PplWare Mobile

Chegou o Debian 10 “Buster”! É esta a melhor distro Linux?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. arc says:

    Desde há cerca de 5 dias, no seu melhor de sempre.

  2. Zé dos torresmos says:

    Debian a mátris do Ubuntu

  3. paganini says:

    o motor gáfico wayland é um bom meme principalmente nas nvidia

  4. Lucas says:

    Até que enfim que se fala de uma distro de Linux a sério. Só falta agora falar de arch ou se é para ser mesmo à homem fale-se de slackware… não isso já é pedir muito!

    • Marcelo says:

      Embora Debian tenha sido a minha distro de entrada e aprendizagem durante muito tempo, não percebo porquê chamar-lhe uma distro a sério em detrimento das restantes.
      Slackware e Debian só para quem não precisa de trabalhar com nada atual e quer algo muito estável.
      Para desenvolver software prefiro mesmo Arch ou Fedora, mas gostos são gostos. 🙂

      • Ze Carlos N says:

        Aqui esta um belo comentario. Cada utilizador tem as suas necessidades e os seus gostos e que, concerteza, vao mudando com o passar do tempo. Como para a minha utilizacao e’ melhor ter algo mais estavel, gosto e uso o Debian.

  5. arc says:

    “Chegou o Debian 10 “Buster”! É esta a melhor distro Linux?”

    A RESPOSTA a essa pergunta é…NÃO.

    A MELHOR DISTRIBUIÇÃO de Linux, VAI SER SEMPRE, a QUAL O UTILIZADOR SE ENCONTRAR MAIS FAMILIARIZADO E ATENDER ÀS SUAS REAIS NECESSIDADES DIÁRIAS, sendo esta uma das vantagens imputadas ao Linux Kernel!

  6. Márcio says:

    Subscrevo o seu comentário. Falou a mais pura verdade.

  7. Zé dos Azeites says:

    Quantas vezes é que a já não vi este titulo no pplware, “melhor distro do linux?”.

  8. João Mello says:

    Com certeza está melhor, para mim, desenvolvo sites, app’s, e está muito bem fluído mesmo na versão teste, agora é atualizar para a versão final.

  9. Daniel says:

    Ridículo quererem forçar o uso de wayland no Debian.

    • arc says:

      Afirmar que a Distribuição Debian e em concreto o Debian Buster, IMPÕE ou visa FORÇAR a utilização do Wayland Server em detrimento do X.Org Server(X11), é FALSO.

      O X.Org, continua DISPONÍVEL em Debian Buster para quem o desejar instalar!!!

      O que acontece, é que o ambiente desktop padrão para o Debian Buster, é o GNOME e mais concretamente o GNOME Shell e mesmo assim ainda NÃO existe total consenso, sobre a sua adopção em pleno e por isso mesmo, existe a POSSIBILIDADE de ser instalado o X.Org Server em detrimento do Wayland no GNOME Shell e isto é devido a algumas incompatibilidades e bugs com maior ou menor gravidade.

      NOTA: ao mesmo tempo, a equipa do GNOME, trabalha em cima do Wayland para desenvolvimento do seu ambiente desktop, e por isso mesmo, a Distribuição Debian ao incluir o Gnome Shell como sendo o ambiente desktop default, vai de encontro a esse mesmo posicionamento da equipa de desenvolvimento do GNOME.

      O próprio Jonathan M. T. Dowland (Engenheiro da RedHat) explica isso mesmo (https://jmtd.net/log/buster_wayland/)

      Aliás, se tivesse um pouco mais de conhecimento e interesse, saberia que até mesmo no Fedora Linux, onde o Wayland teve o seu inicio, ainda EXISTEM esses mesmos problemas e tudo se encontra em total desenvolvimento e correcção de incompatibilidades e melhoramentos.

