Quantcast
PplWare Mobile

Debate: Linux Mint é a melhor alternativa ao Ubuntu?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Rui Pinto says:

    Posso dizer que já experimentei os 2 e gostei mais do Mint por ser mais intuitivo e muito mais fácil de navegar, pelo menos para mim 🙂

  2. arkan says:

    eu odeio linuxo, mas eu particularmente estou achando o ubuntu um devorador de recursos, em um dual core exxx com 1gb ele em modo live fica pesado e as vezes nem carrega, com o ubuntu 9 consigo mexer normalmente.

    o mint roda sem problemas!

  3. Bruno Jesus says:

    Linux Mint Debian Edition, já usei e era muito bom.

  4. Usei muito ao de leve Mint há uns meses, na altura foi só para testar, gostei de interface gráfica e da fluidez.

    Do Ubuntu como esta agora não gosto do unity e de ser muito pesado (na minha opinião), mas agora o xubuntu que é o que uso atualmente, acho muito leve e roda rápido e com algum tempo na personalização fica algo muito atrativo.

    No fim das férias que formatar o pc e mudar um pouco, estou a pensar instalar na minha maquina ou Debian, Mint ou Kali.

    Cumprimentos,
    João Nascimento

  5. Bruno Medeiros says:

    Actualmente nem um nem outro, desde que saiu o elementaryOS Luna é esse que uso!

      • Pessoal eu gostei do SO mas realmente acho que está muito instável, a aplicação de musica bloqueia a fazer a pesquisa de musicas, o explorador bloqueia com facilidade basta estar a gerenciar fotos com 50 megas e esta sempre a ir a baixo… bem para mim não deu tive mesmo de voltar para o meu mint.

        • cnavigator says:

          Confirmo estas instabilidades, não com o ambiente Pantheon, que corre lindamente com os seus efeitos subtis (adoro a funcionalidade dos hot corners), mas sim com as aplicações que estão a ser desenvolvidas especificamente para se enquadrarem neste ambiente, segundo as orientações para a interface humana definidas pela equipa do Elementary, que são no mínimo instáveis.

          O problema é que para já, são muito poucas as aplicações que respeitam as orientações do ElementaryOS, daí que a equipa esteja a desenvolver as suas próprias aplicações, pois não faria sentido de outra forma (tal como o Mint tem vindo a fazer, por exemplo com o gestor de ficheiros ou mesmo o Cinnamon, que é um fork da Gnome Shell). Os recursos humanos para desenvolver tanto o ambiente gráfico como as aplicações não são suficientes para já e prova disso são os 2 anos de espera pelo Luna.

          Outro aspecto é que algumas das opções são estranhas, sendo escolhas propositadas e devidamente justificadas mas por exemplo não deixa de ser no mínimo estranho um sistema operativo vir sem um gestor de tarefas!

          Neste momento já instalei o PCManFM e o Gedit, simplesmente porque o Scratch estava a dar incompatibilidade com os caracteres especiais na língua portuguesa (“ã, á, etc) e o Files não pára de crashar. Felizmente existe o LXDE, esse outro projecto que merece a nossa atenção, com as suas aplicações modulares, sem grandes dependências associadas, que se podem enquadrar em praticamente qualquer ambiente, pelo menos o PCManFM e o LXTask assentaram que nem uma luva no Elementary OS. Se pretenderem substituir alguns elementos que vêm por padrão no Elementary OS, recomendo que os retirem do LXDE.

          Contudo pretendo continuar a usar o Elementary, pois revejo-me nos ideais deste projecto e só com uma base mais alargada de utilizadores e mais tempo de utilização é que podemos ajudar os devs a melhorar o sistema. Convém lembrar que o Luna é apenas a versão 0.2

          Sem dúvida que continuo a recomendar o Mint ou o Ubuntu 12.04 para quem não quer andar às voltas e sofrer frustrações com o seu sistema.

        • doubilus says:

          claro ainda é versão beta….

  6. Eduardo Oliveira says:

    Na minha opinião a única coisa que ubuntu tem de vantagem quanto as outras distros é o unity.

    Enquanto usei Ubuntu adorei o unity, simples, limpo, esconde uma serie de informação como botões das janelas, menus de contexto que estão lá quando precisamos deles.

    Quando à distro em si tem alguns problemas, a meu ver ter de se instalar uma maquina de 6 em 6 meses e ter de andar a desinstalar bloatware não é muito bom.

    Quanto à “frescura” do software… os repos estão bastante desactualizados, para termos software recente temos de confiar em ppa’s não oficiais.

    Mint também experimentei mas tive alguns problemas de drivers, gostei do cinamon e adorei o nemo, tanto que ainda hoje o uso.

    Actualmente estou a usar Arch Linux, com awesome wm com nemo como file manager, sempre actualizado e não se torna mais instável por isso.

    Cumprimentos,
    Eduardo Oliveira

    • Fábio Ferreira says:

      Verdade, uma das grandes vantagens do unity é que num portátil com um ecrã de ratio 16:9 consegue apresentar mais conteúdo vertical do que a maior parte das distros de linux actuais.

      Essa é a grande razão pela qual utilizo ubuntu, já experimentei cinnamon, xubuntu, gnome shell e cada um tem as suas vantagens mas o espaço vertical utilizado pelo unity é único.

  7. Pedro Pinho says:

    Nestas ultimas versões o Ubuntu tem-se tornado cada vez mais pesado e mais exigente em comparação com o Mint. Para os actuais iniciantes do linux já começam a preferir Mint pela facilidade que trás e por ser mais leve em maquinas mais desactualizadas. Para os antigos “companheiros” do crescimento do ubuntu já se sabe o que fazer para mudar algumas coisas e tornar o sistema mais leve.
    Realmente o ElementaryOS Luna tem me surpreendido e muito pela positiva, andar mais uns tempos com isto a ver o que sai daqui.

