Quantcast
PplWare Mobile

Erros que cometi ao abrir o meu primeiro blog

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Marisa Pinto


  1. Ruivix says:

    Penso que a ideia (talvez errada) de criar um blog não é tanto a ideia que pretendo de ter um espaço todo XPTO mas no fundo de investigar o que realmente podemos fazer quanto mais não seja para escrever uns disparates. Se alguém ler e preferencialmente comentar será sempre melhor claro. Já fiz algumas experiências nesse sentido mas nunca dei grande importância a ter um blog. A facilidade com que sites como o Google ou WordPress em podermos criar algo de forma gratuita é a meu ver o ideal para brincar neste assunto embora ache difícil a forma como se criam os ditos blogues talvez por falta de paciência ou mesmo por dificuldade em entender as ferramentas disponíveis. Nos dia de hoje com redes sociais como o Facebook fico a pensar se vale mesmo a pena criar um blog….

  2. Hugo Madrosa says:

    a ideia é criar um blog para ganhar dinheiro? esqueçam isso, dediquem-se a outras coisas. se a ideia for criar um blog porque a pessoa gosta de escrever ou tem algo para dizer então tudo bem, deve fazê-lo mas para isso não precisam de seguir estas dicas.

    • Ruivix says:

      Precisamente. A “trabalheira” que uma pessoa vai ter por um simples blog cria antes um site e aí sim vai tirar partido de algo útil e não dum espaço para escrever “disparates”… 3:)

    • Marisa Pinto says:

      Claro que precisam… não se trata de ganhar dinheiro, onde leste isso? Escerver para o boneco não tem muita graça… para isso escreves num caderno e guardas para ti 🙂

      • Maria Joana says:

        Escrever na net sem objectivos práticos que não apenas o de ter uma audiência para massajar o ego é para mim escrever para o boneco.

        E antes que me respondam que o comentário que acabei de fazer por essa ordem de ideias também é escrever para o boneco (sem desconsideração Marisa) posso confirmar que sim, que basicamente é escrever para o boneco. Ou então e pondo de forma simples o objectivo prático que me move é o de procrastinar um pouco e tentar motivar-me para iniciar os trabalhos duros que tenho que concluir aqui…

        • Marisa Pinto says:

          @Maria Joana, você é que assume que ter uma audiência é para massajar o ego…

          Então, por essa ordem de ideias, uma banda pode dar um concerto sem público… percebe porque não faz sentido?

          • Maria Joana says:

            Ter uma audiência não é para massajar o ego. Ter uma audiência é ter mercado.
            Mas há muitos bloggers que perdem o rumo.
            E uma banda pode dar concertos sem público. Chamam-se ensaios ou gravações. Não servem para ter graça.
            A diferença é que uma banda que ponha músicas/concertos/albuns na net e não espera nada em retorno, apenas graça, acaba desgraçada.

          • Marisa Pinto says:

            Ou são concertos ou são ensaios e gravações… se estou a especificar concertos, o seu exemplo perde a lógica, foi tornado numa falácia. 🙂

  3. Maria Joana says:

    Blogues para ganhar dinheiro?
    Só para perder (ao não dedicar esse tempo útil a outras coisas mais produtivas).

    Blogues patrocinados com objectivos claros (políticos, económicos, etc) e sem metas imediatas, esses sim, podem render algo aos seus criadores.
    Se forem com publicações partilhadas, isto é, com diversos criadores de conteúdo, ainda melhor.
    Agora fora disso é difícil tornar um blogue verdadeiramente rentável.

    Mesmo os de viagens, fotografias, arte (que são blogues que a maioria das pessoas gosta de ver) e que acabam por fazer publicidade a produtos ou serviços deste género têm de batalhar muito para conseguir atingir um público alvo nacional e internacional e conseguir ter sucesso.

    Mas o que sei eu? Os blogues que tive, embora bem estruturados e redigidos, quase sempre foram para combater insónias ou acalmar a fera que temos dentro de nós e que quer ser ouvida.

