PplWare Mobile

Pagamento por NFC do MB Way já está disponível no Pingo Doce


Daniel Jesus

Curioso desde cedo por tecnologia, procuro aprender e partilhar um pouco mais a cada dia que passa.

Destaques PPLWARE

67 Respostas

  1. just a normal guy says:

    é de notar que na maior parte das lojas do colombo isto nao funciona.testei na fnac nao funciona,testei na springfield nao funciona. e as restantes nem nfc tem disponivel nos terminais de pagamento.

  2. José Canastro says:

    Meh. Prefiro pagar em dinheiro vivo.

  3. Nuno says:

    Este método de pagamento tem algum custo para o utilizador que efetua o pagamento ?

  4. Rui Pereira says:

    Já faço pagamento por NFC à bastante através da aplicação SEQR, que é para mim um aplicação bem mais simples de usar.

  5. Moto G5 Plus says:

    Já utilizei o MB Way em dezembro do ano passado num pingo doce em Gaia.

  6. Miguel Fernandes says:

    “Esta é a primeira empresa a implementar esta tecnologia nas suas lojas,”
    Esta afirmação é falsa, os novos dispositivos de cartão multibanco do Novo Banco já permitem a qualquer empresa desde dezembro, cobrar as compras ao cliente por mbway, bastando que para isso o cliente indique o numero de telemovel no momento de pagamento.
    Outro Exemplo é a H3 que já tem isto à totil…

    • Daniel Jesus says:

      Isso é por número de telemóvel tal como o jumbo tem. Neste caso não há números de telemóvel, só encostar o telemóvel como se de um cartão contactless se tratasse.

      • Pedro says:

        Daniel.

        Desde que o equipamento seja compatível com NFC (android não rooteado) e tenha como método pré-definido o pagamento via MB Way que está disponível em qualquer POS que tenha NFC.

        SEQR que tem NFC há um ano já faz pagamentos por NFC em qualquer POS com esta tecnologia.

        A SIBS pode dizer o que quiser… mas a verdade é esta!

        • Marco says:

          Não é bem verdade porque ja tentei pagar com o MB Way por nfc e tive o erro “erro na leitura do cartão”.
          O PD foi um caso dos que testei.

          • Shaitan Fernandes says:

            Isto parecem maluquinhos a falar uns com os outros. Um fala de uma coisa, o outro responde a outra…

  7. Tiago says:

    Já fiz o pagamento por nfc do mb way no continente e worten em dezembro.. portanto não é uma exclusividade do pingo doce.

  8. André Luz says:

    E para quem tem Android sem NFC, como por exemplo o Oneplus 2? Não dá para fazer pagamentos confirmando a transação na app MBWAY, como acontece no Colombo?

    • Helio says:

      No Pingo doce, somente por NFC, tentei hoje de manhã.
      Como o meu equipamento também não tem NFC, tive de pagar doutra forma.
      No Jumbo também funciona e sem NFC

  9. Miguel Magalhaes says:

    Excelente! no Reino Unido pagamentos por NFC estao vulgarizados há mais de 2 anos mas nunca consegui utilizar em Portugal…

    Tirando o MB Way nao é possivel pagar por associacao do cartao debito Visa Electron ao smartphone?

    APenas o Pingo Doce tem sistema contactless nos terminais pra já é ? Ou só o Pingo Doce aderiu ao sistema MB Way?

    FIquei com estas duvidas ao ler o artigo 🙂

    • Daniel Jesus says:

      Já existe o sistema contactless para cartões. Agora aos poucos está a ser também disponibilizado para o MB Way. De momento ainda só no centro comercial Colombo e nas lojas pingo doce é que é possível

      • Pedro Silva says:

        Não é verdade. Desde dezembro foi disponibilizado pela Sibs a configuração dos tpas para aceitar mbway. O equipamento tendo o módulo de contactless faz também NFC. Para fazer contactless o tpa tem de ter contrato visa!
        Os terminais estão a receber actualizações de software que activa o módulo.

        Portanto tpa que tenha contactless faz mbway
        Tpa com visa e módulo de contactless faz mbway e contactless
        Tpa sem módulo de contactless não faz mbway nem contactless

    • António Fagundes says:

      Para cartões já temos disso ao tempo, os macdonalds devem ter sido os primeiros.

