PplWare Mobile

Revelados os requisitos para o Ubuntu Phone OS


Autor: Pedro Pinto


  1. Ricardo says:

    Uma pequena falha, em “Memoria de armazenamento: eMMC+SD de 4GB a GB” esqueceram-se de por um 8, pelo que diz a imagem em baixo 😉

  2. Claudio Ramos says:

    Boa noite,

    Este desenvolvimento do Ubuntu para smartphones é extremamente interessante. Gostaria de saber se, num futuro próximo, no meu Samsung Galaxy W será possível correr esse OS e se será possível algo como um dual boot.
    Não sei se terão respostas prontas para as minhas questões, mas ainda assim as coloco.

    Um abraço

    • Diogo Correia says:

      Pelo que eu sei, o código estará disponível online e em principio para o Samsung Galaxy Nexus. E isso vai depender dos requisitos do teu smartphone serem compatíveis com o do SO e da comunidade envolvida em volta da adaptação do Ubuntu para o teu dispositivo.

      Espero que tenha ajudado 😉

    • lmx says:

      isso é uma coisa que me desagrada nos androids…
      uma coisa que de facto nunca descobri, mas o meu Galaxy W só me reporta 351MB de RAM, e não 512MB…
      presumo que o resto seja swap…muito lenta portanto e para mim não pode ser considerada RAM!!!

      Será que todos os androids teem o mesmo defeito??
      Quanto reportam os vossos?

      Esta era a pergunta ideal para o FFranco 😀 ..

      cmps

      • lmx says:

        será que apenas reporta a mem disponível pela jvm??

        cmps

        • Carlos Carvalho says:

          todos os Androids têm esse problema parte da memoria fica dedicada ao GPU no meu caso com o SGIII a 4G o dispositivo tem 2GB de memoria ram mais só estão disponíveis 1,75 GB os 250 MB restantes estão afectos a memoria gráfica .

          Cumprimentos

          Carlos Carvalho

      • golias17 says:

        A memoria que sobra se não estou em erro é exclusiva para o próprio sistema operativo, para o seu bom funcionamento, ou seja para alguma operações e aplicações especifica. Não sei bem ao certo, lol, mas a digamos que o android precisa de essa memoria para funcionar, e o resto é para as aplicações extras.

      • Mario Lage says:

        Isso não é nenhum defeito, é apenas um pormenor de exibição de informação.

        Uma coisa é a memória ram total do dispositivo, outra coisa é a memória ram disponível para utililização num dado momento.

        O Android nas informações de sistema só exibe a quantidade de ram disponível.

        Logo, efetivamente o teu smartphone Android terá os tais 512Mb de ram físicos, mas apenas 351Mb de ram estão disponíveis no momento em que consultaste, porque o restante já está a ser usado pelo sistema.

        Da mesma forma que se fores ao Task Manager do Windows ele também te mostra a memória Ram realmente disponível no teu Desktop, independentemente da memória ram total.

        • lmx says:

          nem pensar…
          eu quero a coisa bem feita como no meu desktop… 😀

          Eu quero saber o que tenho quem usa e como usa…que grande falha!! 🙁

          Será então isto um BUG??

          …Agora que me lembro parece que a Google no ICS acho que ia corrigir isto…alguém confirma??

          @
          Carlos Carvalho

          Boas..
          pois pode mesmo ser, mas de qualquer forma deveria reportar a ram total…

          É o que acontece por exemplo do Raspberry PI…estão alocados um x, mas aparece a RAM toda, embora haja mem alocada para a Gráfica…

          Eu por acaso até estava na ideia que o Adreno 205 tinha memoria dedicada, chamada de gmem…mas ja procurei e não encontro grande coisa sobre o assunto..

          Abraço

    • other says:

      Em principio não, pois só existe suporte para processadores arm e no galaxy w tens um processador Snapdragon da Qualcomm.

  3. V!P@N says:

    Ora aqui está uma boa ideia, Convergência de Desktop, muito bom mesmo. É engraçado observar os caminhos diferentes entre a concorrência, a Apple e a Google fazem os sistemas moveis e querem transforma-los nos sistemas versão desktop e a Microsoft e agora Linux fazem o oposto, ou seja, pegam na versão desktop e transformam em sistemas moveis! qual será a preferência para o futuro e a necessidade dos utilizadores? Só o tempo o dirá!

