Quantcast
PplWare Mobile

A rede social portuguesa Soccial está a iniciar uma nova era

                                    
                                

Autor: Henrique Dias


  1. Felicio Bule says:

    Aguardo com ansiedade a ultima vesrsao!

  2. Pedro Ferreira says:

    Estes prometem. Será que finalmente portugal vai ter uma rede social com potencial mundial? Estou curioso para ver a evolução destes gajos

    • Fábio Ferreira says:

      Ter potencial tem 🙂 Isto é quase como uma Google da cultura para nós… Mas se for partilhado por muitas pessoas ainda vai dar muito que falar mundialmente! 😀

  3. netalvesj says:

    Uma homepage de uma rede social com este link no corpo da mensagem, nao augura nada de bom…..

    http://192.168.1.94:35729/livereload.js?snipver=1

    alem de que o pedido de convite nao funciona….

    • Paulo Rodrigues says:

      Obrigado pelo alerta, já foi corrigido. O livereload é uma aplicação que usamos no servidor de produção. Ao enviarmos, por lapso, essa linha para o servidor fizemos com que o javascript bloqueasse, pois como é óbvio o servidor não podia receber essa conexão.

      Abraço

    • YaBa says:

      Já agora:
      “Enviaremos o convite para o email Array assim que seja possível”

      Garanto que não meti lá um Array 😉 😉
      Cumprimentos.

  4. lol says:

    A partir do momento que dizem “sem publicidade” perde toda a credibilidade.

    • Marisa Pinto says:

      Hm? Dá para desenvolveres o porquê dessa opinião?

      • NewJ says:

        Secalhar porque não trás retorno, e trabalhar para aquecer ha pouco quem.. Será que vai continuar a ter desenvolvimento a médio prazo?

      • lol says:

        Porque nenhuma rede social direccionada para público em geral e não empresas é auto sustentável sem publicidade.

      • pedro says:

        Não é difícil perceber que é um modelo de negócio sem futuro…

      • Joao says:

        Como pagam os servidores? As pessoas que desenvolvem a plataforma? Largura de banda? Tráfego?

        Existem pelo menos quatro formas de financiar:
        – publicidade;
        – cobrar pelo serviço (ou partes);
        – vender a informação a terceiros;
        – mistura de duas ou todas as anteriores.

        Se não somos o cliente, somos o produto…

        • Mota says:

          Good point, João.

          Esqueces-te de um ponto thought

          – Financiamento externo

          – Doações

          Claro que para isto a entendidade que der o dinheiro vai querer retorno. Como disseram aqui ninguém trabalha para aquecer.

          • Joao says:

            Doações não funcionam a menos que os utilizadores recebam alguma coisa ou exista um risco real do serviço/ produto desaparecer. Mas chamar doação é a mesma coisa que dizer que tem de pagar pelo serviço, a menos que não tenham direito a nada extra/ diferente.

            Pelo menos a maior parte dos projetos mundiais mais utilizados as doações nunca são suficientes a menos que exista o perigo real de puderem encerrar definitivamente, ou a falta de tais verbas tragas enormes desvantagens por exemplo no caso da OpenSSL, onde a falta de dinheiro não permitia contratar pessoas suficientes para tratar dos erros conhecidos quanto mais procurar por outros e limpar o código!
            O mais recente foi o GnuPG que esteve para fechar pois a única pessoa que trabalhava a tempo inteiro no projeto não ganhava quase para os gastos e muito menos podia contratar outros para ajudar no imenso trabalho que há para fazer (desenvolvimento, limpezas, correção de erros…)… teve de dizer que ia fechar para empresas, organizações e indivíduos por todo o mundo acordassem para a realidade de que o programa criado e mantido por um indivíduo (além de ajuda de voluntários pontuais) e utilizado por milhões (incluindo por vezes por eles mesmos) ia simplesmente desaparecer, só porque a pessoa não ganha o suficiente para ter uma boa vida… isto apesar de claramente ter prestado e continuar a prestar um serviço a humanidade e muito útil.