    Cump.

  8. Uso o Mint no Meu Centro do Yoga todos os dias sem problemas e acho muito mais intuitivo de usar que o Ubuntu. Já tive o ubuntu no meu portátil e voltei a formatar e instalei o Mint. É de um linux Mint 13.04 que estou a enviar este comentário. Fosso todos trabalhos de actualização da minha pagina web e todo o trabalho de escritório.
    Cumprimentos

  9. dbrenha says:

    Eu continuo com o Ubuntu, muito porque as maquinas onde uso não são propriamente históricas e o que o Unity deixa fazer, é o que queria, não necessito de mais configuração.
    A fraca performance de que falam eu não as sinto, mas para quem tem problemas com o Unity e quer continuar a usa-lo dêem aqui uma olhadela:
    http://www.reddit.com/r/Ubuntu/comments/1ci7op/speed_up_unity_on_old_hardware/c9hmam8

  10. SexOnaSal says:

    Por enquanto gosto mais do mint

    ps. porque não colocam uma “enquete”/votação ?

    Cumps

  11. JP (djlinux) says:

    As pessoas procuram um Sistema Operativo rápido e completo, o Linux Mint cada vez mais se aproxima disso, apesar de se notar no Ubuntu também grandes melhorias, o Mint esta bem na frente.

    Mas para ser uma comparação justa tínhamos que incluir um Ambiente de Trabalho que o Mint usa “contra” o Unity do Ubuntu… Ou então falar do Xubuntu e Lubuntu visto serem “ubuntu’s”… Porque se formos buscar o Mate e o Cinammon o Unity não fica assim tão atrás… Mas em modo geral, apesar de preferir Ubuntu, o Mint ganha…

    Sempre usei Ubuntu, mas neste momento estou no elementary, mas não por muito tempo, ainda é muito limitado para o que gosto de fazer. Devo voltar ao Linux Lite, rápido como o elementary e como usa o Xfce parece plasticina. 🙂

  12. Sérgio says:

    Boas 🙂
    Acho interessante estas questões, visto que o universo UBUNTU é muito grande,e a maior parte das pessoas têm sempre algumas dúvidas quanto à distro mais equilibrada ou apetecivel 🙂
    Pois bem…..entre Ubuntu e Mint…..eu prefiro de longe a última 🙂

    Abraços

    p.s. – agora rego a fogueira com gasolina …..ehehehe….mas ultimamente uso o FEDORA 19 😀

    • nothing to! says:

      Pena o fedora 19 ainda não ser compatível com as ultimas catalyst

    • ace says:

      minimal com openbox e look waldorf

    • lmx says:

      Cuidado ao regar uma fogueira acessa com gasolina…o bidão pode te explodir nas mãos…sabias que é assim que muita gente morre queimada???
      As pessoas não se dão conta do perigo, mas ele é tremendo…

      Voltando ao caso, usei em tempos o fedora core 1, e penso que fiz ou ou 2 testes em fedora, mas não gostei, na altura era o problema de não ser debian, pacotes, etc…

      Hoje em dia não sei como está, e apesar de eu ser um homem do Debian 😀 gostava de saber a tua opinião sobre o Fedora actualmente?!

      cmps

  13. André Filipe says:

    já utilizo o Mint desde a versão 12 e fiquei-me por ele, tenho experimentado as versões que têm saído do Ubuntu mas não passam de experiências e por lá se fica, Unity não é para mim mesmo. Bons tempos na versão 10.10 ^^

    • Darktux says:

      ubuntu 10.10 … provavelmente o melhor ubuntu de sempre

      • Alexandre says:

        Ainda é o sistema que uso no meu portátil. Tenho mais máquinas com o Mint e afins, mas prefiro o meu ubuntu 10.10 🙂

      • Luís Santos says:

        O melhor interface do Ubuntu foi o 10.04 LTS, desde a introdução do Unity passei para Mint 12 Gnome 3 e daí saltei para Cylon Linux. O Mint com Gnome 3+ é claramente superior a Ubunto com o Unity, deixou-me saudades mais pelo aspecto verdinho e fresco das pastas, mas prefiro, por enquanto, Cylon Linux.

  14. cnavigator says:

    Na minha opinião, os 5 pontos a favor do Linux Mint são válidos, já experimentei quase todas as variantes do Mint (excepto o KDE), incluindo o LM Debian Edition e é de facto uma das melhores distribuições para desktop dentro da diversidade existente no Linux, trazendo tudo o que é necessário para uma experiência praticamente isenta de frustrações para um utilizador comum e com um visual apelativo e atraente (embora os utilizadores mais avançados disfrutem de inúmeras formas de configurar o seu sistema em termos visuais e não só, o que também é outro ponto a favor).

    Normalmente, em tom de brincadeira, digo àqueles a quem recomendo o Linux que se o vão instalar num desktop/portátil e não querem passar o tempo a lutar contra o seu sistema, usem o Mint porque é o “Windows” do Linux (naturalmente que tal implica o sacrifício de um pouco da filosofia free & opensource). De facto, aquilo que a equipa do Mint se dedica a fazer é a pegar no imenso trabalho feito pela equipa do Ubuntu, em termos de suporte a hardware, gestão de pacotes e tudo mais e melhorar, ou se quisermos, a limar as arestas do Ubuntu para providenciar uma experiência impecável no desktop (e se quisermos, mais parecida com o paradigma do Windows, para os utilizadores que migram de um sistema para o outro).