      (https://fedoraproject.org/wiki/How_to_debug_Wayland_problems#Filing_a_bug)

      Um dos relatos existentes no documento acima, afirma que os utilizadores que se encontram mais familiarizados com uma grande maioria de utilitários relacionados com o X.Org Server, como seja o caso do xkill, xrandr xsel, etc., sabem que ainda estas ferramentas NÃO funcionam de forma esperada numa sessão com Wayland ou vão somente funcionar apenas e só com aplicações XWayland, mas NÃO com aplicações Wayland.

      Assim, é EXPECTÁVEL e DESEJÁVEL, que no imediato, essas e outras ferramentas que se encontram a dar problemas, ou sejam corrigidas ou quem sabe até mesmo substituídas.

      Aliás, se ainda quisermos ir mais fundo neste PROBLEMA, devemos-nos recordar do Sway, um Tilling Compositor para o Wayland (o qual visa “melhorar” o famoso i3 window manager – https://swaywm.org/), em que esses mesmos melhoramentos são visíveis e muito em concreto para a wlroots (https://github.com/swaywm/wlroots ), a qual mais não é do que uma biblioteca Wayland em que o Sway é baseado, como seja o exemplo de:

      mako (daemon), grim (screenshoter), etc.

      No fundo, o que está a acontecer na Distribuição Debian, é mais um virar de página, no que era designado por ser uma Distribuição de Linux Conservadora e com poucas inovações, aos poucos vai introduzindo as suas melhorias / modificações.

      Por outro lado, importa referir, que ÚNICA e EXCLUSIVAMENTE o GNOME Shell, utiliza o Wayland por default e NEM TODAS as Distribuições de Linux hoje em dia, que usam o GNOME activam o uso do Wayland por default.
      Ao mesmo tempo, se for feito o uso do Wayland e este NÃO FUNCIONAR de FORMA CORRETA com o driver de vídeo (caso das Nvidia), este passa de forma automática para o X.Org.

      NOTA: podemos teorizar com alguma MARGEM DE ERRO, que a inclusão do Wayland pela Distribuição Debian, pode ser vista, como uma medida para “pressionar” ainda mais, os fabricantes de GPUs.

      Se tudo isto relacionado com o Wayland vai dar POLÉMICA?

      CLARAMENTE que SIM, a POLÉMICA vai ser do mesmo tipo ou até maior, como a que foi com a mudança para o Systmed e ainda hoje se mantém, milhares de defensores versus milhares de críticos / opositores.

      Por isso, NÃO se GOSTA do Wayland, NADA NEM NINGUÉM é OBRIGADO A USAR, como da mesma forma, NINGUÉM é OBRIGADO a utilizar o Systemd, não faltam escolhas a initd!!!

      Aliás, o que NÃO FALTAM são ESCOLHAS para uma qualquer Distribuição de Linux.

    • Luís Nabais says:

      É a norma agora. Só Ubuntu LTS optou por Xorg e foi porque a decisão do GNOME ter Wayland como pré-definição era muito recente.
      Até Debian sabe que Xorg tem tudo para morrer, há que avançar. E verdade seja dita, Wayland é bastante estável.
      Ainda tem problemas? Tem. Mas compreende-se perfeitamente a decisão deles.

      • Luis says:

        Tente usar com NVIDIA e veja que delicia será… A propósito:

        “Alguns aplicativos, incluindo o popular gerenciador de pacotes synaptic, o método padrão de entrada em chinês simplificado, fcitx e a maioria dos aplicativos de gravação de tela, não foram atualizados para funcionar corretamente no Wayland. Para usar esses pacotes, é necessário fazer login com um GNOME na sessão do Xorg”

        Super estável, nossa!

        • Luís Nabais says:

          Os aplicativos é que não foram atualizados, mas a culpa é do wayland. Boa lógica essa.

          • Daniel says:

            Pra quem vive de museu, não pode esperar grande coisa do Debian

          • Luis says:

            Quando você usar NVIDIA, vc vem aqui defender Wayland… E nem tem a ver com versão… T.T
            Podes por a última versão do OBS, por exemplo, ele não vai funcionar no Wayland.

