PplWare Mobile

Joomla! 1.5


Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

48 Respostas

  1. VITOR TEIXEIRA says:

    Eu uso e acho fantástica a facilidade com que podemos criar e gerir conteúdos. Se calhar faltou apenas dizer que para correr o Joomla localmente no nosso PC necessitamos de o fazer em Locahost, pelo que recomendo o Xampp que é de fácil instalação e não requer qualquer tipo de configuração adicional.

  2. Oflodor says:

    Que excelente post!

  3. Crashed says:

    Alguém já tentou fazer a migração da versão anterior para a nova??
    Estive a fazer ontem e so posso dizer que correu pessimamente, praticamente não passou nada dos conteúdos da versão antiga

  4. João Dias says:

    Eu chamo a esta solução a solução dos “meninos”, que vendem websites a empresas criados em MAMBO.
    COM soluções como esta é que a nossa evolução nacional de desenvolvimento de websites está como está!
    APRENDAM A PROGRAMAR. E deixem de andar a mamar. Cada um só tem a ganhar…

  5. Nuno Amaral says:

    Eu continuo a preferir o WordPress, mais simples e mais leve. O backoffice do Joomla é muito confuso.

  6. @Vítor M.

    “(…)O Joomla, permite través de uma interface simples(…)” deveria ser “através”, comeste o “a” 🙂

    @João Dias

    Fica-te mal essa indignação, o Joomla é muito bom para quem não percebe nada de programação e quer ter um sitezinho a rolar sem pagar por ele 🙂

    Se toda a gente aprendesse a programar, ficava eu (e muitos outros) sem emprego? acho que não é uma boa ideia… senão aprendíamos todos a ser mecânicos, pilotos, programadores, contabilistas, filósofos, etc. e ninguém precisava de ninguém, todos fazíamos tudo… é esse o espírito…

    Abraço

  7. @Nuno Amaral

    O objectivo do Joomla é ser um backoffice para qualquer tipo de site seja ele um portal, um site institucional, um fórum, um blog, uma loja online, tudo isto junto, etc. enquanto que o objectivo do WordPress é ser um blog 🙂

    Por isto mesmo é normal que o WordPress seja mais simplificado, pois tem um objectivo menos abrangente que o Joomla.

    O melhor CMS depende das necessidades de cada um.

    Abraço

  8. Jwv says:

    @João Dias,

    Não pode deixar de responder ao teu comentário um pouco infeliz na minha opinião.

    O desenvolvimento de websites nacional esta de boa saúde, um bom exemplo disso e o portal sapo que é uma espécie de Google nacional, ao associar vários serviços web 2.0, tornando-se assim num grande marco no desenvolvimento da Web nacional.

    Joomla é um CMS (Content Management System) traduzido a letra e um sistema de gestão de conteúdos. O joomla e base onde depois podes desenvolver vários puglins, extensões, etc, para enriquecer o site.

    Desenvolver um site através de uma base de CMS e mais rentável e o produto final fica com mais qualidade.

    Claro que é preciso ver as necessidades do cliente.

    Agora não vou inventar a roda se ela já está inventada. Né?

    Uma pessoa criativa pega no que está criado e recria.

    Então pra ti o wordpress também é pra “meninos”?

    Acho que precisas de rever o teu conceito de programação.

  9. Irish says:

    Eu estou a testar o WordPress mas tenho lá um problema a criar categorias. dá me sempre erro, de resto funciona tudo muito bem, widgets e temas rolam bem. Será que existe alguma alma caridosa que me possa ajudar?

  10. porra.. agora que deixei o site direito pra um cliente vou ter k fazer o update… vou fazer figas a ver se não me sai a sorte grade e tenho k formatar um site k tem 40.000 membros inscritos

  11. nrocha says:

    Devo ser o unico a concordar com o João Dias, aparentemente! É exactamente isso que penso.

    O portal do sapo esta como esta porque? Porque tem PROGRAMADORES e não tenros que usam o jomla :]

    Acho que uma coisa é usar a nivel pessoal, outra é andar a vender por valores altos um trabalho que não deu trabalho, se me faço entender.. bem a culpa tambem é de quem compra.
    Enfim.

