todos possam entender.

      Também se pode ignorar a importação da chave ou caso não se encontre a dita e se receba algo do tipo:

      W: Erro GPG: http://dl.google.com stable Release: As seguintes assinaturas não puderam ser verificadas porque a chave pública não está disponível: NO_PUBKEY A040830F7FAC5991

      É só ir à consola e tentar a sorte caso ela exista num repositório de chaves publicas.
      No caso a PUBKEY em falta é: A040830F7FAC5991

      Na consola:
      # gpg –keyserver subkeys.pgp.net –recv A040830F7FAC5991

      (Saida na consola, algo pareciso)
      gpg: requesting key 7FAC5991 from hkp server subkeys.pgp.net
      gpg: chave 7FAC5991: chave pública “Google, Inc. Linux Package Signing Key ” importada
      gpg: 3 marginal(s) needed, 1 complete(s) needed, PGP trust model
      gpg: depth: 0 valid: 1 signed: 0 trust: 0-, 0q, 0n, 0m, 0f, 1u
      gpg: Número total processado: 1
      gpg: importados: 1

      Depois importamos a dita key:

      # gpg –export –armor A040830F7FAC5991 | sudo apt-key add –

      (Saida da consola, algo parecido)
      [sudo] password for username: *********************************
      OK

      PS: pode haver erros de formatação das linhas de comando

      • R o B says:

        Pois, como previa ao enviar o reply a linha depois não fica como deve ser 🙁

        Os prefixo –(traço, risco, ifene) são dois ifens

        # gpg (-)(-)keyserver subkeys.pgp.net (-)(-)recv (dita chave)

        # gpg (-)(-)export (-)(-)armor (dita chave) | sudo apt-key add –

        A ver como fica!

    • Ana Narciso says:

      Sim, eu já experimentei isso mas, por alguma razão desconhecida, a chave não foi adicionada. Foi então que optei pela importação “manual”. 🙂

      • R o B says:

        Pois deve ser por não existir no repositório de chaves que utilizaste, alternativa julgo que é keyserver.ubuntu.com

        Mas tipo, isto é para quem goste mesmo de se dar ao trabalho

  7. Henrique Graça says:

    Bom tutorial,
    já conhecia essas funcionalidades, e utilizo, muitas vezes da-me erros, opto depois pela consola.
    Mas nunca é demais louvar e apreciar o trabalho que deu fazer este tutorial.
    Continuação do bom trabalho.

    PS: Essa rodinha do rato faz mesmo barulho.

  8. JPedrosa says:

    @Ana Narciso,
    relativamente ao tut, grande nível é a única coisa que se pode dizer. E grande paciência já agora.

    Como já foi dito, esse rato … 🙂 não uses mini-ratos que isso faz mal, além de “silencioso” .

    Relativamente ao Ubuntu, recebi ontem os CD’s e instalei uma VM só para dar uma olhada.
    Hoje ver ver mais em pormenor, mas parece-me que vai tirar o OpenSUSE do meu PC principal, cheira-me.
    Cada vez vou ficando mais calão para configurar seja o que for, deve ser da idade.

  9. mezulig says:

    Parabéns pelo tutorial!

    Acho importante fazer uma ressalva: cuidado com a utilização de repositórios que não sejam oficiais, quem nos garante que esses são seguros? basta o dono desse repositório desconhecido “alterar” as aplicações que estão lá e acabamos de deixar fora das nossas mãos o “controle” da nossa máquina, após a instalação dessas aplicações.

    Usar repositórios extra tudo bem, mas com redobrada precaução.
    1abraço

    • JPedrosa says:

      Concordo,
      mas também ninguém vai meter repos extra feitos pelo Joaquim das Couves.
      Teoricamente, vais meter repos de empresas conhecidas, e onde estão os programas que precisas.

      Repara, se o pplware criar um repo, tu á partida podes confiar, mas não vais adicionar um repo de um site qualquer que diz que tem a compilação de jogos XPTO, é como tudo, algum cuidado vem sempre a calhar.

  10. neortic says:

    Óptimo screencast.
    Apesar de já conhecer o funcionamento do synaptic, acho que iniciativas como esta são de louvar.

