Quantcast
PplWare Mobile

Moscovo vai abandonar todo o software da Microsoft

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. luis says:

    Em Portugal também devíamos seguir esse exemplo.

    • Mikes says:

      A julgar como as coisas são feitas em Portugal e qual o seu custo para Estado, isso deveria sair-nos muito caro e no fim, tudo funcionava mal – basta ver os milhões gastos nos sites dos serviços do estado e a forma como funcionam.

      • Alberto De Castro says:

        Não ía sair mais caro, ía sair gratuito se adotássemos o Linux.

        • Ze says:

          Faz lá as contas.. Mentes iluminadas.. Percebem tanto de IT como eu de croché. Tanta gente a achar que o Open Source sai de borla em adopção empresarial…

          • Luis says:

            A diferença é pagar a empresas portuguesas para implementar e manter o open source em vez de pagar à microsoft…

          • Ze says:

            A diferença é ter algo usável e com suporte minimamente decente do que deixar de conseguir ser produtivo. Já passei por algumas empresas que tentaram essa abordagem, quer de office, quer de SO e algumas conseguiram uma taxa de penetração de 5%, outras tiveram de reverter, no meio disto, gastaram dinheiro, tempo e recursos que impediram as empresas de avançarem noutras áreas e noutros projectos que eram realmente importantes para o crescimento e melhoria de produtividade.

            O maior ganho que uma empresa pode ter, é informar-se sobre o seu tipo de licenciamento, sobre os seus direitos de utilização, fazer pleno uso daquilo que tem (que muitas vezes desconhece, então se for M$..) e negociar bem as renovações e as contrapartidas. Só em vouchers de formação vale bem a pena o trabalho de negociar.

          • Miguel says:

            E qual é o problema de pagar à Microsoft Portugal, com funcionários portugueses?

          • Cláudio Esperança says:

            Os custos de licenciamento com o linux podem ser 0, logo o que foi dito não é incorreto. Sim, tens outros custos, como também tens com o software proprietário. Para mim, a principal vantagem do software opensource e teres a capacidade de resolveres problemas de configuração olhando para o próprio código-fonte (não existem caixas fechadas) e isto vale mesmo muito dinheiro. Claro que isto não é algo ao alcance dos fãs dos assistentes gráficos, para quem uma babysitter/consultor de um representante de qualquer software house é essencial…

        • Mike says:

          E insistem em dizer que o Linux é grátis… suponho que se fosses técnico de IT, ou engenheiro de redes, em linux fosses trabalhar de borla. As empresas de software iam desenvolver aplicações específicas para o Estado de borla. O tempo que todos os funcionários iam despender para aprender as novas ferramentas não seriam pagas, etc.?!

          • Vasco says:

            Se o Linux fosse assim tão barato, já estava em todo o lado.

            Não me leiam mal, eu uso linux, – quando posso.

            Mas ainda não vi Office semelhante ao da Microsoft.

            Outra coisa: Isso de taxar o software estrangeiro é uma tolice, só por sorte é que uma empresa russa consegue produzir ferramentas com tanta qualidade como as que já existem.

            Só vai tirar competitividade às empresas russas.

            Mas…..

          • Pérolas says:

            Estamos a falar de um povo que sabe o significado da palavra patriotismo, independência e que não tem uma atitude subserviente, ao contrário de outros estados… “ring a bell”

          • Mike says:

            @Pérolas: achas que o que move o Putin é patriotismo?! LOL

        • APereira says:

          Claro porque Linux nao necessita de ser suportado nem iria ser necessario dar formacao as pessoas.

          Meu amigo, em casa, sim Linux sai mais barato para quem souber o que está a fazer…para uma empresa, se nao tiver IT interno e afins fica mais caro.

          Isto já para nao falar em compatiblidades etc etc

          • N'uno says:

            O “IT interno” é fundamental para qualquer empresa, e deve ser proporcional à dimensão e complexidade do parque a suportar. Com o advento dos serviços cloud, onde os modelos SasS, IasS e o mais recente PaaS, este pode reduzir-se significativamente. Mas mesmo que se mantenham todos os sistemas internamente, não queiram comparar as dores de manter M$ versus manter Linux. Não é gratuito, mas requer potencialmente muito menos esforço para manter, particularmente quando temos um parque grande. Temos é que usar um IT que saiba o que está a fazer…

    • N'uno says:

      Concordo, mas creio que só conseguiríamos reduzir a dependência do vício M$, para referir o mais gritante, com a adopção de software open source. Aconselhável também noutra perspectiva da segurança, a disponibilidade.

