PplWare Mobile

5 Séries da Netflix que deve assistir #1


Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.

Destaques PPLWARE

  1. Pedro Pinheiro says:

    Stranger things
    Dark
    The Mist

  2. João Oliveira says:

    Melhor serie dos ultimos anos, NCIS Naval Criminal Investigative Service (até a temporada 10, inclusive) na minha opinião.

  3. AKK2AK says:

    Das séries mencionadas, já vi Orange is the new black e The sinner. Sem estar a fazer spoiler, confesso que Orange is the new black, no início era engraçado, mas como a maioria das séries, acabou por cair na monotonia e não evoluir com o passar das temporadas (na minha opinião). Por isso, à quarta temporada desisti. Deixei de lado.
    Quanto a The sinner, achei a 1ª temporada espetacular e já me daria por satisfeito se fosse a única. Está renovada para uma segunda temporada e cheira-me que vão inventar e a qualidade vai cair.
    Há muitas por ai de boa qualidade que merecem ser vistas. Exemplo: Dark, Killing Eve, Ozark, Seven seconds, Safe, The night of, Big little lies, The heist (a famosa La casa de papel), Sharp objects, The night manager, ou mesmo em formato documentário como Making a murderer, The Jinx, Evil ginius, Mars, The staircase… enfim, uma quantidade enorme delas

    • Concordo plenamente com a crítica ao Orange is The New Black. As duas primeiras temporadas foram muito boas, mas a 3ª é 4ª nem por isso. Dps já tinha visto tudo ainda vi a 5ª que gostei dos últimos episódios… Vamos lá esperar pela 6ª, o trailer não me despertou grande interesse.

    • Reinaldo Lourenço says:

      A 2a temporada de The Sinner vai ser outra história, só o detetive principal se mantém. A Netflix traduziu o nome da série para A Pecadora mas teve azar porque agora na S02 vai ser um puto 🙂
      OITNB baixou na S04 mas na seguinte entraram novas personagens e o nível melhorou.
      The Night Off, Big Little Lies, The Night Manager e Sharp Objectos são da HBO por isso não vão aparecer no catalogo da HBO 🙁

  4. Ska says:

    La casa de papel, muito bom..

  5. eu says:

    La Casa de Papel. A melhor série de sempre !

  6. Jorge Nicolau says:

    Sense8 série original da Netflix.

    • Mauro Moises Mahumane says:

      Sense 8
      Daredevil
      House of cards
      Glow
      Stranger things
      Good girls
      Fargo(espectacular)
      Manhunter unabomber
      Godless
      The OA
      Os comedy specials do Dave Chapelle… Podia tar aqui a noite toda =)

    • gonsa says:

      Sense8 é tão bom

      • Joao says:

        +1 sense8.
        em regra nao vejo series…..quando as vejo sou muito criterioso. detesto series que nunca mais acabam…essas nem pego nelas por muito boas que sejam…tenho mais que fazer ao meu tempo.

        das que vi e curti:
        sense8,
        misfits,
        mr.robot,
        true detective (primeira temporada).
        stranger things (primeira temporada).
        sherlock holmes
        jessie jones (abaixo de todas estas mas merece ser vista na mesma)

        algumas nao sao netflix, como ja devem ter reparado.

  7. Skin says:

    Stranger things, dark, 13 reasons why (1a temporada, a 2a já é pra fazer render o peixe), big little lies. La casa de papel – não percebo o hype, gostei mas achei uma série normal.

    • Sujeito says:

      Nem tu nem ninguém. Ficou tudo hipnotizado vá-se lá saber porquê. Primeiros 5 minutos e já havia claros indícios de que qualidade de escrita era dúbia.

      • Mauro Moises Mahumane says:

        Nem ninguém Nak e bem assim, foi das melhores séries que estrearam este ano em Espanha.

        • Hugo says:

          A série passou na TV em Espanha em 2017, ainda antes de estar na Netflix.
          É boa mas tem definitivamente graves falhas de coerência e considerá-la uma das melhores de sempre seria extremamente injusto para outras séries realmente boas.
          Tinham uma boa história base mas, para mim, não a souberam engrandecer da melhor forma.

  8. Sérgio J says:

    Além de Dark, stranger things, house of cards, acrescento Black mirror, caçador de mentes, amigos de faculdade.

  9. Cláudia says:

    The Handmaid’s tale

  10. Hefesto,o Grande says:

    Gostava de ter a Netflix,mas pagar todos os meses 7 euros e 50 cêntimos só para depois nem me lembrar das séries que estão a passar… Não,definitivamente não é para mim.Já quando passou a última série de Ficheiros Secretos(esta sim,a melhor série televisiva de sempre !!),no canal Fox,nem me lembrava de quando passava e nem a quantas ia.Acabei por deixar gravar todos os episódios e a respectiva série na TV Box e,acreditem,até agora ainda nem os vi.Hoje em dia ninguém tem pachorra para seguir séries. 😀 😀 😀

  11. sakura says:

    Humm…. sou + de
    viki.com

  12. Vera says:

    Sense8, The OA, DARK.. todos originais Netflix the excelência. Nem sei como nenhum fez essa lista. Enfim.