    Bom trabalho

  11. David Silva says:

    Gostei muito do tutorial, apesar de já saber usa-lo.

    Continuem com este ritmo mas nunca queiram que a Linux ganhe a fama da Microsoft….

    P.s. Qual é o melhor Ubuntu ou Fedora, é que usei o ubuntu durante muito tempo, só que agora agora o que está a dar é o azul (nota-se isso até no site) e colei-me ao Fedora mas penso será que devia ter ficado pelo ubuntu ou fiz bem em mudar…

  12. ZiLOG says:

    @Ana Narciso

    Muito bom screencast.

    Como posso importar chaves no Linux Mint? No Gestor de Pacotes do Linux Mint não existe a aba de “Autenticação”.

    Obrigado.

  13. Alexandre Pinto says:

    Não consigo deixar de largar um sorriso maroto sempre que oiço “duplo clique no pacote” ehehhehe 🙂

    Em relação ao video está excelente! Tenho andado a tentar adaptar-me ao linux e nao esta a ser facil. Parece k tenho sempre de dar mil e uma volta para resolver pequenas coisas e digam o que disserem, windows é muittttttoooo mais simples.

    No entanto o linux tem mais potencialidades e com o tempo irá de certeza absoluta resolver esses handicaps e ai sim, será o sistema operativo para as massas… por agora fica apenas pelos geeks. 🙂

  14. Ozyart says:

    Gostei de ouvir-te, Blondie Girl \m/

  15. speedy says:

    uma coisa que tb podiam fazer era a transformação d epacotes rpm em pacotes deb. ja ha muitas vezes que me perguntaram isso, e pode gerar confusão entre os que sabem menus de linux. talvez ao usarem o alien, ou outro que exista.

  16. Paulo39 says:

    Excelente Ana Narciso

    Este é o tipo de coisas que as pessoas não sabem fazer quando migram para GNU-Linux e são fundamentais. Nós todos aprendemos a funcionar com isto investigando na net, muito provavelmente, mas é bom poupar trabalho aos que aí vêm.
    Gosto destes screencasts porque estão muito simples e contêm o fundamental.

    Parabéns

  17. Marlo says:

    Boas

    Cada dia melhor…

    Deviam postar mas vídeos com as dicas de instalação do Ubuntu…

  18. EacHTimE says:

    Só tenho pena que o getdeb não tenha repositório… Dava tanto jeito!!!!

  19. FS says:

    Parabéns Ana, cá estarei ávido para “parasitar” o teu saber que de forma simples transmites. Um grande bem-haja para ti.

  20. Flávio says:

    pouco a dizer. Um video simples, fácil de compreender, e com a toda informação bastante explicita. grande clareza. tenho ubuntu a pouco tempo,acabei de aprender uma nova em relação aos repositórios. e eu que ficava chateado por não encontrar uma aplicação que desejava.
    muito boa apresentação apesar de, como no anterior, algumas partes não decoradas, faz perder algum tempo. mas ainda assim muito bom mesmo. parabéns e obrigado.
    faz lá ai mais uns para eu aprender mais..
    abraços

  21. Diogo Almeida says:

    Bemmmmmmm, que portal que descobri, fantástico!
    Já estive a dar uma vista de olhos geral e na diagonal, denotei logo muita qualidade no conteúdo e um layout super agradável…no entanto quando cheguei a este “post” fiquei estupefacto, até screencasts aqui têm, muito mas mesmo muito bom!

    Acerca do conteúdo, hoje em dia isto é muito simples e esta já deixou de ser razão para não utilizar SOs GNU/Linux. Como eu ainda sou da idade da pedra, onde parti muita e muita, aqui ando com Slackware e FreeBSD…ok ok, tenho Ubuntu no desktop para facilitar e optimizar o tempo pois como é verdade: tempo é dinheiro 🙂

    Mas Ana, muitos parabéns!

  22. Daniel Silva says:

    Olá. Muito útil e didático. Parabéns. A propósito, apaixonei-me pela Ana! kkkkkkkkk.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.