  4. Bruno Nogueira says:

    Bem há algo que eu ainda não percebi.
    Isto supostamente não deveria ser para todos os telemoveis?

    Por exemplo o meu que tem 800MHz não entra nessa gama de low-end certo? :X

    • Scheldon says:

      Bem, os low ends hoje ja tem no mínimo 1ghz

    • rand says:

      Pode ser que apareça um “lubuntu phone OS”

    • AFerreira says:

      É, sempre foi e sempre será impossivel agradar a gregos e a troianos. Se a velocidade mínima do processador é de 1Ghz e o teu é de 800Mhz…não é preciso parar muito para pensar.

      O que não quer dizer que o teu telemovel não corra este sistema, simplesmente não tens os recursos suficientes para disfrutar de uma experiência minimamente disfrutante vá x)

      Só vai depender da comunidade em torno do teu telemovel, e a eficácia dela para responder à tua necessidade 🙂

      Espero ter ajudado 🙂

  5. Nuno says:

    Ou seja, o meu low-end phone tem direito ao android 4.1.2 stock (com bastante fluidez) mas não tem os specs mínimos para o low-end ubunto phone e ainda dizem que “ao contrário do que o Android se tornou, o Ubuntu Phone OS foi desenvolvido com o objectivo de oferecer uma experiência única em dispositivos com baixo processamento”.

    • Scheldon says:

      Qual low end single core roda JB??? Se ate pra dualcore como os tegra 2 o Google não consegue rodar o stock (vide o xoom de primeira geração que era responsabilidade do proprio Google)?

    • Loureiro says:

      O Ubuntu Phone OS só será lançado nos inícios de 2014, até lá o teu smartphone………………….

      • Traul says:

        Até lá o smartphone dele… o que? Vai continuar a trabalhar e a funcionar a 100% como até agora? Vai avariar porque vira 2014? Vai trocar por um novo sendo tu quem es para saber disso ou não?
        Comentario despropositado.

        O facto é que, como o Nuno diz, se isto são as specs minimas necessarias para o Ubuntu OS enão não é assim tão leve quanto isso. Alguem deve ter-se esquecido de dizer aos senhores da Canonical que antes dos smartphones que temos agora com Android já houve outros antes. Mais fracos. Faziam todas as funções que o sistema Android proporciona menos correr jogos mais pesados ou rolar filmes de alta definição.

        Se querem dizer que o OS deles trás “fluidez” e é mais leve, a prova devia ser mostrada com o equipamento inferior onde o Android de facto se podia notar com um certo arrasto. Agora equipamento com 512MB+ RAM e 1GHz? Nunca me queixei do meu Galaxy S até querer um N número de aplicações a correr em simultaneo.

        A ideia ainda é engraçada, mas certamente não está a soar o light-weight Android Killer que o queriam fazer parecer. Eu não preciso de Linux no telemóvel, eu preciso de uma plataforma que me sirva as funções que preciso, e quando com as apps que há actualmente e dispositivos como o Padfone, a barreira entre telemóvel e laptop/desktop no que me toca já foi ultrapassada.

        • dbrenha says:

          o que ele quer dizer é que em 2014 os smartphones com specs indicados pela canonical serão os low end do seu tempo visto que não compensará fazer smartphones de 800mhz. Não se esqueçam que no mundo de smartphones, não existe maneira fácil do utilizador final instalar um OS sem participação da comunidade pelo que isto é para os fabricantes que incluem de inicio o OS. adaptar o OS aos smartphone antigos não vai ser responsabilidade da canonical mas sim da comunidade ligada a esse smartphone.
          Dito isto, espero que apareça qualquer coisa para o galaxy S, pois também sou dono de um 😉

        • Luigi says:

          Claro que faz todo o sentido o comentário do “loureiro”.

          Não se lança produtos para ontem! Mas sim para hoje ou para o futuro e, neste caso, não é para hoje! Logo, não vão desenvolver produtos para estarem derrotados logo à partida! E isso em nada invalidade o facto de lançarem com dois caminhos: um mais “leve” e outro mais “pesado. São conceitos distintos e com um alvo bem definido, e parece-me, a mim, irá ter sucesso, pelo menos na criação do conceito que é excelente e é uma reviravolta boa para começar 2013.