  10. Helio says:

    Pagamentos com MBWay no Pingo Doce só exclusivamente com NFC.
    No Jumbo, paga-se nas várias formas com MBWay

  11. eu says:

    Por acaso o meu smartphone tem NFC porque foi um requisito meu quando comprei este último para uma outra necessidade no entanto tive imensa dificuldade em conseguir encontrar um modelo dual sim com NFC dentro de preços que eu considero razoáveis, pelo que estou convencido que a percentagem de pessoas que irão utilizar o sistema será reduzida:
    1 – Só quem usa Android (uma fração usa iPhone);
    2 – Só quem tem um Android com tecnologia NFC (a grande maioria não tem NFC);
    3 – Só quem tem um Android com tecnologia NFC e usa a App MB Way (se falar nesta App, a probabilidade de 1 em 10 pessoas conhecer é entre 0 a 1);
    4 – Só quem tem um Android com tencologia FC + App MB Way e que está ciente desta nova possibilidade e pretende usar.

    Eu vou testar em breve.

    • Filipe F. says:

      O teu ponto 1: garante 85% dos telemóveis em Portugal portanto zero problemas, é uma maioria quase total
      O teu ponto 2 : de certeza que dos telemóveis Android que aí aindam têm NFC, portanto não há problema. o NFC é uma coisa padrão até nos telemóveis de gama baixa (150€ para cima)
      O teu ponto 3: Aqui sim está o problema. Utilizadores MBWAY, e esta estatistica é facil, não sendo totalmente assim porque alguma percentagem de pessoas pode ter instalado e não usar, mas segundo os downloads na playstore são mais de 500 mil
      O teu ponto 4: Penso que quem usa Mbway sabe para que serve e o potencial, e dado que apesar de existir ha 2 anos a app penso eu, o boom dela começou há poucos meses.

      Agora é esperar que passe na TV. Muita gente também tem conta no banco e usa dinheiro vivo par pagar em vez do cartão. A taxa de uso do MBWAY será sempre inferior à de utilizar um cartão, mesmo quem conheca a app pode não querer usar.

      • carlos says:

        Filipe, tenho 1 telemovel que saiu ano passado que ainda custa 240€ e não tem NFC….

        • eu says:

          É verdade.
          O Filipe F. pode nunca se ter deparado com o problema e por isso não estar a ver na mesma prespectiva mas eu precisei de NFC para outra necessidade e vi-me muito limitado nas opções, uma vez que não quis pagar mais do que 250 €.
          High-End têm de trazer tudo e mais um par de botas pelo que não entram para a equação mas na gama média que provavelmente será a maior (se não mesmo a gama baixa), o NFC não entra na grande maioria dos casos e no meu ver faz sentido na prespetiva do fabricante pois para uma gama média/baixa, vão investir apenas naquilo que a grande maioria procura mais e o NFC deverá estar no fim da lista.
          Por muito barato que o chip NFC possa ser, são sempre esses euros que poupam na produção.

          • Daniel Jesus says:

            Grande parte dos modelos de gama média da Huawei (os lite) tem NFC

          • eu says:

            Daniel Jesus, foi precisamente um Huawei P9 Lite que comprei na altura, que tem dual sim, NFC e custou menos de 250 €.
            Aliás, salvo erro, foi a única opção que cumpriu todos esses requisitos.
            Posso dizer que tem sido o meu melhor smartphone.
            Atualizações constantes (ainda há 2 dias recebi uma), uma câmara fantástica e a bateria dura mais do que um dia (WiFi sempre ligado, 4G ocasionalmente e NFC permanentemente ligado).

  12. Marco says:

    Cada vez mais … dinheiro vivo.

  13. SSilva says:

    Estou curioso quanto à alternativa que irão fazer para iOS..

    • Filipe F. says:

      Já existe, a app MBWAY no iOS faz pagamentos ”NFC” em que usa a camera e lê um Código QR. É uma solução menos simples mas dadas as restrições que a Apple faz ao uso de algum hardware é o possível e nunca será tão pratico como no Android

    • eu says:

      Pensei o mesmo.
      Sempre que falam em alternativa ao NFC em iOS é algo manhoso.

  14. Belmiro says:

    Ainda não consegui entender porquê utilizar o telemóvel quanto há cartões contactless que não usam nem bateria, são mais pequenos e leves. Modas…

    • André Luz says:

      Então mas já andas com o telemóvel de qualquer das formas, assim escusas de andar com os cartões também. Já o inverso não é muito prático… é por uma questão de simplificar as coisas. Mas sim, não deixam de ser modas, mas dentro das modas que existem penso que esta seja uma boa moda.