    • Ze says:

      Não vejo a vantagem, ia sair mais caro.

      • Asdrubal says:

        Podia dar mais emprego a nível tecnológico.

        • sousa says:

          A nivel tecnologico somos capazes, mas se já somos muito poucos agora, então para uma reforma desta dimensão destas precisas do triplo de tecnicos que não tens e capital portugues que não tens.Estarias a vender a reforma e o controlo ao estrangeiro. Não faz sentido para Portugal. Faz sentido sim é criar novas soluções com capacidade de competir la fora. E temos varios casos de sucesso. Quando tivermos uma “silicom valley” em portugal madura , então sim podemos pensar mais alto

        • Tony says:

          Software de grandes dimensões, Oracle, Microsoft, SAP, etc só pode ser rentável quando vendido a grande escala, fazer em português para Portugal poucos conseguem, talvez um Primavera, Outsystems, Alert, mas são poucos

      • Pérolas says:

        Trabalhas com o windows, certo? 🙂

    • Tony says:

      Já se tentou e não resultou em Portugal. Neste momento não ha alternativa a tecnologia (software/hardware) americana ou criada por empresas americanas. A unica grande assim de repente, acho que é a SAP

      • Anónimo says:

        É só olhar para o fracasso do McDonalds, Radio Popular e uma proeminente seguradora nacional…

        • Miguel says:

          Dizes 3 casos de sucesso… o problema não está aí mas sim no insucesso.

          • N'uno says:

            O insucesso tem inúmeras causas, e as principais são mais comportamentais do que técnicas. Não vou enumerá-las, mas entendo que não devemos julgar sem conhecimento nem tão-pouco assumir que a coisa é inviável porque há quem não tenha conseguido…
            No meu negócio, pequeno ou mesmo micro, é certo, não há M$. E tudo se faz lindamente.

      • Ze says:

        Checkpoint, Huawei. Tens N exemplos de empresas non US.

      • Pérolas says:

        Isso foi noutras vendimas! Agora, com android, smartphones, smat tvs, n distros o mundo deixou o obscurantismo da M$, passou a ser mais colorido e a aceitação de plataformas diferentes é notável! Mas, claro, não nos podemos esquecer dos forte$ intere$$e$ instalados que tentam evitar o inevitável!

    • Rui says:

      Lol! Vê o que aconteceu na Baviera em 2004 e o que fizeram em 2010

      • N'uno says:

        O problema da Baviera foi mesmo a resistência à mudança, e a pré-formatação da malta, que nasceu, cresceu e sempre trabalhou exclusivamente com M$ Office…
        Este será, basicamente, o principal entrave. De resto, não é assim tão complicado.

    • Artur Oliveira says:

      Concordo, se a mudança para outra tecnologia semelhante ou superior compensasse e os custos fossem mais baixos que os praticados pela Microsoft

    • jorge says:

      Portugal é Livre, pode escolher! Em Portugal felizmente usamos todos diferentes tipos de software.

      • Igor says:

        O Jorge falamos aqui sobre software, e não e jogos
        Ja entregas-te uma vez IRS fora da Mozilla(por exemplo)

        • jorge says:

          estou a falar que podemos usar…..não estou a dizer que forçosamente todos sejam compatíveis com tudo…. e como podes ter todos os browsers instalados para ti também não é problema usar o mozilla para umas coisas e usar o edge ou o chrome para outras.

  2. paulo g. says:

    Os casos de sucesso na mudança não são assim tão poucos e requerem trabalho e pode não ser possível em todas as áreas. Algo que em Portugal é difícil pois muita gente que manda pensa que é só mudar o programa e quem trabalha que se desenrasque. E ainda há a resistência à mudança…

    • N'uno says:

      E não esquecer as mentalidades! 🙁

    • Ze says:

      Os casos de sucesso em organizações públicas ou empresas de grande dimensão são mesmo demasiado poucos, os casos de tentativas é que não são assim tão poucos, mas grande parte reverteu ao modelo original.

      Num país onde 90% dos funcionários públicos são perfeitos info-excluídos onde mal sabem trabalhar com sistemas user friendly e precisam estar sempre a ligar para o servicedesk para coisas de crianças, não me parece que desse para fazer isso. Além disso, os custos quase nunca justificam. Pelo menos quando comparando soluções M$ com soluções opensource. Já se falarmos de outros fabricantes a realidade pode ser diferente.

