PplWare Mobile

Microsoft testou quatro dias de trabalho semanais… E a produtividade aumentou!


Fonte: Microsoft

Redator

Destaques PPLWARE

  1. Asdrubal says:

    Têm de experimentar reduzir para 3 dias semanais de trabalho, depois 2 dias, 1 dia, e depois todos os dias de folga.

  2. Jorge says:

    E fazerem isto em geral para ca?!
    Isso e que seria de valor…

    • João says:

      Alguém tem de trabalhar para teres comida na mesa, Jorge.

      • Jorge says:

        Leste o artigo completo?
        Pensaste que talvez menos stress/ horas a fio de trabalho = a mais produtividade e satisfação a nivel geral?
        Sem contar que dará mais rendimento as empresas e com isso mais empregos?
        Não te esqueças que somos dos paises com mais horas de trabalho por dia!

  3. Diego Fonseca says:

    sempre disse, que no dia que eu encontrasse o responsável por definir 5 dias de trabalho, e 2 de folga, daria uma surra nele, se eu tivesse sido responsável seriam 2 de trabalho e 5 de folga, e 1 de home office!

    brincadeira a parte, é muito interessante, e conforme um comentário anterior, eu vejo essa diminuição cada vez mais inevitável, com cada dia mais sendo o trabalho automatizado por máquinas e IA.

  4. Rui says:

    O Japão é um caso particular, onde os funcionários dão o “litro”…… muitas horas por dia! Não trabalham só 7 horas por dia, muito pelo contrário, por lá é costume os trabalhadores adormecerem pelo cansaço.

    Uma das notícias internacionais refere isso mesmo.

    Esse dia de folga evita a prevenir o cansaço. Mas tenho quase a certeza de que se fosse implementado entre nós, os resultados não seriam os mesmos!!!!!

      • Valdemar Santos says:

        Este estudo foi feito na Microsoft, não numa fábrica da Toyota ou numa outra unidade industrial. Na Microsoft janonesa não há muita gente a fazer 80h extraordinárias por semana, nem 80h semanais totais deverão ser muitos.
        Só vemos o que queremos ver.

    • JP says:

      Trabalhar 7 horas por dia, não é um privilégio para todos. Defendo que reduzir as horas de trabalho e subir os salários iriam aumentar a produtividade do nosso país (Portugal). O que ajudaria a economia.

      • ze says:

        Com aquilo que a grande maioria dos portugueses em quadros de empresas produz considero os ordenados demasiado elevados.
        Pior só mesmo zucas.

        • JP says:

          Mas não falas da grande maioria, que aufere <1000€ líquidos/mês.
          Xenofobia, não pf. Temos muito com que nos preocupar e problemas bem maiores, a começar por isso.

          • ze says:

            Não vejo o mal, ganho cerca de 5k liquidos e considero que ganho pouco para o que produzo.
            Se trabalhassem mais e se queixassem menos estavamos bem melhor, assim quem ganha bem leva com rótulos, eu cá rotulo quem ganha mal e por lá continua.

    • mlopes says:

      essa estória de que no japão os funcionários “dão o litro” é mito.
      até este mesmo artigo da pplware relata que têm a mais baixa produtiviade do g7.
      “dar o litro” não é passar muitas horas no local de trabalho, isso sim os japoneses talvez mais do que alguém no mundo.
      “dar o litro” é produzir muito por unidade de tempo de trabalho!
      mas em portugal também se vive esta triste mentalidade de que “dar o litro” é passar muito tempo no local de trabalho e quem não o fizer é muitas vezes mal visto e até penalizado

    • João says:

      Fala por ti! que eu cá trabalho 8 ou mais horas por dia e às vezes de noite… Isso depende muito da área e muito do tipo de trabalho, um consultor, informatico, etc, se tem passagens para produção por ex, a que horas achas que se faz isso? Isto é um exemplo de muitos.

      • Toni da Adega says:

        Isso é mentalidade portuguesa. Se trabalho for bem gerido e planeado nada disso acontece.
        Quando trabalhava em Portugal essa também era a norma. Agora estou no UK trabalha-se 7h dia e quando chega à hora vai tudo para casa.
        Trabalha-se menos horas e fazemos muito mais.
        Não é necessário fazer horas a mais para fazer Passagem para produção basta planear dia e hora, a não ser que seja algo extremamente crítico .

        • João says:

          Acredita, se tens um sistema que funciona 24/7 é sempre extremamente crítico… Mas fala com o meu patrão, concordo plenamente contigo mas se lhe deres uma palavrinha diz-lhe que estou sobrecarregado e mesmo gerindo bem as cenas, chutam-me mais temas e mais temas… Mas a sério fala com ele

        • Ricardo Rodrigues says:

          Gostaria de te ver a parar um hospital durante o dia..

          • Toni da Adega says:

            Sim que a única forma de ter um sistema a funcionar é ter pessoal a trabalhar 12h por dia.

            É preciso ensinar isso a certas empresas porque muitas andam a fazer isso com pessoal a trabalhar 6/8h por dia.

      • Woot! says:

        Faz-se às 18 uma vez por mês. Das 18 as 21 o mais tardar estou a andar. As 4 horas a mais são usadas durante a restante semana seguinte. É tudo compensado e no final não trabalho mais de 7 horas por dia garantidamente. Só é tomado por parvo quem quer ou gosta!

    • Rui says:

      Evita prevenir o cansaço? Que ideia é essa?

