PplWare Mobile

Recorde da distância! Tesla Model 3 percorre 2781km em apenas 24h


Autor: Pedro Pinto

Destaques PPLWARE

  1. camt says:

    Gosto de ver o canal do Youtube do Bjørn Nyland, já o sigo desde o tempo em que ele comprou o primeiro Tesla modelo D e o baptizou na brincadeira com o nome de “Millenum Falcon”, Ele faz sempre uns testes quase radicais a todos os modelos que tem ou que já teve e usou. :).

  2. Carlos Silva says:

    Quanto seria o recorde se ele tivesse de cumprir com o limite de velocidade de 120km\h? Aí a história já seria diferente.

    • Vilna says:

      “A velocidade média da viagem foi de 116km/h”

    • Sergio says:

      Se ler o artigo com atenção, verá que o recorde foi atingido na A20, na Alemanha onde apenas os troços mais congestionados das autoestradas têm limite de velocidade (130km/h) e daí muito provavelmente ter sido escolhida essa localização. Isto para além do facto de assegurar que teriam disponíveis postos de carregamento.

    • Rodrigo Da Silva says:

      podes tentar arranjar as desculpas que quiseres mas nao consegues tirar o brilho deste acontecimento.

  3. Jaguar XJ L says:

    Eu cá fico pelos carros a diesel/gasolina. 2090 km’s em 14 horas. ‍♂️

    • FSociety says:

      Qual o sentido do teu comentário?

      • Diniska says:

        Para mim faz todo o sentido, para quem tem que fazer 5.600 km em três dias, com 3 adultos e um adolescente de 14 anos mais bagagem e um gato e depois voltar, tudo isto tendo um mês de férias, duvido que conseguisse com o Tesla. Senão as ferias seriam passadas na estrada. Faz-te sentido agora?

        • Paulo L says:

          Portanto, quer você dizer conduzir em 1500 a 2000 km por dia sem efectuar paragens a cada 2 horas como é aconselhável e provavelmente em excesso de velocidade.
          Tudo isto com 3 adultos e um adolescente.

          É claramente um motivo para não ter um eléctrico.

          • Diniska says:

            São 3 adultos a revezarem-se na condução, parar para as necessidades fisiológicas e nunca foi excedido excesso de velocidade. Parar de duas em duas horas é para meninos. E sim, é claramente um motivo para não ter um eléctrico.

          • rui says:

            então e o gato?

          • Louro says:

            @Diniska,

            Parar de 2 em 2 horas é para meninos?

            Se quer opiniao, quem nao obdece as regras de paragens e afins deveria de ficar sem carta de imediato.

          • Rui says:

            @Diniska: “nunca foi excedido excesso de velocidade. ”

            Qual foi o excesso de velocidade que nunca foi excedido?

          • Paulo L says:

            @Diniska,

            É ás custas desse tipo pensamento, de que parar a cada 2 horas é para meninos que os acidentes acontecem e levamos com carros de frente porque o adulto se dormiu ou se distraiu

            Se voce me disser que em viagem de 1200 Km (10 horas) pára a cada 4 ou 5, eu entendo, se dormir bem a noite anterior dá para isso, mas numa viagem de 5600 Km em três dias isso seria no mínimo 43 horas de condução, se voce faz em 3 dias, significa que conduz uma boa parte de noite (sem luz do dia) e se realmente não excede a velocidade (o que eu duvido) então o período de descanso é bastante inferior ao aconselhado e provavelmente feito dentro do carro onde não tem as devidas condições para descansar.

            Se você realmente faz isso, então eu concordo consigo, é claramente um motivo para não ter um eléctrico, alias eu digo-lhe mais, é claramente um motivo para não ter carro de nenhum tipo ou mesmo a carta.
            Você não é um herói, você é um potencial assassino que coloca em risco a vida dos que estão no seu carro e muito importante a vida dos outros que estão nos carros á sua volta.

          • camt says:

            Esqueceste o gato, o bicho também conta, hehehe!!!

