PplWare Mobile

Projecto Colibri e a Reforma do Regime de Facturação em 2013


Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

56 Respostas

  1. Carlos C. says:

    isto vai bonito para quem já tem uns 50 anos e nunca trabalhou com computadores.

    • M.Manuelito says:

      Não vai ser fácil não! Mas estou certo que o mercado encontrará soluções que simplifiquem, na medida do possível, a emissão de faturas por parte das pessoas que nunca mexeram num computador. E então as pessoas que têm um negócio há décadas, fazem as continhas de cor, mas não sabem ler?

    • Eduardo says:

      Fazendo parte de uma pequena empresa em que até estamos a usar o colibri posso dizer que é um processo de adaptação penoso. Temos o colibri à uns 4 meses, foi feito um manual de utilização e dada formação. Ainda assim ninguêm quer passar facturas ou porque o teclado é pequeno e não se consegue escrever no computador, porque a impressora não funciona (por vezes desligam o usb), porque não há tempo para passar as facturas ect.
      O maior problema que detectei é que com empregados sem conhecimentos informáticos a capacidade de resolução dos problemas mais básicos é nula… aconteceu-me uma empregada telefonar-me porque não conseguia editar o texto da factura – resolução: clicar 2 vezes em vez de 1 no icon.

      Por isso sim, acho que vai ser muito dificil e dar muita dor de cabeça a muita gente durante um tempinho valente

      • Antonio Pedro says:

        Não deves estar a usar o Projecto Colibri.. vê bem… estou a usar e aqui é simples, funciona 5 estrelas. E pelo que tenho lido não há queixas. Já reportaste a situação à equipa da aplicação?

        • Paulo Brinca says:

          Creio que o que foi colocado em causa foi a capacidade dos utilizadores e não o software Colibri…

        • eduardo says:

          O problema não o colibri, que um software bastante simples até (embora tenha um grande problema com os códigos postais). O problema é quando existe uma equipa sem conhecimentos básicos de informatica (ir ao email, escrever no word…) e pior, sem vontade e tempo de aprender. Por mais simples e intuitivo que um programa seja, se o utilizador a passa um recibo porque em vez de clicar uma vez tinha de fazer duplo clique torna se complicado. Eu pelo menos estou a ter dificuldades

          • Vítor M. says:

            Como? Aquilo é tão simples. Mas são pessoas que têm poucos conhecimentos ou pessoas básicas de todo as que trabalham contigo?

            Pelo que estou a perceber é mesmo “groud zero”, pois o software é mesmo muito intuitivo e tem online N de guias práticos.

      • Oscar Marques says:

        O colibri não é o mais simples que existe, não querendo dizer que é complicado, porque isso é muito subjectivo e depende de muitos factores.
        O pior factor é sem duvida a resistência à mudança.

      • Eduardo says:

        são pessoas formadas até, com mais de 50 anos que não têm tempo nem paciência para ler manuais. Têm aquela atitude do “isto da informática só vêm atrapalhar e temos o dobro do trabalho”. Por mais que se diga e explique a coisa não entra, ou melhor, vai entrando muito devagarinho. Nem quero pensar quando chegar o ponto de substituir as agendas de marcações para o formato electrónico

        • Vítor M. says:

          Aaa percebi, pois compreendo, mas sabes o que eu fiz numa empresa com pessoas também nessa faixa etária e, principalmente porque estavam há muitos anos noutra suite?

          Fiz uns videocast. Quando tinham dúvidas viam os vídeos. Em pouco tempo estavam PROs em Colibri e não só, pois alteramos vários software pagos de gestão de mail e outros programas de produção por aplicações gratuitas e as pessoas tiveram de receber ajuda para minimizar o impacto.

          Mas percebo o que o Eduardo está a referir. Mas atenção Eduardo, as pessoas já com essa maturidade têm um poder elevado de intuição, perdem numas coisas mas ganham noutras.

          • Eduardo says:

            Sim, isso dos videocasts é capaz de ser uma muito boa ideia e vale a pena tentar. Diz-me só uma coisa se puderes, para gestão de mail foram para o thunderbird?

    • Bravellir says:

      Quase tão bonito como para quem tem 50 anos e anda para ai com um IPAD nas mãos >:)
      Difícil é o pessoal perceber que tem mesmo de cumprir a lei. Depois, tudo o resto é fácil.

  2. Tomás Gonçalves says:

    o problema é que se torna um bocado estúpido fazer uma factura para um café. Este programa não permite POS com talão de caixa.