  13. Dennis says:

    Meus meninos, querem séries a sério, vejam Breaking Bad, Peaky Blinders, The Alienist, Black Mirror, How to get away with murder, Prison Break (Primeira temporada apenas).

    • Tiago says:

      Peaky Blinders especialmente para mim porque vivo em Solihull, a 5 km’s de Small Heath 🙂

    • Hugo says:

      Boas sugestões.
      Gostei da referência “PB (1ª temporada)”, pois concordo que o resto é definitivamente “palha”.
      Breaking Bad, para mim, é uma das melhores séries de sempre pelo simples facto de ter mantido a coerência do primeiro ao último episódio.
      Já a Casa De Papel, como referiram acima e embora tenha gostado bastante, tem acontecimentos completamente sem sentido.

  14. George Orwell says:

    Se uma sala de cinema é o local certo para ver cinema, porém com o advento das televisões de dimensões generosas e a explosão dos canais por cabo americanos ( HBO, Showtime, AMC, FX, etc ) em desenfreada concorrência rompendo com a tríade generalista ABC/NBC/CBS, ao que se seguiu a recente inovação do IPTV proporcionado pela generalização da banda larga e velocidades de rede outrora inimagináveis, protagonizado pelo Netflix e Amazon Prime Video, tornaram as salas de cinema locais onde por vezes apenas se reunem uma dúzia de gatos pingados levados pelas borlas e promoções dos cartões, exceptuados os fins-de-semana onde a peregrinação ao cinema é um ritual a dois à falta de melhores alternativas ou como antecâmara horária de outros rituais.

    Na verdade, o cinema tem vindo a perder protagonismo para a TV, inundado que foi de filmes de super-heróis e o respectivo super-vilão ( só não há super-heróis que salvem a humanidade , vilões há tantos como os chapéus ) e de infra-heróis aos murros e tiros dos quais só sobrevivem devido à fraca pontaria do infra-vilão ( talvez por falta de treino na carreira de tiro ou da arma mal calibrada) além de uma panóplia de comédias românticas muito previsíveis numa eterna repetição dos mesmos temas mas que quase sempre terminam com um ameno “happy ending” para tentar valer o investimento no bilhete ( para “sad endings” já basta a vida real). Alguns filmes levam até a considerar que o realizador, actores e argumento são desprezíveis acessórios, o fundamental será uma espécie de videogame projectado por engano na tela do cinema onde os efeitos especiais, o som espacial, o imax bastam para contar a história ( se a houver ) só faltando o fornecimento de um joystick ao espectador ( além dos óculos ).

    Claro que, felizmente, há excepções.

    Mas tenho para mim que, em regra, o melhor espectáculo se mudou das salas de cinema para esparramanço no sofá da sala de estar ( as pipocas e a cola ficam bem mais baratas se adquiridas no Minipreço ou no Lidl ) onde o espectador pode ver o que quiser, às horas que quiser e, grudado pelo “plot”, pode até iniciar uma longa empreitada de episódios que só termina quando for traído pelo cansaço visual ou levado pelos primeiros raios solares ( se adormecer significa que o show não merece mais de 50% no ranking do Rotten Tomatoes ou 5 do imdb, seguindo a tabela de equivalências ).

    E não é por acaso que a cerimónia da atribuição dos Oscars tem vindo a perder audiência para a cerimónia dos Emmy, transformada que foi aquela num “sunset boulevard” de carpideiras(os) que aproveitam um momento em que só se devia celebrar o cinema, para, ao invés, perorarem sobre a causa política actual, declararem explicitamente a sua orientação sexual ( who cares ? ), e mais uns derramamentos de egos e, às vezes, lágrimas mais copiosas do que aquelas derramadas no “plateau” onde encenação e realidade se confundem.
    Com efeito, nos últimos anos apenas se tem safado a rubrica “in memoriam” onde são recordados os notáveis que faleceram nesse anocuja memória nos transpõe para uma outra época quando a sétima arte levava a filas e lotações esgotadas só contornadas por bilhetes da candonga, quando os bosques ainda eram sagrados (Hollywood) e quando o Humphrey e a Ingrid davam o mote :”Play It Again, Sam”.
    Hoje o mote é dado por “E tudo o vento levou” : “Frankly, my dear I don’t give a damn”.

  15. Ivan Leonardo says:

    The Expanse, melhor série sci-fi espacial da atualidade 🙂 é baseada num conjunto de livros, um dos trailers recentes: https://youtu.be/ikEzkqoZ7EM.