    Como se sabe, o Ubuntu é neste momento um trabalho em progresso, ainda inacabado e em implementação, que procura fundir os ambientes desktop e mobile, que eu penso que acabará por vingar, mais cedo ou mais tarde, por muito que agora crie alguma rejeição nos utilizadores, penso que é uma forma de pensar arrojada mas que trará frutos mais tarde. Por enquanto, obriga a um outro tipo de habituação na maneira como se interage com o sistema (um pouco à semelhança do Windows 8, o projecto GNOME também decidiu enveredar por essa fusão), que no meu entender não é má de todo, bem pelo contrário, utilizar o Unity é bastante produtivo, assim que se habitua aos seus pormenores e a interface mantém-se intuitiva e acessível ao comum dos mortais e não é por aí que vejo um maior afastamento em relação ao Ubuntu mainstream e à sua dashboard, cada vez mais poderosa, mas sim devido ao sucessivo acumular de lentidão e sobreaquecimento que o Ubuntu provoca.

    Acredito que isso irá melhorar assim que a convergência estiver completa, no entanto não acho que isso seja razão para arrasar o Ubuntu e todo o trabalho desenvolvido pela Canonical e em particular pelo Mark Shuttleworth, como por vezes se vê em muitas opiniões de diferentes quadrantes, espalhadas pela Web, pois a meu ver o Ubuntu só tem beneficiado e muito o Linux. O próprio Linux Mint é, na sua base, Ubuntu puro, excepto a LM Debian Edition. Todo o mérito para o Ubuntu. Além disso, é preciso consciencializar as pessoas de que as releases entre versões de suporte a longo prazo (LTS) são instáveis e servem para os developers testarem novas funcionalidades, quem quer um Ubuntu estável com bom desempenho deve apostar na versão 12.04.2 LTS, que por acaso foi o último Ubuntu que tive instalado na minha máquina e que corria às 1000 maravilhas com muito menos dores de cabeça e ventoínhas a trabalhar.

    É verdade ao escolher a versão LTS, ficamos presos a um kernel mais antigo e que os pacotes nos repositórios oficiais ficam desactualizados e só temos acesso a versões ultrapassadas dos nossos programas favoritos (problema que me levou a abandonar o Ubuntu 12.04 e também a não enveredar pelo LM Debian Edition, baseado no Debian testing), que só recebem actualizações de segurança, confere estabilidade, que é uma mais valia para empresas e escritórios mas que não é assim tão crucial para o utilizador doméstico, para isso as alternativas são usar uma distribuição rolling-release ou semi-rolling (Arch Linux ou Manjaro Linux), mas ficando arredados de toda a infraestrutura e o suporte comunitário e online massivo que se criou à volta do Ubuntu (mais um dos seus grandes méritos), além dos inconvenientes de ter um sistema bleeding-edge, sem tempo para amadurecer, ou então reinstalar o sistema de 9 em 9 meses (o que é uma grande chatice, digo desde já) ou ainda seguir a via das PPA’s, a maioria das aplicações mais importantes recebem actualizações via PPA no Ubuntu e isso permite que tenhamos as versões actualizadas do software numa plataforma estável como é o caso do Ubuntu 12.04.

    Curiosamente, acabei por assentar no tão cogitado Elementary OS Luna, que mais cedo ou mais tarde, acabará por ser incluído em artigos deste tipo. É baseado no Ubuntu 12.04, o que é uma excelente base para trabalhar e pretendo ter todas as PPA’s do meu interesse instaladas no sistema em breve. Para já as impressões são bastante positivas quanto à filosofia Elementary (só mesmo testando para perceber a 100%), quanto à simplicidade e leveza do sistema e à coesão de todas as aplicações entre si. Contudo, nota-se que também é um trabalho em progresso (pudera, vai na versão 0.2!), não tenho encontrado quaisquer problemas com o ambiente em si (Pantheon) mas sim com as aplicações nativas, como o Scratch (na minha opinião inferior ao gedit) e o Files (está constantemente a crashar). Mais uns tempos de desenvolvimento, um crescimento na base de utilizadores, mais artigos escritos (recomendo vivamente o elementaryupdate.com) e teremos com certeza um sistema apto a rivalizar ombro a ombro com o Mint para melhor sistema operativo para desktop.

    Resumindo, neste momento Linux Mint (seja MATE, Cinnamon ou XFCE) é superior ao Ubuntu para desktop/portátil ou simplesmente mais recomendável para quem prefere um fluxo de trabalho semelhante ao Windows 7. O Ubuntu é um trabalho em progresso na convergência de plataformas, recomendo muito mais a versão LTS para um melhor desempenho no computador. Leva um pouco mais de tempo a conhecer mas torna-se bastante intuitivo com a utilização. O Elementary OS e a sua filosofia poderá eventualmente tornar-se tão boa ou melhor ainda que o Mint, talvez quando chegar à versão 1.0, aí veremos quem sai vencedor.

    Muito obrigado ao pplware pela oportunidade que dá aos seus leitores de se expressarem e pela divulgação do Linux a uma audiência cada vez mais abrangente 😀

  15. Mario Junior says:

    Aquele gerenciador de atualizações do mint é uma porcaria.

    • JP (djlinux) says:

      Como assim? Todas as aplicações da equipe do Mint, a meu ver, são melhores que todas as outras todas juntas.

      Não é por acaso que existem centenas de pessoas a usar o Ubuntu com “ferramentas” típicas do Mint 🙂

    • André Filipe says:

      não vejo o porquê de ser uma porcaria, até o acho bem melhor que o nativo do ubuntu que fiz questão de experimentar a cada nova versão lançada após o 10.10

  16. tuga chato says:

    Kubuntu parece-me intuitivo, além de ser bonito e elegante

  17. m4x says:

    Mint sem duvida, Mint sempre foi o Ubunto melhorado, e bem melhorado devo dizer, talvez porque as alterações são feitas por pessoas que entendem e ouvem o que os users querem do SO.

  18. Mario Junior says:

    Já Já vem a galera do Slackware, falar que o Slack é a melhor opção! Bwahahahaha

  19. inoxllor says:

    E que tal uma distro baseada em Arch?

