Quantcast
PplWare Mobile

Tags: tecido

Empresa de Ovar criou “tecido não tecido” que mata vírus em 15 minutos

Foi a 11 de março que a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de pandemia por COVID-19. Desde essa altura que os números da doença têm crescido significativamente, apesar de já existirem algumas soluções para tentar controlar a pandemia.

Portugal também está na investigação de soluções e tem até uma vacina que deverá chegar em 2022. Recentemente uma empresa de  Ovar criou “tecido não tecido” (TNT) que mata vírus em 15 minutos.

Empresa de Ovar criou "tecido não tecido" que mata vírus em 15 minutos


Cientistas criaram material com memória semelhante à do cabelo

Qualquer pessoa que já tenha modelado o cabelo sabe que a água é, nesse momento, o seu pior inimigo. Por exemplo, quando um cabelo esticado com uma prancha entra em contacto com água, logo se desfaz num caracol ou num frisado inoportuno. Isto acontece, porque o cabelo tem memória de forma e é constituído por queratina.

Quão interessante seria se fosse possível trabalhar esta memória noutro tipo de materiais? A resposta chega-nos de Harvard.

Cientistas criaram material com memória semelhante à do cabelo


Investigadores de Harvard criam um tecido robótico flexível [vídeo]

Uma equipa de investigadores da Universidade de Harvard criou um tecido robótico flexível. Este equipamento foi baseado em têxteis e tem a capacidade de se autoregular, sem necessidade de ligação a dispositivos externos.

Esta tecnologia poderá ser aplicada para diversas finalidades, como por exemplo almofadas responsivas para cadeiras de rodas.


Cientistas desenvolvem o primeiro tecido que arrefece ou aquece automaticamente

Estão permanentemente a ser desenvolvidas tecnologias que a confeção têxtil tem aproveitado. Surgem novos tecidos, novas formas de fabricar vestuário e isso eleva quer a qualidade, quer a diversidade de utilização.

Este novo tecido desenvolvido pelos cientistas da Universidade de Maryland, é o primeiro têxtil a alterar automaticamente as propriedades para reter ou libertar o calor, dependendo das condições.


Cientistas usam maçã e criam tecido humano para transplante

Sim, são maçãs daquelas que come quando lhe apetece e não tenha dúvidas que a tecnologia vai mostrar a maçã de outro ponto de vista.

Para o biofísico canadiano Andrew Pelling, a maçã pode servir para ajudar “produzir” uma orelha para um ser humano… e não só!