    CoolMaster

  12. nrocha says:

    Li agora o comentário 10, então.. se por ventura os users não fossem compativeis (o que duvido).. fazias um script de migração do antigo para o novo 😛 Ou os jomla users têm preguiça:P

    CoolMaster

  13. Jwv says:

    @nrocha

    Imagina que utilizas o joomla como base, como se fosse uma framework, e depois desenvolves as necessidades do cliente, como por exemplo, o cliente quer uma aplicação que faça a gestão das suas acções de Formação. O joomla ñ faz isso. Tens de desenvolver o componentes que faça a gestão da formação.

    Pra pequenas empresas penso que é uma boa solução.

    Agora não compares o sapo que é do grupo da pt, que tem estruturar empresarial e financeira pra ter uma boa equipa de programadores.

  14. KaiserSoze says:

    Eu desenvolvi o site do sitio onde trabalho em Joomla… ficou bom e serve perfeitamente as necessidades de uma associação sem dinheiro. Não é para me gabar mas acho que ficou muito catita e funcional.

    Para outro lado, para outro projecto, contratamos uma empresa, que nos fez um site em Mambo que é uma vergonha! Não tem qualidade nenhuma.. um nojo completo.

    Por isso concordo que um produto prestado por uma empresa tenha de ser feito com tecnoloiga e recursos dessa empresa. Empresas baseadas em Mambo/Joomla só quero é que se espatifem e rápido!

    Para sites pessoas e pequenas coisas institucionais de organizações sem fins lucrativos acho que é um produto muito bom e até recomendável. Agora se vejo uma empresa com um site em joomla vou logo embora.. ve-se logo que são pelintras… não confio em empresas que não investem na qualidade da sua imagem!

  15. nrocha says:

    @ Jwv

    Eu faço sempre tudo de raiz porque gosto de conhecer ao pormenor no que estou a trabalhar, sem ter que depender de terceiros. Prefiro desenvolver eu a minha base e desenvolver nela funcionalidades especificas.. é assim a nivel pessoal, é assim a nivel profissional. Seja em webdev ou programação “normal”.

    CoolMaster

  16. nrocha says:

    @ KaiserSoze

    Exactamente, é assim que penso. Quando o objectivo é ser feito de forma “interna” por alguem não especializado os CMS servem perfeitamente! Agora mesmo freelancers a fazerem projectos baseados em CMS e venderem-nos por preços altos é que é triste.

    Mas pronto, é a minha opinião e como alguns de vocês devem saber pelos meus poucos comentários sou muito purista e mesquinho (para mim no bom sentido) em muitas situações, esta é uma delas.

    CoolMaster

  17. @nrocha

    Eu entendi o post do João Dias de uma forma muito diferente da tua, pois concordo contigo e não concordo com o João Dias (ou ele explicou-se mal ou eu interpretei mal)…

    Abraço

  18. JG says:

    O que eu entendi do Joao Dias é que ha gente a lucrar com os CMSs na construção de sites para outras pessoas (e eu sei disso).
    Agora para uso pessoal acho fantastico porque é uma boa aplicação.
    Estou de acordo com ele no entanto acho que devia ter sido mais “delicado”.

    Fica aqui a minha opinião.

  19. João M. says:

    Será que alguém me podia indicar um tutorial para saber como trabalhar com o joomla? grande post!

    Abraço

  20. Z3nD3n says:

    @ João M.

    Desculpa pela forma como te vou responder mas é mesmo necessário ser assim!
    Viste a notícia até ao fim?
    Não? Então aproveita pa ler!
    Se sim torna a ler!
    O Vitor em determinado momento diz “Joomlapt” clica e dps usa a imaginação!
    Existe um ditado chinês que diz: “Não lhe dês o peixe! Dá-lhe a cana e ensina-o a pescar!” Estou-te a fazer o mesmo vai la a esse link e ve o que para lá diz!

    Não quero que leves a mal este comentário mas… a preguiça não mata!!!
    [[]]

  21. ryu says:

    O Sr. João dias que vá trabalhar, porque um programador como deve ser não faz web sites.
    Desenvolve componentes e modulos para essas plataformas.
    Desenvolve aplicações em projectos específicos.