    Manjaro Linux
    http://manjaro.org/

  20. someone says:

    Se tiver de recomendar uma distro a um futuro utilizador de Linux, sem duvida que recomendo o Mint

    O Ubuntu no meu ver neste momento tem varias desvantagens, até mesmo para os actuais utilizadores do Ubuntu, por exemplo o Ubuntu 13.10 vai vir com o XMir e a propria Canonical não esconde que vai usar/forçar os utilizadores a serem as cobais de algo que está muito longe de estavel…

    • Pedro Reis says:

      “Ubuntu 13.10 vai vir com o XMir…”, “vai vir” não, “virá com”. Desculpa lá a correcção, mas é uma calinada muito má e já me chatearam tanto com isso (sim também a fazia) que agora já não me engano.

      É verdade que o 13.10 vem com o Mir, mas tens o X como modo fallback sempre, penso que até vem instalado por default. Eu percebo a jogada deles, se não forem eles a puxar o pessoal para o Mir e tendo em conta a “má publicidade” que o Mir tem vindo a ter, se não fosse “obrigado” ninguém o iria utilizar. Assim é uma maneira do pessoal começar a ver que não irá mudar muita coisa e de eles próprios corrigirem eventuais erros.

      Cumps

  21. Nelson says:

    Debian… É o resto fica comigo…

    • lmx says:

      hehehe…

      Para servidor de facto nem penso duas vezes…é Debian e pronto!!

      para as minhas maquinas, é debian based…Para já Linux Mint LMDE, apesar de não gostar de algumas coisas, e do atraso nos updates de segurança, etc…ainda não encontrei nada melhor que Mint LMDE…

      Ando de olho no Siduction, um projecto Alemão, Debian Based, mas os Desktop’s deles parecem-me deixar ainda algo a desejar…

      Outra distro debian based, que talvez vingue é a kweezy, mas ainda não experimentei…perece que após mais de 10 anos afastado do kde, esta será testada na minha maquina…mas sem demasiada expectativa…

      Respondendo directamente a pergunta, apesar de gostar do que o Ubuntu tem feito pelo software opensource, através da divulgação, etc, etc…o Mint é uma excelente alternativa, para dispositivos de ecran mais generoso…para ecrans pequenos não…

      cmps

      • Headbanger says:

        Nelson,

        Tamo junto. Tenho usado Ubuntu 13.04 com Cinnamon no trabalho, e me surpreendo que ele come os 4Gb de ram do sistema. Já em casa uso Debian e uso mais algumas distros, algumas delas com Cinnamon também, abro várias coisas simultaneamente e não chego a ocupar 1Gb de ram. Alguma coisa está errada com o Ubuntu. Vou só esperar mais um tempo e vou reinstalar minha estação de trabalho e botar Debian aqui também.

        lmx,

        Dê uma olhada no projeto alemão Snowlinux. Eu recomendo!

        Abraço!

        • lmx says:

          Boas..

          Obrigado pela lembrança. 😉
          Vou dar uma vista de olhos, eles agora teem um site simplificado ao maximo, ou secalhar é porque é novo e falta adicionar conteudo…

          cmps

          • headbanger says:

            lmx,

            Estou trabalhando com os caras, ajudando eles no artwork (já que não sou programador). O site precisa de um trato ainda. O pessoal tá gastando bastante energia na nova versão.

            Se tu arranhas no inglês, apareça no chat, o pessoal é bem gente fina.

            http://snowlinux.de/community/chat

            Abraço!

  22. Damião says:

    Questão habitual esta!

    Indo direto ao assunto: prefiro o Ubuntu!

    Acho piada que de há uns tempos para cá é moda favorecer o Mint em detrimento do Ubuntu. Vejam-se os comentários anteriores… Mais gritante ainda é o facto do autor só ter referido vantagens do Mint. E as vantagens do Ubuntu? Tendencioso… Naturalmente… Todos temos as nossas preferências. Porém, por alguma razão será…

    Em reposta aos itens do artigo, eis o que penso:

    1. Todos os ambientes de trabalho descritos no item também estão disponíveis no Ubuntu. E ainda há mais, como o LXDE, por exemplo. O Unity é o nativo do Ubuntu mas não é obrigatório usá-lo. Até posso te-los todos instalados ao mesmo tempo e escolher um diferente cada dia (descurando a preocupação com os recursos, passo a presunção). E se o Unity aborrece algumas pessoas também é magnifico para outras. Eu próprio, que era adepto do Gnome 2, estranhei bastante ao início. Mas agora é o meu preferido.

    2. Se o ambiente do Mint (presumo que a referência seja ao Cinammon) é melhorado ou mais intuitivo ou não face ao Ubuntu (em ambiente Unity) suponho que é uma questão de gosto. Acredito que o seja para quem migra do Windows, tal como com o KDE, usado como nativo no kubuntu.

    3. A questão do Artwork é mais do mesmo: uma questão de opinião. Pessoalmente, continuo a preferir o do Ubuntu. E com uns pequenos “tweaks” ainda fica melhor, como é o caso do do pacote de ícones FS-icons, por exemplo.

    4. É sobejamente conhecida e descrita em vários foruns a aversão que o sítio “Distrowatch” tem pelo Ubuntu, por razões que não vêm ao caso. Não sei se é verdade ou mentira. Digo apenas: duvido que a popularidade do Mint seja maior. Mas pode ser… Encontro muito mais informação sobre o Ubuntu do que sobre o Mint. Mas aceito que esse não seja um bom argumento, pois é a que uso.

