PplWare Mobile

Utilize o serviço e-fatura através do seu dispositivo móvel


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

40 Respostas

  1. Nelson says:

    Isto é tudo muito fixe para o estado ficar a saber o que compramos, onde estivemos, onde gastamos o nosso dinheiro, etc… Muito bom!

    • Tiago Santos says:

      Quem não deve nao teme 😛 … Eu tambem nao gosto de me sentir observado mas se puder pagar menos 1€ ao estado… Lets do it 😀 além de achar que esta medida ataca diretamente os mercados paralelos.

    • José says:

      Não usas cartão MB? o big brother já existe faz tempo.

    • Diogo says:

      A aplicação nem por isso, a aplicação é só para facilitar quem quer receber os 250€ (ou parte). Se tens alguma coisa contra a medida do estado é outra historia…

    • Bruno says:

      Temos de pensar positivo, não é só apresentar o ordenado que se ganha, também à que apresentar despesa se não vão pensar que somos ricos, só juntamos e nem gastamos.

    • Carlos says:

      Se o estado estivesse preocupado em registar toda a tua actividade tem formas muito melhores ao seu dispor de te controlar. Se queres uma opinião preocupa-te mais com o facto dos estados de outros países saberem o que fazes e por onde andas e menos com o estado do teu país. Posso estar a ser um bocadinho duro, mas estou farto da mentalidade portuguesa do patrão que quer abrir um negócio hoje e daqui a um ano ter um Mercedes e um apartamento do Algarve. Das pessoas que ganham 3 vezes mais o que declaram, fogem aos impostos que alguém que tente ser sério acabará por ter de pagar, e ainda tenham benefícios com isso. Estou farto de ver uma taxa absurda sobre as empresas, que não lhes permite crescer, gerar emprego e possívelmente ter produtos a preços competitivos, e da exploração que algumas acabam por fazer para cobrir o valor dos impostos que têm de pagar, os impostos sobre os salários dos trabalhadores e ainda querem como é lógico ter lucro.O nosso país está numa espiral incrível, é impressionante como num país como por exemplo a Irlanda onde o ordenado mínimo é 3 vezes mais o Português, que também está sobre a intervenção do FMI, consegues no cabaz mensal de compras poupar mais de 100 euros por mês, como é uma ilha suponho que tenha mais custos para importar produtos. Enfim tantos exemplos que poderiam dar, compara os preços de certos artigos à venda em Portugal com produtos à venda em Espanha e vê a quanto tens de gastar a mais para ter os mesmos produtos, sendo que os Espanhóis têm mais poder de compra. Isto tudo para dizer, que deviamos ser obrigados a registar todas as facturas, não só as que dão benefício, por isso controlem-me à vontade, porque também estou farto de ter a minha vida condicionada, pelos que fogem.

    • Nuno says:

      Claro que é mesmo isso. O estado quer mesmo saber onde tu comes e dormes, onde cortas o cabelo, se andas de mota ou de carro. Isso é mt importante.

      Já os prestadores dos serviços que não passam factura e fogem ao fisco, o estado está-se a cagar.

    • pixar says:

      Já para não falar que o retorno ao pedir a fatura é quase zero. Se ao menos valesse a pena…

      • Diogo says:

        15% do iva pago… este ano já tenho uns trocos 🙂

        E para o ano dá direito a carros lol

      • Nelson says:

        Eu já vou com cerca de 70 €.
        Se não tivesse registado nada, ganhava zero. É pouco? é, mas sempre dá para pagar o selo do carro por exemplo, ou um belo jantar com a conjuge num restaurante já para o catita.

        É melhor que nada, certo?

        • pixar says:

          Sim, mas para obteres esse valor já pediste fatura com contribuinte quantas vezes?
          Na época em que o benefício era de 5% do IVA, achas mesmo que quando tomava café ou coisa do género que me dava ao trabalho?
          IVA -> 23% de 0,60€ = 0,138€
          Benefício -> 5% de 0,138 = 0,0069€
          Nem a porra de um cêntimo.
          Mesmo com 15% são 2 Cêntinos. Nem vale o trabalho.
          O único sitio onde pedi foi mesmo no mecânico que eram contas maiores. De resto esquece.
          Depois aindahá outra questão: só os mecânicos, cabeleireiros, etc é que fogem aos impostos? E os advogados não? No entanto, esses não estão incluídos nos benefícios. Assim as pessoas continuam a não ter interesse em pedir faturas a esses. Porque será?

          • Nelson says:

            Bom, em relação à quantidade de vezes que pedi facturas, já foram muitas. É claro que não peço factura quando se trata de um café. Mas por exemplo, nas jantaradas ou almoços com os amigos, todos aqueles que não querem factura, vem para mim. No meu local de trabalho tenho um refeitório, e quando vou deixar o tabuleiro junto aos outros com a loiça suja, se encontrar facturas sem nif, agarro-as todas. E é assim que vou fazendo dinheiro.

            Em relação aos advogados, é uma pena sim. E a malta das obras, e os transportes, os hipermercados, e sei lá quantos mais. Mas tinha de se começar nalgum lado. A única coisa que espero é que se avançe com estas áreas e tantas outras, o quanto antes.

