Quantcast
PplWare Mobile

Load “” – A Era do ZX Spectrum 48K

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Paulo Silva


  1. José Pires says:

    Bons tempos que eu passei com o meu (se bem que o meu era um +2A 128K).

    Até me deu vontade de o ligar de novo (sim porque eu ainda o tenho e funça que é um espectáculo…. hehehe!!!).

    Parabéns pelo Post.

    • hitmanmcc says:

      O teu e o meu!!! Que maravilha que aquilo era, jogar Maniac Miner, Lotus Challenge, Out Run… Bons tempos… Neste momento é mais Crysis e adoro o Crysis mas não tem aquela chama, não me evoca os mesmos sentimentos que esses clássicos e o meu antigo Spectrum, realmente, agora tenho vontade de o ligar mas acho que já não tenho os jogos. =/

      • Y3l says:

        Neste momento os jogos tornaram-se mais reais em aspectos gráficos, mais em termos de simulação da realidade, mas ao mesmo tempo já se tornam tão intuitivos que acabamos por chegar ao fim e dizer… oh já acabou.
        Os jogos antigos fazem crescer uma nostalgia incrível… que saudades dos tempos do Zx spectrum…

        Por exemplo há um jogo que reavivei no meu portátil e que cada vez que o jogo digo… epá como é que um joguito da “treta” consegue ter tantos níveis, criar tantos e inúmeros desafios e que nos prendem com tanta facilidade?

        Evoluímos imenso a nível de tecnologia, mas acredito que há muita boa gente que concorda comigo… Falta qualquer coisa nos jogos da actualidade

      • bicancas says:

        O meu é o TC 2068, só tem um defeito, perde a cor de vez em quando para a tv, mas de resto funciona tudo. Tenho a impressora térmica, 2 joysticks, carradas de jogos(se eu me lembro tenho à volta de 350 cassetes, a grande maioria de 60 minutos com vários jogos lá gravados, o que de jogos devo ter mais de mil perto dos dois mil, não sei). Lembram-se do programa que dava para copiar??? Era o OMNICOPY 2 senão estou em erro. Bons tempos aqueles. Fazia isto com os meus amigos, ia-mos à loja comprava-mos os jogos em que só existia apenas uma cassete, chegava-mos a casa faziamos uma cópia e depois ia-mos novamente a loja e diziamos que não funcionava, logo traziamos outro jogo…. Coisas malandras que fazia com os meus colegas…. Maluqueiras…..

        Enfim foram bons tempos

    • Miguel says:

      E não se lembram de, literalmente, desfazer o joystick a jogar Daley Thompson? Ou então a ficar com dor de dedos de tanto massacrar o teclado?

      O jogo que me deu maior gozo, foi um dos piores em termos gráficos, mas suberbo em jogabilidade: Match Point!!!

  2. Ferna says:

    Ainda tenho o meu, funciona e há pouco tempo liguei-o para mostrar ao meu filho.
    Bons tempos…

  3. Shiryu says:

    Caramba, Paulo, tás-me a fazer sentir velho com apenas 30 anos… =P
    Grandes tempos, grandes vícios, ha anos que quero fazer um remix da música do Target Renegade (apenas ouvida no 128k) mas ainda não tive disponibilidade para tal. Grande post. A seguir, Commodore Amiga? =)

  4. André says:

    Identifico-me e muito com este texto. Joguei imenso Chase HQ e Enduro Racer… altas pérolas…
    E digam-me lá que quando aparecia a imagem do jogo carregada no ecrã não parecia ter os melhores gráficos do mundo.
    Tempos incríveis para quem adora videojogos.

  5. João Ramalho says:

    Eu nasci em 1984 mas ainda joguei muito no Zx Spectrum. Muitas horas a frente da TV a espera que o jogo carregasse para depois aquilo falhar! Nostalgia pura. Infelizmente o meu nao está a funcionar como deve ser. As teclas não estao na sua melhor forma.

    Mas felizmente, tenho ainda outro Spectrum, O +2, que já tinha o leitor de k7 incorporado, envolvia menos fios!

    Nunca deixei os meus pais deixarem aquilo fora. Nem as consolas, nem o caixote xeio de k7’s de jogos que ainda hoje estão de baixo da minha cama.