    Um webdesigner não é um programador necessariamente.
    É claro que um programador normalmente sabe fazer umá página web sem grande dificuldade. Mas n é esse o seu trabalho.

    Portanto não entres por ai.

    Eu uso o joomla, e sei corrigir erros de componentes, modulos e plugins… (criados por programadores).

    Quanto às versoes 1.03 e 1.5.
    Não recomendo fazer o update.
    Primeiro porque, se funciona o 1.03 perfeitamente, não compensa migrar para o 1.5.
    Depois, o template pode bem deixar de funcionar no 1.5 assim como certos modulos/componentes.

    Mas é normal que quem não saiba fazer negócios se queixe de quem sabe… chama-se azia e resmunguisse.

    Abraço para todos os leitores e membros da equipa pplware. O vosso blog é excelente.

  22. ryu says:

    Ps. Existem milhares de sites famosíssimos feitos em joomla.

    national geographic, joost… entre muitos outros.
    Chamem-lhes amadores… lol

    Quanto à questão do backoffice ser complicado… é uma questão de perderem 1 ou 2 dias a navegar e a compreender cada secção.
    Depois vão ver que é muito intuitivo e fácil de utilizar!
    É um CMS poderoso. Recomendo.

  23. AIR says:

    Conheços diversas pessoas ligadas ao mundo da informática que sabem programar e já desenvolveram muita coisa de raiz.

    Apesar disso, nas conversas que tenho tido com algumas dessas pessoas, dizem-me que o tempo é extremamente escasso e, por isso, preferem usar um CMS. Deste modo, ficam com mais liberdade para fazer outras coisas dentro da empresa (administração de rede, instalar software, reparar pc’s, programar também, etc.). Isto, porque trabalham em determinadas instituições nas quais têm de ser profissionais polivalentes. Acho que este tipo de pessoas só têm a ganhar em utilizar os CMS.

    Agora, para quem pretende elaborar uma página de raiz, com um design à medida daquilo que são os seus anseios ou os do cliente… claro que pode e talvez deva fazer tudo de raiz.

    Pessoalmente, acho que cada um deve escolher aquilo que mais se adequa ao seu caso concreto. E não me choca nada que façam dinheiro, criando páginas com CMS. Digo já que não é o meu caso.

    Em termos de qualidade, já tenho visto coisas de raiz muito más e outras muito boas, o mesmo se passa utilizando os CMS.

  24. AIR says:

    @ryu

    Estou plenamente de acordo com o que disseste sobre as funções dos programadores/webdesigners…. e ao restante conteúdo dos teus 2 “posts”.

  25. @nrocha
    ou nao actualizava ou alterava a base de dados. a minha base de dados tem um componente que quando o user se regista pede campos adicionais como telemovel ou localidade entre outras coisas. é um site duma revista e tem mesmo muitos users, se mesmo assim fosse impossivel mudar a bd ou a actualização por incompatibilidade de modulos, falava com dois programadores alem de mim que estao envolvidos, sentava o dono da revista à mesa e avaliava-se uma possivel criação de um novo site de raiz com os users daquela base de dados que se recuperam facilmente.
    só nao ha solução para a morte e meia duzia de doenças porque de resto com força de vontade tudo se faz

  26. AIR says:

    Esqueci-me de perguntar se já alguém utilizou o JSAS ( Joomla! Stand Alone Server) is a WAMP (Windows/apache/mysql/php) stand alone server with Joomla! preinstalled.
    Pode ser acedido em http://jsas.joomlasolutions.com/.

    O pplware ou alguém que já tenha usado, poderiam dar aqui a sua opinião. Em alternativa, poderiam criar um tópico que falasse sobre o assunto.

  27. João Dias says:

    Desculpem se feri algum ganha pão de alguns e algumas boas notas de cursos…
    Jwv – Não compares o sapo com nada, “parabens aos seus programadores”, se eles fossem como alguns de voz tambem uzavam joomla e nem se estavam para chatear.
    Muitos de voz que uzam o joomla nem o favicon sabem tirar…
    Começem da 1º linha, quando terminarem um site, ai até se sentem bem melhor…
    A vida tem um inicio e tem um fim, não começamos a viver a meio, nem nascemos a falar. Se os outros já aprenderam porque nos vamos dar ao trabalho?
    @nrocha és cá dos meus…
    Abraço a Todos, e que continuamos sempre com respeito a fazer deste o melhor blog.

