Quantcast
PplWare Mobile

Super Soco TC Max: A moto elétrica que custará 4499€ e pode atingir os 100 km/h

PUB

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Marcos says:

    Penso que veiculos como este nao tem futuro, pois 110 km nao é nada, e nao nos vamos esquecer que é uma mota eletrica… so de dizer isto parece um crime. E por 4400 euros vai-se buscar uma 125 de luxo ou por mais 600 uma 300. Que nao tem autonomia, é so ir a bomba de gasolina abastecer e aposto que ainda sai mais barato do que carregar esse, esse, bem… essa coisa. E carros ainda é aquela coisa de nao quer saber e pode ir buscar um eletrico caso tenha essas possiblidades… mas quem vai buscar uma mota, 90% dos casos é porque tem um fraquinho por veiculos de duas rodas… e ninguem desses 90% quer um brinquedo do toys r us em que compramos para os nosso filhos por 200 euros. Mas tambem é a minha opiniao, E vale o que vale.

    • Toni da Adega says:

      Isto é mais uma mota urbana e feita mais para o trajecto casa-trabalho-casa.
      A nao ser que se trabalhe muito longe a autonomia é mais que suficiente. Com a vantagem que as baterias sao removiveis. Basta chegar ao trabalho e ligar a bateria á tomada e está pronta para mais 100KM

    • Costa says:

      aziado qb…jesus

    • Pedro says:

      Diga-me quantos kms faz em média uma pessoa por dia, em deslocações diárias durante a semana.
      😉

      • Toni da Adega says:

        Segundo os comentários de artigos do género (principalmente nos carros electricos/Tesla), as pessoas fazem em media 2.000 a 3.000 Km de forma continua por dia.

        Agora para quem for uma das raras pessoas que reside a 30/40Km do trabalho ou que tenha atravessar a cidade isto é uma boa opcao.

        • toni da adega 2 says:

          isso dá 730 MIL kms por ano.
          wow..

        • toni da adega 3 says:

          “Agora para quem for uma das raras pessoas que reside a 30/40Km do trabalho ou que tenha atravessar a cidade isto é uma boa opcao.”

          Conhece alguém, que não é raro portanto, e que faça 2000km para ir trabalhar?
          Ou seja, tipo de Pais até qui a algures para trabalhar???

          Quantos kms faz um camionista por dia?
          Ou o Sr. Toni se enganou, ou deve rever as suas fontes, pois não me parece que faça muito sentido

          Em todo o caso isso é irrelevante.
          Venha esta super soco!!
          Finalmente começamos a ter MOTOCICLOS elétricos, com preço mais justo.

          • Toni da Adega says:

            Ei nao sou eu que o digo, eu disse “Segundo os comentários de artigos do género”.
            Basta ir ver artigos de veiculos electricos e e tudo a queixar-se que 600 km de autonomia é muito pouco e fazem muito mais que isso por dia de seguida. Assume-se que fazem no minimo 1500km por dia.

            Eu sou dos sortudos que reside perto do trabalho, de tal forma que nem conduzo, vou de bike que é muito mais rapido que estar parado no transito.

            em relacao á Soco, estou a pensar comprar uma, 100km de autonomia é mais que suficiente para mim, e o facto de ter baterias removiveis, caso seja necessario posso carregar no trabalho.

            Mas isso sou eu um sortudo que trabalho a 10km do trabalho, porque segundo o que se pode ler 100KM de autonomia nem para o trabalho dá dar para ir.

          • Hugo says:

            Toni deve haver aí algum erro pah. 1500km por dia é muita fruta. Nem um camionista faz isso num horário de trabalho completo.

          • TelecomGuy says:

            Só se pode ter enganado. “Ninguém” faz 2.000km por dia para ir trabalhar… nem para viajar quanto mais ir trabalhar.

            É que isso equivale, literalmente, a viver em Lisboa e trabalhar em Roma, por exemplo.

