PplWare Mobile

MX Linux: A distribuição que o vai fazer esquecer o Windows 10 (3)


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. maxim says:

    vai fazer esquecer até… até instalar o primeiro programa

    • N'uno says:

      Instalar um programa é igualmente ou até mais fácil… Só quem não quer lidar com um sistema diferente é que pensa assim.

      • Cortano says:

        Então, explica aí como é que instalo JAva da Oracle em Linux.
        Obrigado

        • N'uno says:

          Tens toda a informação necessária na net, sendo que escolheste um caso que não é consensual… Java não é propriamente um “programa” no sentido que foi referido acima.
          Exemplo: https://www.java.com/pt_BR/download/help/linux_x64_install.xml

          Não é “next-next”, e ainda bem, ,mas é tão simples como uma receita, com algum copy/paste…

          • Cortano says:

            “Vá para o diretório no qual deseja instalar o arquivo. Digite:
            cd directory_path_name
            Por exemplo, para instalar o software no diretório /usr/java/, digite:
            cd /usr/java/

            Mova o archive binário .tar.gz para o diretório atual.
            Descompacte o tarball (arquivo compactado TAR) e instale o Java
            tar zxvf jre-8u73-linux-x64.tar.gz

            Os arquivos Java são instalados em um diretório chamado jre1.8.0_73 no diretório atual. Neste exemplo, ele é instalado no diretório /usr/java/jre1.8.0_73. Quando a instalação for concluída, você verá a palavra Done.
            Delete o arquivo .tar.gz se desejar economizar espaço em disco.”

            Fácil, né?!?

            Eu no Windows só faço:
            1. Download
            2. install
            3. Agree > next
            5. done

            Eu precisei de instalar isto no Linux, desisti no passo 1.
            Fui para o Windows.

          • N'uno says:

            Lá está, é preciso aprender um pouco quando se muda de sistema operativo, uma vez que muitas coisas são diferentes.
            A Oracle é reconhecidamente pouco user friendly com o Linux, mas ainda assim não é um bicho de sete cabeças: mover e descompactar ficheiros parecem-me ser questões básicas de qualquer sistema operativo.

          • Tiago says:

            Às vezes o copy-paste dá-se mal e não perceber o que está realmente a instalar é um problema. (até pode instalar programas maliciosos por seguir tutoriais fraudulentos)
            E instalar aplicações no linux não é fácil. Já tive tantas dores de cabeça a instalar os drivers da placa gráfica que ao fim de 1 ano de utilização aborreci-me do Linux (especificamente Ubuntu).
            Se o Linux deve ser o futuro ao menos que seja user-friendly.

          • N'uno says:

            Tiago, e o “next-next” não é a mesma coisa, ao fim e ao cabo?

          • N'uno says:

            O “next-next” sem se saber o que faz por nós ou se não traz brinde é perverso, no mínimo, e pode dar igualmente muitas dores de cabeça.

          • Toni da Adega says:

            Não é “next-next”, e ainda bem…

            Alguem que afirma isto está longe da realidade.
            Certamente que detestas smartphones porque as Apps sao faceis de instalar.

            O teu radio tem que ser analogico e todos os postos sintonizados á mao, e TV sem controlo remoto, porque para mudar é sempre melhor carregar no botao…..

          • Cortano says:

            @N’uno: O “next”, “next” também existe em Linux 😉

          • N'uno says:

            Não me fiz entender como pretendia. Reformulo: Não é “next-next” como em todas as frentes do Windows, dado que disponibiliza uma linha de comando poderosíssima. E a instalação do Java é um exemplo disso, uma coisa “ultra-complexa” que é possível mesmo não existindo um “next-next”.

            No Windows, se não tens o “next-next” não fazes nada. Claro que tens uma powershell, mas essa é para os técnicos de informática, como aqui já lhes chamaram. Ainda assim, instalar Java com a powershell deve ser algo dantesco, diria 🙂

            @Cortano, sim, existe. O meu “ainda bem” é no sentido de que existe como complemento à linha de comando, e não o inverso. É também a razão de ser da enorme melhoria na user-friendliness do Linux. O utilizador comum raramente necessitará de usar a linha de comando.

          • Cortano says:

            @N’uno: Hoje em dia se no Windows 10 tiveres ativado o Defender e a segurança contra ramsoware, mesmo que faças “next” > “next” sem dar autorização ao programa para arrancar, ele não será instalado correctamente (ou sequer instalado).

