PplWare Mobile

A Adobe resolveu fazer renascer o Flash no Linux


Autor: Pedro Simões


  1. Pedro says:

    O Flash continua a ter imenso potencial, pode não fazer muita falta nos dias de hoje pois usa-se cada vez HTML5/JS e as animações em JS estão cada vez mais simples de se fazerem, mas como aplicação Desktop têm ainda muito que dar. O Flash juntamente com Air criam aplicações click–once muito competentes e competitivas com outras ferramentas mais pesadas como o Windows Apps ou aplicações criadas em XAML ou ainda mais simples de desenvolver do que o Qt WebKit.

    • hello says:

      o flash é inseguro e pesado, e n esta implementado para mobile…

      aquilo tem q morrer

      e o windows Apps para web tb n é exemplo para ninguem…numa universidade aceder ao office 365 , juntamente com 1000 pessoas é um suplicio…mas o gmail? smooth

      • alex says:

        Qual é a razão de queixa com o office 365? Suplicio em que aspecto? Tenho uma experiência bem oposta da sua (a nível de gestor de gestão de sistemas).
        Qualquer das maneiras estarmos a comprar o google apps com as ferramentas microsoft é como estar a comprar um carro com um triciclo.

      • Pedro says:

        Você acho que não percebe muito do que fala windows apps para web? se é windows apps e para windows não é para web o que você está dizer é que o Office 365 e lento mas isso tem a ver com a quantidade de JavaScript em cima dele não com Silverlight ou Windows Apps

        • john says:

          Deixe estar Pedro. Já tentei ter esta conversa com este pessoal noutro artigo e não vale a pena. Não querem saber. Ouvem um par de soundbytes sobre o assunto e, de seguida, os soundbytes tornam-se realidade. Neste caso são dois adjectivos: “inseguro” e “pesado”. Como se alguma vez tivessem tido algum problema de segurança com o flash ou como se não percebessem que aplicações mais complexas, tornam-se mais pesadas. Mas como é na web, não deveria ser assim por alma e graça de nosso senhor. Enfim … haja quem os ature.

      • !(iSheep) says:

        Não tenho razoes de queixa, na minha empresa somos largas centenas a usar Office 365 online e é quase tão rápido como a correr localmente.

    • tekMan says:

      Subscrevo totalmente.
      Ainda hoje Flash continua a ser do melhor que há para aplicações/apresentações em desktop. A mesma tecnologia permitia produzir jogos, simuladores e apresentações, com o poder do actionscript, e eram compatíveis com os principais OSs, e distribuíveis pela net, e em pens ou cds…
      Era bom demais, e uma ameaça para modelos de negócio baseados em lojas de apps.

  2. Pérolas says:

    Talvez saibam algo que o comum dos mortais não saiba… A verdade é que a expansão e massificação das plataformas linux acompanha uma nova raça de utilizadores: os que sabem o que não querem…

  3. Bruno Santos says:

    Pois, a Internet está a matar o flash e sem nunca ligarem nenhuma ao Linux.
    Agora é que dão atenção ao Linux em busca da salvação.

  4. Luis Mendes says:

    Lembraram se agora… Lol

  5. Gonçalo says:

    @PedroSimões
    gostava de saber mais sobre “Está mais que provado que os consumos de recursos que faz não superam os benefícios”.

    @hello
    e a “alternativa” ao flash, html5+javascript não é inseguro?
    e “pesado”? tb gostava de saber mais sobre isto (mas sem exemplos de “aquela app é lenta”)

    @Pedro
    concordo contigo. se a adobe tivesse apostado mais no Air neste momento teria muito mais sucesso

  6. AAC says:

    Die! Die! Die! Kill it with fire!

    A Adobe podia deixar o Flash morrer um morte (semi)dignificada em vez de arrastar a morte do Flash por mais uns anos. Inseguro, utilização intensiva de recursos e uso de bateria excessivo são apenas alguns dos aspectos negativos que fazem com que seja irrelevante numa altura em que quase toda a computação pessoal é móvel.

    • Hugo says:

      Nem faze tu ideia de quantas apps poderás ter instalado no teu Android ou iOS que no seu core são Flash 😉
      É a “arma secreta”.

      Esse uso excessivo foi comparado com o quê ?

      Se eu comparar um Ferrari com um Open, o Ferrari consome muitos mais recursos.
      Preferes o Ferrari ou o Open ?

      • AAC says:

        Por acaso até faço. A única coisa flash/AIR que tinha era um jogo com alguns anos. De resto nada que uso é flash. De um modo geral é extremamente fácil detetar uma aplicação flash (tal como é fácil detetar uma aplicação HTML5). No caso de flash, a renderização de texto é um pouco diferente, os widgets não tem o mesmo aspeto do que seria normal no android e a reação ao toque tende a não ser tão suave. Além disso as aplicações tendem a ser maiores (incluem o runtime).