        • DEYVID DERIK DA SILVA says:

          Um carro elétrico seria ideal para ti caso existisse no Brasil rodovias com postos de carregamentos rápidos. Isto porque a autonomia do carro supera 600 km fácil, esta quilometragem seria o suficiente para intervalos de refeições. Então se você pretende fazer paradas em intervalos de 30 min em até 4 em 4 horas, você pode aumentar o ritmo do carro, mais potência e mais consumo sem se preocupar com o quantos de combustível isto lhe custaria, apenas cuidar com multas, mas ninguém se mata de correr quando está com a família dentro. Porém com um tesla você teria tudo que há de melhor em segurança e tecnologia, conforto e tudo mais

        • Toni da Adega says:

          Já são perdidos 3 dias na estrada por isso dizer ” Senão as ferias seriam passadas na estrada” não faz muito sentido porque isso já acontece. Mais hora menos hora pouca diferença faz.

          • rui says:

            sim, com essa escala de tempo para reduzir significativamente seria passar para metade, que é duplicar a velocidade a que se anda todo o trajecto (que é praticamente impossível)

          • Louro says:

            Pessoal sem nocao, que provavelmente que a viagem mais longa que fizeram até hoje deve de ter sido até ao Algarve…

            Eu cá, demoro exactamente o mesmo tempo a chegar a PT que demorava quando tinha carro a gasolina… isto porque a minha seguranca e a dos restantes é mais importante que chegar 2 horas mais cedo ao destino… Se nao chegar hoje, chego amanha… sem stress…

        • coelho says:

          faz todo sentido ter um tesla com piloto automatico…

    • Louro says:

      Se ignorarmos alguns factos nessa tua afirmacao…

      Velocidade média, 149km/h, acima do limite legal na maioria dos países,
      14 horas “sem parar”, é de tamanha irresponsabilidade que deveriam de tirar a carta de forma imediata sem sequer haver hipótese de algum dia voltares a conduzir.

  4. João Coelho says:

    Sim senhor, é realmente mais um motivo de notícia ! Aliás, esta empresa esforça-se por todos os dias ter uma novidade!?!? Mas, efetivamente está é uma ótima notícia! Parabéns, embora não seja da minha preferência!

  5. LSousa says:

    Para ter essa média de certeza que ultrapassou e bem os 120km/h….

  6. Esteves says:

    2781km÷24h =115.875km/h ora então ele fez isto e alguem me explica como fez uma média de 116km/h porque ainda falta subtrair o tempo de carregamento mais tempo de descanso de 2 em 2 horas como falam aqui nos comentários, e o burro sou eu?

    • Dani Silva says:

      Se reparar, a condução foi feita por diferentes pessoas…

    • Vasco says:

      Esteves não esperes respostas porque os que idolatram os carros elétricos não te sabem responder…

    • NyluS says:

      Já me ri bastante a ler os comentários por aqui mas este problema, visto ser puramente Matemático, tomei a liberdade de o elucidar.

      O Esteves calculou exatamente o dado do texto, 116 km/hora foi de facto a velocidade média de deslocação da viatura.

      Se eu lhe disser que fiz uma viagem de 2 horas em que andei 30 minutos a 50km/h, descansei 60 minutos e depois andei mais 30 minutos a 50km/h, a velocidade média da minha viagem é de 25km/h. Mesmo que o tempo em andamento seja igual ao tempo de condução.

      O que quero dizer é que a viatura pode ter estado parada 4/6/8 horas e ter a mesma velocidade média, caso nas horas restantes se desloque, em média, a 139/155/174 km/h respetivamente.

      Acho que consegue responder ao resto da sua pergunta sozinho.

      • Vasco says:

        Têm razão o Esteves pegou na média e fez os cálculos e eu cometi o erro de não refletir nos cálculos do Esteves, peço desculpa 😉

    • Paulo L says:

      @Esteves, perante a tua pergunta “e o burro sou eu?”
      Eu fiquei tentado a responder, mas acho que os comentários em cima ja te responderam de uma forma mais “politicamente correcta”.

