PplWare Mobile

OnePlus abandona Dash Charge, a marca do seu carregamento rápido


Curioso desde cedo por tecnologia, procuro aprender e partilhar um pouco mais a cada dia que passa.

Destaques PPLWARE

  1. Carlos Costa says:

    É uma gigante confusão os diferentes tipos d carregamento rápido e uma tristeza que todos eles sejam incompativeis entre si. Até ao momento conto o da OnePlus, o da Snapdragon, o da Huawei e por fim o dos iphones?

    todos eles não falam entre si e precisam da combinação proria de carregador:cabo:telemovel

    • David Guerreiro says:

      Falta a da Samsung, e da Mediatek.

    • k says:

      Não é uma questão de falarem entre si, é uma questão de usarem métodos diferentes. Só conheço o quick charge da qualcomm e o dash da oneplus. O primeiro, na v3.0, opta por alterar a voltagem/amperagem para diferentes estados de carga (de 3.6V até 20V com incrementos de 200mV). O dash opta por manter a voltagem sempre constante nos 5V e variar apenas a aperagem até um máximo de 4A (embora não chegue a usar os 4A mas é o que está especificado no carregador). Como um carregador Oneplus só faz 5V, consegue carregar um telemovel com quick charge qualcomm apenas com 5V/2A. Não sei o que um carregador quick charge faz a um telemovel oneplus, mas deve ser idêntico. A 2A,

    • Belmiro says:

      A grande maioria, (inclusive a Samsung nos seus Exynos) usa o QuickCharge com ou sem otimizações. A Apple e algumas marcas chinesas usam alternativas personalizadas. De resto os cabos Micro USB ou USB C são iguais.

      Se vais e escolhes um terminal das “exceções” isso é culpa tua

      • Emanuel Vitorino says:

        Por acaso a Apple não usa nenhuma alternativa personalizada. Aliás, a Google e a Apple são tecnicamente as únicas coerentes, porque usam ambas USB-PD que é o standard oficial de carregamento por USB.

      • Hugo Freitas says:

        Isso da grande maioria tem mt que se lhe diga. A Samsung por exemplo no volume de vendas de toda a gama de telemóveis não sei se será o Exynos o que mais vende. Esse é o flagship, mas há mts outros SoCs na gama de telemóveis da Samsung (MTK de gama baixa inclusivé). Em volume de vendas eu diria que os flagships (S) são a minoria.
        As conexões usadas e até a espessura dos condutores dos cabos limita a capacidade do cabo carregar ou não a determinada corrente, daí os construtores terem optado pela saída mais fácil (quiçá única) que é aumentar a tensão de carga ao invés da corrente. Para termos 40W de carregamento a 5V teríamos de ter cabos e terminais que suportassem 8A, o que tornava os cabos mais dispendiosos ( grossos) e completamente fora do design original de uma ligação USB (500mA). Assim, aumentando a tensão (e indo fora da especificação do cabo USB) já é possível aumentar a potência transmitida. Com 9V@2A temos 18W que facilmente ultrapassam os 5V@2A (10W). Aqueles pinoszitos de um micro USB ou USB C a transmitir corrente acima de 5A devem ficar próximos de derreter.

  2. Hugo Freitas says:

    Sim. O tm da minha mulher (Umi MTK) nem sequer carrega quando ligado a um powerbank (Xiaomi) que é compatível com o quick charge 2 (Qualcom). Começa a carregar e assim que devia comutar para tensões mais elevadas de carregamento, pára.
    Enfim… tanta luta para uniformizarem a connexao (micro usb e agora usb c) para depois falhar a nível de protocolos de comunicação.

    • Belmiro says:

      Os grupos de uniformização para a conexão são uns, logo para carga rápida cada fabricante cria e adopta o que quiser. A maioria das empresas baratas chinesas (e a Apple com a mania de ser diferente e baterias muito sensíveis) não quer pagar royalties pela tecnologia de outros já mais do que testada e criam as suas, dando barraca na maioria das vezes.