            A questão da linha de comando é poderosissima no Linux, até fácil de usar no geral – pelo menos nas funcionalidades mais normais e comuns.
            Mas isso é bom para curiosos, para os “geeks”, para quem está com “paciência” para escrever linhas e decorar comandos.

            Numa época em que temos tudo na ponta dos dedos a funcionar com um pressionar de ecrã, ter de usar linhas de comando no computador só porque sim, acaba por não tem muita lógica.

            Eu comecei a usar computadores na epoca do DOS, decorei dezenas de comandos DOS, tinha um manual de 500 paginas com os comandos e funções do DOS. Era giro chegar a um PC e fazer as coisas a escrever letras e comandos com + e -, e /, e sei lá mais o quê…
            Criar bats files para optimizar o tempo e arranque de programas, editar .sys para ir buscar “1MB” extra de RAM… (ou lá o que era).

            Mas isso foi há 30 anos! Hoje já não quero nada disso.
            Só uso o “Run”/CMD do windows em casos extremos e só vou ao powershell mesmo em ultimo recurso.

            Nas distros Linux que tenho, sempre que tenho de usar o CLI, desisto.
            Não tenho paciência para andar a escrever coisas – tirando fazer os updates e upgrades, que aí sim, é mais fácil e rápido.

          • Heluir says:

            Pelo visto ele também nunca instalou nada no Mac que necessita utilizar o terminal

          • Luis says:

            Não meu caro, Cortano, você não faz “Download > Install > Agree > Next > Done”, você faz “Procurar programa na internet > Download > Observar se não tem Baidu ou adware marcado > Aceitar os termos sem ler (típico) > Verificar novamente se não tem nada “extra” marcado, uma toolbar por exemplo > Confirmar > Instalar > Done.

            Dependendo da distro, existem inúmeras formas de se instalar um programa. O padrão é buscar no repositório da sua distro pelo mesmo. Você pode usar:

            1. Loja de aplicativos da mesma (à exemplo do Ubuntu, tem-se o Ubuntu Software forkada do GNOME Software)
            2. Um gestor de pacotes gráfico/GUI [pt-PT] também chamado de gerenciador de pacotes [pt-BR]. À exemplo do Synaptic no Ubuntu.
            3. A própria CLI, também chamada de terminal ou linha de comandos. À exemplo do gnome-terminal no Ubuntu.

            Outras formas de instalar um aplicativo:
            4. Baixar um pacote DEB (no caso de distros baseadas no Debian/Ubuntu) e executá-lo clicando nele e instalando ou usando o terminal para instalá-lo (Viu? Mias duas formas de instalar o mesmo programa). O DEB é similar ao EXE ou MSI do Windows, só que mais simples.

            As formas mais modernas atuais são usar:
            5. Snap (padrão no Ubuntu)
            6. Flatpak
            7. AppImage (similar em funcionamento aos Portables do Windows)
            8. ORB packages

            Outra forma é baixar um pacote tar.gz ou tar.bz
            9. Extrair e compilar seguindo os passos dados dentro do mesmo ou no site em qual foi baixado.
            10. Em outros casos não há necessidade de compilar, basta extrair o pacote e clicar no executável e já estará “instalado”.

            11. Mais outra forma é instalar um programa é via .sh (shell script)

            Diferente do Windows, existem diversas formas de instalar um programa, as formas 1, 2, 4, 5, 6 e 7 são mais comuns entre os usuários, as outras são mais complexas, exigem leitura e atenção e são mais usadas por usuários avançados. Claro que todas as formas podem ser usada por todos, basta saber ler.

          • Marcos says:

            Luis eu não sabia que tinha tantas formas assim de instalar um programa, seu comentário me ajudou muito, obrigado.

        • Igor Chaves says:

          Acabou de me convencer com o seu passo a paso a continuar com meu belo Windows. Kkkkkk

        • Kvothe says:

          Não querendo ofender mas estás a ser obtuso. Tens o Java em todos os repositórios de qualquer distro Linux.
          No caso do Mx-Linux, tens uma ferramenta chamada Mx-Tools que te permite instalar o Java com um clique.

          • Cortano says:

            Java da Oracle?
            É que em todas as ajudas que procurei, todos diziam o mesmo: Java da Oracle é mais complicado.