    5. No que respeita a performance, na instalação “de fábrica” até pode ser que o Mint seja mais lesto. Não sei. Mal usei o Mint, por razões óbvias… Mas também não é a minha preferida para uma máquina mais antiga. Como foi referido atrás, o Xubuntu e ElementaryOS, sendo o primeiro um “fork” do Ubuntu e o segundo baseado em Debian, com ambientes nativos mais leves e alguns tweaks, são de facto muito bons. Mas na máquina com 10 anos que cá tive na semana passada, o que se portou melhor foi o Linux Lite (https://www.linuxliteos.com/) que usa ambiente XFCE (tal como o Xubuntu mas mais ligeiro). Partilha (pelo menos) uma característica com Mint: a usabilidade é mais próxima da do Windows. A máquina ficou razoável, ficando mais ligeira do que com o XP home que lá tinha antes.

    Só mais uma questão: quem não gosta de ter de atualizar o Ubuntu de 6 em 6 meses, pode sempre não o fazer e até pode optar exclusivamente pelas versões “Long Term Support” (LTS), que duram 2 anos. A última foi a 12.04 e ainda deve andar por aí…

    Resumindo e concluindo: é tudo uma questão de gosto, pois o Mint não é melhor nem pior que o Ubuntu, é diferente!

    Não me vão agora falar da definição de bom e mau gosto, pois não?

    Lembrem-se que na base o Mint está o Ubuntu e não o contrário.
    Também não deixa de ser verdade que se espera que um filho se transforme, quando crescer, num homem melhor que seu pai…

    Bom mesmo é as pessoas usarem software livre. E Linux! E falar sobre isso!

    • JP (djlinux) says:

      O Distrowatch não serve absolutamente para nada…

      Quem gosta de estar a par de novos lançamentos entre outras coisas, vai ao site Softpedia, este sim, fala de todas as “Distros” e não apenas as que criam mais cliques… E ainda temos bónus, noticias, software, etc…

    • lmx says:

      Boas..

      De facto, o distrowatch, faz uma coisa mal feita…junta as estatisticas to Mint(todas as distros), mas depois em relação as varias versões do Ubuntu faz a contagem em separado…

      Se juntares todas as Distros do Ubuntu, e compararres com mint o Ubuntu tem mais hits…

      Isso deveria estar esclarecido por eles na pagina, mas não esta…vale o que vale…no entanto é um site que visito devido a noticia de novas versões de distros…

      cmps

      • Gleick says:

        Todas as variantes do Mint estão em um mesmo site, são feitas por um mesmo grupo. Já no Ubuntu cada variante tem seu próprio site e sua própria equipe. É por isso que o Mint é junto e o Ubuntu é desmembrado.

  23. Luis Pupo says:

    Sem dúvida o Ubuntu. O Unity melhorou muito e é mais fluído.

  24. ww55 says:

    Sabemos que uma distro é pai e a outra filho, mas o Mint parece que se aproxima mais do usuário que o Ubuntu.
    Eu estou experimentando o ElementaryOs que também é filhote do Ubuntu e tenho preocupação com respeito ao futuro dessas distros (Mint e Elementary e outras…) que surgem espetaculares e podem abandonar os usuários como já aconteceu com Fuduntu e agora esta acontecendo com o Chakra Linux.
    O Ubuntu me preocupa por ser de um homem só, onde ele dita as regras e esta se afastando cada vez mais da comunidade, e pode deixar todo mundo na mão e se isso acontecer, o que vai acontecer com todos os filhotes.

    ww55

  25. António says:

    Linux Mint não é uma alternativa ao Ubuntu, Linux Mint é uma versão alterada do Ubuntu.
    Alternativas ao Ubuntu são o openSuse, Fedora, Mageia, Arch linux, etc…

  26. okapi says:

    Eu já tive instalado num outro PC qualquer um dos dois. O Ubuntu não gosto dele desde o inicio e o Mint já gostei mais mas, não troco o (SuSE) openSuSE por nenhum deles, é a minha distro (desde sempre)de eleição. No PC de testes, tive o Fedora 19 ultimamente, mas ao conhecer o Korara 19 baseado no Fedora, me surpreendeu e vai ficar por aí, uma excelente distro.

    https://kororaproject.org/

  27. Urko says:

    Uso o Mint desde a versão 3 ,quando é lançada uma nova versão do Ubuntu o experimento, mas sempre volto pro Mint.

  28. navyseal says:

    Entre os dois optaria por Mint Mate, não me identifico com o Ubuntu actual, para mim a melhor versão foi a 10.10 a partir daí o Ubuntu morreu com o Unity, a forma como o Gnome evoluiu também não ajudou, mas tenho saudades do tempo em que ficava aguardar a nova versão do Ubuntu com expectativa, desde o Unity que isso simplesmente terminou.

    Gosto do Mint porque o acho mais simples e atractivo, consigo configurar tudo sabendo facilmente onde tudo se encontra bem como é visível uma melhor performance.

    Contudo neste momento se tivesse que usar uma distro seria o Elementary ou o Peppermint.

  29. Nuno José says:

    Sempre detestei o Unity até ao 13.04.

    Quem detestou o Unity aconselho a experimentar o Ubuntu 13.04 que ficou tudo muito mais leve e funcional. Ainda levou uns dias a habituar-me mas depois disso é sem dúvida um ambiente gráfico excelente e funcional.

    É preciso aprender que algumas coisas são diferente e dar uso ao ctrl-\. Sabendo estas coisas passamos a gostar.

  30. João Ferreira says:

    Boas
    Existe algum programa de facturação aceite pelas finanças que trabalhe em GNU/Linux?
    Eu tenho uma empresa de serviços e sou obrigado a usar ainda o Windows por duas coisas, o programa de facturação e o programa de fazer desenhos técnicos. Privadamente uso GNU/Linux à anos e estou satisfeito com ele, embora profissionalmente ainda não consiga. Eu gostaria de conseguir, alguém me consegue ajudar?
    Obrigado João Ferreira

    P.S. Peço desculpa pelo offtopic ao artigo Sr. Pedro Pinto

  31. Lino Lisboa says:

    Ubuntu sem gaguejar. São várias as razões:

    De muitas distro’s que tenho experimentado, não sei bem porquê mas o Mint foi sempre a que crashou mais depois de instalado. O Cinammon até me agradou, é parecido com Windows e com uma usabilidade muito boa. Mas aparecia-me sempre imensos erros de sistema. Obviamente que não se pode discutir Linux só pelas interfaces mas se eu quisesse interface windows usava windows. O Linux tem-me atraído pela usabilidade das diferentes interfaces.