      Aproveito para te elucidar que em grande parte das autoestradas na Alemanha so tem limite de velocidade em zonas de curvas apertadas, zonas consideradas de perigo ou em areas de construção.
      Assim que o tempo de parada, é depois recuperado em velocidade para manter a tal media de 116Km/h

  7. Fulano says:

    Eu gostava de ver era fazer isso numa viagem normal sem postos de carregamento…

  8. TugAzeiteiro says:

    Acho engraçado a quantidade de comentários retrógrados num site de tecnologia… O pessoal continua a defender tecnologia completamente obsoleta, que apenas continua em vigor devido ao lobby do petróleo, e à falta de conhecimento técnico das marcas automóveis tradicionais, em detrimento de inovação tecnológica que todos nós adoramos.
    Depois saem “estudos independentes” Alemães a dizer que o eléctrico polui mais que um carro a combustão…. pois… podera, o que é que os Alemães têm no mercado que consiga ser minimamente interessante? O e-Golf? o i3? Dois eléctricos ridículos, sem autonomia, e caríssimos!?
    Um motor a combustão tem uma eficiência energética ridícula, (sim… pesquisem, e não venham dizer que o hidrogénio é solução… estudem, leiam, informem-se, pois o problema não está só no carro, mas na produção – distribuição – armazenamento).
    Daqui a 6/7 anos quando os Alemães conseguirem fazer frente a um Tesla, irá sair um novo “estudo independente” Alemão em como os carros eléctricos são menos poluidores que os a gasolina… porque nessa altura já interessa vender eléctricos!
    Claro está que os carros a combustão vão fazer parte das nossas vidas durante mais umas décadas (eu tenho um e irei manter).
    Tal e qual como aconteceu no início do século passado, com o carro a combustão, este também não tinha grande autonomia (já nem falo em fiabilidade…), porquê? Simples… não havia uma bomba de combustível a cada esquina…. Para os nossos avós/bisavós fazerem 200km’s era uma aventura!!
    A história repete-se… e cá estamos nós no inicio do século XXI com os eléctricos, onde não há um posto de carregamento a cada esquina…..
    Portanto o desafio deste início de século é sim a eficiência energética, o aumento da produção com energias renováveis, a melhoria/estabilização da rede de distribuição e a eficiência no armazenamento!
    O futuro é a energia, já o era antigamente, no entanto apenas agora é que temos a tecnologia para desenvolver!

    • Louro says:

      Toma lá o meu like, please.

    • Ruy Acquaviva says:

      Excelente comentário.

    • IonFan says:

      Muito bem dito. Sabes que para a maioria da pessoas, o melhor carro é o que elas têm e, como a maioria tem diesel, o diesel é o melhor que há. Eu tinha um diesel e partilhava destas opiniões distorcidas acerca do eléctricos. Depois procurei saber mais e informar me e, espantem se, agora tenho um carro eléctrico e não volto a comprar um ICE. Vai demorar (menos do que se pensa) mas daqui a algum tempo, mais e mais pessoas vão ter um eléctrico e finalmente vamos ler nestes comentários que o melhor é o eléctrico. Só é pena que a razão vá continuar a ser porque é o carro que têm… Há coisas que não mudam.

    • LSousa says:

      Mas retrógrado o quê? Acho é paranóico sim essa obcessão pela eletricidade e sua dependência.
      Está mais que provado que a produção de um carro elétrico é mais dispendiosa que um de combustão interna. As baterias são feitas de quê? A eletricidade para os carregar obtém-se de quê? Sim sou plenamente a favor do motor de combustão em conjunto com o eletrico e hidrogénio. Pergunto então como consegues carregar o carro elétrico de todos os moradores de vários prédios que não têm garagens e muitas vezes nem local para estacionar? Sabes o que significa em termos de consumo energético teres 4 carros em casa a carregar? E estações de carregamento para todos? E a poluição visual e local em termos de aerogeradores e de painéis solares? Sabes se as linhas de alta e média tensão que já poluem a nossa visão são suficientes para satisfazer o apetite voraz e milhões de viaturas?
      Não sou retrógrado e eventualmente até sou mais pró-tecnológico que tu agora o futuro com carros apenas elétricos não me apraz de todo, talvez por ter conhecimentos na área é que me fazem levantar muitas questões que rodeiam a produção, transporte e armazenamento dessa energia. A própria construção de barragens provoca alterações no nosso planeta, milhares de km2 com painéis fotovoltaicos refletores, aerogeradores em cada colina, isto não é também poluição? Apesar de tudo a nuclear é ainda das mais rentáveis e eficazes formas de produzir energia mas a mesma levanta muitos riscos….
      Existem imensas máquinas que são movidas a eletricidade tipo os grandes camiões das minas, escavadoras, motores vários mas em ambos acabam por ser alimentados ou por um gerador alimentado a combustíveis fósseis ou por uma cablagem própria, ligada à rede geral…
      Obviamente agora instalou-se um lobby em volta de tudo o que é elétrico e isso necessariamente irá levar-nos para uma situação igual à criada aquando do surgimento do motor de combustão.
      Quero ter um carro que faça os 600kms que faço sem abastecer e quando for necessário fazer que o faça sem demorar mais dos 5 minutos que habitualmente demoro.
      Aqui para a polémica digo que a questão dos carros elétricos irá convencer-me quando lançarem baterias de carregamento ultra rápido e eficiente e quando conseguirem consolidar o transporte e produção desta mesma energia.