            Se há alguém obtuso, então são os utilizadores Linux que li acerca deste tópico.

    • Giovanni says:

      Kit droga. Quem teve a audácia de comparar com Windows?

  2. eu says:

    Já li tantas vezes o vais esquecer que deixei de lhe dar a importação que não merece.
    Trata-se de pura provocação e clickbait.

    O Linux é bom para ambiente servidor, onde pretendo o máximo de segurança.

    Para postos de trabalho, Windows e macOS que têm fundos de empresas são e provavelmente continuarão a ser a opção certa.

    • N'uno says:

      Também é excelente para postos de trabalho, sendo a opção certa para muitos utilizadores. Não será para os que necessitam de determinadas aplicações que só existam em determinado(s) sistema(s), mas isso é característica de todos os sistemas, ou seja, vale para os dois lados.

      • Cortano says:

        “sendo a opção certa para muitos utilizadores.”
        Que utilizadores são esses e porque é que é a opção certa?

        Não estou a dizer que o W10 é a opção certa, apenas não percebo essa afirmação.
        Porque é que Linux é a opção certa, e porque é que os outros SO não são?
        Pelo preço?! O W10 vem instalado nas maquinas novas, portanto, o preço não serve muito como factor decisivo para quem compra um computador.

        • N'uno says:

          Não descontextualizes… Mas posso responder na mesma: para todos os utilizadores que usam o computador por causa do email, browser e pouco mais, mais os que usam ferramentas Open Source, etc. São a grande maioria, acredita, mas também são avessos à mudança, a menos que seja por uma questão de modas ou estatuto.

          Eu utilizo-o tanto como servidor como desktop, e apenas mantenho uma VM windows por causa da obrigatoriedade de utilizar uns minutos por mês o cancro Internet Explorer para enviar as minhas declarações de IVA.

          • Cortano says:

            E porque é que o Windows Home não é igualmente a “opção certa”?
            Ou até um simples iPad?
            Existe software Open Source também no Windows!

            Como é que eu vou convencer o meu pai a tirar o Windows 10 do PC (que já vinha instalado), e dizer-lhe para meter Linux?
            Qual é a vantagem nisso?
            E porque é que eu depois teria de perder horas e horas a explicar como utilizar, p.ex., o Mint? Como é que lhe ía explicar que em vex de usar o Excel que ele já conhece há anos, agora teria de usar o Libre Office?

            Ou mesmo à minha mulher!! Que argumentos posso usar para trocar o W10 por uma distro Linux?
            Como é que lhe vou dizer para deitar o Surface fora e vamos comprar um portátil?
            Ou mesmo, porque raio havia eu de deitar 3 licenças W10 fora para meter Linux nos PCs lá de casa?!

            Tens algum argumento lógico?

          • N'uno says:

            A opção certa depende de cada um. Apenas contestei o comentário inicial! 🙂

            Não convences ninguém que não queira ser convencido. Por isso é que eu digo que é necessário querer. As vantagens nesse caso são muitas, mas tornam-se desvantagens ainda maiores se forçares.

            Educar não é perder tempo. E o Libre Calc faz mais do que o suficiente para maior parte dos utilizadores do Excel que não necessitem de andar a trocar ficheiros com terceiros, se bem que existe o Libre para Windows, gratuito. Dutante quantos anos vais piratear ou comprar licenças?

            O Surface é capaz de ser mais rápido com uma distro Linux do que com uma versão actual do Windows. Mas cada caso é um caso, e nem todas as distros “pesam” o mesmo.

            Eu tenho 3 licenças W10 e não uso nenhuma… Não as deitei fora. Nunca se sabe quando terei que as usar.

            Argumentos não faltam. Mas cada um sabe de si. Quem quer tirar partido tira, quem não quer simplesmente não tira. É simples.

          • Cortano says:

            @N’uno:
            “O Surface é capaz de ser mais rápido com uma distro Linux do que com uma versão actual do Windows.”

            Esquece isso. Não vás por aí. Até porque o W10 é rápido só por si.
            Depois, duvido que existam os drivers dos Surface em Linux.
            Certamente irias ficar com um equipamento caro com metades das funcionalidades – touch, pen, Hello, som, gestos no trackpad, teclas FN…

        • Victor says:

          O Windows que vem instalado nos PCs vendidos nas lojas não é de graça, o dispositivo tem um acréscimo de 80 euros.
          Foi quando eu poupei no último PC que comprei.