  3. Paulo Neto says:

    Sim, numa ditadura a estupidez não tem limites. A falta de ideias e o regredir no tempo é sinal de fraqueza. Pode também anunciar que vai deixar de vender armas e apelar à quem as compra “fabriquem-nas e libertem-se” de me dar a ganhar dinheiro. Podemos utilizar o que de bom foi inventado por alguém, sempre dentro dos limites e normas de cada utilizador.

    • Ze says:

      De estúpido o senhor Putin não tem nada, ao avançar neste sentido, em caso de uma guerra prolongada corta a dependência dos USA no que diz respeito a software, e mais importante ainda, no cenário ainda mais provável de uma ciberguerra, minimiza a possibilidade de penetração tendo um sistema não conhecido do inimigo e sem possibilidade do o fabricante que faz parte dos US ter algum tipo de envolvimento no ataque.
      Isto já para não falar na espionagem, acredito que a primeira coisa que o Putin fez foi mandar os Cisco lá do sítio da janela por causa da NSA.

    • maxim says:

      Não querer depender de software americano, que tantos dados roubam e o estado depois tem tudo à mão é realmente uma ditadura. Dados de pessoas comuns isoladas não dizem grande coisa, mas se juntares a informação de todas as pessoas consegues descobrir muita coisa, e descobrir as fraquesas de um determinado grupo, neste caso, nação. É algo muito maior que nós

  4. aaaaa says:

    Acho muito bem. Se fosse ao contrário os americanos iriam fazer o mesmo.

    • Tony says:

      da Russia alem do Kapersky, não sei bem o que vem em termos de software…aaa e o Tetris

    • int3 says:

      ao contrário dos americanos os russos são bastante patriotas e gostam do que é nacional deles. os states estão-se a marimbar. é um mix de culturas e etnias. ninguém é patriota lá.

      • eu says:

        hem? Ninguém é patriota nos states? lol

      • Aguamenti says:

        “We’ll make America great again” com cerca de metade das intenções de voto. Talvez seja bom começares a ver algumas notícias internacionais, para além das de tecnologia 😉

        • David says:

          Maioria desses são rednecks que querem ir para o heaven, tão-se a borrifar para a terra, usam e abusam para garantir um estilo de vida mesmo que isso leve a destruição da propria terra.

          • Vasco says:

            Uiiiiiiiiiiiiií que medo a destruição da terra…..

            Acho que me vou matar só para não poluir….Nem “destruir o planeta”

            Estou-me a sentir tão culpado…..

            O progresso é diabólico……

            Só não percebi é porque esse progresso melhorou as condições de vida da população???

      • Rui says:

        Os americanos não são patriotas? Claro que não.
        Por acaso já reparaste que eles usam e abusam da bandeira nacional? Seja nas casas, carros, roupa, etc….. e lá ninguém os chama de salazaristas como nós por cá……
        Se há coisas que definem o americanos, uma delas é a bandeira nacional, a outra é pelo menos uma arma…… porque foi assim que nasceu o país, à lei da bala!

        • David says:

          Tens que ver além da propaganda e perceber que o dinheiro é tudo para aquela gente, nesses locais onde o “patriotismo” impera nem o estado é bem vindo e é cada um por si, com armas!

        • int3 says:

          Não fazes a mínima ideia do que é ser realmente patriota. Se fosse para lá e andasse com bandeiras dos states comigo era patriota? As pessoas que vivem de lá nem sequer são naturais de lá Rui. Grande parte é mexicano, espanhol, britânico, francês (principalmente no canada por acaso) epa há n imigrantes. Os russos são russos desde sempre. é um povo que reside lá desde sempre. Seriam incapazes de fazerem mal uns aos outros. Ao contrário dos estados unidos em que vez toda a gente a matar-se uns aos outros. Epa país da liberdade. Grande liberdade. Não é seguro. enfim.
          Os Portugueses são grande patriotas, bem mais que os estados unidos, e é raro ver uma bandeira portuguesa certo? muito raro. E sentimos aquele orgulho Portugues quando somos destacados e defendemos sempre o nosso povo independentemente da situação que for! Os russo são assim também!

    • jorge says:

      pois pois …e quais são as alternativas? é tudo americano! libreoffice Android ios Ubuntu Linux java macOsX: Tudo americano! Facebook; Twiter; Instagram; Só vai atrasar mais a Russia.

      • Altair says:

        Bom em se tratar de Linux, sistema de código aberto, basta eles criarem a sua própria distribuição, acho mais vantajoso que confiar em SO proprietário dos EUA.