  28. João Dias says:

    @nrocha não és tu cá dos meus, mas sim o Bruno Bernardino.
    ABRAÇO

  29. fedora says:

    Eu uso

    – joomla 1.13
    – joomla 1.5
    – SMF 1.14
    – phpBB3
    – WordPress
    – drupal

    E qualquer um é fantástico

  30. Jwv says:

    @João Dias

    Só uma pergunta João Dias.

    Por acaso utilizas framework’s ou api’s?

    “Não compares o sapo com nada”, fui quando fiz a comparação com o google?

  31. Miguel Jeri says:

    É simplesmente excelente. Este sistema põe ao alcance de qualquer um a gestão de um site, por muito pouco de programação que saiba!

    Eu não sei programar em PHP, e tenho básicas noções de programação noutras linguagens, mas consegui redesenhar completamente um site usando o Joomla. A grande vantagem é permitir a qualquer pessoa, com apenas alguns conhecimentos de informática, criar e organizar um site, coisa que nunca poderia fazer sem a ajuda de um programador.

    Poupa-se tempo. Poupa-se trabalho inútil. Portais complexos como o yahoo, sapo, etc é claro que devem ser desenvolvidos de raiz para o fim que servem. Mas para o comum cidadão que pretende fazer o seu próprio site, é uma autêntica revolução.

    No entanto ainda tem muito para melhorar. Eu concordo quando dizem que o backend é um pouco confuso. Não é desorganizado, mas sim confuso! Nos primeiros tempos perdia-me entre módulos, plug-ins e componentes sem saber ao certo o que os diferenciava.

    Mas resumindo: não sabem programar, não têm tempo para aprender, mas querem ter um site? Podem fazê-lo. Usem o Joomla.

  32. dvorak says:

    È engraçado ver algumas pessoas “enraivecidas” com este cms, que é opensource, logo ai ja traz imensas potencialidades, mas isso não quer dizer que seja so fazer do download do joomla, mete-lo no servidor, e criar a base dados…
    Fazer um projecto profissional utilizando o joomla, requer bastantes horas de trabalho, que obviamente serão menos que fazer de raiz, mas nao podemos simplesmente tirar o merito a quem o faz, ate porque como aqui ja foi dito, programador não é fazer websites, vai muito para alem disso, não misturemos o “trigo com o joio”.
    So mais um reparo, quase todos os dias que aqui acedo, tenho reparado que por um pequeno “erro” de escrita, abrem-se topicos de pessoas escandalizadas, hoje porém,li várias calinadas , e ainda não vi ninguem a insurgir-se… 🙂
    E mais , não quero ferir susceptibilidades, mas é no open source que se aprende muita coisa e se tiram ideias para projectos “unicos”

    Cumps

  33. Gerardo says:

    Gosto bastante da malta do “old school” parecem velhos do restelo 🙂

    Á malta do “à e tal, faço tudo de raiz, sou o mÁior e os outros uns meninos..” pergunto, fazem os sites de raiz, mas que raiz é essa? Linguagem máquina (Binário)? Desenvolvem as vossas próprias funções e livrarias? E se usam criptografia foram vocês que a inventaram ou grandes matemáticos? Até o assembly já está acima da raiz. Programo PICs e não ando lá a por os zeros e uns 000101001110101 …. dava em maluco.. nem assembly uso, uso C porque com uma linha de código ele automáticamente produz centenas de linhas Assembly. E não não sou arrogante para sequer pensar que se fizesse eu o assebly ficava mais optimizado….

    Não sei como malta da informática pode ser tão retrogada. Daqui a 10 anos acham que ainda conseguem fazer sites com o notepad? Ou que é viável? Só se for por hobbie….

    Em resumo, cada um faz como sabe com as ferramentas que melhjor domina. Não tenho dúvida que há por ai malta que dava um baile com joomla aos meninos da raiz….

    Se o produto final, sela ele um carro ou um site, for funcional, seguro e agradavel á vista, estou-me completamente marimbando como ele foi feito….