          • Cortano says:

            Sabes bem que nas lojas é raro encontrares computadores (PCs e Laptops), montados sem SO.

            Nem toda a gente (diria mesmo a larga maioria), não sabe instalar um sistema operativo de raiz – principalmente se tiver de ir à net, fazer download e criar uma pen boot

            Nem todas as marcas vendem os computadores sem SO mesmo que queiras.
            Os computadores equipados com Linux (ou sem SO), nem sempre são 80€ mais baratos – por vezes a diferença é praticamente nula, ou até mais caro.
            P.ex., uma pequisa rápida:

            Dell XPS 15, i7, 32 GB RAM, 1TB SSD, GTX1050Ti
            Site Linux Laptop: $2,419,99
            Amazon/Windows 10: $2,099,00

            Eu montei o meu PC. Como já tinha licença Windows não havia qualquer motivo para meter Linux.

          • Victor says:

            Claro que sim Cortano, mas já existem mtas lojas que montam PCs (descktops) ao gosto do cliente. Eu comprei o meu numa dessas lojas, disse ao gajo o que queria e o que não queira que viesse no PC.

          • Cortano says:

            @Vitor: muitas lojas cobram-te pela instalação do SO – mesmo sendo Linux.

      • eu says:

        Discordo.
        Existem utilizadores que parecem macacos amestrados.
        Não acho o Windows melhor que o Linux em termos de usabilidade (pelo menos de distru recentes) mas num passado remoto o Linux estava mais voltado para o técnico e o Windows acabou por se tornar o único standard na cabeça dos utilizadores.
        Acho dificil isso mudar e o marketshare inferior a 2% e constante do Linux prova o que estou a dizer.

        • Cortano says:

          “Existem utilizadores que parecem macacos amestrados.”

          Estas frases e julgamentos das pessoas são… epá… sei lá…
          Esta mania do “eu é que sei, eu sou muito esperto, os outros são macacos amestrados” é assim qualquer coisa de… epá… mesmo… epá…

        • N'uno says:

          Pelo facto dos utilizadores serem avessos à mudança não quer dizer que não seja uma boa opção. É preciso querer e investir um pouco, como fizeram com o Windows…

          • Cortano says:

            “É preciso querer e investir um pouco”
            Estás a dizer para deitar o meu Surface fora + 3 licenças Windows lá de casa e meter Linux?
            É esse investimento?

            Nota: Tenho distros Linux a correr em VM.

          • N'uno says:

            Referia-me a investimento de tempo, para aprender.

          • Cortano says:

            Mas porque é que eu hei-de “perder tempo” a ensinar o meu pai, ou porque é que o meu pai há-de “perder tempo” a aprender uma coisa nova se já está habituado ao outro?!

            Eu não sou contra o Linux, como já referi tenho distros a rodar em VM. No passado usei durante bastante tempo Linux – se não me engano usei o Fedora 8, 9 e 10.
            Voltei ao Windows porque naquela altura o Linux era bastante limitado em opções – e porque voltei ao PC para jogar…

            Cheguei a ter Mint instalado no PC da minha mulher e Ubunto Educa no computador dos putos.
            Mas tinha de andar sempre a arranjar soluções para ultrapassar certas faltas de opções, ou apenas porque nem sempre era fácil instalar software.
            Desisti, voltei a meter Windows em todos e acabaram-se as perguntas às quais eu não conseguia responder ou perdia imenso tempo à procura da resposta.

            A verdade é: como é que convences alguém que tem licença Windows a trocar para Linux?!
            A não ser por necessidade ou curiosidade, porque é que essa pessoa iria mudar de uma coisa que já conhece há anos, que sabe onde clicar, para mudar para um sistema novo, que não funciona da mesma forma, que os package managers podem ser uma confusão tremenda, que as dependências são coisas que não fazem sentido para um comum utilizador, etc.

            Essa conversa que muitos têm de “são macacos amestrados” é ridícula e ignorante.

          • N'uno says:

            Eu chamo-lhe “investir” tempo. Estou sempre a aprender e gosto. Mas todos têm a opção de se acomodar e basta um no grupo para ser quase impossível inovar.