    O Unity que muita gente se queixa é uma interface que tem de desenvolver (naturalmente), mas que não se pode descurar o imenso potencial que poderá vir a ter no futuro. Se a Canonical conseguir a integração de vários dispositivos como pretende, o Unity é sem dúvida a grande valia deste projeto.

    Mas como o Ubuntu não é só Unity, destaco o ubuntu pelo enorme suporte online oficial e também dos próprios usuários. Cada vez que tenho um problema é fácil encontrar ajuda.

    Neste momento uso o Ubuntu Gnome (Gubuntu?!?!? 13.04) e estou muito satisfeito.

  32. Silva says:

    To usndo o linux mint e posso dizer uma coisa: ótimo!

    O ubuntu tá extremamente pesado.

  33. L500 says:

    O Mint está melhor que o Ubuntu, melhor aspecto e mais leve.
    PeopleWare seria interessante um artigo de avaliação do SL 6.
    Fonte: https://www.scientificlinux.org/

  34. Sambas31 says:

    Debian,Debian,Debian…

  35. VC says:

    O ubuntu atualmente algo unico em relaçao a todas as outras versoes, neste caso , um.unico so para pc, tablet e smartphone. Sendo q para mim qualquer um q seja derivado no debian é bom, nada q um apt-get n resolva.

  36. F.R says:

    para mim o mint é das melhores distribuições, é um s.o limpo, leve, user-friendly…
    o ubuntu com a implementação por defeito do unity tem vindo a perder, e eu fui um dos que deixei de usar.

  37. Antonio Rocha says:

    Neste momento, tenho estado rendido ao Mint, penso que esta muito intuitivo, e mesmo a versão cinnamon, me parece bem mais fluída, que o ubuntu com unity, instalei no portátil de casa e a minha companheira que sempre utilizou windows, adaptou-se lindamente sem dificuldades.

    Já testei o Elemantary OS, a versão Jupiter, e a Luna Beta, e penso que apesar de graficamente muito apelativo, ainda tem um longo caminho pela frente pois faltam diversas funcionalidades .

    Recente testei o Pear OS, e fiquei muito surpreendido pela positiva, gostei muito do look, e achei bastante fluido e estável.

  38. Arch Linux says:

    Uso GNU/Linux graças ao Ubuntu mas hoje em dia sinto-me cada vez mais distanciado do rumo que a Canonical escolheu. Não uso Ubuntu desde a versão 10.10 e não me arrependo dessa decisão. Aconselho o Linux Mint e Debian para os novos utilizadores de Linux, Arch Linux e Fedora para os mais experientes (apesar de nunca ter utilizado Fedora).

  39. Marcelo Esch says:

    Iniciei no linux com o BigLinux e depois migrei pro Ubuntu; nativamente o Ubuntu é muito ruim, qualquier remasterização em cima dele é bem melhor. Atualmente uso o Ubuntu, versão da DioLinuxOS. Show de bola.

  40. Adk says:

    Acho que para iniciantes, realmente 1 desses 2, são os mais indicados, mas do meu ponto de vista não estão na lista dos melhores distros de linux… Fedora…Slackware e ArchLinux, continuam a ser os melhores.

  41. osvander says:

    Nossa é muiiiitoo difícil instalar o Archlinux, prefiro o mint debian é menos difícil e o pclinuxos br é facil é minha distro de eleição. Roda tudo sem problemas no meu notbook o apgrade é facil sem problemas e comunidade ótima e muito competente, esta de parabéns os programadores do pclos.
    sds

  42. João Paulo says:

    Debian, debian, debian….

    Não gostei de forma alguma do Ubuntu, às vezes pelo fato de eu ser incondicionalmente Debian. O Ubuntu tem muitas frescuras.
    Entre Ubuntu e Mint, sou mil vezes Mint. Mais limpo e objetivo.

  43. cjnslm says:

    Já usei CentOS, OpenSUSE, Ubuntu, Kubuntu, Mandriva, etc. Instalei o Mint 13 para desenvolvimento de software, fiz o upgrade para o 14 e agora rola o 15 com o Cinnamon (tb já testei as versões Mate e Xfce) e só tenho uma coisa a dizer a respeito do Mint:
    – Simplifica a tarefa de manutenção, instalação de software e updates e deixa muito mais tempo para o desenvolvimento, sem chatices :).

    PS ( Para o meu portátil velhinho P3 900, uso o magnífico Puppy !)

  44. Alberto says:

    O Unity tem trazido bastantes dissabores a muitos dos adeptos do Ubuntu, contudo há sempre hipótese de remover o unity (integralmente) e colocar o gnome ou outro qq.

    No mundo empresarial eu considero vital não andar atrás das modas. A minha experiência tem-se baseado apenas no ubuntu e no red hat. Sinceramente não estou a ver mudar ou atrever-me a indicar um cliente empresarial a mudar para uma distribuição como o Mint por mais acolhedor e interessante que possa querer oferecer.

    Não quer dizer com isto que não mereça atenção devida e eventualmente testes de laboratório. É uma questão de tempo.

    E nas lides empresariais com a gestão de redes e parques informáticos a ideia é sempre a mesma.. funciona é estável não mexe. NÃO MEXE! O quê aquela versão xpto faz isso e aquilo? óptimo usa isso lá em casa! 🙂

  45. Marco Silva says:

    Mint é o equivalente do windows xp 🙂

    Menus? isso é muito 2010….já nem o windows utiliza isso.