      • Toni da Adega says:

        Portanto estás preocupado (e bem) com a poluicao necessaria para o fabrico de uma bateria, mas depois ignoras a poluicao, da extracao, transformacao e transporte dos combustiveis fosseis (já nem falo da combustao).
        Estás a preocupado com a poluicao visual dos paineis solares, mas deves estar OK com o Smog.
        As barragens também sao más para o Ambiente, mas prefererias viver ao lado de uma barragem, campo com painéis fotovoltaicos ou ao lado de uma refinaria?

    • Wishmaster says:

      O problema está nos materiais utilizados no fabrico de baterias…são metais raros (materiais utilizados no fabrico, além do lítio que até existe em grandes quantidades).
      Na minha opinião, o VE tem muitas vantagens mas será necessário que se desenvolvam as baterias, o seu fabrico e materiais utilizados…
      Quanto à energia eléctrica, é também um problema. As barragens causam grande impacto ambiental, as eólicas causam impacto visual na paisagem, a nuclear já todos sabemos o perigo que representam em caso de catástrofe (seja natural ou por mão humana – sabotagem).
      É necessário perceber onde vamos buscar a energia eléctrica, a que custo e em que fonte…o impacto que a procura terá nos lares e nas famílias, em termos de custos energéticos, principalmente nos invernos mais rigorosos…
      A substituição de todos os veículos é, actualmente, uma miragem, principalmente por causa do fabrico de baterias….

      • Mateus Pinto says:

        Wishmaster, então segundo a tua teoria devemos continuar a extrair petróleo, usar combustíveis fósseis e gerar poluição atmosférica em zonas residenciais e hídrica (extração dos combustíveis) em vez de mudar para eléctrica / renováveis porque as barragens tem algum impacto ambiental e as eólicas ficam feias nas paisagens?! Lolol

        • Wishmaster says:

          Iremos continuar a usar combustíveis fósseis porque permitem colmatar as falhas das renováveis.
          Enquanto as renováveis não garantirem estabilidade no fornecimento de energia teremos sempre que usar combustíveis fósseis.
          Para chegar à estabilidade nas renováveis, sim, terá grande impacto.
          Penso que a micro-geração foi muito menosprezada, há pouca adesão porque, claro, as EDPs Endesas etc não querem….
          Penso que o caminho deveria a autonomia dos lares e empresas. A produção deveria ser local, libertando a rede pública um pouco…
          Se for só a rede pública e para nos libertarmos do petróleo, serão necessários mais parques eólicos, mais barragens, mais parques solares, etc…E sim, têm impacto no ambiente.
          O que não quer dizer que apoie a continuação dos combustíveis fósseis. Devemos diminuir o que podermos no consumo, mas não vamos dizer que as alternativas renováveis não têm impacto…..

  9. LSousa says:

    E só mais uma coisa o parar 40 minutos de 3 em 3 horas pode não ser um argumento válido por várias razões, quando faço viagem até ao estrangeiro paramos para reabastecer e habitualmente ttrocar de condutor ou seja não necessita de ser o mesmo condutor a fazer a viagem toda de seguida com o carro elétrico de momento és obrigado a esperar e outra coisa se por variadíssimas razões não quiseste ou PUDESTE fazer um full charge às baterias antes da viagem grande, passados alguns quilómetros após o inicio vais ter que parar esses 45 minutos em vez dos 5 para reabasteceres….
    Acho que é assim quem quer elétrico vá para o elétrico, quem quer hibrido, força, quem quer hidrogénio muito bem e quem quer combustão que o utilize, tudo depende do bom senso e da forma como se gere os novos motores….