    Haaá e tal, fiz um site em PHP, dotNet, com Mysql, SQL, java, e mais 10 linguangens, está uma valente merda, mas fiz de raiz…. 🙂

    Tenhamos respeito pelo trabalho uns dos outros e principalmente uns pelos outros.

    E para aqules que acham que são os mÁiores, lembrem-se no Narciso acabou por se afogar…..

  34. @Gerardo

    Sim senhor, bom comentário.

    Concordo.

    Mas continuo a dizer que a opção de fazer um site tendo por base um CMS como o Joomla, Drupal ou qualquer outra ferramenta ou desenvolver um site de raíz deve ser tomada de acordo com as necessidades de cada projecto.

    Abraço

  35. Alex Ribeiro says:

    Old School, reinventando a roda!

    Pffff… velhinhos… Acham que sabem de tudo.

  36. JG says:

    Cada um tem os seus objectivos e metas!
    Para quem gosta e sabe programar é com muito orgulho que faz um site de raiz! E sim de raiz de acordo com a linguagem web, sim porque pelo que eu saiba não vou “programar zeros e uns” e depois criar a minha internet pessoal onde podem todos aceder… não entremos em exageros!
    Acho que esta historia já está a prolongar-se. Como em tudo, há de tudo. Quem os faça de raiz com prazer, quem os faça a gabar, e quem os faça utilizando ferramentas sem saber o que é uma linha de codigo.
    No entanto a escolha é de cada um, e portanto não começem a chamar “de velhinhos” se há pessoas que tem paciencia para aprender determinados tipos de linguagem (e não só para a web) e não é por isso que sejam mais dos que quem não gosta. Cada um gosta do que gosta. CMS dão jeito para o que seja. Saber programação dá muito jeito. Cabe a cada um saber utilizar os recursos e ganhar com isso.
    Enfim..
    Continuem PPLWARE.

  37. KaiserSoze says:

    Apoiado @JG

    … e agora vou fazer unsubscribe a este tópico que já vai chato e comprido…
    Abraços

  38. Ricardo says:

    Boas! e… que tal um tutorial de Joomla!?? estou agora a começar a trabalhar com o joomla, e não encontro quase nada… :S

  39. andrezero says:

    Apoio todos os comentários moderados. Geradrdo, Bruno Bernardino, etc..

    Eu uso WordPress e desenvolvimento custom sobre ele com a minha própria framework mas também já fiz CMS à medida.

    A maior falácia dos primeiros críticos deste artigo é afirmar que todos os designers ou developers que usam um CMS open-source por base o fazem em todos os projectos e cobram sempre um valor astrononómico.

    Ora há aqui 2 pressupostos que não aderem à realidade. O panorama da net em Portugal deve-se à falta de dinheiro e massa crítica. Concordo que existam muitas empresas fajutas e aldrabonas, mas os clientes também não têm conhecimentos nem capacidade financeira para elevar o valor do mercado.

    Portanto, muitas vezes, a única solução é mesmo re-utilizar e reciclar. Até há algum mérito nos developers que conseguem pôr direito o que nasceu torto.

    Quanto ao Joomla (relelembro que sou WP fan) usei uma vez. E juro para nunca mais. Tem demasiado código HTML a sair dos componentes (ao contrário do WordPress que é verdadeiramente template based) e esse código nem traz os identificadores necessários para poder aplicar estilo css a todos os elementos.

  40. andrezero says:

    Queria arranjar a tradução do Joomla 1.5 para português de portugal mas o site http://joomlapt.com/ está em baixo.

    Conhecem alguma alternativa?

  41. Rui Neves says:

    “João Dias diz:

    25 de Janeiro de 2008 às 9:55 am
    Eu chamo a esta solução a solução dos “meninos”, que vendem websites a empresas criados em MAMBO.
    COM soluções como esta é que a nossa evolução nacional de desenvolvimento de websites está como está!
    APRENDAM A PROGRAMAR. E deixem de andar a mamar. Cada um só tem a ganhar”

    Eu até entendo onde quer chegar. No entanto que lhe parece criar sites em programas como o Dreamweaver ou o Flash. Já estão programados e facilitam muito a tarefa do programador.

    Já para não falar do sistema operativo. Criou o seu de raiz foi?