      • Nuno says:

        Até lá,,, não vou mudar de smartphonee vou continuar a ter o android actualizado seja com stock ou custom ROMs! -.-‘

    • Carlos says:

      x2

      O meu velinho Spica com 800Mhz e 168MB de RAM corre bem o Android 2.3 e depois ainda dizem que o ubuntu é para low specs… low specs é para android que corre em tlms de 80€

    • Tens razão, é como o Ubuntu para desktops, num pc velhinho que tinha a correr bem windows xp instalei o ubuntu 12.10 e… o pc parou… não conseguir fazer nada de lento, já o formatei…

      • Manuel says:

        Pah…eu axo k isso não esta relacionado c o ubuntu mas com o hardware. instalei o ubuntu no PC em que estou a escrever e ele ressuscitou…reconheceu todo o hardware….noutro PC com as mesmas caracteristicas mas de marca diferente…acontece o k dizs, lento como tudo independentement da versao linux instalada…

      • Ricardo Lopes says:

        Hum, parece-me uma comparação mais ou menos depropositada, o Ubuntu, com o unity, não é low-end, mas sim o Lubuntu e o Xubuntu (a canonical disponibiliza isso na documentação, aquela que ninguem lê), e comparar o windows xp com o ubuntu 12.10…. bem o ubuntu 12.10 foi lançado à 3 meses, o windows xp à quase 10 anos, mais um bocadinho e tambem podemos instalar o MS-Dos, e ai o pc anda que parece um Ferrari… Experimenta a comparar a performance do ubuntu 12.10 com o Windows 8 (que é a 3ª versão acima do xp…) e estamos em pé de igualdade

        O mesmo se aplica aos smartphones… Não vamos comparar os 2.3 com um sistema beta que vai sair agora para teste, se calhar comparamos o desempenho quando efectivamente este sair, contra o Android stock mais recente, e ai temos uma comparação mais digna.. eu tambem tenho 1 optimus boston que nao vai correr o ubuntu, mas azar dos azares, tambem nao correr o Android 4.0, quanto mais a ultima versão. Face a essa realidade, sim, o ubuntu estará mais preparado para low-end phones que o Android.

      • Glink says:

        eu acho que é por ser o 12.10 eu instalei na minha maquina de testes e ela não respondia tão bem quanto devia, instalei o Elementary Luna (Beta1) e o pc ganhou uma nova vida, é certo que tem bugs por ser beta ainda, e que o elementary é mais leve, mas não será assim tão mais leve… por isso desconfio que o 12.10 esta mais pesado, contudo eu aconselho todos a usarem o 12.04LTS por ser LTS 😉

  6. zé m s says:

    Os requisitos mínimos não me parecem nada low end, do que está disponível no mercado nesse segmento nada pode correr o UPOS….

  7. Tiago LEita says:

    Expliquem-me la que eu ainda nao entendi..

    Eles desenvolveram o ubunto OS, mas eles vao vender os telemoveis com este sistema?

    ou

    Os nossos androids, poderão meter o ubunto atravaes do CWM?
    Se sim,
    O Nexus S dá? 😀

    • VC says:

      Vão no final deste ano a vender smartphones já com ubuntu instalado como sistema base… e ja vão sair imagens para mudar do Android para Ubuntu Phone… o Galaxy Nexus já vai ser o primeiro a ser possível a troca

  8. MCT says:

    E o meu pobre galaxy nexus que só pode levar o Entry Level! Bom ao menos que o Ubuntu deixe desligar o sensor de proximidade que ja tou farto do tlm reiniciar quando faço ou recebo chamadas (e a Samsung e a Google caladinhas que nem um rato acerca do problema).

    • VC says:

      Nos videos de apresentação, usaram o Galaxy Nexus, inclusive quando foi ligado a uma dock tinha o ubuntu para desktop a correr nele, por isso acredito que o galaxy nexus corra perfeitamente a versão completa 🙂

    • Ricardo Lopes says:

      O VC tem razão, é espectavel que o Nexus consiga utilizar o docking system, já que é esse o smartphone para o qual foi criada a imagem.