      • Igor says:

        O Telegram da Russia(por exemplo) e mesendger mais seguro em nivel mundial para utilisadores, e muito mais Jorge. Mas se não persebes nada em russo como podes dar comentarios assim? Bla-Bla-Bla?

        • J@rge says:

          Ubuntu americano ?? Lol , andas mesmo mal informado .

          • jorge says:

            pois tens razão o linux kernel é da California, não é da america do sul.
            The Linux Foundation
            660 York Street, Suite 102
            San Francisco, CA 94110

          • int3 says:

            jorge,

            A instituição “The Linux Foundation” é sedeada na CA em san francisco. Mas o kernel linux nasceu na finlandia e foi crescendo pela internet onde não existe fronteiras. Podes dizer que o Linux não é de nenhum país porque é de toda a gente e podes fazer o que quiseres com ele.

      • Alucard says:

        O Linux não é dos EUA, nem de país nenhum. Foi criado por um Finlandês em 1991, e actualmente é desenvolvido por milhares de programadores e empresas em todo o mundo. O código é aberto, é impossível ter lá backdoors sem que se descubram eventualmente.
        O LibreOffice idem.

        • int3 says:

          é possivel contribuir com código que esteja vulnerável mas não de forma direta. há n maneiras de ver isso. e nem sempre dá para ver isso.

        • Altair says:

          +1
          Finalmente alguem que sabe a verdade sobre o Kernel Linux, parabens.

          Nunca vi isso de Linux ser americano kkkkk

          • Jorge says:

            membros da administração da Linux: SUSE, FACEBOOK, QUALCOMM, CISCO, INTEL, PANASONIC, IBM, ORACLE, todos oriundos da Covilhã e Alenquer.

          • Alucard says:

            “A Linux” não é uma empresa, logo não tem administração. Existe uma fundação com associados, mas nem a fundação pode controlar o desenvolvimento do SO, ela existe sobretudo para o promover.
            A SüSE é alemã e a Panasonic japonesa, já agora.

          • Jorge says:

            Alucard todas as Fundações têm administração. A SUSE foi comprada pela americana Novell. Fica a Japonesa Panasonic para dar um aspecto mais universal 🙂

  5. José Silva says:

    Vai mudar o mail ?
    leitor de mail e servidor de mail ….
    as isto vai ter um impacto muito reduzido no que as pessoas fazem!!!
    servidor de mail …. as pessoas não sabem o que está lá!!!
    leitor de mail … hoje em dias as pessoas estão habituadas a ir a um browser e ver o mail … qual o problema.
    se estivessem a dizer que iam já deixar de usar o windows isso seria uma revolução para os utilizadores, deixar de usar o office seria uma mini revolução … mas deixar de usar o Exchange e o Outlook …. é mais um “fait divers”.

  6. leoni martini says:

    Protegendo a tecnologia local com taxas e impostos prejudica o desenvolvimento do País a médio e longo prazo. As empresas subsidiadas deixam de desenvolver novas tecnologias enquanto as americanas ou aquelas que buscam inovação com novas tecnologias e desenvolvimento de novos produtos avançam. Acredito que a Rússia irá ficar desatualizada com passar dos anos. Mas, sempre tem um mas em tudo, se o governo investir em educação, universidades com polos tecnológicos seria até algo interessante, mas em subsídios e novas taxas e impostos. Deixem a tecnologia evoluir e o mercado decidir qual sobrevive e qual tecnologia fica obsoleta. Dica: Rússia, investe no desenvolvimento em Linux e libreoffice, mas investe verdadeiramente.

  7. pokemonMaster says:

    Pensava q quem frequentava este forum tivesse mais cabeça q uma galinha, mas pelos comentários q aqui vejo…
    Em vez de apoiarem a internacionalização e cooperação entre paises q leve a uma união dos povos preferem apoiar uma medida puramente nacionalista do tipo “bora lá usar só aquilo q é nosso e romper os laços com outros paises”. Depois queixem-se que surgem guerras ao nível militar com mais facilidade! Com pensamentos destes o q me admira é q haja alguem a ficar admirado.