          • Toni da Adega says:

            @Hugo
            Isso é a opniao dos maiores experts do mundo (AKA comentadores pplware). Basta ir aos artigos de mobilidade electrica/tesla. É tudo a cascar a dizer que 600km nao dá para as necessidades diarias.

          • Luís Costa says:

            Mas… mas… mas… as pessoas não percebem que era um comentário irónico sobre o facto de as pessoas se queixarem da autonomia de um carro ou mota quando isso é zero importante pq secalhar durante uma semana nem chegam aos 200kms?
            Malta… toca a comer como deve ser que esses cérebros estão muita lentinhos…

          • Hugo says:

            Humm…sinto notas de ironia 😀

          • met says:

            Oh Toni, deixa o vinho. 300km é ir ao Porto. Quantas pessoas fazem isso? É uma viagem de mais de duas horas. Achas que “em média” as pessoas fazem 9 horas por dia de viagem? Não te lembras bem dos artigos com certeza

        • Bruno says:

          Andas a beber da boa 2000km ao dia??? Fontes disso porque digo t já impossível. Eu trabalho com veículos eléctricos e térmicos e nenhum repito nenhum faz isso, nem as de transporte entre países europeus porque devia-o ao tacografo tem de parar OBRIGATORIAMENTE. Portanto ou não sabes ler ou andas a fazer conversões malucas

        • Miguel says:

          Toni,
          se já leste esse tipo de comentários
          como é que escreves sem cuidar que putos de 4 anos consigam entender o que queres transmitir?

          ,)

        • Jacs says:

          não é possivel fazer 2000km por dia só de avião

  2. André Fontes says:

    ….até 400€, nenhuma custa menos de 2k por isso podem mesmo falar em 400€ de incentivo governamental ou dizer que é “até 20%” já a considerar a pior das hipóteses do ponto de vista informativo, agora afirmar que são 20% mais do que falta de rigor é errado.
    Outra questão que levanto, apesar dessa velocidade máxima não virá limitada a velocidade de um “papa-reformas” como as outras? Lol

  3. Mateus says:

    O modelo para mim é muito engraçado mas a autonomia de ATÉ 80 km (no vosso anúncio tem 110, no link versão portuguesa tem 80) é uma tristeza. Isso significa que com a bateria cheia pouco podes andar e carregar cada dia ou quase (e 2-3 anos depois a gastar muitas centenas de euros numa bateria nova).

    • Mateus says:

      Vi agora que se referem à “Max”. A versão normal é 80 km a 75 km/h (ou 160 km autonomia com 2 baterias). Não encontro info sobre a Max. No entanto 110 km também serve para pouco. Tive uma scooter e com 1 depósito fazia 150 – 200 km e estava frequentemente a atestar…

    • Álvaro Campos says:

      Porque falas em “2-3 anos” de vida útil das baterias?
      Quando híbridos com mais de 5 anos tens na estrada e que nunca trocaram baterias? Sejam híbridos plug-in ou não!
      Gostava de ver de onde vêm esses “2-3 anos” pois já não é a 1ª vez que falas no assunto…
      Há informação e má informação e a má informação também acontece quando se mandam uns bitaites só porque sim.

      • Mateus says:

        Não é a 1a vez que falo do assunto e sei de 2-3 anos porque sou inteligente. Má informação só se for da tua parte, mas se deixares o raciocínio para outras pessoas vai tudo correr bem.

        Exemplo: A maioria das baterias das bicicletas e motas eléctricas duram 300 ciclos, depois declinam radicalmente. Se os carros elétricos da Tesla tem muita autonomia e as baterias duram anos, os da Renault e chineses tem pouca autonomia. A não ser que vás ao café do lado… de carro elétrico, a maioria vai atingir os 150 km de autonomia em 2 dias, logo fazes mínimo 200 ciclos ao ano. Na realidade todos que conheço que vão para o trabalho de moto ou carro utilitário, compras e mais umas voltas fazem uns 10000 km/ ano (mínimo).