  9. Gonçalo Gabriel Henriques Martins Ribeiro says:

    Supostamente Ubuntu seria viável a qualquer hardware, mas o low spec a 1Gb parece-me requisito demasiado alto para quem quer uma plataforma móvel de baixo custo :s

  10. Gonçalo says:

    o meu huawei ideos x5 vai poder correr?

  11. cristovao vieira says:

    e o Samsung h1? será que vai ressuscitar?

  12. Nuno José Almeida says:

    Os requisitos já tinham sido relevados no próprio dia da apresentação. Achei-os logo altos.

  13. Ricardo says:

    A convergencia para Desktop não é novidade.

    O meu Motorla Razr já tem um Webtop com ubuntu. Basicament quando ligo um capo hdmi, ele “transforma-se” num desktop e o ecran passa a funcionar como um touchpad.

  14. Filipão says:

    No início de 2014, quando estará disponível o sistema operativo, é provável que os requisitos mínimos já sejam mais do que banais para o mercado vigente nessa altura.

  15. Sergio says:

    A convergência esta cada vez mais perto

    Um dia nem sequer será necessário Dock.

    Chegamos a casa e transferimos a componente Io para a tv, para o monitor, para o tablet. Chegamos ao trabalho idem, chegamos ao restaurante e transferimos para o cardápio electrónico.

    O dispositivo universal que tenho apregoado estará cada vez mais próximo.

    • eduardo says:

      É muito mais fácil imaginar a sincronização através do cloud, do que pensar num dispositivo universal. O conceito desses dispositivos é à primeira vista apelativo mas a partir do momento que começam a depender doutros dispositivos para se ter a funcionalidade pretendida (ecrã, teclados, etc) a vantagem desaparece rapidamente para a maioria das utilizadores, especialmente se se conseguir ter sincronização de documentos com qualquer computador.

      • Sergio says:

        Em parte é verdade o que dizes. Mas existe sempre a questão do licenciamento de aplicações e a sincronização. Tu não tens tudo sincronizado e o que tens pode nao estar disponivel naquele momento.
        Estas no hotel ou no restaurante e se puderes trabalhar sem ser no teu laptop. Se puderes ter simplesmente o teu smartphone é muito mais interessante. Na realidade, provavelmente os laptops/desktops deixariam de fazer sentido. Voltariamos ao velho paradigma de simples equipamentos terminal.

        • Sergio says:

          Quando me refiro ao licenciamento, refiro-me tb há existencia da aplicação no computador anfitrião

          • Sergio says:

            A sincronização será sempre importante como backup, ou para ter tudo à mao. Não discuto isso.
            Não tens que optimizar o software para varios dispositivos. Só para um. O resto comporta-se-á como meros periféricos.
            Eu não digo que o Ubuntu já faça isso totalmente. Digo que caminha para lá.
            Tens montes de aplicações que “nunca” terão versão cloud.
            E não falo de nichos. Achas que as pessoas não perferiam ter apenas um smartphone, do que um smartphone e um laptop?
            Eu não estou a dizer que a cloud é importante. Estou a dizer que uma não invalida a outra.
            Estás preocupado com avarias no dispositivo? É uma preocupação lógica. Mas nos últimos 25 anos vivestes com esse paradigma
            Depois existe a questão da segurança. Há muita gente que não confia na cloud

          • eduardo says:

            @ sergio
            A optimização para vários dispositivos é necessária porque não vai existir só um hardware no mundo a correr o sistema, é ou não é!? O problema que o Windows e Android têm com optimizações não desaparece no Ubuntu!!!
            Ninguém falou em aplicações com versão cloud, apenas falei em sincronização, que é fácil de implementar e como já disseste será necessária de qualquer das formas.
            A partir do momento que podes aceder aos ficheiros a partir de qualquer dispositivo, escolhes a aplicação local que mais te convenha, sem estares limitado na escolha à aplicação dita universal.
            E sim acho que as pessoas vão preferir ter dispositivos separados, em primeiro lugar porque já vivem assim, e em segundo porque se realmente quiseres trabalhar a sério em qualquer lado não vais conseguir isso num ecrã minúsculo dum telemóvel. Ter dois dispositivos permite-te ser muito mais flexível, e de qualquer das maneiras para teres a funcionalidade que pretendes terias que andar com acessórios atrás que não serviriam para mais nada se não estiverem ligados ao telemóvel. A andar com peso extra ao menos que seja com algo que funcione sozinho, é dinheiro mais bem investido.
            Quanto à segurança, telemóveis que desaparecem parece ser bem mais problemático, e se já disseste que seria necessário sincronização não vejo onde é que está a diferença.
            Os acidentes com telemóveis são bem mais frequentes e com piores resultados do que com computadores.
            Resumindo não há nenhuma grande vantagem para essa solução, nada que leve a uma adopção generalizada, o que torna isso num nicho!