    • djx says:

      Assim por alto,
      existem 10.5 milhões de pessoas em Portugal.
      Imaginando que a média dos que consomem café é 50% e que tomam também, em média, 2 cafés por dia.
      Temos 10.5 milhões de cafés consumidos a uma média de €0.7 cada um, sendo 23% para IVA, ficamos com 10500000*.7*.23=1690500.
      Vá como fiz as contas por cima, são 1.5 milhões de euros…
      Achas estúpido 1.5 milhões de euros por dia do IVA dos cafés ou não teres reforma amanhã?

      • nelsonjma says:

        Achas mesmo que o dinheiro do IVA vai para as reformas, se isso fosse assim tão bem usado não estávamos nesta condição, como estamos hoje.

        Tendo em conta a forma como o estado usa os dinheiros públicos não censuro as pessoas por tentar fugir. É deplorável a forma como o dinheiro dos contribuintes é mal gasto e as artimanhas que o estado usa para sacar ainda mais dinheiro as pessoas.

      • Joel Paiva says:

        Ladrão que rouba ladrão, tem 100 anos de perdão!

        • Rui says:

          Pela tua lógica da batata já ninguem pagava impostos e o estado tal como existe seria apenas uma vaga memória pois sem impostos não há estado, certo?
          Ou só alguns é que poderiam fugir aos impostos?????

          • nelsonjma says:

            já agora não é lógica da batata, isso é uma frase desapropriada e de mau tom, eu não referi em lado nenhum que se deveria de deixar de pagar impostos(le melhor o texto) e sim que o dinheiro é muito mal gasto, não se consegues dizer com certeza onde é aplicado e se bem aplicado.

            O que eu digo sim, é que devia de haver uma reflexão sobre para onde o dinheiro actualmente está a ir e se a forma como está a ser aplicado é correcta.

          • Rui says:

            @nelsonjma, e dizer que não censuras quem foge aos impostos é apropriado e de bom tom???

            Tem paciencia, mas a fuga aos impostos é tão deploravel quando a utilização indevida de dinheiros públicos!

      • José Maria Oliveira Simões says:

        1º Quanto mais impostos o Estado conseguir cobrar, mais dinheiro tem para esbanjar. Isso mesmo, esbanjar !

        2º Reforma amanhã ? Com os desvios do nosso dinheiro dos nossos descontos ? O Estado é o fiel depositário do dinheiro das nossas reformas. Mas porta-se muito mal, ao gastar aquilo que não lhe pertence. Isso confere crime de dolo. Não se esqueça que o Estado nacionalizou os descontos das reformas, para os políticos ganharem as eleições, quando ofereceram reformas para todos. Mesmo para aqueles que de livre vontade nunca quiseram descontar ou pôr de parte algum para a velhice.

        3º Não se esqueça que o Estado é um poço sem fundo, ou melhor, tem as algibeiras rotas. Recebe o nosso rico dinheiro e é um ar que se lhe deu. Desaparece em três tempos. (ou talvez, até em menos tempo). É só o tempo de o diabo esfregar um olho. Um ápice.

        4º Quanto mais carregarem nos impostos, mais falências haverá. Mais desempregados. Mais fome. Mais emigrantes a procurar melhorar a vida lá fora.

        5º Sempre ouvi dizer que o exemplo vem de cima. Se houver políticos corruptos e a comportarem-se como malfeitores, e moralmente irresponsáveis, não vamos muito longe. Já ouviu falar no mensalão no Brasil ? Olhe que aqui em Portugal, não é muito melhor.

        6º Não ouviu falar na economia informal ? Sabe o que é ? Sabe qual o impacto sobre uma economia ? Sabe porque é que as pessoas fogem ao pagamento de impostos ? Porque sentem que estão a ser lesadas e roubadas. É tão simples quanto isso. E mais simples é de perceber quando uma pessoa perdeu os seus bens com as nacionalizações.

        7º Estamos actualmente num uma ditadura feroz. A ditadura financeira e eletrónica. Não pague o IVA, e é em três tempos que tem multas para pagar. Note que as finanças está-se bem borrifando para que você tenha ou não dinheiro para dar. Ou você dá de livre vontade, ou então dá à força. É como um mafioso que lhe entra pela loja a dentro de arma em punho e vocifera, «O dinheiro da caixa, já !» Você nem vai ter muito tempo para pestanejar, quanto mais para respirar.

        8º A tecnologia tem que estar ao serviço do homem, não o contrario. A tecnologia deve servir o bem comum, não o contrario. Não é licito usar a tecnologia para escravizar os outros, que é o que estamos a assistir. Não é que a tecnologia seja em si má. É mau, é o uso que lhe dão. E contra isto, não há argumentos.