        • MI says:

          Boas, nelson, no post posterior dizes: faturas sem nif, agarro as todas” pergunto: para que servem essas faturas? Para Nada.
          O NIF, tem de ser inserido informaticamente,saft/ portal das financas, pelo comerciante.
          O que poderás fazer por tua iniciativa (e deves fazer) é quando por exemplo pedes um café, doc com NIF, e depois verificas que esse doc não aparece no sistema, deverás inserir manualmente – mas tens de ter o nif no doc, impreterivelmente.

          • Nelson says:

            Olá MI,

            não é bem assim. É obrigatório passar factura, mas não tem de ter o NIF preenchido. Um comerciante honesto, que tenha as facturas legais, deve inseri-las informaticamente, mesmo que o NIF não esteja preenchido. Para as finanças, o importante é que a factura esteja registada.
            Eu, como consumidor, posso registar à mão no e-factura aquelas que não têm o NIF preenchido ou as que têm o meu NIF. Para as que não têm o NIF preenchido, basicamente estou a reclamar que “esta factura foi para mim”.
            Se o comerciante já tinha inserido as facturas, haverá um “merge” das mesmas, e para as que não tinham NIF destino preenchido, passam a ter o meu. Para as que por ventura tinham um NIF diferente do meu, das duas uma. Ou são anuladas ou os vários intervenientes são alertados para mostrar comprovativos.

            Cumps.

  2. Sandro Santos says:

    Introduzir os meus dados numa app não oficial que permite ficar com os meus dados de acesso aos portais do estado?

    Não Obrigado!

    • Diogo says:

      Isto é um forum tecnológico, por isso suponho que saibas como ver os pedidos que uma app faz.

      • Mario says:

        Quando fores a uma peixaria e perguntares que peixe é aquele e qual o melhor cozinhado que se pode fazer pode ser que te respondam que “Isto é uma peixaria, por isso suponho que saibas que peixe é este…”
        Realmente belo comentário o teu! O facto das pessoas frequentarem o fórum têm de ser experts?
        Enfim…

        • Diogo says:

          Concordo com o teu reparo, mas “mandar a matar” como o Sandro fez também não. Não fui eu que produzi o software, mas deixar duvidas como estas sem saber nada da aplicação prejudicam todos os programadores que tentam fazer algo por si próprios.
          Acho que a forma como o Carlos colocou a questão muito melhor.

    • Ricardo N. says:

      Compreendo a preocupação, pessoas mal intencionadas há em todo o lado. Mas quando os dados de acesso são os mesmos para o portal das Finanças que dão para mexer seriamente na vida de uma pessoa e ao mesmo tempo para um portal de consulta e edição de facturas, não há grande volta a dar por muito boa que seja a intenção. Quem tem conhecimentos para tal, que analise e confirme as transferências de informação dos dispositivos. Quem não tem e também não quer arriscar meter os dados nas aplicações, não usa! Existe o modo de demonstração para quem quiser simplesmente explorar as aplicações.
      Eu uso porque confio e conheço quem desenvolveu. Se estivesse na sua posição provavelmente também pensava assim.
      Cumprimentos.

    • Vitor says:

      Não vou colocar os meus dados numa app que não é oficial. Só se fosse louco!

  3. Carlos says:

    Alguém testou as comunicações que a app faz, para comprovar que só são feitos acessos ao site oficial do e-finanças?

    Usando o fiddler, por exemplo…

    • eFatura says:

      Boas Carlos

      Realmente é muito triste que os dados para aceder a um portal como o do e-fatura sejam os mesmos do portal das finanças, pois não só não dá jeito ao utilizador que quer utilizar o e-fatura regularmente como é uma potencial grande falha de segurança.

      Mas visto que estamos todos limitados a este sistema de autenticação, a única coisa que podemos fazer é incentivar aos testes que falas à nossa aplicação e à publicação dos mesmos.

      Para qualquer questão estamos sempre disponíveis através do nosso mail ou página do facebook.

  4. Marcio says:

    Mais uma vez – entre muitissimas – o windows Phone passa ao lado.
    Não há nada pra este SO.
    Afinal de contas, nem com a parceria da micromillions com o nosso estado, dá pra criar algumas apps portuguesas.

    É sinal que nós não precisamos cumprir a lei. Lol

    • Francisco says:

      é sinal que esse SO tem morte anunciada, porque quem manda são os programadores.

      • Tiago says:

        Francisco, ai são os programadores? Desde sempre pensei que fossem os utilizadores e as tendências de mercado. E esta hein?

        BTW: não fales de um sistema operativo que não conheces e que até tem vindo a crescer a bom ritmo, assim como as apps mais conhecidas. Reserva-te à tua insignificância.

