Quantcast
PplWare Mobile

Débitos diretos: Cuidado com o que anda a pagar

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Taigo says:

    Tudo pago no multibanco, dá um pouco mais de trabalho é certo, basta o que nos assaltam à carteira ! Débitos bancários com as entidades mencionadas é o mesmo que dizer, sirvam-se !

  2. Rui says:

    Uma coisa que as pessoas provavelmente desconhecem, é que podem pedir ao banco a devolução imediata de qualquer débito directo até 30 ou 60 dias depois dele ocorrer, sem ter de dar justificações a ninguém!

  3. censo says:

    Só os ignorantes tem problemas com os débitos diretos. Para esses o melhor é pagar a faturinha no multibanco ou nos CTT, não vá algum fantasma do débito direto assombrar a conta…

    • Nuno says:

      REMOVIDO pelo ADMINISTRADOR

      • Hugo Gomes says:

        Nao é sinal que lhe podem ir a conta dele e servirem se a vontade

        • bola says:

          Pode ser sinal de que apenas é controlado e sabe o que tem na conta, até porque quem não sabe os débitos diretos têm que ter consentimento assinado designado por “mandato”, já lá vai o tempo de que uma chamada telefónica a dizer o IBAN e “sim aceito” serve para o efeito.

          Mais dúvidas pesquisem a lei dos débitos diretos e dos deveres dos credores que ficam a saber que não existe fantasma nenhum e só cai quem quer desde a última transposição de uma directiva comunitária.

    • Miguel Sousa says:

      Neste momento activar um débito directo só precisa do IBAN da pessoa. Basta entregá-lo ao banco e dizer que aquele IBAN deve transferir, mensalmente/pontualmente um valor para um IBAN empresarial. Por outro lado, com as facturas electrónicas, deu-se outra situação que é o envio das facturas no dia em que é feito o débito em conta. Várias empresas fazem isso. Se lhe mandam a factura com 1000 euros para pagar, você vê a factura no dia em que lhe levantaram 1000 euros. Se não os tinha, vai ter de pagar uma multa de 4,56 (ou mais, depende das empresas) mesmo que lhe acabem por dar razão que aquele valor estava errado. Você deve ser dos que não se importam com isso, pois recebe comissão do banco para fazer os pagamentos.

      • censo says:

        Meu caro, nada do que diz corresponde a realidade. Por mais vezes que o afirme, isso não é verdade. Essa realidade que descreve não existe. Escusa de de vir para aquli buscar o assentimento alheio. O sistema de débitos diretos não funciona como diz. Não lance confusão. É só teoria de conspiração , ou melhor, teoria de quem nunca sequer experimentou o sistema e não conhece o regulamento e não sabe como se adere, seja pelo lado do consumidor devedor, seja pelo lado da empresa credora. Informe-se.

      • Rui says:

        Miguel, só é verdade o quando refere que é apenas necessário o iban para proceder aos débitos directos. Já nem é preciso o próprio dar autorização!
        Mas a partir daí, as empresas enviam normalmente a carta a avisar com 1 mês de antecedência. Voçê pode dizer qual é o limite individual e até cancelar qualquer dd.
        O consumidor para além destas defesas todas, pode ainda exigir a devolução de qualquer dd até 60 dias dele ocorrer, sem ter de justificar o que quer que seja ao banco! Tenho dezenas de dd activos e só tive problemas com um ou outro, mas confio plenamente no sistema, há sempre firmas de resolver qualquer problema. Com o pagamento por multibanco, arrisca-se a ficar sem algum serviço e ficar na lista negra da empresa.
        Você pode ainda gerir os dias do dd ao seu agrado!

    • Taigo says:

      Temos aqui um ” illuminati ” do sistema !

    • MAD says:

      Veja se em 12 meses do ano passado no total dos debitos directos não foi debitado 13 vezes por nenhum serviço… é que por vezes lembram-se de pedir um subsidio qualquer. Já me aconteceu mais que uma vez tanto em telecomunicações como serviços camararios e depois temos de andar atras do estrago com facturas e extractos serviço a serviço. Basta um engano desses para perdermos dias por isso se calhar mais vale pagar por multibanco ou homebanking continha a continha porque poupamos tempo e chatices.

  4. Mike says:

    O ponto a reter é, sempre que possível, Fixar um Valor Limite.

  5. bom senso says:

    uso DD há anos e problemas zero, claro que como precaução só estão as entidades que eu autorizei e mais nenhumas e todas tem limite imposto por mim, com uma ligeira tolerância por causa das flutuações de valor de mês para mês, caso por algum motivo tentem levantar mais o que está estipulado no limite o banco não paga e informa-me de imediato sobre a ocorrência e para eu ir averiguar o que se passa…

    e as facturas vem para o email, mais simples e cómodo impossível e nem me preocupo de ficar coisas por pagar , por esquecimento ou o correio não vir a tempo e horas(o que é cada vez mais comum)…

  6. maria vieira a atriz says:

    debito direto gostava o rangel do luis felipe vieira

  7. João Marcelino says:

    Assim como nos exigem o pagamento, logo após algum atraso, as entidades recebedoras deveriam ser OBRIGADAS a devolver imediatamente qualquer pagamento indevido.