    • MLopes says:

      terias toda a razão se “apoiarem a internacionalização e cooperação entre paises” não significasse, na prática, uma cedência ao [quase] monopólio das grandes multinacionais e ao lado mais perverso do capitalismo. e neste caso significa já que a microsoft (como outras) é o paradigma disso mesmo.
      tal como o @slowpoke diz um pouco mais abaixo as preocupações talvez passem mais pela privacidade ao que eu acrescentaria mesmo a segurança e a necessidade de ter a certeza [possível] de que alguém do outro lado do oceano não nos desliga a máquina do café no exato momento em que precisamos mais do que nunca daquele expresso 😉

    • MAFF says:

      Concordo e discordo. O verdadeiro problema como o slowpoke referiu abaixo é mais com base em segurança e privacidade. Imagina que o fbi chega ao pé do bill gates e diz “bill, és americano não és, então passa pra cá a info dos russos e dos portugueses que temos informações secretas que eles andam todos a preparar terrorismo”

      Guerras vão haver sempre

    • Alucard says:

      Quem é anti-globalização e contra o capitalismo desregulado é cabeça de galinha? Respeita quem tem uma ideologia diferente da tua.

      Guerras sempre haverá, precisamente porque são muito lucrativas para o sistema do grande capital globalizado em que vivemos.

    • Telmo says:

      Só pelo teu “nickname”, já vi que és um entendido!!!

      • pokemonMaster says:

        Pq se fosse um nickname tipo “TelmoBarretoSilva” a opinião seria muito mais valida! Se não tens nada util a acresncetar fica caladinho sim? 😉

  8. Tony says:

    Seria o mesmo que abandonar todas as marcas de Automóveis e maquinas de industria que vêm da Alemanha. Não seria o o fim do mundo, mas seria complicado

  9. slowpoke says:

    Acho que por de trás desta medida, estão preocupações com a privacidade e não tanto a ver com a dependência em relação às empresas de software americano.

  10. Rui says:

    Onde é que eu já vi este filme… Ah já sei Baviera!

  11. lelo says:

    No meu ver o Sr Putin quer ter o poder absoluto, neste caso, na internet. Todos sabemos que o Sr Putin antes de ser presidente era o diretor das secretas russas. Não é preciso ser muito inteligente para saber o que ele deseja.

  12. Tony says:

    Também se vai desligar da ICANN? que é gerida nos Estados Unidos

  13. Bugas says:

    Por trás desta notícia que vale o que vale, está apenas a vontade do czar Putin I de controlar tudo e todos. A nível de TI à muito tempo que a Rússia tem capacidade para fazer isso e criar software próprio

  14. Altair says:

    Provavelmente substituirão por soluções Open Source, Linux e outros softwares, ao meu ver será uma mudança positiva, nada é melhor do que poder ter um sistema Open Soure.

  15. Xinuo says:

    Pode ser sério e pode ser uma cartada.

    A Microsoft também estava em maus lençóis na China, mas cedeu em muitos pontos e o governo Chinês liberou o uso dentro do governo. O governo havia proibido novas versões do Windows fossem instaladas e iria abrir um processo antitruste contra a Microsoft. Me parece que a Microsoft deu os fontes do Windows há uma empresa parceira na China de modo que o governo Chinês pudesse fazer as modificações no Windows 10.

    Talvez o Putin, ao ameaçar deste modo, consiga as mesmas regalias que a Microsoft deu ao governo chinês.

    Vale lembrar que é idiotice dar há uma empresa estrangeira o virtual controle de todos computadores, principalmente estando a empresa sediada num país com quem se vive as turras.

  16. cabecinha pensadora says:

    já muitos tentaram mas ninguém consegui e nao ser desta igualmente

  17. J@rge says:

    Depois do Snowden nada é como dantes . Não acredito que seja só por razões econômico/financeiras , terá a ver de certeza também com a questão segurança e privacidade .

    • Mike says:

      Sim, mas ao contrário! Ou seja, Putin passa a controlar tudo o que se passa nos sistema de informação na Rússia. Não é privacidade nenhuma que querem aumentar, é poder controlar toda essa privacidade 😉
      Na Rússia tudo é controlado, teres uma empresa americana a gerir todo o sistema informático é retirar ao Estado Russo o poder de controlo da população. Se for tudo feito internamente, o Putin pode aceder a tudo como lhe apetecer, a quem quiser e quando quiser.

      • Gonçalo Oliveira says:

        +1
        Acho que é precisamente isso que o Camarada Putin pretende: ter o controlo absoluto da informação. E pelo meio, justifica a invasão da privacidade disfarçada de um patriotismo xenófobo.

  18. franguinhos says:

    boa oportunidade, para se vender o linux, aos russos, lol

  19. Rui says:

    Lembro-me de uma região alemã que tomou uma medida semelhante e….. voltou atrás e regressou ao windows.