        Não percebi a comparação do Ferrari e do Open mas, em relação ao Ferrari… Sim, ele até consome mais, mas também tem uma melhor performance o que faz com que não seja possível comparar Flash e um Ferrari

        • !(iSheep) says:

          +1
          Acho que perdes o teu tempo a tentar educar incultos armados em sabichões. Concordo com tudo o que dizes, e quem sabe minimamente do assunto não poderá ter outra opinião. Aliás, não é uma opinião mas sim factos.

  7. Hugo says:

    Já vi várias vezes o Flash supostamente a morrer e a verdade é que após 5, 10, 15, 20 anos, é sem dúvida o pedaço de software mais usado e que “sobreviveu” a muitas supostas mortes.
    Já nasceram e “morreram” (acho piada ao termo morrer na tecnologia) diversos outros produtos durante esse tempo.
    Quem dita as regras do mercado são os utilizadores comuns que nada entendem de tecnologia e não querem saber se foi feito em A ou B, apenas querem usar.
    No passado o Firefox tentou fazer isso para atrair mais utilizadores. O que aconteceu ? Os utilizadores mudaram de browser para continuar a consumir os conteúdos que queriam.
    O Facebook investiu em HTML5 para mobile no passado e só conseguiram realmente ter sucesso (nesta vertente) quando mudaram de tecnologia.
    Desenvolver uma app muito básica em Assembler, HTML5, Flash, Java, .NET, etc … será sempre com uma excelente performance mas o problema é quando se cria uma app com os requisitos de hoje em dia.

  8. JJ says:

    Quem matou o Flash, foi a própria Adobe. O Flash, é uma ferramenta muito útil para criar animações interactivas offline ou animações video.
    Mas, a Adobe, preferiu pegar no Flash e fazer com ele uma ferramenta para o desenvolvimento web, implementando funções úteis, mas com muitos bugs.
    Se Adobe tivesse continuado a focar o Flash para uma ferramenta de apresentações, hoje o Flash poderia ser visto com outros olhos.

    • john says:

      O problema é que a maioria das pessoas não querem saber nada sobre esses factos. Falam “de cor” em vez de tentar conhecer o assunto. Qualquer dia, chegam à net, sem flash e concluem que 1/3 do que costumava funcionar, já não funciona. Estão à espera que os programadores se cheguem à frente e portem todos os conteúdos flash de um dia para o outro ? Bem podem esperar sentados … já disse uma vez e volto a dizer: ainda vão pedir de joelhos para que o flash volte a ser suportado.

      Mas há outro desafio para quem não pode ver Flash à frente. Usem um browser que não o suporte ! Mas usem-no já para se habituarem a como irá ser a net sem ele.

      • Alucard says:

        Já uso o Firefox sem Flash há vários anos, a partir do momento em que o YouTube fez a transição para HTML5. Não vejo qual o problema, para mais de 90 % da Web não faz falta nenhuma. A Web sem Flash é um lugar bem melhor, já estou habituado a ela.

      • !(iSheep) says:

        Já uso há algum tempo e não sei qual é o stress, até porque a maioria dos websites confiáveis já não usam Flash ou estão quase na totalidade portados para tecnologias mais recentes.

  9. Jorge Rosa says:

    O Flash sempre foi muito útil, mas era lógico que iria morrer (pois era software proprietário, assim serve sempre os critérios comerciais, não os de que os utilizadores precisam). Tinha a grande vantagem do seu editor, criar animações ou botões era muito muito fácil.
    Se tem sido “opensource” a internet de hoje seria bem diferente…
    Mas… com o HTML5 a “potência” está aí outra vez… 🙂

  10. higuita says:

    Tirando uma interface de gestão de um load-balancer da brocade, eu já não vejo um flash à bastante tempo… o ultimo reduto era os videos, mas o html5 no youtube e outros eliminaram essa necessidade. o flash sempre foi uma péssima solução, pesado, usabilidade muito baixa, segurança horrivelmente má… mas na altura para altura do boom de internet, qualquer nabo fazia sites, quanto mais animados, melhor… e contornava os problemas dos IE5/IE6… mas nunca deixou de ser uma péssima solução para outros problemas… tipo como usar excel e vbscript devido à falta de algo decente incluído no windows para o comum utilizador programar. “Two wrongs don’t make a right”

    Apesar do update pode dar jeito para o firefox poder aceder a interfaces antigas em flash (brocade, vmware e possivelmente outras appliances mais antigas), será mesmo o suspiro final para melhorar a compatibilidade antes da remoção do suporte para flash. Entretanto, a mozilla também esta a terminar um javascript+html5 que lê e processa flash, resolvendo a maioria dos casos que ainda restarem a longo prazo.

  11. sakura says:

    Desde o Edge que não tenho ng problema c/ o flash.
    no linux igual … chromium e flash.
    chrome://plugins <– link para activar o flash no chromium.

  12. David says:

    Agora não queremos mais o flash! Nós não somos o vosso caixote do lixo. Temos o HTML5, obrigada!

  13. Chico says:

    Juntaram dois mortos: o flash e o linux em desktop

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.