        Se a bateria dá 100 km de autonomia (máxima em condições ideais! Realisticamente conta com 75% disso) são 100 carregamentos ao ano. Até 300 ciclos 3 anos.

        Portanto: tu e todos são livres de fazerem o que quiserem, não posso é deixar pessoas como tu taparem os olhos às pessoas da realidade e derrota de 2-3 anos andam a chorar o dinheiro que gastaram. O povo português não merece. Se ainda assim quiserem força, é em plena consciência.

        • AqueleQueEstáFartodeDemagogia says:

          Por acaso, raros são os carros Renault ou outras marcas com elétricos nos dias de hoje cujas baterias não durem pelo menos 8 anos. Quanto muito ao fim de 4/5 anos começam a perder capacidade e podem estar nos cerca de 80% o que ainda daria para 80kms de autonomia.

          Quando no dia a dia a maior parte das pessoas não faz 80kms diários, a autonomia chega perfeitamente.

          Não é para toda a gente? Claro que não, mas não vale a pena deitar a baixo só porque não se gosta.

          A velocidade chega perfeitamente, poucas 125cc dão muito mais que isso, e em ponto nenhum a marca afirma ser uma mota boa para grandes viagens em auto-estrada.
          É uma moto citadina, para trajetos até 100kms e com baterias amovíveis pode chegar a casa e carregar na boa. para quem tenha contador bi-horário pode carregar durante a noite e ter mais 100kms de autonomia no dia seguinte.

        • Alvaro Campos says:

          Pois falo do que sei…. O meu Prius tem 6 anos e as baterias estão novas.
          Agora, tu fico sem saber se sabes do que falas ou se falas do que lês/ouves.
          Sinceramente fiquei à espera de um link para um estudos justificar o que escreves, enfim espectativas demasiado elevadas.

        • Joao says:

          Onde foste buscar a info de que as baterias duram 300 ciclos?

          • Jacs says:

            As baterias estao sujeitas a desgastes: Ao longo do tempo, a bateria pode armazenar menos energia(e carregar mais rapido)e portanto, tem menos autonomia.Este proceso químico de desgaste começa desde o momento da sua fabricaçao e aumenta com o uso. Temos que destacar que en algumas webs encontramos lugares onde se fala de um número concreto de cargas (500 o 1000).Esta informaçao é erronea, já que é evidente que usar uma bateria 50 vezes ao ano nao significa que a bateria dure 10 ou 20 anos.

        • met says:

          Estás a falar de baterias de chumbo que duram sim os 300 ciclis, mas não é o caso desta, que é de litio e deverá durar 1.000. ou seja, é só 3x mais tempo do que os teus cálculos. Acho mal que te tentado enganar o pessoal só para nao ficares mal visto.

          • Mateus says:

            Enganar está quem está mal informado e passa a palavra.
            A duração em ciclos de uma bateria de iões de lítio ou polímero de lítio depende dos eletrodos, pureza e isolamento.

            Por ser uma bateria de lítio não tem que durar mais que 300 ciclos! Isso é completamente falso. As baterias de marcas de telemóveis conhecidas duram entre 500-1200 ciclos (para perder 20% da capacidade). A maioria das das bicicletas, motas e patins elétricos são muito grandes e potentes mas pelo preço a qualidade é baixa. Em 300-500 ciclos 20% da capacidade é perdida.

            Para quem vem falar “ah o meu prius dura 6 anos “: o teu prius não é 100% elétrico e logo uma pequeníssima percentagem dos km advém da bateria.

            Realidade: já tive muitos aparelhos chineses antigos e portáteis com baterias de iões de lítio em que após 100 ciclos (como muito)a perda de >20% da capacidade era notória. Agora se querem negar a realidade e fatos, força, ninguém proíbe.

          • Elon Musk says:

            @Mateus seria interessante documentares e fundamentares esses dados porque eu também posso vir para aqui dizer que sou o CEO da TESLA e que o que dizes não é verdade.

