PplWare Mobile

Dica: Conheça a nova forma escondida de matar apps no Windows 10


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Jorge says:

    Normalmente o gestor de tarefas (ctrl+shift+esc) dá conta do recado!

    • other ways into the hidden galaxy (Pedro) says:

      ou clique direito na barra de tarefas e gestor de tarefas (para os que não gostam de atalhos)
      Ou ainda ctrl+alt+delete e gestor de tarefas (e outras funções)

      Qualquer uma destas 3 é bem mais rápido, acessível e menos confuso que a proposta do artigo. Mas ao menos não há desculpa para não saber terminar qualquer processo ou aplicação que se recuse a fechar.

  2. Agradecido says:

    Desconhecia. Thanks

  3. A. Martins says:

    Boa dica pplware!! …e Jorge, tens razão também costumo utilizar o gestor de tarefas. É mais rápido a tratar do assunto, mas tens de conhecer o nome do processo a “matar” que normalmente não tem exactamente o mesmo nome da aplicação!! Aqui é mais fácil pelo menos neste aspecto.

  4. Pedro Fernandes says:

    Tive a verificar, só funciona para algumas aplicações.

  5. Paulo Silva says:

    Aproveito para referir que existe além do “Terminar” para matar a app o repor (um pouco mais abaixo) que repõe o estado original da app como se tivesse sido acabada de instalar.
    Por exemplo o Microsoft Edge deixou de funcionar correctamente. Pode-se fazer Repor para que volte a funcionar.
    Outra coisa bem interessante é que se tivermos mais do que uma partição (por exemplo duas, uma com o SO e outra com as apps) pode-se mover a app para a partição das apps. Bom nem todas mas algumas dá para fazer este processo. Do ponto devista teórico poderá ter alguma utilidade… Nem que seja para experimentar para ver o comportamento da app à movimentação de local.

  6. Manuel Silva says:

    Epá, tudo bem, é uma alternativa ao gestor de tarefas apesar de ser mais trabalhosa mas o q é isto: “Pegou num sistema que muitos consideravam quase prefeito e tornou-o ainda melhor” e quem é q considera isso? Prático, funcional, acessível a qualquer pessoa, tudo bem, mas isso também trás inconvenientes e está longe de algo “quase perfeito”

    • A. Martins says:

      Um sistema que tem várias formas de chegar ao mesmo resultado, algumas mais complexas, outras mais acessíveis para quem não “percebe tanto de informática” é sempre um sistema mais perfeito!! Neste exemplo, e até noutros, concordo com o Pedro Simões.

  7. Josep says:

    Aos que compraram o Win 10, apenas sinto. Que sobreviva até a primeira atualização. Em máquinas de marca, ainda deve durar mais tempo.

    • A. Martins says:

      Desculpa… não percebi o teu último parágrafo !! Podes dizer o que são “máquinas de marca” para ti?? E o que é que deve durar mais tempo, o Windows 10 nessas “máquinas”, ou as “máquinas” em si??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.