            Não tenho tempo para jogos que não sinto essa falta de opções. Mas também há jogos q.b. se necessário.

            Já vi que investes em licenças ou sacas da net essas opções. 🙂

            Eu não sou contra o Windows, mas cada vez o evito mais. A primeira coisa que faço numa máquina nova é tirá-lo, ou montar um dual-boot. Mas deixei-me disso, pois entrava no boot do Windows uma ou duas vezes por ano e arrependia-me com o tempo perdido à espera de updates. Agora é Ubuntu ou Manjaro.

            O utilizador comum ignorante é um risco de segurança. Nas minhas redes não permito utilizadores desse nível. Eu sou daqueles que não confia no router da operadora e monta uma sub-rede privada, ficando o Wi-Fi para as visitas e só ligado quando necessário. 🙂

          • Cortano says:

            @N’uno: Suponho que a “tua rede” é pequena.
            Eu trabalho numa empresa com milhares de utilizadores espalhados pelo mundo.
            Esta frase “Nas minhas redes não permito utilizadores desse nível.” não faz qualquer sentido para mim.
            um utilizador não tem de saber mexer no SO se a função dele não estiver relacionada com usar o SO como ferramenta do dia-a-dia além de ser a base para arrancar o software que precisa para trabalhar. P.ex., porque é que uma secretária/assistente tem de saber mexer no SO se o trabalho dela é usar o Word e o Outlook?!

          • Cortano says:

            @N’uno: A ultima Licença Windows que comprei foi a do Windows 8.
            Eu uso licenças genuinas desde o Windows XP.

            Tinha 2 licenças do W7 + 1 do W8 – todas passaram para W10 grátis.

            Office: tenho conta Office365, pago anualmente.

            Se não me falha a memória, neste momento no meu PC só tenho um programa não legal – e que é um VSTi de DAW (plug-in audio), mas é uma versão já antiga.

          • N'uno says:

            Sim, falamos de uma rede pequena, claro. Numa grande empresa isso é complicado, mas ainda assim pertinente. Proteger um computador e uma rede em que o utilizador pouco ou nada sabe é tarefa bastante complicada. Nota que o meu “ignorante” deve ser interpretado no sentido lato, ou seja, há mínimos para tudo, e em particular para o que não se deve fazer.

          • Toni da Adega says:

            Essa do “investir” é relativo. Como explicar a uma empresa que durante 1 semana os seus sistemas vao estar embaixo uma semana enquanto se migra tudo para um novo Sistema (neste caso linux).

            Depois perder pelo menos mais 2 dias em formacao de pessoal. E que após isso que as pessoas vao estar umas semanas produzir menos enquanto se adaptam.

            Tudo isto tem custos, é necessario justificar este investimento.
            Na minha empresa um consultor que esteja parado sao 500$/dia
            estando parado 1 semana sao 2500$ por semana por pessoa.

            Mesmo que se poupe em meia duzia de licencas, no final sai muito mais caro.

          • Cortano says:

            ” há mínimos para tudo, e em particular para o que não se deve fazer.”
            Isso aplica-se para qualquer sistema porque são regras transversais de utilização segura de um computador.

            Evitar e antever problemas é trabalho dos departamentos de IT. Hoje em dia existem muitas ferramentas para maximizar a segurança de um sistema, para não permitir que um utilizador execute certos programas ou aceda a funções críticas do sistema.
            Um departamento de IT não existe só para instalar o SO e tratar da manutenção dos servidores.

            Contratar pessoas para onde trabalho não exige testes de utilização do sistema operativo – precisas de saber ligar e desligar a máquina, de saber aceder aos ficheiros, abrir um programa, etc., mas isso são coisas básicas.
            Não tens nem precisas de saber lidar com segurança nem como instalar e configurar software.
            Não sabes como solucionar um erro que apareceu no ecrã? Ligas para o help desk de IT e eles que tratem disso.

          • N'uno says:

            Segurança é muito mais complexa do que as ideias que indicas. Não vou entrar por aí porque é tema infindável. Não partilho inteiramente a tua visão. mas acho que foi uma boa conversa até aqui! 🙂

          • Cortano says:

            @N’uno: Tudo bem.
            Eu não de sou de IT, apenas partilhei de uma forma superficial o sistema montado na empresa onde trabalho – multinacional, top 5 do seu mercado, milhares de empregados e centenas de escritórios espalhados pelo mundo.