          • Luís Nabais says:

            Eu não estou a defender Wayland. Mas boa parte do que acusaste anteriormente, não é culpa do Wayland.
            Quem tem necessidade de OBS e afins são utilizadores muito específicos, obviamente que ou não usam GNOME, ou se usam, usam com Xorg. Para isso é que há a opção de troca enquanto todas as aplicações e drivers não estão 100% adaptados.
            Não compreendo tanta complicação.

          • Luis says:

            Menos mal, porque não ficaria bem. Mas pra que trocar se o tal Wayland é perfeito? Wayland é basicamente suportado apenas pelo Gnome e parcialmente pelo KDE Plasma. As outras interfaces são um horror.
            Só usarei Wayland quando o mesmo se igualar ao Xorg e não houver limitações, trabalho com áudio e vídeo então OBS é necessário.
            Troca é fácil, quero ver é removerem totalmente o Xorg.
            Linux ainda é um lixo pra quem tem driver híbrido, imagine driver híbrido + wayland. A pessoa fica refém ao maldito Ubuntu.

          • Luis says:

            correção: placa híbrida*

    • Luis says:

      Também achei ridículo isso, Daniel, felizmente tem como AINDA optar pelo Xorg. Mas por padrão, vem o Wayland se a pessoa não usar o gerenciador de log/off e logar sem senha.

      A pressa de abandonar o X é exclusiva da ala “RedHat” da força.
      Eu não tenho nada contra o Wayland em si, mas aqui ele não funfa com minha NVIDIA. Mas me preocupa tanto poder com um único grupo por trás, não vou ficar surpreso se no futuro Wayland se fundir ao Systemd

      • Daniel says:

        “não vou ficar surpreso se no futuro Wayland se fundir ao Systemd”
        Hahaha, nem eu.

      • Luís Nabais says:

        Não é um só grupo. Todas as grandes distribuições, quer as de comunidade, quer as com uma empresa por trás, já optaram por essa troca e todas permitem alterar de volta para Xorg.

        • Luis says:

          São poucas as que adotaram o Wayland como principal. Xorg ainda reina, quer goste ou não! 🙂

          • Luís Nabais says:

            Não gosto nem desgosto, apenas está a dizer coisas incorretas.
            As principais entidades já usam Wayland como principal, no GNOME:

            Canonical – Ubuntu não LTS, já desde o 18.10. Aliás, já a 17.10 usou Wayland.
            Red Hat – RHEL 8 já vem com Wayland
            Fedora já há largos meses, salvo erro na versão 29 ou 30
            Debian 10

            Estas são as principais, logo grande parte do mundo Linux já está preparado ou nos preparativos finais.
            Só necessidades especiais (nichos) é que ainda precisam de Xorg, para tudo o resto, Wayland faz perfeitamente bem o trabalho.
            Até o próprio GNOME tem falhas com Wayland, que com Xorg não tem, mas no entanto, é perfeitamente funcional e estável.

          • Luis says:

            Ubuntu ia usar Wayland como padrão na 18.04 mas voltou atrás e manteve o Xorg como principal e Wayland como secundário.
            Red Hat é óbvio que usaria, aquilo só serve pra servidor e não pra jogar ou usar programas de produção. É óbvio que iriam adotá-lo.
            Fedora é a distro rato de laboratório da RHEL. Normal adotarem, mas ainda existe o Xorg como opção.
            Debian 10 adotou recentemente, mas ainda não se livrou do Xorg. Pode ser mudado na parte de login se quer logar pelo Xorg ou Wayland, mesmo que o Wayland venha por padrão do Debian 10.

            Wayland é basicamente limitado a Gnome KDE. O resto… er… Melhor nem comentar.

            Quero ver usar o Wayland com OBS Studio + driver NVIDIA. Nossa, vai rodar perfeitamente, não vejo a hora de mudar pro Wayland, *risos*.

          • Luís Nabais says:

            Certo, pela sua lógica Fedora (uma das melhores distros Linux e mais usadas por programadores, administradores de sistemas e DevOps, entre outros) é para rato de laboratório, mas OBS Studio + driver NVIDI não é.
            Aconselho-o a abrir um pouco mais a mente e a perceber que a sua situação não é a única, mas é capaz de ser das únicas onde Wayland não se encaixa.