    Se tiverem problemas com a fluidez da unity talvez esteja na altura de largarem esses pentium 4 e core 2 duo e comprar uma maquina mais recente nem que seja um celeron sandy bridge /ivy bridge:p

    • CJNSLM says:

      XP ?!?!?! Arre! O mint usa uma interface mais familiar aos utilizadores tanto de windows como do gnome. O facto de haver ou não fluidez não me parece importante face à velocidade de adaptação a um sistema de menus. O unity é bonito, se bem configurado fornece acesso a tudo e mais alguma coisa mas, independentemente disso tudo, se for necessário alterar alguma configuração ou modificar algo que se encontra “behind the scenes”, os menusitos andam todos lá 🙂 .
      No fim de contas o que é necessário ter em conta será fazer o balanço entre acessibilidade / facilidade de utilização e curva de aprendizagem / adaptação.

      E para acabar (que já me estou a estender muito), a mudança do hardware de um pc por causa de usar o unity (ou qualquer outro) é completamente descabido na minha humilde opinião. Existem mil e uma maneiras de optimizar o desempenho e mil e uma distros com um look bem avançado sem ser necessário o uso de um “camião” para fazer o trabalho de um “carro”.

      Tenho dito 🙂

  46. Luis Leiria says:

    Uso o Linux Mint há mais de cinco anos e não quero outra coisa. Além das evidentes vantagens da interface, é uma distribuição coordenada por uma pessoa sempre atenta aos desejos da sua comunidade — o clem — e tem uma magnífica comunidade que ajuda os neófitos diante de qualquer problema mais cabeludo. Já obtive ajuda para problemas que pareciam insolúveis, vindos de pessoas que gastaram o seu preciso tempo só pelo gosto de ajudar. Pessoas incríveis, que agem desinteressadamente. Não pretendo mudar de distro.

  47. Cleone Gomes says:

    Estou muito acostumado a usar o “Windows” e atualmente consegui aumentar a velocidade de execução de minhas tarefas com o “Windows 8”, mas como técnico de informática tenho que usar um Linux para configurar servidores (DHCP, SSH, EMAIL, FTP, WEB, ARQUIVOS:SAMBA, PROXY:SQUID, DNS:BIND9 e etc.) e para isso uso maquinas virtuais(VIRTUAL BOX).

    Sempre detestei usar Linux por não conseguir executar ao menos a metade das tarefas que “EU” executo no Windows, mas adianto que não sou fanático em sistema algum, apenas quero a “verdadeira liberdade”: poder fazer tudo que eu quiser fazer no sistema de forma simples descomplicada e intuitiva.

    Caso eu não tivesse alternativas usaria o “Linux Mint”, pois em meus testes ele se mostrou o mais simples e prático de se usar. Configurei todos os servidores com ele no VIRTUAL BOX. Caso alguém esteja interessado em uma opinião sincera de um usuário não fanático recomendo levar esse comentário em consideração.

  48. Thiago Memória says:

    Eu particularmente não gosto muito do unity devido ao seu peso mais vejo que na versão 13.10 saucy o unity ficou mais leve que na versão anterior. Ainda sou novo nesse mundo linux, ja experimentei algumas versões ex: Linux Mint 14, slitaz e openSUSE mais eu gostei mais do ubuntu por parecer mais fácil (pelo menos pra mim). estou pensando em mudar de ambiente para Cinammon pela sua leveza e praticidade e talvez melhore no desempenho para games. Apesar de meu notebook ser fraco (Notebook SIM+ 1000m : Precesador C60 APU 1Ghz + Radeon HD Graphics 6290 + 4GB DDR3) queria uma distro que atendesse meu notebook de maneira para se tornar mais produtivo… e que aproveitasse melhor os recursos de minha placa gráfica… Aceito Sugestões…
    DICA: Quem tem esse pc ou similar não instale os drivers amd/ati Catalyst pq fica pior para Games “RUINDOWS”…

  49. james catal says:

    gostei dos comentarios estou baixando o mint maia 13 lts xfce(por ser mais leve) e vou instalar num p4ht com 2gb de ram tendo certeza que rodara mais rapido que o ubuntu 1204.tks

    • James catal says:

      Instalei o S.O., achei limpo, sem frescura, para trabalho é excelente, fora alguns bugs com o opera e o firefox, (só ocorreram 2x cada), ta tudo indo bem, para ser sincero sinto falta do ubuntu 10.04 gnome lts, pois é mais bonito, mas estou precisando de desempenho para tarefas basicas, o mint têm sido funcional nesse aspecto, abro filezilla, thunderbird, varias abas no opera e no fx, winbox, tor, software center, tudo ao mesmo tempo e não trava! nota 7. Espero ter ajudado.

  50. Jamerson Tavares says:

    Eu, particularmente, gosto das duas 🙂
    Na verdade, amo o Linux.

    Só que o Ubuntu, como todos bem sabem, é o “representante” do Linux. É claro que existem distros baseadas nele, tais como o Mint, mas o Ubuntu é mundialmente conhecido, tendo a Canonical por trás dele.

    Mint também é muito bom. O “Canela” é muito prático de manusear. No entanto, seu visual não é tão moderno assim como dizem. Na verdade, lembra aquelas versões antigas do Windows.

    O Ubuntu já é diferente. Podem até criticar a FORMA como o Unity funciona, mas a sua BELEZA é indiscutível. Ícones modernos e intuitivos. Sem falar que o ambiente Unity é bem produtivo.

