Quantcast
PplWare Mobile

Kia EV6: Versão GT do elétrico vai dos 0 aos 100 km/h em apenas 3,5s

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. chinesisses_ says:

    “Em apenas 18 minutos é possível carregar entre 10% a 80% da bateria do veículo.” Tempos de carga começam a ficar interessantes. Mais uns 5 anos e começa a ser como nos motores de combustão interna pra atestar o depósito.
    Quando atingirem 80% da carga em 5 min já deixa de haver dependência dos modelos a diesel/gasolina.

    • Seal says:

      E creio que (como no Ioniq 5) carrega 100km em 5m.
      Só faltam os carregadores…

    • TugAzeiteiro says:

      Sinceramente já nem me chateia os 18 minutos…. O meu carro no dia-a-dia fica horas parado, onde pode perturbar mais será em viagem, mas também 20min é o tempo de esticar as pernas, fazer um xixizinho, beber um café e um copo de água e seguir por mais 400kms (ou 510 segundo a KIA). O que me perturba mais é mesmo o preço proibitivo a que os EV’s ainda estão…. talvez sim mais uns 5 anos e já tenhamos preços “normais”.

      • bill says:

        Não sei se podemos contar com melhores preços, quando muitos construtores lançarem veiculos electricos o preço das baterias vai subir porque as materias primas não vão chegar para as encomendas…

    • Abreu says:

      Mas não deve ser muito bom para a bateria. Vamos ver

  2. José says:

    lindo, mas continuo a preferir carros a combustão

    • rodrigo says:

      ora pq? Porque estamos condicionados a ter essa mentalidade

      • Octávio says:

        Questões ecológicas à parte, não se trata de condicionamentos mentais!!
        Conduzir um automóvel não é só um meio de transporte, é uma experiência e para muitos, eu incluído, é uma paixão. O som do motor, o trabalho de caixa, etc.. Não tem nada a ver motores a combustão com motores eléctricos.

        • Miguel A. says:

          Sentir o torque instantâneo do motor elétrico é outro campeonato. Muita gente invoca o som do motor, a caixa manual como justificação para manter a “paixão” pela combustão, mas isso não significa que seja melhor. Há 30 anos atrás havia quem não quisesse um motor a injeção porque gostava mais da resposta do carburador, assim como muitos preferem o atmosférico do que o turbinado. Eu pessoalmente, abomino carros a gasóleo, mas eu sou suspeito, aprendi primeiro a conduzir motas a dois tempos e gosto de rpms. Mas isso não significa que devamos ficar agarrados a isso. Prazer de condução é uma coisa, transporte do dia a dia é outra, infelizmente aqui em Portugal, misturam muito as duas coisas, por isso é que temos a sinistralidade que temos.

        • Rodrigo says:

          sim trata de condicionamentos mentais. Associas o som do motor a um bom carro..ou o cheira de gasolina a prazer de conduzir ou o trabalho de caixa a uma boa experiencia de condução porque estas condicionado a tal. Porque nao existe alternativa.

          Nao conheces nem tens experiencia de outra maneira logo tens esse condicionamento de prazer com motores a combustão.

        • romeu ferreira says:

          Ar, água, combustível, óleo, aditivos, um filtro aqui, um filtro acolá, uma panela de escape, um catalisador, filtro de partículas, uma correia pequena, uma correia grande, um sensor para isto, um sensor para aquilo, uma bobine, um relé, um tubo, um alternador, um injetor, um turbocompressor, um radiador com ventilador. Fuga de água, fuga de óleo, fuga de combustível, falta de ar, água no óleo, óleo na água… Sim os veículos equipados com motores térmicos continuam a evoluir no sentido de aumentar o número e tipo de avarias ao longo do seu tempo de vida útil. Todos os dias me interrogo qual vai ser a próxima avaria do meu querido gerador de fumo. Como diz o Dr. Scotty Kilmer “Endless money Pitts”. Mal posso esperar para comprar um híbrido e adicionar mais umas quantas oportunidades de negócio aos mecânicos e amigos. Desculpem lá, é só a minha opinião em relação aos fumarentos…

          • Miguel A. says:

            Mas os hibridos feitos com motor atmosférico atkison não têm a quantidade de coisas que nomeaste. Os Toyota e lexus são exemplo disso, motores mais simples, aliados a uma caixa sem manutenção, ausência de embraiagem, sem filtros complexos, injecções de alta pressão ou turbos. Mas sim, só de pensar que uma revisão de um elétrico faz-se de 50mil em 50mil, e custa mais ou menos 50€, é de pensar nisso.

  3. darksantacruz says:

    Os Evs começam a ficar interessantes em tudo menos ainda no preço.

  4. Ed says:

    O carro fica a noite toda parado a não fazer nada, é só carregar durante esse período. O tempo de carga já deixou a muito de ser um problema!!

    • rodrigo says:

      ou então carregar enquanto uma pessoa esta no trabalho. Ou carregar enquanto vai ‘as compras. Ou carregar enquanto vai ao cinema ou ao restaurante, etc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.