            Continuação de muito bom dia.

          • Luis says:

            Claro que é pra rato de laboratório, Fedora é a distro que a RHEL usa para fazer testes e se você usa uma distro assim é porque você é a cobaia deles. Não tem nada de ruim em ser cobaia se você quis isso.

            A maioria das pessoas que usam computador tem Intel, AMD ou NVIDIA. Então é necessário que o Wayland funcionem com as 3 com perfeição. Aquele driver genérico open source NOVEAU de nada serve.
            Enquanto pra mim não servir, continuarei com o Xorg e há de quem vir a insistir pra eu usar Wayland…
            Wayland apenas quando funcionar. De resto, continua sendo um produto beta.

          • Luís Nabais says:

            Uma vez mais, discordo com a sua opinião. Mas errada ou não, continua a ter todo o direito à sua opinião, tal como eu a discordar.

            Para a grande maioria das pessoas, o driver nouveau chega perfeitamente, dá para usar a gráfica para ver vídeos e para internet e coisas simples. É o driver mais eficaz? Dá para jogos? Claro que não. Mas a maioria das pessoas, mesmo developers, não precisa disso para nada.
            AMD tem driver open source, mas não sei como se dá com Wayland, se bem que nos últimos tempos só ouço falar bem de AMD para Linux, por isso, acredito que não haja grandes problemas.
            Intel é apenas usar, o driver é open source há anos.

            Logo só o driver oficial da NVIDIA e produção de vídeo ou jogos é que dão problemas. Todos os outros usos são perfeitamente funcionais com Wayland.
            Uma coisa que Linux tem de bom é que cada utilizador tem a sua forma de utilizar o sistema operativo e as ferramentas, logo cada caso é um caso. Mas sinceramente, o seu caso é que é o nicho, não o oposto.

            Em relação a Fedora, também discordo, é a distro que a Red Hat utiliza para se basear a criar RHEL, é verdade, mas utiliza versões anteriores, nunca as mais recentes. RHEL 8 é baseado em Fedora 29, salvo erro. Fedora é criada com developers, sysadmins e devops em vista. A ideia é trazer pessoas dessas áreas para as ferramentas deles, que cada vez são mais específicas.
            No entanto, não confundamos isso com ratos de laboratório, são coisas bem diferentes.

          • Luis says:

            Idem.
            Driver noveau pode servir pra maioria das pessoas não-gamers ou que não trabalham com produção e gravação de áudio e vídeo, o que não é meu caso. Além do mais, usando o driver noveau (que eu gosto de chamar de genérico por motivos óbvios) tenho muito screen tearing e stuttering, além da baixa performance em jogos e mesmo ao assistir um vídeo no YouTube, já com o driver proprietário Nvidia tudo funciona perfeitamente by default. E infelizmente ou felizmente (vai da fanboyzisse) não funciona no Wayland. Só no Xorg, ponto.
            AMD é outra história… O problema mesmo nem é tanto do Linux e sim da NVIDIA que dificulta as coisas. Mesmo assim acaba por me atrapalhar do mesmo jeito! Sim, você tem razão sobre AMD, ela funciona muito bem no Linux, claro que a AMD ajuda, diferente da NVIDIA.
            Intel não posso falar sobre, mas já vi algumas reclamações, o problema aqui é especificamente NVIDIA.
            O ideal era que não houvesse problemas nesse nível básico com o Wayland e ocorre, isso é ruim pra produção e desempenho. Meu trabalho necessita de algo estável e que funcione! O meu caso não é bem nichado assim, pois o problema com Wayland + NVIDIA vai muito além de só o OBS Studio não funcionar. Acha mesmo que ninguém utiliza NVIDIA?
            Não gosto do Fedora e ponto final. Motivos?