  16. Alex says:

    Aconselho vivamente a série Marcella.

  17. Tiago says:

    A meu ver, 6 melhores de sempre da Netflix(eu vejo Netflix UK, talvez nao tenha os mesmo conteúdo que em PT):
    Black Mirror – A verdadeira sátira á sociedade
    House of Cards – Calculismo puro e duro
    Cosmos – Genialmente concebida
    Breaking Bad – é já um clássico!
    Narcos – pelo fabuloso elenco e argumento
    Rick and Morty- Quem criou e escreveu esta série, merece um altar e um lugar no céu (ou inferno, depende do ponto de vista 🙂

    Mencoes especiais para World War II in HD Colour, 13 Reasons Why (muito “teenager” mas um bom conceito), Explain (tudo explicado como se tivesses 5 anos , The Dark (pelo argumento e banda Sonora) e por fim mas talvez umas das que mais me prendeu, Stranger Things!

  18. Marco Rocha says:

    Uma série na categoria de drama muito interessante é a SAFE!

  19. Ivo Daniel says:

    Ainda ninguém falou na 3%! Mais alguém aqui também viciou?
    Estou à espera da terceira temporada…

  20. Paulo Seichinha says:

    Recomendo também:
    – Designated Survivor
    – Atirador

  21. Gonçalo Luís Soares Duarte says:

    The 100

  22. Guilherme says:

    Ando a ver Better Call Saul(um cheirinho a Breaking Bed) e Fauda(conflito Israel/Palestina)

  23. says:

    Excelente lista, se estiverem na idade jovem decerteza que se irão identificar com alguma, no entanto não deixam de ser séries de palha e com hype, actores medianos e escrita idem.

  24. Tipsy says:

    As séries de culto da Netflix: Narcos e The Crown (duas das minhas séries favoritas), House of Cards, Black Mirror e Ozark.
    Assisti a Sens8, pena que foi descontinuada, havia muito potencial por explorar.
    Estou para dar uma oportunidade a Stanger Things.
    Desisti de Orange Is The New Black. Inicialmente era interessante, mas tornou-se algo cliché e monótona (a meu ver).

  25. Pérolas says:

    Já que estão no modo «dark» convém não esquecer da série Walking Dead.

  26. Antonio Pereira says:

    Taboo
    Absentia
    The deuce
    Punisher
    TWD

  27. Jorge says:

    The Handmaid’s tale, sem dúvida, a minha preferida atualmente!! Completamente “fora da box”, mas como não passa na Netflix ninguém conhece, só a casa de papel looool

  28. Toni da Adega says:

    Altered Carbon

  29. MS says:

    Embora numa onda teenager, gosto de ver Riverdale. Vê-se bem e mantém-me curiosa para ver o episódio seguinte.

  30. jaugusto says:

    Ok tb eu já agora:
    – Black Mirror
    – Inside Nº 9
    – Halt and catch fire
    – South park
    – David Chappelle
    – Comedians in cars getting coffe
    – Brooklyn nine-nine
    – Dark

  31. in corruptus says:

    Marco Polo
    Into the Badlands
    Westworld
    The Strain
    Better Call Saul

  32. The Onee says:

    Uma que ainda ninguém mencionou: outlander

  33. Nuno Veiga says:

    The Expanse e Westworld são sem duvida as melhores que tenho visto!!

  34. Skywalker says:

    Homeland, para mim é a melhor série da actualidade!!!

  35. HPM5 says:

    A netflix está com séries muito boas e com diversidade incrível, a pecadora e the end of f***ing world já vi e concordo com a sugestão são séries interessantes e que cativam para o próximo episódio, embora prefira a pecadora, as séries que sugiro
    Happy!
    The OA
    Falha
    The 100
    Caçador de mentes
    Black mirror (já devem conhecer)

  36. George Orwell says:

    Com todo o manancial de séries aqui apontado ficaria o telespectador munido para, no mínimo, um ano sabático a ver televisão, algumas delas de um qualidade excepcional que certamente as farão entrar no panteão da história da televisão.

    Mas levado por uma elementar justiça, chamo atenção para alguns seriados que passam na TDT, pese embora todas as limitações desta, seriados que, na minha modesta opinião, têm qualidade para competir com qualquer uma das aqui apontadas ( por favor, não me batam muito !).