        9º Aonde está a pesada herança fascista ? As toneladas de ouro que estavam no Banco de Portugal ? Desapareceram, não é ? Como manteiga, nariz de cão ! Evaporaram-se ! Para que bolsos foram parar ? Nos meus não foram ! Mas para algum lado foram.

      • Perguntador says:

        Fizeste contas aos cafés tirados nas “vending machines”?? Acho que essas não passam factura…

      • cucumata says:

        É melhor aprender a fazer contas, ainda bem que não trabalhas para o estado, digo eu. Então vamos achar o valor do IVA correctamente e de mode simples, usando a tua forma, 10.500.000×0.7=7.350.000 com IVA, agora vamos achar o valor sem IVA, 7.500.000/1.23=6.097.560,98, agora vamos achar só o valor do IVA, 6.097.560,98€ x 0.23 = 1.402.438,80€. Fácil não?

      • Zé Gaspar says:

        Acho que o IVA nada em haver com a minha reforma nem a de ninguém, logo o estúpido és tu. Acho que a média do café nunca será de 0,70 €, outra estupidez, média será + – 0,50 € pois nem todos frequentamos os cafés que tu frequentas. E a burrice maior é querer fazer contas e não saber, portanto és estúpido em todas as frentes. Se a média de café a teu ver é de 0,70 € e ainda tentas aplicar o IVA + 23 % fica sabendo que ninguém irá consumir a esses preços. Nem todos dispomos da tua riqueza orçamental, não é que seja má ideia, não é, mas tu de certeza não estás apto abdicar de esse teu conforto orçamental em detrimento de outros. AS tuas contas são as seguintes 0,70 € X 0,23 % = 0,16 € Total de cada café 0,86 €. IVA 0,16 * 10.500.000,00 de cafés sendo 2 consumos por metade da população nacional.Será de 1.185.000,00 diario mas como os cafes vendidos em média são de 0,60 € iva incluido o estado já recebe menos 0,05 € de imposto que passou a ser de 0,11 €, como todos os comerciantes pagam no acto de compra da matéria prima no minimo 50 % do imposto do IVA aos grandes grupos Multinacionais porque será que serão eles os primeiros a fugir e não os grandes senhores. Ainda no decorrer deste ano de 2012 os grandes grupos do sector da grande distribuição Alimentar foram sujeitos a que os seus programas de facturação fossem CERTIFICADOS, estamos a falar de valores astronómicos de faturação diária e empresas com uma equipa de informáticos capaz de fazer milagres sem ajuda dos Santos, e por onde anda esse dinheiro, fácil é falar do pequeno comerciante que desvia 20,00 € se desviar que eu nem acredito que seja assim. Mas vou lhe dar um exemplo, na província a + – 70 km de Lisboa em zona rural pequenos merceeiros que ganham 2 € por bilha de gás e prestam apoio a uma população escassa nessa zona em que nenhum abutre da grande distribuição se pretende instalar, vende 20 botijas de gás mês, se vender, mas vamos partir do principio que talvez venda, e vamos admitir que ganha limpos 40 € com o negocio pois fugioooo ao fisco….. Vai ter que adquirir um programa para informar as finanças que vendeu 40 bilhas de gás e que o seu rendimento deixou de fazer sentido porque em vez de esgravatar 40 € á socapa desiste de vender gás e prefere não fazer nada, em fez de começar a ter de pagar para trabalhar, já pensou neste pequeno pormenor, de milhares de pessoas que não dispõem de nada para viver, uma reforma rudimentar tentam sobreviver na EUROPA com sustentos reduzidos e com medicamentos, consultas, transportes, energia e produtos de primeira necessidade mais caros que a média EUROPEIA. Pensou alguma vez que podia ser um seu familiar ou você ? Pensou? Desculpe estar ofender já me tinha esquecido você não pensa….

    • LP says:

      Nem por isso… pagas o IVA do café… e o que dizer de um café que só venda praticamente… cafés? Tudo o que é vendido é declarado, é justo e nada estúpido… se todos pagarem, pagamos menos (impostos).

      • Tiago says:

        Se todos pagarmos mais eles gastam. Assim é que é. A economia paralela em Portugal vale a olho 50% do PIB.
        A solução seria baixar os impostos para valores razoáveis e por toda a gente a pagar. Basta imaginar um camião que carregue 100 mil euros de mercadoria: se fugir ao IVA são 23 mil em caixa. Se fossem só 10 mil de IVA acredita que, para este caso, a maior parte das pessoas já não corria o risco. Neste momento precisavamos era de baixar radicalmente os impostos para incentivar a economia e atrair investimento sério.

        • nelsonjma says:

          Não me parece que os senhores no parlamento estejam muito interessados em baixas os impostos, só daqui a +/- 3 anos, para as próximas eleições, ai sim devemos ter baixa de impostos, mas por motivos menos úteis.