            1. Como já disse é uma distro de testes da RHEL. Não quero ser rato de laboratório ou cobaia, já não basta o Windows.
            2. Período de suporte é muito curto, apenas 13 meses.
            3. Existe uma excessiva quantida de atualizações o que faz (querendo ou não) o sistema ficar instável.
            4. Não tem uma boa aparência e demora a modificar o GNOME, tem aparência de algo data, simplista e as fontes tem acabamento ruim.
            5. Tem a pior implementação do KDE que já vi em minha vida.
            6. É chato para instalar coisas proprietárias. Drivers, codecs, aplicações… E o RPM Fusion não é a solução ideal para tudo.
            7. A filosofia deles é horrível. A distro é muito crua e manual de mais.
            8. Motivo pessoal: Eu não sou fã de distros que usam RPM.
            9. DNF é lento comparado com APT e pacman. Para atualizar, instalar um pacote, remover, etc… Ele lembra o OctoPKG, horrível
            10. Tem o mesmo problema do Debian e todas as outras distros com Wayland + NVIDIA, aplicações de gravação de tela simplesmente não funciona, diga bye bye pro OBS! Isso é claro, exclusivo para Wayland.
            11. SELinux é um grande problema no Fedora.
            12. Forçação de barra com flatpak. Pelo menos não chegou ao nível doentio do Ubuntu.

            A única coisa interessante no Fedora é o Fedora Rawhide, de resto nada.

          • Luís Nabais says:

            Gosto quando 2 pessoas conseguem “discutir” tanto tema sem qualquer tipo de agressão, hoje em dia é raro ver isso 🙂

            Compreendo perfeitamente a sua opinião, apenas uma ou duas notas sobre a mesma:
            – Eu uso Intel para trabalhar há anos e funciona muito bem, quer com Xorg, quer com Wayland
            – Se só NVIDIA funciona mal com Wayland, poderia a NVIDIA ser culpabilizada disso mesmo? Eu sei que afeta muitas pessoas, mas a maioria de quem quer jogar em Linux usa Xorg, ou sabe bem o que quer fazer e tem 2 perfis ou troca de Xorg para Wayland.
            – Continuo a discordar com a parte de rato de laboratório, isso é a mesma coisa que dizer que não usa Ubuntu pois não quer ser rato de laboratório da Canonical. Simplesmente não tem lógica. A distro (Fedora) não é feita com esse intuito e é um dos melhores desktops que por aí anda. Tem alguns pormenores que podem não ser do agrado de todos? Claro que sim. Eu próprio, que até sou certificado RHCE há quase 10 anos, ainda há pouco tempo usei Fedora e decidi trocar, por alguns motivos que referiu e concordo plenamente, como as atualizações em demasia (2-3 atualizações de kernel por semana simplesmente não consigo achar como prático para um sistema produtivo) e achei bastante mais lenta em gestão de packages do que estou habituado (se bem que estou mal habituado, até há cerca de 1 mês, durante cerca de 7 anos, usei muito Arch, que é de longe a mais rápida e mais eficaz gestão de packages). Apenas troquei pelo mesmo motivo que Fedora, demasiados updates para a minha necessidade atual.
            – Eu cá gosto de distribuições “nuas e cruas”, para mim isso é uma das vantagens de Fedora. É por isso que gosto de Arch, Fedora e Debian, mas não sou fã de Mint ou elementary, por exemplo.
            – Outra coisa que adoro e uso em todas as minhas distros, Flatpak. Mas faço a gestão manualmente, por opção. De longe melhor que snaps e AppImage.

            Continuação de bom dia.
            Cumprimentos

  10. LAZZARO Costa says:

    Tenho que desconfiar, pois quase em todos os carros da Fiat vem descrito: O carro do ano, pergunto ao proprietário e ele diz! Realmente ele é de 2012.

  11. José Fudêncio says:

    Bem, fugindo um pouco da infrutífera temática da melhor distro de todas, o que eu quero mesmo saber é se alguém aqui poderia ensinar-me como pôr transparência no gnome-terminal já que lá não está mais esta opção, ou, pelo menos, como trocar o terminal padrão para que quando eu clique na opção ‘abrir um terminal aqui’, abra-se o xfce4-terminal em vez do gnome-terminal. Alguém saberia como, por favor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.