    E blogues espanhóis só servem para melhorar o espanholês. Os americanos, ingleses, alemães e franceses são para mim a referência. Há muitos blogues interessantes fora da esfera destes idiomas mas para mim já se torna muito difícil de os compreender verdadeiramente.

    A todos os que querem inciar um blogue: em vez de pensarem em estruturar blogues pensem antes em estruturar empresas e criar valor acrescentado com alguma coisa que saibam fazer bem. E podem usar depois o blogue para complementar e publicitar a vossa empresa. Ou não.
    Eu não uso blogues para isso. =)

    • Vítor M. says:

      Os blogues foram criados para “criar” um registo online, para tornar a informação actual, para melhorar o que estava de tal forma estático e bolorento que houve a necessidade de criar os web logs. Os sites estavam, em meados do ano 2000, amorfos e sem vitalidade e assim surgiu a ideia de contar histórias em forma de diários. Depois adaptaram-se os conceitos a cada realidade e a cada pessoa e sortiram conteúdos fantásticos. A interacção com os visitantes, através dos comentários deu uma vida nova, voz ao povo, partilhar conhecimento e dar ouvidos à própria Internet.

      Como em tudo neste mundo, houve uma “evolução degenerativa do conceito”, os sites tornaram-se menos estáticos e mais activos e as pessoas perderem alguma orientação. Depois o mundo mudou o ponteiro e a informação agora tem o seu HQ na Internet e não nas páginas dos jornais e tudo se mistura numa amalgama de novas formas de apresentar conteúdos online, sim até as redes sociais são um caso cada vez mais preocupante.

      Com isso a Internet tornou-se um mundo com vida própria, tem necessidades que precisam de ser satisfeitas e por isso é que há muitos negócios online, praticamente tudo o que há online é um negócio, de terceiros ou do primeiro beneficiário.

    • Domingo Gomes says:

      Olá Maria Joana,

      Não sei se é por trabalhar na área, mas conheço muitas pessoas que vivem apenas com o seu blog. O blog dá dinheiro se o souberes rentabilizar. Se não souberes, perdes dinheiro. E em relação a produtividade é muito relativo. Para ti pode ser perder o tempo, mas para outras pessoas não.

      Para poder ganhar dinheiro com um blog é preciso trabalhar (e bastante), não só na qualidade dos textos (esta mais que comprovado que um texto simples é muito mais lido que um complexo), mas também no SEO, no Link Building, nas relações com outros bloggers e, também muito importante, nas redes sociais. Não se trata apenas de escrever textos bem estruturados…É preciso mais!

      Não entendo como é possível que em outros países existam pessoas que vivam do seu blog e em Portugal digam que é impossível. Isso acontece porque as pessoas esperam resultados em 2 ou 3 semanas.

      Entrem em sites estrangeiros de SEO e vejam como em alguns casos há quem tenha trabalhado durante mais de 1 ano para ganhar 1 euro.

      Para todos aqueles que querem criar um blog, que não desistam a primeira. Mesmo que passe o tempo e não tenham muitas visitas, continuem com o bom trabalho. Sejam criativos, leiam bastante (principalmente dos melhores), e não desistam.

      Os blogues não morreram como alguns pensam, apenas evoluíram.

  4. Skywalker says:

    Eu criei uma página com o WIX e acho que (Apesar de faltar umas arestas por limar) está um trabalho bem conseguido, apesar de pouco ou nada perceber de criação de páginas ou de design…

    http://in-geniusrecords.wix.com/ingenius

  5. joao says:

    Um bom exemplo é este site (pplware) que começou numa altura em que poucos falam em ganhar dinheiro com um blog, as pessoas criavam mais por carolice, e foi evoluindo com o tempo e agora é o que se vê. Ninguém gosta de trabalhar para “aquecer” ( a fonte de calor tanto pode ser material (dinheiro) com humana (leitores). 😉

    • Vítor M. says:

      Mas desde quase o início, não o início porque no inicio a ideia era de um repositórios de informação pessoal, mas pouco depois e que dura até hoje, a fonte de calor é a mesma: leitores. Massa humana que usufrui de algo que se faz, troca de conhecimento, pessoas que se conhecem, que entraram e saíram do grupo. Um manancial de aprendizagem que resultou de portas que se abriram.