      O QC existe em milhares de dispositivos inclusive em acessórios chineses. Se optas por fabricantes “econômicos”, arriscas a que aconteça isso

      • Hugo Freitas says:

        A discussão nada tem a ver com um telemóvel ser mais caro ou barato, tem a ver com a uniformização do carregamento que torne pelo menos compatível o carregamento ( mesmo q lento) entre marcas, coisa que diga-se acontece com a maioria delas.
        Lá porque uma empresa cria a sua própria carga rápida quer logo dizer que dá barraca? Alguém se queixa do carregamento do OnePlus/Umi/Samsung/Huawei… com o charger original? Não! Tudo funciona 5 estrelas. O problema é precisamente a compatibilidade entre plataformas. Isto é exactamente o mesmo que se está a passar com o carregamento dos automóveis eléctricos e que já se passou com tanta outra coisa, como DVDs, K7s e Blurays. A não uniformização de interfaces (neste caso de carregamento) só leva a desperdício e incerteza por parte do comum consumidor.
        Neste caso particular de que me serve terem legislado a interface física se depois o que por lá passa não é igual para todos?

  3. Bob says:

    Por momentos, deu o titulo deu a entender que o “Dash Charge” ia ser abandonado! Que é das minhas coisas preferidas no OnePlus 3 🙂
    Desde que mantenham a tecnologia e compatibilidade, o nome não me interessa muito.

    Mas sim, os carregamentos rápidos não são uniformes. Não é como mudar só um cabo, por isso não contem com um standard para isso, tão cedo.

  4. Pedro Souto says:

    Ei caramba. Ó senhores/senhoras do pplware, não se comecem a converter num daqueles pasquis das fake news e dos títulos dúbios. “OnePlus abandona Dash Charge, a marca do seu carregamento rápido”
    Não seria mais correcto: “OnePlus abandona a marca Dash Charge”.
    Problema: Muito menos pessoas clicavam e vocês prestavam um melhor serviço. Ops, o último não era um problema.

    • Marcos Salvador says:

      +1

    • Vítor M. says:

      Mas não sabem ler? No título não diz tecnologia, diz marca e foi o que aconteceu. Depois no texto é explicado. Não se transformem naquele tipo de leitores, do tipo jornal desportivo, que só vão ler os títulos. Aqui tudo é feito para informar e não formatar.

      O facto de dar destaque à marca, Dash Charge, mostra a importância do facto e explicamos as razões.

      Não se trata de moldar o titulo, trata-se de dar a devida importância ao assunto.

      • just a guy2 says:

        de qualquer das formas o titulo não está correto!
        O titulo correto deveria ser “OnePlus muda o nome do Dash Charge”

        De qualquer das formas este não é um sitio para quem quer qualidade, pplware é uma vergonha de publicação, mas hei eu ainda cá venho… mas cada vez menos…

  5. maria vieira a atriz says:

    e brincadeira nao e

  6. Paquito says:

    Que mentira! A OnePlus não abandonou o Dash Charge, so lhe mudou o nome…
    Agora sem tangas, pelo titulo parece que a OnePlus desistiu do fast charging proprietário (e que funciona muito bem) e que adoptou o mais comum. Mas não, só vai mudar o nome por questões legais.
    Nothing to see here people, move along.

  7. Classic says:

    O “dasch charge” é uma outra versãode carregamento da Oppo iniciada em 2014, com o nome VOOC…
    Só para nós situarmos….

  8. Nuno says:

    Não percebi como se abandona uma marca que só agora está tentar registar… Ou eles usam o termo, e agora queriam registar a marca? Pelo titulo dá entender que eles já tinham a marca, e agora iam mudar para outra coisa qualquer. Mas como já antes referido, título “dúbios” geram mais tráfego

    • Bob says:

      É só porque, legalmente, o não iam conseguir usar o nome “Dash Charge” globalmente, dado que já estão com problemas na Europa.
      Mas é apenas o nome. A tecnologia é deles, e devem adoptar outro nome, mas já o vão fazer a pensar globalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.