  5. nao says:

    Para quem não sabe. nós só trabalhamos 5 dias por semana graças ao Capitalista / apoiante Nazi, Henri Ford.
    segundo reza a historia, um dia o Sr Ford perguntou a um trabalhador “você tem um ford?” ao que o funcionário disse “não”, “porquê?” diz Ford. “porque não tenho tempo de ir ao concessionário comprar um, trabalho 6 dias por semana e ao domingo é dia de missa ninguém trabalha”. então Ford começou a dar o sábado aos trabalhadores, como os outros capitalistas viram que as vendas aumentaram e a produtividade também seguiram o exemplo do nazi.
    isto para dizer que não me admira que passemos a ter 4 dias de trabalho, assim temos mais tempo para gastar dinheiro, “money makes the world go round”. se pensarem um pouco, os dias em que mais poupamos são os dias em que estamos fechados no cubículo a trabalhar, os dias em que gastamos dinheiro são as folgas.

  6. João M says:

    ESte é um assunto que tem de ser visto “caso a caso”.
    Por exemplo, existe uma questão cultural em que a produtividade nem sempre aumenta com mais “tempo livre” ou melhores salários. Não podemos comparar portugueses com dinamarqueses, alemães e japoneses. Depois também temos o conceito de tele-trabalho que ainda é pouco usado por cá e também tem bons resultados ao nivel da produtividade e qualidade de vida (mas, lá está, não dá para todas as pessoas, já que precisa de mais disciplina de trabalho).

    A ideia de que podemos subir salários “cegamente” – como ter a malta sempre a pedir para aumentar o salário minimo – sem ter em conta que economicamente pode não ser viável, é simplesmente dizer o que a malta quer ouvir. Por exemplo, se uma empresa tem problemas em vender o produto (as exportações estão a diminuir e os mercados externos estão a começar a ficar em “crise”) e o governo decide, por decreto, aumentar o salário, então vamos ter o custo do trabalho a aumentar e a não ter como pagar isso. Claro que os velhos do restelo vão queixar-se que os patrões continuam a andar de Ferrari mas isto é uma minoria quando comparado com as PME’s (o real motor do emprego e produtividade) em que as poupanças dos patrões está em risco. ISto são coisas boas para empresas já bem estabelecidas, como microsoft, aplicarem e andarem a experimentar mas para as PME’s , é algo que tem de ser aos poucos, caso a caso.

    Por exemplo, eu não vejo uma aumento da produtividade e eficiencia nas 7 horas laborais da função publica…

  7. Deuamado says:

    Isso funciona no Japão. Cá os trabalhadores são preguiçosos e passado pouco tempo da implementação já estariam a pedir 3 dias de trabalho e por aí fora até só quererem trabalhar 1 hora por semana. Eles lá andam de Maglev e nós ainda andamos de carroça por isso deixem-se lá de tentar sugerir estas coisas utópicas num país tão fraco como o nosso.

    • Clairvoyant says:

      Isso que dizes é graças à mentalidade de portugueses como tu!
      Reduzir o horário de trabalho para 6 horas diárias iria provocar aumento de produtividade; maior qualidade de vida e por consequência melhor saúde, menos doenças do foro psíquico. Traria também mais desenvolvimento da economia através do aumento do comércio e atividades de lazer.

    • manu says:

      o burro so podes, fala por ti; OK
      como vives e deves so ler coisas como futebol…
      pelo mundo qual era um dos povos escolhidos para trabalhar …
      E JA AGORA QUE VIVE COM O ORDENADO MINIMO TER QUE TRABALHAR 5 A 6DIAS POR SEMANA E NAO SO 40h . COMO RENDAS DE 400 A 500 EUROS POR MES, que vontade tem de se sentir feliz e realizado ???

  8. eu says:

    “o nível de satisfação dos funcionários com o programa implementado em agosto foi de 92%”
    Os 8% só podem ser bestas quadradas, ou seja, são os graxistas.

  9. Eu says:

    Aqui até eram capazes de deixar ficar os 4 dias de trabalho só também, mas em x de pagar 5 pagavam 3.
    Portanto acabávamos por ter que trabalhar 6 como já acontece com muita gente ou então 7.

    Cambada do c.r.l 🙂

  10. iSad says:

    Pode funcionar podes trabalhar 4 dias por semana mas tens de fazer turnos de 10 horas para ganhar o mesmo de 5 dias dias a 8 horas. Se empresas oferecerem isso vejo muito pessoal a aceitar. Mas Portugal sempre foi um caso bicudo. lol

  11. Jorge says:

    Ora ora, a Microsoft inspirou-se em Portugal !!
    Fizeram um estudo exaustivo à Assembleia da República e verificaram que em média os deputados vão entre 3 a 4 dias por semana, tendo ainda verificado que no grupo daqueles que vão apenas 2 dias por semana, a produtividade é a mesma dos que vão 3 ou 4 dias.
    Aliás já há quem proponha que os deputados apareçam 0 dias por semana, visto que a produtividade seria a mesma.
    Está explicado !!

  12. Camarro says:

    Em Portugal existem muitas profissões em vários sectores de actividade em que o horário de trabalho embora seja de 7h ou 8h dia os trabalhadores fazem muitas mais horas, sem que essas horas sejam registadas. Tendo como consequência o seu não pagamento ou a sua não compensação.

  13. Ze says:

    Não não não. O Zé povinho sabe bem que a produtividade está toda em fazer horas extra não pagas, receber mal e porcamente e ao fim do dia fazer vénias ao patrão pela oportunidade de ter um ganha pão.

  14. César Oliveira says:

    Trabalhar muito nem sempre é trabalhar bem.
    É pena que muitos empresários deste país ainda tratem os seus funcionários como máquinas de trabalho apenas.
    Para além disso pagam-lhes uma miséria e querem que eles produzam.
    Sim, o salário mínimo em Portugal ainda é uma vergonha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.