    Por fim deixo aqui a pergunta numa situação de catástrofe onde a rede elétrica é das primeiras a sofrer (ainda à um ano aqui na região centro com aquela tempestade que atingiu o pais) houveram cidades que ficaram 3, 4 e mais dias sem energia elétrica (mas os combustíveis fósseis não terminaram), e sem comunicações pois estamos a ficar cada vez mais dependentes deste tipo de energia, se não tivessem sido os velhos motores de combustão a alimentar geradores portáteis ainda seria pior….

    • Wishmaster says:

      Exacto… Não só os “apagões” são um verdadeiro problema para os eléctricos como para a sociedade em geral. É sempre necessário ter combustíveis fósseis para garantir o funcionamento de vários serviços…então nos transportes, são essenciais.

      E os eléctricos vão sobrecarregar a rede eléctrica… Já aqui há uns tempos me contradisseram quando disse que Portugal não teria capacidade de produzir energia eléctrica que alimentasse todo o parque automóvel (caso este fosse todo eléctrico), mas provavelmente a pessoa teria razão e os eléctricos não representam dimensão tão grande em termos de produção de energia….Por outro lado, há uns dias, li isto (ver link em baixo)….Portanto…será que as redes estão prontas para que se faça a transição? Penso que se for lentamente terão tempo de se ajustarem. Se fosse rápido, seria o caos…

      https://pplware.sapo.pt/motores/boom-do-carro-eletrico-na-suecia-ameaca-fornecimento-de-energia/

      • costa says:

        Basear a locomoção só num tipo de energia que ainda por cima não se pode armazenar em casa!!!! para mim não serve enquanto assim for e não prevejo que se altere nos próximos anos…enquanto assim for o carro electrico não passa de um brinquedo caro…

    • João Coelho says:

      Essa é uma questão do tipo zero! Nunca savaguardamos o corte da corrente elétrica! E contudo a dependência dela poder uma questão de vida ou …!

    • Luis says:

      Sem entrar em polémica, uma questão.
      As bombas de combustível funcionam sem energia elétrica? Quem só tem veículos de combustão, mantém um cavalo por perto para uma emergência?

  10. LSousa says:

    Ouçam eu estou preocupado com a poluição mas a poluição não é ó isso vejam o caso do plástico nos oceanos, acho sim que se está a cair no histerismo de 100% eletrico, e acho que a solução não passa só por ai devia haver uma misto de várias tecnologias, as barragens com o seu enchimento alteram toda uma vasta área circundante, etc,etc…
    Acho que deverá existir bom senso, não vejo aqui o pessoal a defender que se evoluam os motores a combustão para reduzir a sua poluição pois se por exemplo a energia eletrica para um carro eletrico feito de baterias que depois tb serão descartadas, se essa energia advir de uma central termoeletrica alimentada a carvão, se isso não contrbuirá para uma poluição enorme,

    • João Coelho says:

      É óbvio que as baterias são só mais modelo de negócio para a indústria! A Tesla quer apropriar-se dessa tecnologia, para depois controlar o mercado! E para isso conta com a engenharia do modelo de negócio adotado pelo CEO, que consiste basicamente no constante publicitar da marca Tesla, apelando ao ambiente verde! É uma ideia que vende sobretudo na classe social de rendimentos elevados, que é aquela que lhe dá dinheiro!

  11. Valério Rebelo says:

    Claro que o futuro é a energia eléctrica.
    Tem todas as condições para isso.
    Já nos anos 80 se discutia isso no café e eu era um dos não concordava.
    Vamos aos pontos.
    Eu já fui instalador de Aquecimento Central, e usava sempre este argumento para “combater” o piso radiante eléctrico ,se colocar aquecimento por circuito central a água pode sempre escolher a energia que quer (lenha, gasóleo, solar fotovoltaica, …), porque as “modas” mudam normalmente tem ciclos de 20 anos.
    Partindo deste princípio o carro eléctrico ganha pois ele consome eletricidade mas a sociedade pode escolher qual a fonte, mesmo a hidrogênio, pois se podem fazer centrais a hidrogênio.
    Conhecem alguma central a gasóleo ou gasolina? Porque será?
    Claro que não compensa, motores de combustão são sem dúvida o grande lóbi dos últimos anos, com tecnologia só ao alcance de meia dúzia de grupos.
    Se as baterias hoje são um problema, estou convencido que deixaram de ser dentro de 5 anos
    A rede elétrica não será problema se não quiserem, a Alemanha já tratou disso, (os Leaf, estando ligados há rede, tanto abastecem-se como abastecem a rede, se repararem na notícia da Noruega mencionada acima é isso que os distribuidores pedem no final.

