Qual a diferença entre um Proxy e uma VPN?


Destaques PPLWARE

38 Respostas

  1. Alfredo says:

    deviam explicar melhor o que é uma VPN

  2. Jose Baptista says:

    Bem explicado Peter (as allways).

  3. alex says:

    Em conclusão:…..” ….é sem dúvida usar uma VPN uma vez que são usadas técnicas de criptografia e autenticação.” Aqui fiquei baralhado!!! Deve ter havido lapso!??

  4. int3 says:

    @PP
    Sabes o que temos que fazer? Um artigo sobre MACSec. 😛

  5. Tilelo says:

    A parte da VPN não ficou tão clara como a proxy. O mais seguro é VPN e o mais anónimo é Proxy?

    • Pedro Pinto says:

      Ao nível da privacidade, uma VPN tem um nível superior. No caso de um Proxy, simplesmente estamos ligados a uma máquina que faz os pedidos à internet por nós. Como nas VPNs usam-se mecanismos de encriptação, autenticação e autorização…logo é mais seguro.

    • Daniel says:

      Pelo que entendi, imaginem ir para Lisboa pela autoestrada (Internet), os proxys são as portagens (controlam o fluxo que entra na autoestrada, ou seja estás no fundo a pedir autorização para aceder a essa mesma autoestrada). No caso da VPN é por exemplo criar uma autoestrada paralela tipo viajares de avião por cima da autoestrada. Tipo, olhas para um avião mas não sabes quem vai a viajar nem para onde vai. Penso que a ideia é esta ehehe

  6. Bruno says:

    E já agora qual a melhor vpn para se usar (gratuita e paga(barata))?

  7. Foster says:

    Ótimo artigo. Fiz minhas anotações para não esquecer mais…
    Obrigado!

  8. Manuel says:

    Excelente artigo, permite-me só fazer um comentário. Mesmo usando vpn o servidor de destino pode encaminhar os pedidos web por um proxy. É necessário esclarecer algo muito importante, temos uma ligação segura até ao aervidor vpn, depois não sabemos o que fazem com o nosso tráfego.

    • FKline says:

      “É necessário esclarecer algo muito importante, temos uma ligação segura até ao aervidor vpn, depois não sabemos o que fazem com o nosso tráfego.”

      O propósito de uma VPN é ter comunicações seguras dentro de uma rede interna e não na internet!

  9. Bruno Martins says:

    Ora bem um pequeno aparte para quem usa serviços bancários e VPN’s com servidores no estrangeiro. Os bancos por vezes detectam isso como um ataque a conta, pelo menus já me aconteceu com a CGD. Bastou-me simplesmente estar ligado a um cliente no brasil por VPN, deixei a mesma aberta e acedi ao site do banco. Em poucos segundos tinha o acesso bloqueado. Liguei para o banco onde me perguntaram se estava no estrangeiro já que tinha sido feito um acesso a minha conta com um ip do brasil.

  10. Sergio says:

    Viva!
    embora nao desvalorizo de todo o artigo, existem alguns pontos que com os quais não concordo totalmente.
    Por exemplo, ao dizer-se “Estando o cliente ligado à Internet através de um Proxy, o endereço IP do cliente também não passa para além do Proxy…” embora correcto, pressupõe que os outros tipos de ligação à WWW deixam passar o IP interno do cliente. Ora isso não é verdade estando numa ligação partilhada: o IP que aparece nos servidores e estatisticas de sites que acedemos é SEMPRE o IP publico do router. Salvo se o PC aceder com uma pn 4G ou quando acedemos via smartphone, o IP é sempre do Router e nunca dos PCs clientes.

    Do meu ponto de vista, são muitas as diferenças entre Proxy e VPN. Um proxy é tipicamente utilizado para aceder à WWW desde o escritório, sendo possivel:
    – registar quem acede o quê, de onde, e como (existindo ou não autenticação proxy)
    – filtrar os acessos
    Por exemplo, tenho um cliente que tem uma centena de postos de trabalho (contact-center) e onde limitou-se o acesso à WWW a apenas 3 sites, todos relacionados com o trabalho. E sei sempre qual o posto de trabalho que está a tentar aceder a algum outro site que nao os permitidos. Mais, o proxy permite definir regras de acessos: um grupo de PCs internos ou utilizadores acedem livremente à WWW e outro não. E para filtrar conteudos impróprios para crianças, é ainda melho.