        • Joao says:

          Um pouco de modestia nesses comentarios não te fazia mal nenhum. E alguma educação só fazia bem.

        • Toni da Adega says:

          Se as baterias só aguentam 300 ciclos de carga, entao telemoveis morriam passado 1 ano.

        • BRUNO COIMBRA says:

          ”Não é a 1a vez que falo do assunto e sei de 2-3 anos porque sou inteligente” deves ser inteligente mas é em tua casa e sabes do assunto como sabes de plantar batatas…enfim mais um entendido na materia mas nem sabe de que materia fala.

          Tens renault com 400km de autonomía 320 reais e comprovados.
          se tens duvidas podes perguntar a quem realmente TRABALHA com eles

          • Mateus says:

            Lol tu trabalhas com eles, eu fabrico parte deles. Força inteligente.

          • Bruno says:

            Sim e escreves essa barbaridade?! Fábricas os pneus só se for e se não mal estamos. Primeiro se fábricas “eles” não sei o que te contam da produção das baterias que aos fabricantes de carros continua a ser uma caixa negra, LBC/BMS que mede e gere a bateria, onde não é só a pureza dos elementos mas o tipo de carga duração da mesma ciclos de temperatura desgaste por stress eléctrico (extremos do SOC) e tudo isso é outras tantas q ainda n se sabe muito bem, nem um dos maiores fabricantes de baterias LG, tudo isso influencia o SOHe portanto volto a dizer tu fábricas os parafusos de fixação da bateria ao chassi de certeza. Tens dúvidas passa pelo único centro de reparação de baterias de tração na península ibérica do grupo Aliança e falamos

        • Pedro says:

          300 ciclos? A marca diz 700 no site. Mesmo que faça os 600 é bom.

    • José says:

      Amigo Mateus, a autonomia de 80km é na versão anterior Super Soco Tc.
      Esta nova versão é a Super Soco TcMax, tem uma bateria mais potente.

  4. Pedro Ribeiro says:

    100Km/h?! Estamos em 1948 e ninguém me avisou?!

    • Mateus says:

      Se ainda não percebeste como o Álvaro Campos eu faço um esquema: estas motas tem autonomia máxima de 100 km, logo são para cidade, logo na cidade não tens autoestradas, logo não andas a mais de 100 km h.

      Se queres muita velocidade compras uma CBR 600 usada e arriscas a ir “de esta para melhor” numa estrada longe de tudo e todos.

      • Pedro Ribeiro says:

        São para aquilo que quisermos. Mas com essas limitações, não irão longe…

        • Eu Mesmo says:

          Realmente a autonomia é pouca, mas… eu faço 64/66Km todos os dias para ir para o trabalho e voltar a casa. Logo para mim a mota fazer apenas 100Km é na boa, só não posso é esquecer-me de a por a carregar durante a noite (mas isso acaba por ser um habito)

          • AqueleQueEstáFartodeDemagogia says:

            É como carregar o telemóvel todos os dias!

            E ainda por cima gastar 40 cêntimos para fazer 100kms é coisa que em qualquer scooter é uma miragem.

          • Joao says:

            Para ti e para a grande maioria da população do mundo ocidental. Pouca gente faz mais de 100km diarios .

        • dqdd says:

          irão 100 kms a correr bem.

        • Hugo says:

          Claro que NÃO são para o que quisermos. Assim como um Smart ou uma R1 não o são.

          • Pedro Ribeiro says:

            Claro que são!

          • Hugo says:

            Não, não são.
            O facto de poderes ir para o mato numa Hayabusa ou ir à Alemanha de bicicleta não faz disso boas opções. Tudo tem um propósito e em lado nenhum diz que este veículo é todo o terreno, familiar…whatever.

