Quantcast
PplWare Mobile

Google reduz actualizações de apps para Android em 65%

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. ARKAN says:

    só se for de tamanho, e de mudança de ads, o youtube entao nem se fala….anuncios a dar e vender.
    e toda semana atualizaçao do facebook, messenger, youtube…..deveria só ter uma vez por mes, e falar nisso o pacote microsoft, o word começou aqui com 14mbs, hoje ja ta ocupando 234mbs! sem nenhum documento word

  2. Rui says:

    titulo enganador que dói, fiquei com a ideia que a google ia colocar algum limite de atualizações das apps, tipo 1 por semana ou assim, afinal reduz é o tamanho do ficheiro a ser transferido, “Google reduz TAMANHO das atualizações de apps para Android em 65%”, faria ficar muito mais correto!!

  3. Miguel says:

    reduzir actualizações… isto é tão à Google. xD

  4. André says:

    É uma excelente ideia! Acho estranho como é que não pensaram nisso mais cedo, sinceramente 🙂

  5. Nuno Santos says:

    Este tipo de “update” para as apps é excelente pois assim torna-se bem menor, mas (claro que existe um mas) vai fazer com que diariamente existam actualizaçoes

    • Nito says:

      Essa não consegui atingir, mas o que é que a bota tem a haver com a perdigota, hum? Mas para si vai passar a haver uma maior necessidade de os autores procederem a actualizações maiores ou mais frequentes ao ponto de terem de ser diários porquê? Os bugs das diferentes Apps virão a ser maiores ou mais frequentes por causa da… alteração do método das actualizações em si??? Você não faz é a mínima ideia do que está a comentar, você mais o aqui de baixo preocupado por vir a ter de comprar mais memória para aumentar a do telemóvel…
      (só não me “rio” para não vir depois nenhum “sensível” acusar-me logo de “CyberBullying”…)

  6. youandtag says:

    é só encher chouriços depois a app pesa toneladas…
    depois é toca a comprar mais RAM…

  7. rui says:

    Já estou mesmo a ver o resultado disto… Poupa-se no tamanho da transferência, sim. Mas e depois? Quem ainda tiver um smartphone com menos poder de processamento, em vez de demorar “2 minutos” a actualizar uma app, vai demorar “20”. (Estes números são um exagero, mas dá para entender o meu ponto de vista). Estas empresas cada vez trabalham mais para os equipamentos de gama alta e não querem saber de quem acha ridículo dar 800€ por um smartphone e por isso compra um mais barato que serve bem para as suas necessidades.

  8. Dani says:

    Isso das atualização de apps grande parte é estratégia de marketing. Quanto mais atualizações tiver uma app mais ela fica aparecer nas listas e diretorios (ex_ listagem de apps atualizadas) e dá uma (falsa) sensação de confiança aos utilizadores.

  9. Selectivo says:

    Pouco me afecta. Tenho as actualizações automáticas desligadas e só actualizo alguma aplicação quando vejo no changelog que isso traz alguma vantagem. Se vir que a app vai engordar muito pelo tamanho da actualização, deixo-a estar como está.

  10. Paulo Carneiro says:

    título digno da qualidade tvi. por favor não pode valer tudo.

  11. YouHaveAFriendInMe says:

    A Google se quisesse fazer alguma coisa interessante na Playstore podia, por exemplo, criar uma pesquisa avançada de aplicações, nomeadamente um filtro para o tamanho das apps. Muitos de nós não podemos instalar aplicações que ocupem muito espaço, por isso fazer pesquisas até X mb seria algo realmente útil. Infelizmente, as actualizações da Playstore centram-se quase sempre na imagem, é raro implementarem novas funcionalidades. Outro exemplo, poder descarregar versões antigas de uma aplicação, isto também seria útil, mas a Google às vezes parece que sofre de uma falta de imaginação incapacitante. Esta novidade de reduzir o tamanho das actualizações é quase insólita, se tivermos em consideração a quantidade de boas ideias que podemos encontrar nos menosprezados fóruns da Google. Quem é que pediu isto? Isto era uma prioridade? Enfim.

  12. tiago says:

    Ás vezes pergunto-me…tantos gajos inteligentes dentro da Google e só agora pensaram nisso?

    Acho excelente, peca por ser tardio, mas é excelente!

  13. Nito says:

    Esse método já é usado há que tempos nos PC´s por muitos dos melhores Programadores (os de letra GRANDE) das melhores Software Houses mundiais, se é novidade é nos Android´s e IPhones, além de que o conceito para mim foi mal classificado: a actualização não é bem “file-a-file” mas sim “cadeia-a-cadeia” de caracteres DENTRO dos “Files”, ou seja, são lidos realmente os ficheiros constituintes da App instalada e os da App actualizada por instalar, compara-se o conteúdo das duas à procura das diferenças aonde as houver e SÓ essas serão escritas ou alteradas/apagadas no ficheiro do destino na sua posição correspondente e não o ficheiro inteiro em si, como era apanágio nos primórdios e ainda parece ser mais “cómodo” para certos “programadores” cá da “praça”, para não os “classificar” também de outra “coisa” menos agradável ao ego deles… numa Internet globalizada e em crescimento exponencial, esta decisão da Google vai ter um efeito de escala espectacular na poupança de tráfego na Net e espaço de armazenamento a nível global que é obra e bem mensurável assim que posta em prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.