    • eu says:

      Não acho que sejam modas.
      Compras on-line já, passam pelo MB Way (ex MB NET), logo porque não centralizar tudo ?
      Andamos com a carteira recheada de cartões (um pedaço de plástico obsoleto e mau e totalmente desnecessário para o ambiente em 2018) mas claro que a evolução requer sempre andar 2 passos para a frente e 1 para trás, por vezes derivado ao mau planeamento e por outras derivada aos velhos do restelo mas mais cedo ou mais tarde acaba por vencer, deixando alguns pelo caminho porque não deixaram a visão turva ver o que ai vem e se adaptarem (uma seleção natural).
      Possivelmente algures no futuro iremos olhar para isto como um primeiro passo daquilo que foi eliminar a carteira física (como tantas outras etapas do progresso humano).

      • Belmiro says:

        Essa evolução via telemóvel está conectada à internet, mais suscetível de haver hackers ou código malicioso a monitorizar, além de que se ficas sem bateria não pagas. O cartão não depende de bateria e é muito mais fino. Muita gente tem capas de telemóvel que albergam cartões….

        Cartões de fidelidade tipo dos supermercados e proliferam como vírus, esses sim deviam acabar. Os de débito e crédito também irão acabar mas são mais práticos.

        • eu says:

          Sim, o telemóvel é um alvo a hackers, incontestável !
          No entanto (e os moderadores corrijam-me se tiver errado pois ainda não tive oportunidade de testar), este procedimento não requer qualquer ligação à Internet, uma vez tendo a App previamente programada com o cartão (PS: É possível configurar facilmente a App do MB Way para pedir pass logo à entrada como eu fiz).
          Em relação aos cartões não serem infalíveis, não é bem assim.
          Antes do Natal, a máquina ficou-me com o cartão e fiquei aflito porque precisava de comprar um presente e demorou mais de 2 semanas a receber um novo mas claro que estamos a falar de um caso pontual e o cartão é menos susceptível de problemas de pirataria mas isso não impediu de hoje em dia termos todos os bancos com acesso online e uma grande parte das pessoas consultarem o extrato online e efetuarem operações.
          Poder ser mais ou menos seguro e ter factures menos positivos mas acho inevitável, é como remar contra a maré.

      • Velho Do Restelo says:

        Talvez desconheças que o “pedaço de plástico” é na realidade um smartcard com um chip embebido que é como um computador em miniatura que possui o seu próprio sistema operativo e que é dedicado a realizar as operações criptográficas, etc, que permitem o pagamento, tendo além disso a vantagem de ser alimentado também de forma contactless pelo próprio terminal, pelo que funciona sem precisar de bateria.

        Mas pronto, modas. Ah e tal, somos bué progressistas porque usamos uma cena menos prática mas que parece bué avançada tecnologicamente (porque desconhecem que o smartcard que têm na carteira é tudo menos um mero pedaço de plástico arcaico).

    • Joao Campos says:

      Concordo. Só uma coisa, sempre que tento usar contactless com compras superiores a 20€ aquilo pede o PIN e empanca, tenho sempre de pedir ao caixa para repetir e enfiar mesmo o cartão…

  15. Jorge says:

    Já paguei via contactless (NFC) usando o MBWay no Continente do Rio Sul Shopping. Recomendo 🙂

  16. Rodrigo says:

    Testei hoje em 2 Pingo Doces no Algarve e não está a funcionar. No Colombo tinha conseguido à 2 semanas.

  17. Joao ptt says:

    Então sou só eu que estou horrorizado por a malta conseguir furtar super facilmente os dados dos cartões de pagamento via NFC (dos cartões físicos, smartphones, etc.) e utilizar para pagar coisas de baixo valor à custa dos outros (ou até de valor superior se conseguir ver o código a ser introduzido).
    Os bancos dizem para ninguém se preocupar mas boa sorte para conseguirem provar que não foram vocês a fazer a compra perante o banco! E mesmo que por milagre consigam provar ao banco e eles aceitem devolver o dinheiro, ainda terão o comerciante à perna a exigir o dinheiro… só o dinheiro com tribunais vai rapidamente fazer a malta desistir de reclamar, é ser furtado e calar se não ainda paga que dói mesmo tendo razão.