          • BRUNO COIMBRA says:

            Pedro Ribeiro ese é o pensamento de quem compra as coisas sem saber para o que servem ou como vai usar, depois choram que nao cumpre com as expectativas ou da demasiado problemas.
            Um dos fatores de maior insatisfacao com um automovel comeca por uma atitude ainda antes da compra, nao saber ajustar ao estilo de vida ou utilizacao real

    • Alvaro Campos says:

      Da mesma forma que os construtores de veículos, digamos tradicionais, anunciam consumos “milagrosos” estes anunciam 100km.
      Vai tudo depender da forma de condução e percurso, da mesma forma que acontece nos motores de combustão.
      É muito ou pouco? As tuas necessidades o durão…

    • iDespairing says:

      Na ilha da Madeira essa é a velocidade máxima permitida. lol

  5. Str says:

    Tá barato. Já vi televisores mais caros!!! 😉 😉

  6. Luís says:

    Por este preço, se não derem pelo menos 130 e não tiverem autonomia para mais de 100km não me parece que vá ter muito sucesso. Por menos 1000€ já se compram 125cc muito boas e económicas. E 1000€ em combustível nestas motas dá para muito km (contas por alto: mais de 20.000km). Não vejo estas elétricas a compensarem nem a longo prazo… Ao fim de 20.000 km o mais provável é já se terem passado 3 ou 4 anos e já ser necessário novas baterias (não só pela idade mas também pelo número de ciclos)

  7. Pedro says:

    Não podem comparar o objectivo desta mota com outras no mercado.
    Com autonomia de 100km (mesmo que reais sejam uns 80 vá) e essa velocidade de ponta chega perfeitamente para o ambiente urbano.
    Não me importava de ter uma destas, tenho uma desportiva e no dia a dia não ando a mais dessa velocidade 90% do tempo, já que em 1ª a bicha dá mais de 159 eheh

  8. Pedro Alexandre Costa Arantes says:

    Tanta discussão e tão pouca coisa acertada…

    Para começar comparar baterias de bicicletas/trotinetes(ou seja brinquedos) com baterias de motas/carros eléctricos mostra graves falhas no raciocínio…

    Quando falam de pouca autonomia é porque decididamente não querem olhar para a realidade.. Ninguém faz 80km por dia em cidade.. Isto é uma mota para cidades, não para percursos longos devido à sua velocidade máxima.
    Eu usava uma keeway speed cuja velocidade máxima é de 104km/h a descer… Demasiado perigoso conduzir em autoestrada, embora seja permitido, porque a velocidade média a que circulas é a mesma de um camião e nas subidas não os consegues ultrapassar…. Quem faz trajectos em cidade para ir ao trabalho se fizerem menos de 10km a cada sentido so precisam carregar uma vez por semana.. Se trabalhares a mais de 50km de casa não vais querer uma mota com esta velocidade máxima… Eu fazia 75km por dia com a keeway e bem sei o que custa mesmo que vás pela nacional em que consegues facilmente estar a velocidade superior aos restantes veículos.
    A autonomia da mota em 160km é largamente mais do que o necessário para a sua finalidade.. A menos que decidas fazer um road trip com ela terás sempre autonomia para chegar a casa no final do dia e aí podes ligar de novo o carregador.. Tal como fazes com o teu telemóvel

  9. Bebeto says:

    Que bomba relógio só trouxa pra comprar isso,não deixo minha Yamaha fazer jamais. Kkk

  10. valeri says:

    Boa… A minha velhinha DT LC 50 tinha uma autonomia e velocidade bem maior… Continua a compensar mais ter uma DTR 125 -R ou até mesmo uma CBR 900 que essa coisa

    • Joao says:

      Se a tua LC tem uma velocidade superior a 100 é porque é ilegal. Estamos a falar de veiculos de fabrica.
      E com esta não andas o dia todo a cheirar a auto-lube =P

    • Hugo says:

      Compensar para quê? Convém definir os objectivos. Essa informação é tão vaga como dizer que compensa mais um bife de frango que uma picanha 😀

  11. Joao says:

    Há aqui N comentarios a queixarem-se da autonomia e velocidade maxima desta mota. A essa gente peço que pensem nos seguintes factores.

