PplWare Mobile

Equipa do VLC rejeita problemas de segurança no seu leitor multimédia


Autor: Pedro Simões


  1. Spoky says:

    Fácil se querem evitar, quaisquer problemas, utilizem GlassWire firewall e bloqueiem o VLC de ter acesso a Internet bem simples.

    Só quem usa para stream a que vai ter problemas. De resto utilizem um firewall e rapidamente resolvem e ficam seguros. Basta adicionar o programa e bloquear o tráfego vindo dele.

    Além disso com o GlassWire firewall sabem que tipo de conexões é feita e existe um controlo maior de conexões, rede etc

    Recomendo o GlassWire firewall para mim um dos melhores com uma ótima interface.

    • Alexandre says:

      Glasswire é pago

    • Miguel Costa says:

      Para que paga 129 euros por essa coisa, quando a firewall do Windows faz ainda melhor?

      • Luis says:

        O problema é que nem todos confiam no firewall do Windows, além de não ser nenhum pouco user-friendly como o Glasswire.
        Já foi provado que se você bloquear hosts do Windows através do próprio Windows, o mesmo não é bloqueado. Por isso, necessita de algo de fora (third-party app) para tal feito.

        • Samuel says:

          A firewall do Windows é a pior firewall do mundo.

        • PauloT says:

          Concordo, no entanto pelos testes que efetuei, desde que coloques a lista todos os IP’s e servidores, não faças updates e não tenhas o login do pc a sincronizar com a microsoft, ficam todos bloqueados, incluindo os updates.

          O problema é que todos os dias aparecem servidores novos alguns dos quais que passam por serviços de 3ros, sendo cada vez mais dificil atualizar a lista de host.

    • Billy says:

      Se correres um ficheiro (por exemplo .mkv) que comprometa o sistema operativo para que serve bloquear o acesso do vlc á internet?!

  2. Asdrubal says:

    Que engraçado, eu também rejeito as falhas de segurança do VLC. Deixo de utilizar. 😉

    • Josué says:

      Essa falha de segurança nem era do vlc mas de uma biblioteca do projeto matroska (.mkv) que era utilizada e que foi já corrigida há mais de um ano. Ou seja os chicos “scientistas” espertos andavam a utilizar uma versão do vlc antigíssima. Nem vou falar da atitude pouco profissional de nem terem contactado os devs do vlc… como em várias áreas existem ovelhas negras que querem ganhar notoriedade à custa dos outros.

      • Miguel Costa says:

        Neste caso a versão do VLC estava certa. O problema é que o Ubuntu não actualiza os codecs automaticamente. Exige que sejam os utilizadores a faze-lo. Foi o que aconteceu. A equipa tinha as máquinas, actualizou o programa e foi à procura de falhas, encontrou aquela e vá de chamar a atenção para o seu trabalho. Correu mal, porque qualquer pessoa que use uma distro de Linux, deve fazer actualizações semanais (na pior das piores hipóteses) ou mensais, a todo o sistema operativo. Só que terem 2000 especialistas com 4000000 doutoramentos, não lhes ensinou essa situação.

    • Paulo Martins says:

      Claramente um comentário de quem não leu o artigo, a equipa do VLC não se limitou a rejeitar a falha de segurança mas demonstrou que a falha reportada não era do VLC e já não existe há mais de um ano.

  3. PauloT says:

    E que tal a firewall SimpleWall do https://www.henrypp.org/

  4. SANDOKAN 1513 says:

    Segundo li nestes últimos dias esse próprio funcionário/engenheiro da VLC disse que esta era uma “fake news”,que não havia nenhuma vulnerabilidade.Ainda bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.