Quantcast
PplWare Mobile

Tags: Agencia Espacial Europeia

ESA apresentou primeiro parastronauta: “viagens espaciais podem ser para todos”

Caminhamos para um mundo inclusivo e até no espaço todos podem ter lugar. Apesar de ter visto a sua perna direita amputada, após um acidente de mota, John McFalle vai poder ir além da Terra.

Este é o primeiro ‘parastronauta’ escolhido pela Agência Espacial Europeia (em inglês, ESA).

John McFall, ao centro, é o primeiro parastronauta escolhido pela ESA


ESA irá contratar pessoas com problemas físicos porque o espaço é para todos

A ESA (Agência Espacial Europeia) não contrata novos talentos frequentemente mas, quando o faz, é perspicaz na escolha dos mesmos e capaz de pensar além do comum.

A última ronda de candidaturas para um novo grupo de astronautas da ESA foi encerrada e a Agência espera tornar-se a primeira de sempre a contratar um astronauta com deficiência física.

Imagem astronautas


Moonlight: Europa planeia instalar satélites à volta da Lua

Embora os nomes mais sonantes na exploração do espaço sejam os Estados Unidos, a China e a Rússia, a Europa não está parada e vai surgindo com novidades. A Agência Espacial Europeia apresentou, agora, um plano para colocar satélites em órbita em torno da Lua.

No futuro, este projeto poderá facilitar as missões que se realizem eventualmente.

Imagem crateras da Lua que poderão ser muito metálicas


O módulo Philae estabilizou e já enviou as primeiras imagens

Depois de ter pousado com sucesso no solo do cometa 67P, o módulo Philae alertou o planeta Terra para a instabilidade da sua fixação ao cometa.

Contudo, para alívio de toda a equipa da Agência Espacial Europeia, parece que o módulo já estabilizou e já enviou as primeiras imagens capturadas a partir do cometa.

Imagem: ESA


Philae pousou com sucesso no cometa 67P

Esta missão histórica poderá ajudar a perceber a origem da vida na Terra.

Dez anos depois da sonda Rosetta ter sido lançada e de ter chegado junto do Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, a 6 de Agosto de 2014, o módulo robô Philae foi separado da Rosetta esta manhã e efectuou uma viagem de 7 horas até “aterrar” com sucesso no cometa.

Philae_1