    – É uma mota electrica e portanto a entrega de potencia é practicamente imediata o que faz com que possa ser bem divertida.

    – Está pensada para trajectos urbanos, onde dificilmente se pode atingir velocidades superiores a 100km/h

    – Poucas pessoas necessitam de uma autonomia superior a 100km.

    – É mais practico e mais rapido ter que ligar a mota à corrente todos os dias que ter que ir a uma bomba de gasolina dia sim dia não. Lembrem-se que o mundo não é só Portugal e se em Portugal é relativamente facil ir a uma bomba de gasolina, há muitos países onde não o é.

    – É um veiculo sem emissões (locais) logo não está abrangido por possiveis restrições ambientais. Mais uma vez, lembrem-se que o mundo não é Portugal e há muitas cidades em que os veiculos que não sejam “ecologicos” não podem circular livremente.

    • Pedro Ribeiro says:

      Para isso há bicicletas. E nem sequer tens que te preocupar com questões como baterias e autonomia.

      • Joao says:

        Desculpa mas esse comentário parece-me absurdo. A bicicleta é obviamente muito mais lenta e exige um esforço físico. Nem toda a gente se pode dar ao luxo de chegar ao trabalho suado, mal cheiroso e desarranjado. Bicicleta pode servir para cobrir curtas distancias mas se tens que fazer 35km em cada sentido não é viável.
        Imagina que vives na povoa de santa iria e trabalhas em benfica. Quanto tempo demoras em bicicleta? É que com a bicicleta não podes ir para nem pela auto-estrada nem pela 2ª circular.

        • Pedro Ribeiro says:

          Isso já é uma ligação entre duas localidades. O que aconteceu aos “trajectos urbanos”?

          • Joao says:

            O facto de pertecerem a concelhos diferentes não significa que seja um trajecto “rural”. Mas se queres ir por aí, substitui esse trajecto por prior velho – restelo.
            Não percebo onde queres chegar…qual é tua conclusão? Que não tem sentido as pessoas deslocarem-se sem ser de bicicleta ou transportes publicos, é isso?

      • AqueleQueEstáFartodeDemagogia says:

        Por esse prisma andar a pé é a solução…

        Comentário Absurdo

      • Toni da Adega says:

        Eu vou de bike para o trabalho todos os dias e é uma boa opcao.
        Mas dizer que fazer 20/30 KM 2x por dia para o trabalho de bike ou de mota (neste caso electrica) é a mesma coisa está completamente errado.

        • Pedro Ribeiro says:

          Claro que não é a mesma coisa. Como disse, Na bicicleta não há preocupações com a bateria. E referia-me a circular em circuito urbano.

          • Joao says:

            Nem toda a gente é da Lourinhã. VOlto a repetir, o mundo não é só Portugal e há cidades por este mundo fora onde é necessário cobrir distancias que são impraticaveis de bicicleta. Ë que por essa ordem de ideias vamos todos a pé, comunicamos por sinais de fundo e desfazemos a revolução industrial.

          • Toni da Adega says:

            Numa mota “normal” tambem tens que ter a preocupacao de abastecer, nao vejo onde está o problema. E a tus resposta foi :”Para isso há bicicletas. “

      • Louro says:

        Também podes andar a pé e deixas de te ter de preocupar com manutencao da bicicleta…

  12. Delmar says:

    Eu tenho um projeto que já está em fase de teste desenvolvimento quer atingir a velocidade de 180km por hora tá altamente elétrica e que não precisa recarregar logo logo vai estar na mão de todos porque não tenho recurso para investir mais

  13. Marco says:

    Faço 120Km diários, mas acho que comprava…carregava aos 60Km para conseguir regressar e resolvido…o único problema era ser mota e estarmos a ir para o Inverno!