        • Filipe YaBa Polido says:

          E como achas que aparece essa “tendência” ? com plataformas sem conteúdos?!
          Pois…

        • Filipe YaBa Polido says:

          O que é que a Microsoft fez para atrair programadores?!
          Que apoios ou incentivos deu para os programadores migrarem as suas aplicações de iOS ou Android para o Windows Phone?
          A PS4 também está na moda, mas será que alguem comprava se não houvesse jogos para ela? 😉

    • D says:

      Mas esse é o maior problema do Windows Phone! Já se sabia… Muita gente que comprou já se arrependeu! Quem usa só para umas chamadas e sms claro que não liga a isso

      • Marcio says:

        Nem mais.
        O sistema e tao bom e funcional, que só faltam apps de jeito.
        Prefiro windows Phone ao invés de Android, mas o wp está muito atrasado.
        Depois assistimos a isto… Ninguém programa pra este só, mesmo grandes entidades.

        Também e melhor fazerem programas em condições do que encher de lixo como o Android. Mas a loja da micromillions também já tem imensas apps que pra nada servem. Nem sei onde e que o ppl vai buscar essas ideias pra apps tao insignificantes.

        Neste momento, o melhor sistema e mesmo ios.

  5. Alex says:

    Essa aplicação incentiva as pessoas a introduzir todas as faturas que pedem na plataforma e-Fatura o que vai ao encontro das boas praticas da plataforma e-fatura.

    Passo a explicar: quando pedimos uma fatura num restaurante por exemplo hoje dia 28 de Novembro, significa que até dia 25 do mês seguinte ou seja até dia 25 de Dezembro a entidade que passou a fatura (restaurante) tem que enviar um ficheiro saft para as finanças contendo as faturas emitidas do mês de Novembro, e se por ventura até dia 25 não verificarmos o benefício fiscal dessa fatura na nossa conta então aí sim devemos submeter a fatura no portal o que fará com que as finanças verifiquem o porquê dessa fatura não constar no ficheiro saft enviado pelo Restaurante.

    Eu aconselho a aplicação pioneira no mercado chamada “Peça fatura”

  6. Boas says:

    Se o vosso receio é a indevida utilização por terceiros das vossas senhas de acesso, optem por uma aplicação tal como a “Peça Fatura”, cujo a empresa que a desenvolveu encontra-se certificada pelas finanças mais propriamente pela AT – Autoridade Tributária e Aduaneira.
    Ou seja, a aplicação “Peça Fatura” não brinca com a vossa informação confidencial, assim já ficam mais descaçados 🙂

    • Diogo says:

      Como é que eu sei que a “Peça Fatura” foi produzida pela mesma empresa que fez o e-fatura?
      Procurei no site do e-fatura, no site da empresa do “Peça Fatura” e não encontrei nada :S
      No site da empresa do “Peça Fatura” também não mostra que certificações é que a empresa possui.

      E se isto for verdade, tem a certeza que não está a desrespeitar nenhum NDA com o estado? 🙂

      • Boas says:

        As empresas são distinctas. O que eu disse é que caso tenha receios pode optar pela aplicação “Peça Fatura” cujo a empresa que a desenvolveu é certificda pelas finaças.
        Aqui vai o LINK http://www.portaldasfinancas.gov.pt/pt/ES/Out/consultaProgCertificadosM24.action
        Só tens que em Filtrar por: colocar o nome da empresa 🙂 – Numero Certificação 1590

        • Diogo says:

          Uma aplicação da Eleven Systems Lda foi certificada, tens toda a razão. Mas não foi o “Peça Fatura”. Sabes que essas certificações são projecto a projecto certo?

          • Boas says:

            Afirmativo.
            A confiança que se deposita num produto/marca/etc … deve-se essencialmente ao histórico da empresa. Caso contrario a Mercedes, Apple, etc … teriam que reconquistar a confiança dos consumidores cada vez que que um produto novo fosse lançado 🙂
            Aqui a situação é a mesma … pelo menos na minha opinião.

  7. Fer says:

    Essa aplicação incentiva as pessoas a introduzir todas as faturas que pedem na plataforma e-Fatura o que vai ao encontro das boas praticas da plataforma e-fatura.
    Passo a explicar: quando pedimos uma fatura num restaurante por exemplo hoje dia 28 de Novembro, significa que até dia 25 do mês seguinte ou seja até dia 25 de Dezembro a entidade que passou a fatura (restaurante) tem que enviar um ficheiro saft para as finanças contendo as faturas emitidas do mês de Novembro, e se por ventura até dia 25 não verificarmos o benefício fiscal dessa fatura na nossa conta então aí sim devemos submeter a fatura no portal o que fará com que as finanças verifiquem o porquê dessa fatura não constar no ficheiro saft enviado pelo Restaurante.

    Eu aconselho a aplicação pioneira no mercado chamada “Peça fatura”

  8. R o B says:

    Se fôssemos reembolsados numa percentagem do IVA bem mais generosa em todas as faturas passivas de IVA e sem teto máximo, com certeza que haveria muitos mais pedidos de fatura.

  9. Silva says:

    Deveria ser obrigatório passar fatura e sempre com I.F. para todos os artigos, e os Tugas deveriam ser mais exigentes com os políticos, e não deixar que eles façam tudo e nunca lhes acontece nada, devemos exigir que os nossos impostos sejam gastos em obras realmente necessárias, com estudos dos custos/benefícios sérios.
    Levaram-nos á bancarrota e o que lhes aconteceu……

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.