        • eduardo says:

          :S licenciamento?? há muito por onde escolher em termos de aplicações móveis, e ninguém precisa duma aplicação completa num telemóvel simplesmente porque não tem maneira de tirar partido disso pelas próprias limitações físicas do formato. Aliás para os programadores pode tornar as coisas mais complicadas, pois vão ter que desenhar as aplicações com dois comportamentos muito distintos; 1º pelo ecrã, 2º por gestão de recursos (bateria), se realmente quiserem dar a experiência dum computador!
          Quanto à sincronização, é muito mais fácil implementar isso num sistema do que tentar fazer com que o mesmo sistema e aplicações sirvam para tudo. Já há neste momento sincronização automática de documentos nalguns sistemas, só é preciso que as aplicações tirem partido disso. Mais depressa se terá as aplicações a sincronizar do que aplicações feitas de raiz para um sistema dito universal!

          • Sergio says:

            A questão é que as aplicações podem ser de raiz para digamos “desktop”, e para um modo viewer em smartphone.
            A questão é que os smartphones estão a chegar ao ponto de ter poder computacional que na maioria dos casos deixa de fazer sentido laptops/desktops.

            O Ubuntu phone já te quer oferecer isso. O Windows caminha para aí. Correm rumores da fusos do Mac OS com o iOS. Não quer dizer que tenhamos tudo já para o ano, ou para daqui a dois anos.
            Faz sentido ter montes de ferramentas espalhadas pelos vários dispositivos, se podes ter só num? Claro que a cloud tb é importante. Mas só os ficheiros de dados estarão na cloud. Bem podemos falar no chrome OS. Mas faz mais sentido uma coisa ou outra? Ambas tem vantagens. Mas as pessoas perferem ter o poder do lado delas e não serem “escravos” da cloud.
            Obviamente haverão muitas arestas a limar

          • eduardo says:

            A tua ideia será sempre um pequenino nicho!
            A questão é que os smartphones vão sempre ter limitações – é impossível ser bom para tudo – e pouca gente vai querer ficar tão dependente dum dispositivo que pode tão facilmente avariar (acidentes com telemóveis são comuns) e ser perdido – backups e sincronização serão uma necessidade absoluta, que é basicamente o que a alternativa mais simples precisa.
            E ao contrário do que pensas o Ubuntu ainda não te oferece isso; ainda não está disponível e depois está 100% dependente de como é que essas aplicações que ainda não existem vão ser pensadas e escritas.
            Já tens neste momento aplicações móveis que te permitem editar os mais variados ficheiros, já tens aplicações que te sincronizam os ficheiros. Achas realmente que essa solução vem resolver algum enorme problema? Não vai! E do lado dos programadores tb não vai trazer nenhuma vantagem especial face à concorrência. Primeiro porque a optimização para cada dispositivo, que é a grande dor de cabeça, vai ser sempre precisa. E depois porque o iOS e o Windows Phone já têm APIs comuns com o desktop, sendo fácil reaproveitar o código.

  16. José says:

    Se aquilo é low-end, o quê será o meu HTC Tattoo….

  17. VC says:

    Continuo sem conseguir perceber, se vai dar para correr shell scripts nossos, se teremos acesso a um shell como todos os comandos tipo apt-get e se ira permitir instalação de pacotes .deb… alguém sabe alguma coisa sobre isto? Se realmente der para isto… então parte tudo…

    • César says:

      Sim, tudo isso é possível. Talvez não facilmente a partir da interface phone, mas em modo desktop sim pelo menos.

    • Ricardo Lopes says:

      Teoricamente até a partir da interface do phone, metes o terminal a jeito na shortcut dock, e siga. tambem podes invocar o terminal a partir da Dash.