    • Pedro says:

      Quando sair iremos estar a caminha para o Verão 🙂
      Esta acho que já vale apena e tem um preço bem mais justo (e acima de tudo, para mim, não é uma scooter, falando em design)

    • Joao says:

      Isso do inverno é psicologico, é uma questão de habito. Vivo numa cidade com um clima bem mais rigoroso que a maioria das cidades europeias (mais quente no verão e mais fria no inverno) e ando de mota todos os dias. Até te digo que a pior estação é o verão. Se tá frio, abrigas-te. Se chove, vestes o fato de chuva. Se faz calor, f@d3s-t3.

      • Marco says:

        Não sei, para mim mota e chuva não é grande coisa…até porque temos mais binário bem cedo e pode dar erro. Outro ponto é andar molhado até os c****** o dia inteiro 😀 existem esses fatos de chuva mas…

        • Elon Musk says:

          Se andares bem equipado não te molhas. Agora que é chato andar a vestir e despir o fato de chuva, botas, etc. lá isso é. Mas na minha opinião é muito mais chato ficar preso no transito e perder tempo de vida sentadinho no carro a olhar para a matricula do carro da frente. Se gostas realmente de andar de mota vais ver que acabas por te habituar e acabas por disfrutar imenso da mota. Já para não falar do tempo que poupas e de que é, regra geral, um meio de transporte mais ecologico e economico.

          • Marco says:

            Por acaso não fico muito tempo preso em trânsito, mas é uma opção que gostava de explorar, especialmente pelo estacionamento.
            Falando nas motas eléctricas, existem as Zero Motorcycles que são opções interessantes caso o custo não seja problema. A zeev parece que as vende por uma pipa de massa 😀

        • Toni da Adega says:

          Sao opcoes, quando está transito, demoro 1h a chegar a casa. De mota sao 20/25 minutos.
          No final do dia poupa-se 1h em transito

          • Elon Musk says:

            Pois…e no final do mes poupas 20 horas, o equivalente a 2.5 dias de ferias.

          • Toni da Adega says:

            Mais o consumo neste caso um carro no transito gasta uns 7/100km
            Uma 125 gasta 2L/100KM, uma electrica menos de 1€ 100Km
            Basta fazer as contas e ver onde está a poupanca.

  14. Pedro says:

    Bem, quem percebe minimamente das coisas, sabe que pode ser uma opção bastante interessante.
    O maior possível problema desta moto, será não ter travagem regenerativa!!

    A atual não tem, e esta será uma pena se não tiver (de origem).
    Isso sim, de resto, bem preço acessível, autonomia mais que suficiente para o segmento alvo, velocidade impecável. Se tiver uma boa aceleração e torque será de facto uma opção viável.

    Vou estar atento às novidades deste modelo!

  15. Xico Fininho says:

    A iniciativa é boa, acreditando na informação colocada, 100km/h e 110km de autonomia é suficiente para muita gente, basta reajustar os hábitos, em vez de abastecer 1 vez por semana, carrego diariamente ou dia sim, dia não.

    O que me preocupa é o preço ainda muito alto face às de motor a gasolina e a incógnita que é o custo de manutenção e troca de bateria.

    A minha cb125f custou menos 2.000€ e esses 2.000€ dá me gasolina para mais de 60 mil km.

  16. SERGIO PEREIRA says:

    ATENÇÃO EU QUERO SABE QUANTO CUSTO ESSA MOTO FICA O VALOR EM REAIS . QUANTO KM FAZ DE PERGUNTANDO DE KM UMA MOTO DA HONDA BROSS CUSTA 7.000 REAIS UMA 125. OK.OK.OK.

  17. CMatomic says:

    Discute-se a autonomia , não devemos esquecer da atmosfera ela não é infinita .

  18. Johnny Macaroni says:

    Só acho o preço um absurdo, o contribuinte pensa em poupar, e o estado em chular.