    E não é como se isto fosse propriamente complicado de resolver! Bastava que fosse algo tipo ecrã táctil com as dimensões de calculadora de bolso que exibisse o nome da empresa e qual o custo da operação e depois conforme as opções individuais do utilizador o mesmo poderia só carregar num botão (aceitar) ou (recusar) ou ter de colocar um código PIN sempre independentemente do valor. O aparelho assinava digitalmente a operação e enviava então via contacto com o terminal ou mesmo sem contacto a informação de volta ao terminal para este depois validar a operação. E até pode permitir por exemplo ter um número quase ilimitado de cartões associados que poderiam ser adicionados via Micro-USB num terminal dos bancos ou em casa via computador por exemplo através de serviços online (paypal, etc.).
    Poderia ter bateria de alta duração recarregável e ser alimentado pelo próprio terminal pela simples proximidade física.
    Isto é fácil de fazer com a tecnologia existente por parte dos fabricantes, e prevenia efectivamente a utilização abusiva daqueles que não tiverem acesso físico ao “cartão” para autorizar a operação em si. Também não existiriam números exibidos que possam ser copiados e usados mais tarde nem nada para extrair via rádio que pudesse ser útil a atacantes (se bem concebido)… mesmo o acesso ao cartão não deveria permitir a fácil extracção dos certificados digitais.

    Para a pessoa era aproximar o cartão do terminal > confirmar os dados de pagamento exibidos no ecrã (código opcional) > receber o comprovativo de pagamento do vendedor > seguir caminho.

  18. Pedro Silva says:

    Primeiro comércio a ter contactless em Portugal foi o lidl faz 2 anos.
    Depois vieram os terminais da Cgd numa promoção ao comerciante com desconto na comissão em contactless!

  19. Nuno says:

    Este artigo relembrou-me uma duvida. Esse cartao (caixa IU) é contacless?
    Apesar de não ter o simbolo, a falar com uma assistente fiquei com a ideia de que tinha …

  20. MILLER says:

    O p10 lite da NOS não tem NFC. Porque será? Em vários sites especializados indica que sim, mas mas na realidade não tem. Fiquei desiludido.

  21. Miguel laranjeira says:

    Hum. O facto de não ser preciso pin para compras inferiores a 20€, compromete a aplicação em caso de perda do telemovel.

    • Fernando says:

      E um cartão contactless não é a mesma coisa? Enfim……

      • Shaitan Fernandes says:

        O telemóvel, por predefinição, tem segurança por PIN, impressão digital ou padrão… Além disso a app requer a introdução de PIN ou impressão em qualquer transacção – admito que não sei se é obrigatório ou se fui eu que configurei dessa forma.

  22. Velho do Restelho says:

    Ainda não encontrei nenhuma comunicação oficial por parte do Pingo Doce, mas esta publicação dá a entender, muito subtilmente, que o pagamento é o com o “NFC do mbway”?

    Mesmo no site do mbway, eles não referem “NFC do mbway”. (https://www.mbway.pt/nfc-chegou-ao-pingo-doce/).

    Provavelmente percebi mal: “Pingo Doce já suporta pagamento NFC do MB Way nos terminais multibanco”;
    Não devia ser simplesmente: “Pingo Doce já suporta NFC nos terminais de pagamento?”;

    – A mbway criou um fork do protocolo usado para comunicações nfc?
    – O Pingo doce usou esse fork criado pela mbway nos terminais?
    – Esta publicação foi patrocinado pela mbway? Se sim, não devia estar mencionado algures?
    – As pessoas não deviam ser informadas que o mbway é só uma das aplicações disponíveis com essa funcionalidade?

    Não tenho nada contra o MbWay, tenho instalado, uso regularmente e gosto dessa aplicação, mas na minha opinião devia ser mencionado apenas como umas das possibilidades ou então informar que esta publicação foi patrocinado pela mbway, caso seja o caso.

    Obrigado e continuem com o bom trabalho.

  23. Manuel says:

    Mal posso pagar com o meu novo iPhone X e criar inveja a quem vê ^^

  24. Pedro says:

    Cada vez menos dinheiro “vivo” e ainda bem!
    Eu pessoalmente já evito locais que não aceitem pelo cartões MB. E, se tiverem contactless melhor!
    Tenho iOS e por isso esta notícia só me faz ansiar que Apple seja mais rápida na implementação do serviço ApplePay nos restantes países europeus.

  25. luispataco says:

    E os microsoft users? Para quando?

    • GM says:

      +1. Somos de outro planeta, só pode. De qualquer modo, descarregue da microsoft store a app MB WAY. Não está ainda activada. É que é como os cartões contactless, deixam-me muito desconfortáveis. Como o João ptt mais acima, fico muito desconfiado das “cenas” contactless, por causa dos roubos de baixo valor. Nunca utilizo a função contactless, mesmo que disponível. Não são mais 30segundos na compra que me irão atrazar. Modernices, sem sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.