Quantcast
PplWare Mobile

Tags: ispace

NASA já tem o primeiro fornecedor de solo lunar. Está aberta a “loja da Lua”

A NASA fechou no ano de 2020 contratos com várias empresas para recolherem amostras lunares. Pelo solo lunar recolhido, a agência espacial norte-americana disse que pagaria de 1 dólar a 15.000 dólares. Agora, o Japão emitiu a primeira licença de sempre para conduzir atividades comerciais na Lua, o que poderá mudar a face da exploração do nosso satélite natural.

Esta ação, na verdade, abre um precedente perigoso para a futura exploração de recursos espaciais. Este é o primeiro passo para transformar a Lua num “mercado”.

Ilustração da exploração do regolito da Lua pela ispace para vender à NASA


Empresa japonesa quer investigar a exploração de minério na Lua

O novo desafio para as potências deste mundo é desafiar as fronteiras de novos mundos. A tecnologia despertou há muito a vontade de sair desta aldeia global em que se tornou o planeta Terra e há já quem queira entrar numa odisseia industrial à escala espacial.

Este é o desafio a que se propõe uma empresa nipónica que se chama ispace. A ideia desta companhia é colocar no satélite natural da Terra um veículo robótico pioneiro que investigue a existência de recursos minerais na superfície lunar.

pplware_hakuto-rover-tetris