  8. Luís Silva says:

    CUIDADO COM AS SEGURADORAS!
    1- Ao mudar de carro fiz nova apólice. Pediram-me a 1.ª prestação a dinheiro. Paguei-a, mas não me livrei de me sacarem outra vez o prémio do banco.
    2- Eu pagava o seguro à minha filha. Anulei o seguro e este passou a ser pago por ela. Ao final das contas: pagava ela e pagava eu.
    3- Desisti de outra Seguradora. Anulei o contrato. Mas não me livrei de me sacarem o prémio. Pagava da nova Seguradora e da Seguradora com contrato anulado. Se não dou conta da qui a 5-10 anos ainda me andavam a mamar o dinheiro. Como é possível que o banco lhe passasse o dinheiro sem um novo contrato assinado?
    P.S. Essa de chamarem prémio de seguro também tem piada. Prémio só se for para eles… que estão sempre prontos a receber mas a pagar não.

    • censo says:

      Se permite acesso à sua conta bancária…então tem de controlar a conta bancária. Mas qualquer débito indevido, ou que considere indevido pode ser devolvido de imediato. Basta pedir ao banco que o faça. Como é que anulou o seguro? Sei de muita gente que pensa que basta anular o débito direto para cancelar o respectivo serviço, espero que não seja o caso.

    • Rui says:

      Luís? Não diga essas coisas que parece mal!
      Pode acontecer pagar ao mediador em dinheiro e este já não conseguir cancelar a ida ao banco, porque é a companhia quem controla. Mas é reembolsado até 30 dias depois, ou então basta que peça ao banco para devolver-lhe o dinheiro e é imediato! (não percebi é porque deu o NIB e ao mesmo tempo pagou em dinheiro!!!!!!)
      Quanto ao cancelar o seguro…. só o pode fazer de 2 formas e antes de chegar ao fim do contrato, ou com a venda da viatura ou perda total, caso contrário só pode cancelar no fim do contrato (normalmente no fim do ano). Actualmente basta não efectuar o pagamento e o prémio de seguro é cancelado de imediato!
      Essa história do senhor pagar o seguro e a sua filha outra vez o mesmo seguro…. só concebo que tenha 2 apólices para o mesmo carro, ou o mediador que fica-lhe com o dinheiro! Ao receber o recibo, indica lá a forma de pagamento!
      Não será por causa de um carro em seu nome, mas quem conduz é a sua filha e ela fez um seguro para pagar ela (ilegal, porque o seguro só pode ser feito em nome do dono do carro, excepto os casais e os seguros de frota) e o senhor tinha outro seguro?
      É que normalmente os pais fazem seguros de carros dos filhos, porque estes com menos de 5 anos de carta e menos de 25 anos de idade, pagam o triplo ou o quádruplo do valor do seguro! O que é correcto é quando muito e se os filhos têem menos de 25 anos e têem a mesma morada dos pais, estes últimos podem ter um carro em nome deles e um seguro também em nome deles, mas quem conduz é o filho(a). Isso é o limite da legalidade, caso contrário, basta que a morada seja diferente ou o carro esteja noutro nome do que o segurado e a apólice é imediatamente nula!
      Já agora, se não tiver a inspecção do carro em dia, não há nenhum seguro que pague o que quer que seja!
      Veja lá se não é um dos casos que descrevo!

  9. A. Barreira says:

    Já autorisei esse tipo de pagamentos, mas a partir de que tive problemas com a e do, fui ao Banco cancelei todos os pagamentos, pago tudo via net , na claridade sem saí de casa ….

  10. falcaobranco says:

    Isso é simples de resolver… qualquer debito directo que a pessoa não quer é ir ao MB ou mesmo online, cancelar o debito directo!

    Se tiver algum problema é contactar o banco directamente ou e a entidade em questão… já me aconteceu tirarem-me a mensalidade do carro duas vezes e o banco devolveu-me o €€, apenas 3 dias depois de ter enviado um email.

    Mas cada vez que posso, cancelo os débitos directos!

  11. Rodrigo says:

    Facilitem os pagamentos. Custa muito a uma entidade inserir um qr code nas faturas, onde após lido, por exemplo pela app MBWay fazemos de imediato o pagamento? As empresas podem ser muito boas em certas coisas, mas em termos de facilitar a vida de coisas tão simples de implementar devido a certos comodismos, ainda somos bastante retrógrados.

  12. Daniel says:

    Nunca tive problema com o débito direto, pelo contrário. Uma vez por atraso na ativação do débito direto recebi a referência multibanco para pagar, atrasei-me um dia, e lá tive uma penalização de 5 euros!

    O problema é que há pessoas que tem valores a cair mensalmente na conta e nem dão conta, já ouvi falar de vários casos desses, ai sim, o débito direto pode ser um problema.

    Eu prefiro ter débito direto, é mais simples, rápido e sem esquecimentos. Claro que olho sempre para as faturas a ver se o valor é o normal, e vejo todos os movimentos bancários.

  13. César Oliveira says:

    Eu sou absolutamente contra o débito directo.
    Eu gosto de ser eu a fazer os meus pagamentos.

  14. pedro says:

    Se calhar eu já devia saber isso mas, à semelhança do que a Google e Facebook fazem – listar todas as apps com acesso ao perfil e/ou conta – há alguma sítio (ex.: netbanking) onde se possa ver todas as entidades com débito direto autorizado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.