      Claro que se tudo o que precisamos não envolvesse custos (alojamento, tráfego, manutenção, produção, desenvolvimento, comunicação, logística, etc…) não havia necessidade de dinheiro, até porque tudo era feito nos momentos de lazer, nos momentos de actividade profissional zero, nos momentos de introspecção e criação para apresentar algo e era materializado num artigo (ou vários).

      E com isto já lá vão 11 anos.

  6. Fox says:

    Eu acho que de uma certa maneira os Blogs estão a ficar fora de moda. No meu caso prefiro ir ao Youtube e seguir Vlogs. É mais prático e mais interativo. Por exemplo um vlog de tecnologia… prefiro ouvir e ver um vídeo que falem do iPhone ou Samsung que ver simples imagens. Um vlog de automóveis a mesma coisa, prefiro ver imagens “ao vivo” do carro, a trabalhar etc do que ver fotos e vídeos de um carro, quer de seja em formato blog ou em formato revista.

    Podem agora dizer… Ah mas existem pessoas que criam blogs para exprimir a sua opinião sobre determinados assuntos ou falar apenas da sua vida… também existem canais no youtube com Vlogs desse género.

    Confesso que o único blog que sigo com alguma frequência é este o resto o Youtube é bem melhor.

    O Youtube é muito mais que vídeos estupidos e cómicos e video clips. Tem canais e criadores de conteúdos bastante interessantes.

  7. Sophie says:

    EU tenho um Blog e adoro-o profundamente.
    Primeiro porque fala acerca de mim, fala daquilo que penso, do que aprendo e tudo mais, e adoro empenhar-me nele, se não consigo publicar todos os dias é mesmo porque o meu emprego não me permite!
    Eu não ganho dinheiro com o Blog, é um facto, tenho parcerias, como a Chiado Editora, Escape Shoes, mas não ganho dinheiro com ele, ganho sim novos seguidores, e seguidores que me acompanham e é isso que me dá um enorme prazer.
    Quanto ao Design em si, eu trabalho o desing ao meu gosto, sou eu que faço, tal como logotipos e etc, e tenho um “part-time” com esse trabalho, renovo outros blogs, quando comecei esse pequeno negócio estava desempregada e com uma cadela que infelizmente faleceu, mas aleijada, e o dinheiro fazia-me bastante falta.
    Comecei também porque existia Bloggers que queria trabalho meu e adoravam, e só aceitavam o meu trabalho pagando-me, ora desempregada, com uma cadela a “fraldas” não pude negar, não podia ser orgulhosa nesse sentido, e a verdade é que até hoje continuo com isso, mesmo com o meu emprego, já não faço tantos porque não tenho tido tempo para me dedicar, mas na altura ajudou-me imenso, para continuar os tratamentos da minha cadela, e basicamente o dinheiro nem foi para mim foi mesmo tudo para ela. Se me arrependia? Não, fiquei sem ela na mesma mas fiz de tudo!
    Hoje continuo com esse serviço, tenho o meu Blog, tenho a minha família, construída, incluindo uma cadela que fui buscar o mês passado ao canil e um Gato, e são mais famosos do que eu, o que é normal, não à como resistir. hehe
    Se quiserem ver já agora deixo o meu link – http://www.wordsofsophie.com
    Tenho domínio, porque para mim fazia todo o sentido tê-lo, pois queria e quero que o meu Blog, continue a dar frutos. 🙂

  8. Kendimen says:

    Eu tenho um blog há 9 anos com uma frequência de visitas próximas de zero 😛
    Mas gosto de fazê-lo 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.