    Sejamos francos, não existe plataforma à face da terra mais universal e barata! Não é só o SO dos PC, é todo o software. Concordo que se deve evitar poupar ao máximo na aquisição de software, mas temos de pensar em alternativas válidas ou então regredimos quase à era da pedra.

    No caso Russo é diferente. É uma potência militar rival dos EUA e não querem depender dos americanos, porque se algo correr para o torto, ninguém tem dúvidas que os americanos vão usar as fragilidades dos software que têem a benção de Langley!

    • Joao says:

      Se estás a a falar da cidade de Munique, garanto-te que não mudaram para Windows, e que continuam a usar linux.
      A noticia que a implementação do linux tinha sido um fracasso e iriam voltar ao windows foi muito mal contada, ve aqui http://www.theinquirer.net/inquirer/news/2423164/munich-officials-are-sick-of-linux-and-want-windows-back

    • N'uno says:

      Mais universal nim, e mais barata definitivamente não. Mas concordo com o último parágrafo!
      Como o João escreveu, a tal região alemã será um bom exemplo, mas do sucesso e não do insucesso, salientando algumas dores típicas da adopção de alternativas à confortável M$ (para os utilizadores).
      Chamar à adopção das fantásticas ferramentas que já existem no mundo open source uma regressão “à idade da pedra” é algo retrógrado e indiciador da preocupante tendência de elevar a M$ a um estatuto que definitivamente não tem, o de estar no topo da inovação e da tecnologia. Até poderá competir taco a tacto pontualmente nalgumas frentes, mas tem, a meu ver, cada vez menos protagonismo no mercado.

  20. RubenS says:

    Regredir no tempo é o que está a dar! Mais um a la coreia do norte tanto querem evoluir q so pensam em si em vez d se liberalizarem internacionalmente.

  21. paulo pires says:

    Do meu ponto de vista estamos perante uma nova Coreia do Norte mais ocidentalizada… Gostava de saber se o Psycho Putin vai fazer o mesmo para a Medicina, Tecnologia de Armamento, Futebol (ahahah), etc enfim todo o conhecimento.
    Todos sabem que pretende apenas controlar a informação. Quando o Poder está nas mãos de um desequilibrado como Putin (e joga com isso) a Democracia e as Nações Unidas não têm solução possível. Ele prende, mata, esfola e nem pestaneja.

  22. Joselito Fagundes says:

    o que eu quero um sistema que seja tudo grátis! até o PC seja low cost!

  23. Anónimo says:

    Putin volta a renascer a KGB e agora esta notícia…os objectivos são óbvios! Só não vê quem não quer (ver)…neste caso ler…hehe… 🙂

  24. Putinado says:

    Rússia, esse baluarte da liberdade.

  25. Mike says:

    Engraçado que há aqui malta que pensa que é uma questão de custo ou de dar oportunidade a empresas locais!! Estamos a falar de Putin!! Ele não dá ponto sem nó… não vejam esta ação como sendo um modelo a seguir porque podem queimar-se.

    • Pérolas says:

      Então não!!! Ele está, e muito bem, a proteger os interesses russos e a preparar-se para o que ai vem! Eles até já têm os seus próprios processadores. Só os estados carneirada é que se poêm a jeito e no dia em que disserem, “ai agora não quero”, levam com um ataque via software fechado e licenciado… até borregam…

  26. Tecnical says:

    Hoje em dia o Open Source já tem muita qualidade. Nalguns casos consegue concorrer de igual para igual com o software proprietário.
    Falando por experiência própria, eu utilizo tanto linux como windows diariamente e não sinto falta de absolutamente nada quando utilizo linux.
    Muito sinceramente, o que falta ao linux é utilizadores “normais”. Só com uma boa base de utilizadores é que existe interesse em desenvolver a plataforma.

  27. rodrigo says:

    aqui no Brasil, a caixa econômica federal, usa debian. já pensou se eles o abandonassem e fosse para o M$?
    da para ser feito, mas iria gerar gasto.
    mas então qual o problema do Linux?
    existem uma centena de distribuições, para os mais diversos fins
    se escolher uma mal customizada, já era.
    valores? o gasto vai ser o mesmo, pois o sistema se vai ser pago ou não, não importa. quem vai trabalhar com ele, vai cobrar.
    então, teste o arch Linux ou o manjaro xfce.
    é depois me diga, se valeu ou não a troca

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.