    • Paulo L says:

      Adicionando ao que o Valerio comentou o seguinte, numa rede onde estacionamentos estejam disponíveis com pontos de carga ( que chegaremos lá), o eléctrico pode ser realmente ser uma solução para diminuir a dependência em energias poluentes. O carro torna-se numa bateria portátil da rede, carrega de noite em período de vazio e vende de volta a rede durante o dia.

      montar um posto de carga por espaço de estacionamento de uma avenida inteira, sai mais barato do que montar uma “bomba de combustível” alem de que é ainda mais rápido de instalar e cria menos impacto na cidade.

  12. LSousa says:

    Como é que colocar milhões de pontos de carregamento sai barato? E acham que haverá muita gente a devolver para a rede a sua preciosa carga? E se quando sair do trabalho necessitar de repente fazer uma viagem maior?
    Acerca das bombas de gasolina é um facto que funcionam a energia eletrica mas no caso do último temporal, foi alimentada por um gerador e daí passadas poucas horas ficou a funcionar durante dias….
    Volto a repetir não sou contra os carros eletricos, sou sim contra o fanatismo, que querem fazer evoluir a todo o custo e cada vez nos tornar mais dependentes de coisas… Os lobbies existem e irão passar dos motores de combustão para os eletricos é tudo igual só muda o cheiro….

    • Paulo L says:

      Imagino que estejas a responder ao meu comentário, acredita que sai mais barato montar uma rua inteira com pontos de carga de que uma bomba de combustível no final dessa mesma rua, ou tu pensas que abrir um buraco para passar um cabo de energia e montar uma porcaria de uma tomada?

      Claro que estou a ser simplista, mas acredita que a estrutura necessária para um bomba de combustível é bem mais complexa de que para uma tomada.

    • António Fagundes says:

      LSousa apoio tudo o que mencionas e não poderia fazê-lo melhor , só acho que te estás a cansar, porque falas para surdos. O maior cego é aquele que não quer ver.
      Ignorar ignorantes é muito mais produtivo do que tentar pedir as pessoas para verem a 360 graus.

  13. Valério Rebelo says:

    LSousa
    Devolver preciosa carga? O serviço é pago como é óbvio.
    Ninguém vai ser obrigado a devolver a carga que vai precisar no dia seguinte.

    Qual fanatismo?
    Chamar a atenção para uma possível sociedade, é fanatismo?
    Ninguém está a obrigar ninguém, apenas vejo pessoas a discutir um assunto que há muita informação e contra informação, eu como já há vinte anos, que me debato contra o peso excessivo, que um automóvel tem nos orçamentos das famílias e desde que as energias alternativas, passaram a ser viáveis, que percebi que temos todas as condições, para termos uma sociedade mais justa.
    Vamos “filosofar um bocadinho”.
    Imagina que, com os vários sistemas de produção eléctrica caseira que se anunciam cada um de nós produz a sua energia, isso seria uma mudança total da sociedade.

    • LSousa says:

      Estás a alimentar os lobbies das baterias e paineis solares, volto a referir que não sou contra, volto a repetir que isto está a tornar-se um fanatismo. Obviamente existem muitos interesses para essa produção de baterias, paineis fotovoltaicos, etc…
      Pergunto e com os plásticos, e com a poluição em geral, os excessos em termos de desperdicios, alguém daqui fala disso?
      Neste momento e pelo que li o nuclear sem é o mais eficaz e eficiente para produção de energia, agora muito perigoso….. Sou contra apenas o eletrico nas condições atuais tal como sou totalmente contra os pilotos automáticos etc isto para um carro meu. Conduzo milhares e milhares de quilometros por ano e tenho muito prazer na condução e para mim estar 30 a 40 minutos à espera de uma bateria a carregar que depois de alguns anos vou necessariamente ter uma grande despesa para ser substituida….
      Aqui para a cidade como carro secundário e porque tenho garagem para o carregar aceito mas como carro principal um carro 100% eletrico, obrigado mas não.

  14. Rui Aguiar says:

    Pode não ser para todos, mas ao menos no elétricos vai existir a possibilidade de fazer o carregamento em casa própria. Nos carros a combustão temos de nos deslocar para as bombas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.