    Mas é claro, nada agrada à todos. Amo o Unity, só é uma pena que meu PC no é lá essas coisa 🙁

  51. Jamerson Tavares says:

    Mas eu também amo o Cinnamon, acho muito personalizável 🙂
    Só precisa ser mais rápido, aí vai ficar NOTA 10 🙂

    • Luís says:

      Para mim o Cinnamon está muito fixe, enjoei o Unity, testei o Xubuntu (até gostei do Whisker) e até o Lubuntu
      Linux Mint 15 no desk e 16 (que não foi instalação limpa, foi update do 15) no laptop, por enquanto…

  52. Mauricio Martins says:

    Estou a um ano e meio usando o Ubuntu aqui na minha pequena empresa de prestação de serviços e a tendência é não voltar mais para o Windows. Porque? Por causa da segurança e dos vírus irritantes do Windows. Aqui não podemos perder tempo com isso, já que as nossas máquinas são usadas para serviço. O Ubuntu realmente possui uma interface não muito amigável, mas funciona. Quando eu usava o Windows ficava também nesta “loucura” de escolher a melhor interface. É nisso que Windows e o MAC ganham dinheiro. O computador mais do que nunca é uma ferramenta de trabalho. Precisamos aqui de um OS confiável e o Ubuntu respondeu as nossas expectativas. Todos os programas que usamos no desenvolvimento de hardware e softwares foram substituídos por softwares livres e cá para nós, não perdem muito para os pagos. Existem muitas versões do Linux. Mas acredito que hoje o Ubuntu é melhor escolha para nós, não no quesito “lindeza” mas no que quesito suporte e funcionabilidade. Temos que ter garantias de que o SO está sendo constantemente atualizado para corrigir bugs e erros. Bugs e erros todos as versões do Linux tem (Windows nem se fala), não se enganem. Escolham a versão que mais atendem as suas necessidades e usem.

  53. Jp says:

    Mint 17 é 50x mais leve. Ubuntu está impregnado de cenas que lhe cortam a fluidez. Red hat all the way….

  54. JT says:

    Bem, eu gosto dos dois : )
    Não acho o Ubuntu pesado como muitos dizem. Na verdade, o Unity é bem rápido e bonito também. O Mint também é rápido e bonito, mas ele me lembra o estilo do Windows, com aquela barra embaixo. Nada contra, porque também gosto do Cinnamon.

    Mas eu gosto do estilo do elementaryOS. Ele é muito bonito, simples e rápido. Apesar das críticas que recebem, eu gosto muito dele.

    Na verdade, eu amo o Linux. As distros são apenas “sabores” dele. Cada um escolhe a que gosta. Não acho que existe uma distro melhor que outra, existe uma distro que é melhor para o USUÁRIO. Isso sim que é a verdade. E eu testo várias distros, é difícil parar com uma! kkk Mas o Ubuntu (e o Xubuntu), elementaryOS, Mint e o Zorin OS são as que mais gosto : )

  55. Rogério Saraiva says:

    Não tiro o mérito deles. O Ubuntu é bom uma vez atualizado trabalha muito bem.
    Utilizo o ubuntu para meu servidor de arquivos e utilizo serviços de VPN, ou seja,
    está disponivel pra mim 24x7x365 e nunca travou rsrsrsrsr.
    Já o Linux Mint 17 Qiana eu o utilizo em substituição definitiva ao Sistema Operacional de Redmond.
    A interface de instalação, o particionamento, as opções de uso do teclado e Idiomas são otimos;
    Sua aparência clean e fluída o torna leve para a maioria dos computadores e notebooks e detecta muitos hardwares modernos, como webcams, dispositivos, bluetooth, dispositivos wireless e de áudio.
    Basta apenas atualizar todos os pacotes e se torna um dos melhores distros que já usei.
    Sua capacidade de detecção de drivers de impressoras é fantástico. a ponto de detectar e instalar impressoras laser multifuncionais com o controle do scanner.
    Trabalho com manutenção de impressoras e sei o que digo.
    Nem o Ubuntu na versão que utilizei a 12.04 LTS conseguiu tal feito.
    O Linux Mint utiliza os repositorios de Ubuntu que são ambos derivados do Debian o que faz que tenha aplicativos para quase, senão todas as necessidades.
    Utilizo editor de texto, de imagens, converto formatos de áudio, faço Vídeos tudo dentro do LInux Mint 17 Qiana e não tenho do que reclamar.

  56. PB says:

    Uso Ubuntu, mas detesto Unity, suas cores fúnebres e seus ícones da idade da pedra.
    A primeira coisa que faço é voltar para o clássico, com menus de texto, painel superior e inferior transparentes e ocultáveis, botões das janelas na direita, e o retrato da minha filha no fundo.

  57. João Victor de Souza says:

    1- Oferece uma maior escolha
    Kubuntu,Lubuntu, Mythbuntu, Ubuntu GNOME, Ubuntu MATE e Xubuntu?

    2- Um Ubuntu melhorado
    Que recursos que são apresentados de forma mais intuitiva você se refere? Eu acho que isso é ilusão dos usuários.

    3- Melhor Artwork – É certo que o Mint possui mais wallpapers que o Ubuntu, até pq o Ubuntu não mantem seus Wallpapers nas versões, ele substitui. O resto é gosto pessoal.

    4-Popularidade
    O Mint esta em primeiro no DistroWatch, mas ele não é o mais popular e mais utilizado.
    Mais leve? é vdd que o cinnamon é um pouco (pouco mesmo) mais leve que o Unity, mas só isso, você tbm não vai ter um ganho de desempenho em jogos.

    5- Performance – O Linux Mint não é mais leve, o cinnamon é mais leve, e não é muito. Mas eu não deixaria de usar uma interface só por ela se mais pesada, você não vai ter um desempenho melhor em jogos do Unity para o Cinnamon.

    Nota: Utilizo o Mint e o Ubuntu. O Ubuntu tem um aproveitamento maior da tela.

  58. Marden says:

    Eu uso o Linux Mint pra nunca precisar de comunidades. Eu quero um sistema que me atenda bem, quando isso acontece comunidades se tornam inúteis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.