    Já a VPN é tipicamente utilizada para aceder ao escritório a partir de casa, em total segurança. Existem é formas de configurar o acesso á WWW via a VPN: ou seja, tendo eu um acesso à internet em casa, posso aceder à VPN do escritorio. Quando inicializo o serviço de VPN e autentico-me, o serviço altera as minhas definições de rede do portatil (e não do router!) e passo a aceder à WWW via servidores do escritório. Resulta em que todo o trafego é encriptado, e quem acede aos sites mais estranho não é o meu IP de casa mas sim o IP do escritório.
    Mas como tenho um proxy no escritório que limita o acesso a sites estranho e regista todo o tipo de pedido, voltamos a ter um problema 🙂

    Resumindo:
    – proxy serve essencialmente para aceder à WWW desde o escritorio, filtrando conteudos e acessos, como também regista os acessos
    – VPN serve essencialmente para aceder ao escritório desde casa (e também serve para ligar redes de um escritorio em numa cidade para outro escritorio noutra cidade e partilhar recursos de rede)

    E continuo a achar que uma VPN nao é a mesma coisa que um proxy nem tem a mesma finalidade, algo que, parece-me, o artigo confunde um pouco.

    Just my 2cents 😉

    Abraços

    Sérgio

    • Pedro Pinto says:

      Repostas:

      Por exemplo, ao dizer-se “Estando o cliente ligado à Internet através de um Proxy, o endereço IP do cliente também não passa para além do Proxy…” embora correcto, pressupõe que os outros tipos de ligação à WWW deixam passar o IP interno do cliente. Ora isso não é verdade estando numa ligação partilhada: o IP que aparece nos servidores e estatísticas de sites que acedemos é SEMPRE o IP publico do router.
      – Quando estás ligado via proxy, o IP que chega ao servidor final é o do proxy e não do cliente.

      E continuo a achar que uma VPN nao é a mesma coisa que um proxy nem tem a mesma finalidade, algo que, parece-me, o artigo confunde um pouco.
      – O artigo é claro. Um proxy não é a mesma coisa que uma VPN

  11. Blob says:

    E VPN para ver Netflix dos EUA, qual o que recomendam?
    De preferência grátis….

    • Alex says:

      Pelo que tenho lido em várias fontes, VPN’s grátis não são de confiar!! Pode ser pior a emenda….!!! Mesmo a pagar há quem defenda que podemos não estar totalmente seguros!! É que vender os nossos dados (os chamados log’s) pode gerar lucros para algumas empresas de VPN’s sem escrúpulos!!! Ou então, serem mesmo obrigadas pelos governos ou agências de segurança ( exemplo NSA ) a divulgar esses dados!!

  12. Nuno says:

    E vpn com proxy?

    • FKline says:

      Não faz sentido VPN com proxy! se a VPN for boa, ou seja, encripta toda a comunicação que é efetuada não ha necessidade de se ligarem a mais um servidor que não oferece mais segurança simplesmente estão a diminuir(consideravelmente) a velocidade da vossa ligação.
      Basicamente é como colocar um muro de 50 cm á volta de vossa casa! o que realmente dá segurança é a porta trancada da casa (VPN)

      • alex says:

        Pode fazer sentido!! Exemplo: tens um cliente P2P a “comprar” um filme na internet. Tens a VPN ligada, e assim fica durante uma noite por exemplo. A meio da noite a VPN desliga a ligação e, se a mesma não tiver “kill-switch”, ficas exposto até dares conta. Se tiveres também uma proxy integrada no cliente P2P, ficas mais seguro. Acho que não estou a dizer asneiras!!!!

  13. Filipe Agrati says:

    Alguem conhece alguma VPN online com base em Portugal? A maior parte que encontro sao com Ip da Alemanha, Reino Unido, USA, etc. Gostava de encontrar uma com Ip portugues. (estou a morar fora de Portugal)

  14. FKline says:

    Esqueçam VPNs gratuitas! isso não existe com a segurança que se pretende ou pensa-se que irão ter. Apenas dão a ilusão de estarem seguros. Uma boa VPN custa dinheiro em serviços, hardware e manutenção constante!

    Não se esqueçam do seguinte:

    “”IF THE SERVICE IS FREE, THEN YOU ARE THE PRODUCT BEING SOLD”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.