    Antes da legislação as 125 eram motos ao preço da uva mijona, alterou e agora passado uns anos temos scooters a 3000 €.

    Dos carros electricos a poupança é so mesmo no meio ambiente(se for), pois varios lobbys foram criados, alem de ser um investimento inicial bem superior comparativamente aos combustiveis fosseis, desde alugueres de baterias, ao carregamento em zonas publicas, façam as contas.
    (ninguem compra um carro de 100 000€ para poupar em gasóleo)

    Apareceram os painéis solares e enquanto o estado não “regulamentou” (não fossem as pessoas enriquecer) não descansou, hoje em dia só para o autoconsumo, limitado a 1500w.

    Escrevam o que digo, ainda vamos todos andar de bicicleta, e pagar imposto de circulação.

  19. Vicente says:

    Epah, eis a opinião de alguém que tem uma scooter elétrica e faz 35km por dia.
    A scooter ten uma autonomia de 40-50km e uma vmax de 40km/h. Chega perfeitamente para eu poder ir e voltar.
    Não conheço muita gente que faça mais do que 100km até ao trabalho, aliás para além do meu sogro não conheço ninguém que faça mais de 80km. Depois, evidentemente que as baterias sendo amovíveis, que se podem carregar no trabalho.
    O carregamento fica a 1 euro.
    Ou seja 60 carregamentos são 60 euros/mes
    60 euros para 1500-6000km acham muito? Um carro “bom” gasta 6 litros aos 100
    Ou seja quase 10 euros…
    Evidentemente que 100km de. Autonomia é pouco. O ideal seriam 300. No mínimo. 300 da para fazer Coimbra Lisboa. De resto acho que estamos a evoluir para o futuro. É daqui a 2 anos já iremos ter estes produtos a um preço acessível, com o apoio das autarquias… Abraço

  20. Vicente says:

    Epah, eis a opinião de alguém que tem uma scooter elétrica e faz 35km por dia.
    A scooter ten uma autonomia de 40-50km e uma vmax de 40km/h. Chega perfeitamente para eu poder ir e voltar.
    Não conheço muita gente que faça mais do que 100km até ao trabalho, aliás para além do meu sogro não conheço ninguém que faça mais de 80km. Depois, evidentemente que as baterias sendo amovíveis, que se podem carregar no trabalho.
    O carregamento fica a 1 euro.
    Ou seja 60 carregamentos são 60 euros/mes
    60 euros para 1500-6000km acham muito? Um carro “bom” gasta 6 litros aos 100
    Ou seja quase 10 euros…
    Evidentemente que 100km de. Autonomia é pouco. O ideal seriam 300. No mínimo. 300 da para fazer Coimbra Lisboa. De resto acho que estamos a evoluir para o futuro. É daqui a 2 anos já iremos ter estes produtos a um preço acessível, com o apoio das autarquias… Abraço

  21. Pedro says:

    Motos eléctricos a 4000€ a Volkswagen diz carros eléctricos a 20.000€ no entanto vou ao stand e nada.
    Onde andam esses veículos a esses preços???????

  22. Pedro Lima says:

    Para aqueles que acham caro: Só por ventura, não fumam, não?
    É que há uma enorme % de pessoas a queixarem-se do preço de certas coisas e depois gastam 5 ou mais € por dia em cigarros… Digo cigarros mas pode ser outra coisa qualquer totalmente supérflua.
    Para mim, tudo o que poder fazer para terminar com a #$%& da gasolina é válido.

    • Pedro Ribeiro says:

      Sou dos que acha caro, sim. A comparação não tem qualquer sentido!
      É caro, comparado com motos de características idênticas (e nem sequer vou pela hipotética autonomia). Quem achar o contrário, é favor comprar. Agora não venham com comparações absurdas!

  23. Diego says:

    Minha pergunta é a maioria das motas eletricas não precisa de carta nem licença essa precisa ? Obs: pelo fato de alcançar 110 km por hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.