    SIC – sábados, 12:00 – NOSSO MUNDO – Trata de temas do mundo natural com o melhor que a National Geographic, BBC, Explorer etc, munidas das mais modernas tecnologias, tem para oferecer ;

    SIC – domingos, 12:00 – VIDA SELVAGEM – O nome diz tudo, no momento exibe as grandes migrações animais sob a mira da alta tecnologia de câmaras ocultas exibindo uma extraordinária selecção do melhor que foi captado em milhares de horas de filmagem ( dispensando o celulóide, o digital não tem limite) ;

    RTP Memória – sábados ao meio da tarde e domingos ao meio da tarde e pelas 00:00 –É de uma provocatória “vulgaridade” ver por aqui John Ford, Howard Hawks, Stanley Kubrick, David Lean, Nicholas Ray, Steven Spielberg, Orson Welles, enfim, uns amadores armados em realizadores de cinema que nos entram pela casa a dentro como se não tivéssemos a “Casa dos segredos” e outras pérolas para degustar. Francamente! E chamam a isto serviço público de televisão !

    RTP Memória – aos sábados e domingos às 23:00 – INESQUECÍVEL e TRÁS PARA A FRENTE Entre no mundo desse guardião de memórias e grande profissional da televisão e rádio, sempre bem preparado e documentado que é Júlio Isidro, capaz de nos transporta para uma viagem a um passado onde podemos encontrar uma magia irrepetível que não pensávamos sequer ter existido e onde os entrevistados e os telespectadores saem ainda mais enriquecidos do que quando entraram. Cada um tem a sua história e é o conjunto de todas estas memórias e histórias que fazem a nossa identidade. Ao nível ou superior ao que de melhor no género se faz lá fora.

    RTP 1 – de quarta para quinta-feira, às 00:30 (hoje mesmo) – SEGURANÇA NACIONAL (HOMELAND ) – A intriga e acção no âmbito dos serviços secretos e operações especiais, atentados e toda a trama que acompanha a sua preparação sob a mira da inteligência, terreno fértil para traições, toupeiras e contra-informação, o quanto basta para uma “enternecedora” aguarela do que vai pelo mundo real. O bem esgalhado personagem Saul Berenson, assim como o seu comparsa das operações especiais assentam aqui que nem uma luva. Já a personagemagente Carrie Mathison peca por ter sempre a mesma expressão e tique facial de quem está sempre a dar com os burrinhos na água, nenhum ser humano aguentava a mesma expressão por muito tempo, sob pena de entrar em “burnout” definitivo. Mereceu um 8.4 no imdb.

    RTP 3 – horários variados – Documentários vários com destaque para “The Earth Furies” , as tragédias naturais que assolam o mundo.

    Fosse a TDT só isto e já merecia existir.

    • jaugusto says:

      Com anos de atraso e a horários absurdos… faltaram as 700 telenovelas.

      • George Orwell says:

        Nem sempre com anos de atraso ou horários absurdos
        A RTP 1 passou, quase em estreia mundial, aquela que já foi considerada a melhor série de 2017. Refiro-me à produção da BBC sob a batuta de Richard Attenborough “The Blue Planet – II”, tendo um dos episódios sido exibido como a atracção maior da noite de Natal – 2017, série esta que conta com imagens inéditas e de profunda beleza dos fundos submarinos abissais só possíveis através de sofisticados mini submarinos capazes de aguentar pressões proibitivas, além de, surpresa, imagens obtidas em Portugal na praia da Nazaré.

        Já quanto ao exagero de telenovelas só posso concordar. As “700” telenovelas ( que não aprecio ou acompanho ) tornam o panorama televisivo português muito próximo da América Latina. Mas tal não deve ofuscar para o que de bom é exibido, aliás, se as televisões continuam apostar em telenovelas é porque estas têm uma fiel audiência que lhes deve render maiores proventos em publicidade, o que contribui também para poderem adquirir ao exterior programas mais diversificados.

        Cumps.

  37. Pacheco says:

    Antes de ver quem escreveu o post já sabia que seria do sexo feminino.

  38. Madeira says:

    Séries há uitas e quase sempre com, pelo menos, a primeira temporada fixe; mas…
    A única série que realmente me “viciou” foi o 24 horas (com excepção da última temporada). Foi a única que fizeram maratonas na TV durante os fins-de-semana a passar toda a série de seguida, pelo que haveria muito público interessado naquele frenesim intenso.

  39. Rafael Argenta says:

    Há um aplicativo chamado
    Orakulum na play store que lhe faz perguntas e te da sugestões excelentes. Sempre funciona pra escolher com minha esposa ou amigos o que vamos assistir.

  40. Reinaldo Lourenço says:

    Séries há cada vez mais, é sempre uma decisão complicada escolher o q se vai ver a seguir, sobretudo qdo já se viu muitas e não se tem muito tempo livre para poder fazer escolhas erradas 🙂
    Vou ver The End of The F***ing World já que The Forest nao me convence (Safe já vi mas se não fosse estar lá o “Dexter” ninguém ía ver).
    As outras são boas, sugiro Dark por vez de The Rain. Já é uma boa base pra começar 🙂

  41. Vitor Pinho says:

    13 Razões, simplesmente incriivel

  42. Pedro Nuno Freire dos Santos says:

    Além de várias que falaram, Fariña.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.