            Acredito que para uma empresa pequena tenha de ter outros cuidados, porque não pode ter um help desk de IT a ajudar constantemente as pessoas.

            Obrigado pela conversa civilizada, mesmo com pontos bastante discordantes no meio. 🙂

          • Cortano says:

            Nota: Vou instalar esta distro em VM para testar. 🙂

    • Luis says:

      Não Windows também serve para servidor e Linux também serve para desktop. Só porque você é incapaz de usá-los, não diminua suas funcionalidades.

  3. Pedro Verissimo says:

    Enquanto o Linux não for usar friendly não vai vingar….. não tenho que ser técnico informático para instalar um programa

    • N'uno says:

      Um técnico informático não é necessariamente um técnico de Linux. Para além disso, para o utilizador comum o Linux está user-friendly o suficiente. Dois mitos…

      Acho curioso não pensarem da mesma forma no caso do Windows. Ou será que nunca tiveram que pedir ajuda ao técnico informático? Sim, porque o Windows estraga-se com o tempo, quer se queria quer não. E não ser minimamente conhecedor da tecnologia que se usa é meio caminho andado para acelerar esse processo, em qualquer sistema.

    • Victor says:

      Lol Pedro Veríssimo, santa ignorância, para instalar e usar uma distro de Linux como o Mint ou Manjaro, precisas de ser o mesmo técnico para instalar e usar Windows.
      Só abrem a boca pra dizer mer*a, informem-se, aprendam e depois comentem.

  4. Alexandre says:

    Meu deus, vocês só falam bosta. Cada vez mais as distribuições linux são user friendly. Instalei o linux deepin no computador da minha avó e minha mãe e nunca mais tive que fazer manutenção. Antes, eu sempre tinha que limpar o computador de toolbar e diversos outros problemas, pois o windows parece uma lixeira. Alem disso, o desempenho do linux em computadores mais simples é infinitamente melhor do que o ruindows.

    • Zinzao says:

      Concordo, tive a mesma experiência. Tenho dualboot e quando ligo o PC penso 03 vezes antes se tiver que entrar no Windows 10 pois o PC fica super lento, lembrando que tenho um note i5 da Acer. Dá tristeza quando tenho que usar um aplicativo que só tem no Windows aff…

  5. FernandoRJ says:

    Penso que o título é só uma provocação bem humorada. O Linux para mim é funcional em tudo o que preciso. E acho que enquanto for rejeitado pela maioria, melhor. É menos visado, sendo assim mais seguro. E não rejeito o Windows, pois o tenho em dual boot em meu computador. Na verdade gosto de explorar os por menores dos sistemas, sem preconceito.

  6. Joaquim says:

    A minha questão é apenas esta, porque é que estes artigos sobre Linux têm sempre “A distribuição que o vai fazer esquecer o Windows 10” no título?

    • N'uno says:

      Deve ser para atrair a malta para a discussão, deduzo. Eu não esqueci porque trabalho todos os dias com ambos os sistemas e, como maior parte, cresci com o Windows, mas é certo que mo meu negócio não pago licenças, nem sinto falta de nada. Poderia dizer que em casa já tinha esquecido há uns bons anos…

    • Ramon says:

      Isso para mim sensacionalismo o Linux é um sistema operacional muito bom mas para substituir o Windows eu acho muito difícil

      • Vítor M. says:

        Achas porque não entendes os muitos locais onde o bom Linux dá mais jeito que um Windows. Obviamnete e já foi dito por várias vezes, o Windows é o melhor sistema operativo mas não serve em todos os lados. Ao nível empresarial, há muitos setores onde uma máquina com Linux é o ideal, dados os custos, dado o peso e as atualizações que muitas vezes o Windows obriga a fazer. Não faz sentido usar Windows em muitos lados e aí é uma porta para Linux. Assim como, dadas as limitações de mercado, não faz sentido usar Linux quando temos máquinas dependentes de software de gestão empresarial ou software de edição gráfica, por exemplo.

        Agora, em grande parte dos computadores, de utilizadores que usam mail, browser e editor de texto, folhas de cálculo e um ou outro software de produção opensource (e pouco mais usam hoje em dia a maioria das pessoas) um bom linux faz mesmo esquecer o Windows. Mas é preciso ter um bom linux, o que na realidade não falta mas é preciso dar a conhecer.