    Já que a sua programação é tão pura desenvolva tudo do principio e não se aproveite da programação feita por outros! Ah… pois… afinal também é um “menino”!

  42. Será que alguem me pode explicar, de uma forma simples os passos a dar para criar i site?
    obrigado
    a. cipriano

  43. Amigos,
    Acabo de ler os comentários acima, e tanto quanto me parece, há uma certa perda de tempo…
    Eu, que não percebo nada disto, decidi criar o meu próprio site mas, do que consegui até agora, tenho dúvidas que vá conseguir…
    Alguns dos vossos comentários (não me refiro àqueles comentários de saber se alguem anda a “mamar”ou não – tenho opinião sobre isso mas agora não interessa) são óptimos, mas ” demasiado técnicos” para uma pessoa como eu.
    Será que alguem pode dar umas dicas para leigos conseguirem criar os seus sites?
    Em relacção aos erros de português, penso que devemos escrever o melhor possível, mas temos que dar desconto, pois escrever no computador em directo, digamos assim, no momento, não é a mesma coisa que escrever no papel…
    Um abraço e fico à espera da vossa ajuda.

  44. Idur says:

    tanta conversa, tanta pessoa a “berrar”. Mas aos “meninos” da programação pura só quero dizer isto: “uma vida gera necessidade” 😉 se pensarem bem vão compreender.
    webdesign nao é programação? 50% é dependendo do objecto criado 😉
    ah e jágora eu sou um “menino” do joomla que tira 19’s a programação na faculdade 😉
    abraço

  45. Rodrigo Rocha says:

    Bom dia pessoal!

    Que polêmica! Fica difícil olhar tantas opiniões equivocadas e não comentar…
    Trabalho com Web desde 92, quando ela tinha menos de 1 ano de vida e nem sonhava ser tão popular como é hoje, mas isso não vem ao caso.

    Só o tempo vai mostrar aos programadores radicais, que o objetivo de se programar para web é comunicar algo, de forma clara e eficiente. Qualquer projeto web bem estruturado procura atingir metas, seja lá qual for o caminho que o desenvolvedor utilize para conseguir atingir tais metas.

    Não adianta nada ser o melhor programador php, fazer uma estrutura invejável de aplicações e cagar no layout final (É o que acontece normalmente!) Não vou falar todos, mas a maioria (99,99999%) dos websites de programadores são um lixo. O que adiantou ser o melhor programador? Nada. O projeto fracassou.

    Não adianta nada também, um zé mané pegar um CMS da vida e fazer qualquer bosta de template (quando não usam de outras pessoas) e usar com um flashzinho bacana e tal, e você não conseguir postar um comentário porque o zé mané não sabe ajustar uma linha de código.

    O que precisamos é de bom senso, precisamos de projetos bem estruturados que consigam atingir suas metas.

    Moro em Brasília e estou desenvolvendo um projeto focado na web que deixará os concorrentes preocupados, por sinal estou utilizando um CMS como base desse projeto, porém um CMS open source, onde pude ler e ajustar cada linha de código nele, perfeitamente ajustado para o layout que eu criei, tudo funcinando redondamente, desde a primeira linha de programação, passando por sua Gestalt até chegar como um produto final de qualidade no dispositivo que o “cliente” usa.

    O que importa é o produto final gente!

    Programadores radicais: Parem de fazer sites com código-fonte lindos e layout tenebrosos.

    Webdesigners: Parem de fazer sites com glamour e ferramentas que não funcionam.

    Abraços…

  46. Miguel says:

    aprende-se lendo

  47. Max Duvalle says:

    Acho que atendendo aos desejos iniciais, não importa a plataforma em que será desenvolvido o site. Os CMS estão democratizando a internet, dando a oportunidade à aqueles que antes não poderiam se dar ao luxo de ter um site. Vejo muitos programadores se gabarem de seus projetos, e que na maioria das vezes se prendem tanto ao estudo da programação, mais se esquecem que o termo Web design, é um conjunto de atributos. Na maioria das vezes os bons programadores são péssimos designers, e de que adianta tanta programação se o site fica horroroso. Não critiquem tanto, pois não são os donos da verdade.
    Para se fazer um bom site, não basta apenas programar, temos é que encher os olhos de quem está navegando e gerar bons conteúdos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.