      Vai dar para instalar todo o tipo de pacotes .deb, porque ao contrario do Android, está tudo em c/c++, ou seja o teu telemovel é sim um computador com função de fazer chamadas…

  18. Fabio says:

    E que venha de lá a high end version para o noteII :), basta sair no nexus que é uma questao de dias até estar espalhada pela familia galaxy

  19. Um says:

    A Canonical assumiu aquilo que todos os outros querem fazer mas não têm tomates para assumir: um equipamento para fazer tudo!

    Quanto aos requisitos para correr o sistema operativo, concordo com o que dizem que são elevados, mas não pensem que vão ter uma experiência unificada com um Galaxy w ou um Ideos X5….

  20. Marco Silva says:

    Para quem se queixa das specs low end, reparem que a Google deixou de actualizar o nexus S com android 4.2! Por isso está bastante definido que para a google as specs do nexus s já não são suficientes para dar a experiencia que a Google deseja. É claro que já existe ports da versão 4.2 agora será que oferece a mesma experiencia que o meu galaxy nexus? claro que não…nem perto, alias desde o ICS que aquele hardware já deixava a desejar.

  21. Rafäel says:

    A ideia é bastante boa. O que falta agora é a aposta dos fabricantes. Sem eles isto não vai passar de uma ideia falhada. Eu gostaria até de já puder ver ao vivo e a cores para depois decidir. Sendo um entusiasta do Ubuntu só espero que saia o produto para o mercado.

  22. fire says:

    ainda não é qualquer tlm que sai hoje em dia com 512Ram e processador a 1G.

  23. Frederico says:

    Por acaso isso irá ser possível nos BADA? Tenho 1 WAVE 3 e é 1,4 ghz, como ainda tem 1 ano e meio de garantaia ando até a ver se o vendo/troco por um Android, mas se o Ununtu for uma boa opção, já fico com ele e meto-lhe isso =P

  24. Miguel says:

    Estas specs encontravam-se na página desde o dia da apresentação e para mim, acho que serão specs tipo Windows XP que quando saiu pedia 256Mb mas instalei-o sem problemas em máquinas com 64Mb.

    Estas specs serão para os fabricantes de telemóveis e acredito que a comunidade conseguirá colocar o Ubuntu Phone em telemóveis com menos capacidade que os mínimos informados aqui.

  25. Ricardo says:

    Já estou a espera 🙂
    Bom trabalho PPLWARE, continuem.

  26. golias17 says:

    Acho que quando ele sair processador A9, já não vão ser top de gama visto que a arquitectura A15, já anda ai.

  27. Alexsandro says:

    Gostei muito da noticia…

    Pelo menos vamos ter mais um OS para escolher e sem dúvida que a ideia de criar um desktop a partir do smartphone é muito boa. Está visto que tenho que aguardar mais um anito para comprar um móvel como deve ser.
    Penso que agora o maior problema está na autonomia das baterias, visto que isso irá exigir muito do aparelho.

    Alguem sabe se quando o smartphone estiver ligado a doc o mesmo estará sendo alimentado como acontece com os portateis?

  28. Jorge Pereira says:

    Um aspeto que me parece relevante e que ainda vi referido:
    e assim o BYOD conquistou o mundo

    Reparem:
    bases de dados,
    projectos,
    documentos,
    aplicações diversas na cloud (Ubuntu Cloud claro)

    Levamos o nosso UbuntuPhone (com uma CPU capaz de aguentar o serviço) e trabalhamos LITERALMENTE em qualquer lado.
    O nosso posto de trabalho para a ser definido pela presença do smartphone pessoal

    Só por mau feitio: com um SD de 64 Gb e uma IDE decente e isto conquista-me

    • lmx says:

      Conquista qualquer um lol…
      com a vantagem de que como trabalhas no Telemovelo…deixas de carregar a bateria em casa, visto que ja a carregas durante 8 horas no trabalho lol…
      Depois vais ficar sem pilhas porque te esqueces de carregar aquilo quando vais de férias lol 😀

      cmps

    • eduardo says:

      e vais andar com um outro ecrã, teclado e rato às costas para poderes trabalhar em qualquer lado?

  29. João Paulo says:

    O Razr i tem Intel Atom então ele vai receber o Ubuntu for Phones?

  30. Bernardo says:

    Bom dia,

    Alguém sabe se ja se pode fazer a instalação desse OS num Wiko Darknight?

    Se sim, algum tutorial?

    Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.