            A rede social pode é ter um financiador (Sonae? NOS? coisa parecida?) que apoia financeiramente, realmente tal é credível, mas como disse logo… tal financiador irá exigir retorno de alguma maneira… nem sempre tem de ser em dinheiro diretamente, mas de alguma maneira a rede social terá de dar retorno.

            Provavelmente será mais um projeto para morrer na “praia”, porque o problema não é ser bom, mas sim convencer gente suficiente para ser sustentável (seja lá como for que estejam a pensar atingir tal estado)… e não ser como o Google+ que tem “um bilião” (número (provavelmente muito) exagerado claro)… de não utilizadores.

  5. bmiguel83 says:

    Outra rede social…

  6. Az8teiro says:

    Se não tem publicidade como é que eles ganham dinheiro? Ou isso vai mudar passado uns meses, ou o projecto afunda.

    • Joao says:

      Não precisam de meter publicidade.
      Podem dizer “sem publicidade”! E depois cobra tudo, ou funcionalidades extra que são quase obrigatórias tipo como fazem outros web sites de encontros e similares.
      Também podem cobrar somente às empresas.
      Ou podem apenas vender as informações a quem pagar mais… ou uma combinação de todas.

      O facto de existir o Facebook, badoo e outras coisas parecidas provavelmente irá impedi-los de cobrar tudo, ou pelo menos de cobrar às pessoas, mas as empresas com certeza não se livrarão de tal.

      É preciso lembrar que o Facebook tem a política de mudar o aspeto e funcionalidades constantemente ao longo dos anos para as pessoas não se fartarem e começarem a procurar outra coisa… logo é difícil de acreditar que o pessoal largue o Facebook, pois não estão a cometer os erros dos outros nesse aspeto, e quanto à privacidade ninguém quer saber ou não estaria lá! E nenhuma empresa com tal quantidade de informação irá resistir a vendê-la a terceiros de alguma forma… teriam de ser pessoas muito corretas e tais pessoas não devem praticamente existir, menos ainda nesses meios.

  7. azeiteiro says:

    Espero que esta dê cabo da rede social facebook !

  8. OpenMind says:

    Boa sorte para os tugas, por enquanto estou a usar a tsu . co
    vou ver esta também 🙂

  9. Alex says:

    Espero poder usa-la também desde Espanha, para assim dar a conhecer aos que tenham o interesse.

  10. Jorge says:

    Bem… Pessoalmente acho que será mais do mesmo! Infelizmente o Facebook tem feito durante anos a forma de o utilizador ficar preso, e os seus dados guardados, sem que seja possível remover a conta. Penso que será como outras redes sociais que aparecem e depois nunca mais estará na “baila” e acaba por morrer em pouco tempo. Mas esperamos para ver… Um dia têm que vir uns iluminados conseguir destronar o Facebook e o Mark Zuckerberg… Até lá “nós” meros utilizadores esperamos para ver!

    • lol says:

      Não esperes para ver. Sugere!
      Existem imensos programadores, não existem é ideias credíveis. Se achas que tens uma boa ideia, tenta falar com alguém da área e verificar a exequível.

  11. Will Aprato says:

    Será que vai se tornar uma rede social mundialmente conhecida?
    Estou ansioso para receber o convite, parece que vai ser um designer bonito.

  12. André says:

    Ta nice, Fica ai a minha rede social, está com poucos utilizadores , mas com ajuda tornar-se á mais conhecida, ainda é nova.

    http://selfy.zz.vc/

  13. Aly Amir Antinane says:

    Agora eu mando beijos pra todos amigos que usa redes socias pra melhores ligacâoe do mundo.

  14. Ismael Guimarães AJ says:

    O serviço se realmente mostrasse competência poderia até ver empresas a pagar para estarem na plataforma. Porém o Soccial, para mim, é algo que não tem funcionalidade. Há muita coisa que se pretende fazer no Soccial que o Pinterest faz muito melhor. Há um problema mesmo grande nesta site social. Este não tem uma utilização atrativa logo as pessoas acabam perdendo, completamente, todo o interesse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.