    • Antonio Pedro says:

      Não permite? eu estou a usar. Gaveta de dinheiro, impressora térmica com talões e em Mac :p

    • Rui says:

      Acho que não perceberam o que o Tomás queria dizer… Este software não é versátil para ter num café e emitir facturas. Existem por aí POS bem práticos para este tipo de talões/facturas e o colibri não é um deles.

  3. Luis Braz says:

    Os meus pais têm um pequeno café.
    Este software será adequado para instalar num pc e substituir a registadora que não emite faturas (apenas emite recibos)?

  4. sergio says:

    Nao tirando o prestigio ao progeto colibri, está errado quando indica que é o unico soft de gestao que se pode moldar á feiçao das necessidades do cliente, pois praticamente quase todos eles o permitem já ha alguns anos.

    • Eduardo says:

      Sim é verdade, uns mais outros menos e alguns tens de esperar dois anos. Felizmente existe algum software de qualidade no mercado, pena que os preços são tão proibitivos, sobretudo para negócios familiares

  5. Galant says:

    Boas,

    E na máquina de ”vending” da empresa quem me dá factura dos cafés que bebo ???

    Cumprimentos,

  6. Rui says:

    Caros, existem muitas alternativas.
    De nada serve ter software barato, ou mesmo grátis sem um verdadeiro acompanhamento (parametrização customização).
    Existem estudos (basta pesquisar), que a utilização de plataformas, sem a respectivo acompanhamento, resulta em frustração por parte dos utilizadores, diminuição da produtividade, valores que ultrapassam a compra de uma solução paga.
    Por isso digo, façam bem as contas antes de adoptarem o dito software “grátis”.

    • Vítor M. says:

      Exactamente por isso digo-vos que o Projecto Colibri é das melhores, se não mesmo a melhor opção. É uma solução portuguesa, ao contrario de muitas que por aí andam, tem uma solução gratuita que funciona perfeitamente para muitos profissionais, é segura, certificada, tem acompanhamento profissional por vários canais e é totalmente parametrizada.

      Além disso tem alguns componentes que são únicos em termos de suites de gestão. Em termos de preço vs qualidade são dos melhores.

  7. Rui says:

    Se assim é…
    Mas não é a única.
    Eu utilizo outra solução “paga” portuguesa e posso dizer que estou 100% satisfeito.

  8. A.Coutinho says:

    Utilizava um Livre mas que na hora da mudança exigiu pagamento … mudei para o COlibri e estou satisfeito .. até nas prontas respostas ás duvidas formuladas … A mudança de processos é que custa … mas não é nada de mais …

  9. jr says:

    Bom dia,

    Seria possivel publicarem o link para o diploma legal?
    Obrigado

  10. Carvalho says:

    Este projecto é fantástico.
    É de louvar que ainda existam pessoas que criam programas livres para uso de toda a comunidade.
    Muitos Parabens

  11. Sugel says:

    Tem suporte a Multi-empresas, então se você é gestor de mais de uma empresa, não se preocupe, tudo é trabalhado diretamente através de um único programa. Faz ainda os relatórios diretos em PDF ajudando o gestor a entregar tudo isso de forma clara e organizada a seus funcionários e clientes.

  12. MRodrigues says:

    Boas

    Será que o pplware podia analisar o OpenBravoPos
    http://forge.openbravo.com/projects/openbravopos

  13. santos says:

    TEm função touch-screen? para cafés e bares

  14. Fernando Alves says:

    Boa tarde, sou empresário no ramo da restauração, e o meu TOC disse-me que tenho obrigatóriamente de ter um programa de facturação que emita o ficheiro “Saft-pt”, na realidade já obti um software de gestão á 1 ano atrás, através de uma empresa chamada Ecobite, na realidade estou muito satisfeito, e como já lido bem com o programa, não queria estar a mudar, a minha questão é se esse mesmo software esta actualizado com o tal “saft-pt”, e se é possivel istalar o programa Saft-pt como complemento ao software que tenho.

    • Meira says:

      Olá Amigo
      Acho que vai ter de desembolsar mais alguns euros porque esse ficheiro tem de ser o proprio programador do programa a criar.
      Eu já fiz actualização à +-3 anos (foi-me dito nessa altura que era obrigatório) gastando quase o dinheiro de uma licença nova, quando este ano o ministério das finanças lembrou-se de fazer alterações e la tive eu de pedir nova actualização do ficheiro saft-pt pagando mais 300€.
      Isto é o que temos.
      Cumprimentos

  15. Gabriel Rodrigues says:

    Boa tarde

    Este programa existe para iPad ?

    Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.