        Ramon, qualquer dúvida, dispõe.

  7. Sandto says:

    Esquecer? kkkkkkk

  8. Sandro says:

    Esquecer? kkkkkkk

  9. Paulo Cezar says:

    Posso jogar meu bom e velho world of warcraft ou lol. Quando linux aceitar jogos mmo online esta barreira se acaba.

  10. José luiz says:

    Como usar o Linux como Hotspot usando apenas adapter wi-fi para receber e transmitir ?

  11. Ramon says:

    Dono do post Você vai continuar com essa bobeira de distribuição do Linux que vai substituir o Windows. Eu acho muito difícil o Linux substituir o Windows Claro São dois sistemas operacionais muito bons mas o Linux tem um segmento e o Windows é outro segmento

  12. Samuel says:

    Gostos não se discutem. Os haters usam tudo e mais alguma coisa para desviarem as pessoas para o Windows ao invés de aprenderem alguma coisa sobre o Linux. Eu amo o MX Linux e acho melhor que o Ubuntu e que o Mint pois é muito mais fácil instalar e actualizar os programas (as apps) basta ir ao “MX-Instalador de pacotes”.

    • Raphael Moura says:

      Ter opinião não torna alguém hater. O que falta é respeito por parte dos que se sentem agredidos. Aceitem a verdade que doe menos. E não, inteligência não é questão de gosto. Abraço

  13. Head Brother says:

    De estética esses clones dos clones estão cheio quero ver facilidade para instalar um aplicativo de Banco ou do Imposto de Renda.

  14. Raphael Moura says:

    No dia que um sistema operacional pagar minhas contas eu discuto qual o melhor. Por enquanto vou usar o que é mais fácil. E não, o Linux não é o mais fácil nem prático. O Linux nunca (nunca) vai ser popular, porque é feio, é retrógrado, precisa de códigos e terminais e não tem programas profissionais para pessoas normais. Quem sabe um dia cresça nos games, mas vai demorar décadas. Portanto, perda de tempo. Abraço em todos os portugueses desde Brasil

    • N'uno says:

      Tudo falso… Nota-se que nunca usaste profissionalmente uma distro Linux. Eu tenho duas vidas, trabalho numa mulrinacional como o @Cortano, e mantenho um negócio como empresário. Só uso Windows na multinacional, e nunca senti falta dele no negócio . Pode dizer-se que vários sistemas Linux pagam parte das minhas contas.

  15. Lex says:

    Cheio de graça, mas quando precisei instalar uma impressora zebra ou até mesmo configurar, foi um parto e para uma empresa com linha de produção parada foi mais desgastante ainda. E mais ainda pagar funcionário p não fazer nada. Tive q formatar p Windows instalar e pronto resolvido e tudo volta ao normal. Algum dia espero que não precise ter q estudar códigos e anteprojetos para fazer uma configuração básica.

    • N'uno says:

      Isso parecem-me questões de gestão, mais do que técnicas. Eu não uso Zebras, mas uso Citizens, e a configuração delas não foi nada de mais. Bastou usar o driver Cups da Citizen. Depois foi trabalhar os templates do programa de facturação e partilhar a impressora na rede através da porta USB do router.

  16. Kek says:

    {Insert_linux_dist_here}: A distribuição que vai fazer esquecer o windows 10,

    Isto sao os vossos titulos em tudo o que é relacionado com linux

    • Vítor M. says:

      Bom dia Kek… prova isso. Saca da honestidade e prova que esse titulo é usado para todas as distros e não só para essa, porque somos coerentes. Prova isso. Abraço.

      • Kek says:

        Ate pode nem ser exatamente o mesmo, mas a ideia que o titulo da é a mesma, portanto eu tou me a lixar se fazem isso de uma maneira automatica ou n, continuam a ser titulos de lixo, mas se quiseres ate perco tempo da minha vida a provar, manda ai o teu mail que eu mando te screenshots 🙂

  17. Rod says:

    Poxa os cara brigando pra saber qual melhor win ou linux kkkkkk deixem de ser crianças manos cada um usa o que quer se vc gosta de pagar por uma coisa q vc nem tem controle f@$!-se, não sabe instalar um programa sem next-next aprenda vc não é burro fui kkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.