  6. “Ainda sou do tempo…” orgulho-me de ainda ser desse tempo!
    A minha introdução a informática e a programação foi através de um bichinho desses, é caso para dizer “Naquele tempo é que era…”

  7. André says:

    Esqueci de dizer que nessa altura é que se jogava em grupo e qualquer tipo de jogo. Qualquer coisa servia para divertir. Era uma alegria. Agora é tudo tão diferente.

  8. bruno says:

    Parabéns pelo artigo.

    Embora tenha jogado bastante com 48k, fui proprietário de 128k e 128k+2 que infelizmente não já não funcionam.
    Igualmente infeliz foi o facto de não ter tido a oportunidade de jogar habitualmente numa tv a cores 🙂 … o meu pai só me deixava jogar na tv a preto e branco.

    cheguei a correr jogos cuja fita estava unida por fita cola 😀

    relativamente a jogos, destaco duas preciosidades que me faziam perder tardes : r-type e manic minner

  9. ZiLOG says:

    Bons velhos tempos. Muitas horas perdi eu à espera dos carregamentos dos jogos. Mas era boa a espera. Nunca esqueci este micro, daí o meu Nickname: “ZiLOG”.
    Cheguei mesmo a ter um toque de telemóvel com o som do carregamento de um jogo.
    Os jogos da altura eram muito melhor do que os jogos de agora. Não sei o que tinham, mas faziam-me viver os jogos, os jogos de agora são diferentes…

  10. António says:

    Grandes filmes que eu tinha com o gravador e o ajuste do volume. Nada era mais frustrante do que estar meia hora à espera do carregamento do jogo e depois não dava…
    Mas foram bons tempos sem dúvida!
    Um abraço
    António

  11. Paulo says:

    Paulo, Parabéns e muito obrigado por este post que quase me trouxe lágrimas de nostalgia aos olhos. As tardes infindáveis de jogatanas, a ansiedade de experimentar o jogo acabadinho de sair, mas possivelmente o melhor mesmo foram as gargalhadas que demos com aqueles jogos multiplayer ao genero do Renegade que mostras aí, mas também do 3D stock cars, e outros como o green beret e assim…

    abrç

  12. a Friend® says:

    Espetacular!!! Grandes tempos!!!

    Load ” e rezar muito… muito para que a K7 chegasse ao fim e o jogo entrasse… e se entrasse, ui.. até dava mais gosto jogar o jogo!!! 😀

  13. filipe says:

    eu tive o timex 2048k ! epah belos tempos!!

  14. babalu says:

    Fazia copias dos jogos e vendia, com o dinheiro comprava tabaco. lol

    300$00 cada uma

  15. Alexx says:

    Antes desse, fui um feliz contemplado com um timex com a espampanante capacidade de 2K. Pois pois e as coisas se faziam com essa máquina. Foi lá que aprendi o Basic que permitiu mais tarde fazer o meu próprio programa de estatística para a minha tese de licenciatura (pascal). A seguir tive um QL, lembram-se, com microdrive, depois um Armstrad (com 2 disquetes) e ainda mais tarde um portátil philips. A partir daí seguiram-se uma infinidade de máquinas que pouca história deixaram … a não ser arrelias, como o philips com um gigantesco disco de 20 megas, alvo da minha primeira arreliadora infecção por virús.
    É engraçado recordar essas máquinas, por isso os meus parabéns por chamar a atenção para a história da tecnologia e de como tudo se alterou em tão pouco tempo. Aproveito para recordar a pré história da internet com as famosas bbs e que merece uma referência.

  16. babalu says:

    o 128k e a tv a preto e branco era um espectaculo.

  17. bruno says:

    para contextualizar melhor a coisa convém referir que eram tempos em que apenas existiam 2 canais. a rtp 2 iniciava a emissão às 16 ou 18h (agora não estou certo) e existiam programas no éter televisivo como o tv rural e o 70×7.

    eram tempos em que o tulicreme e o verão azul reinavam 🙂
    quanto à malta de lx e porto não sei, mas no interior do país o uso de telefone em casa era pouco habitual.

    se não estou em erro,e é muito provável que esteja errado, comprava jogos para o spectrum a um preço que variava entre os 200 e 500 escudos.

    faltou comentar os famosos POKE’S 😉

  18. Renato Sousa says:

    Bons tempos, e quando se comprava um jogo pela capa e depois era uma desilusão, era só gravar um “micro silêncio” imperceptível a meio da fita para o jogo não entrar e ir à loja trocar por outro.

  19. Rikj says:

    Deve ter sido o unico computador que conseguiu ser explorado até ao limite das capacidades. Desde musica com “5 canais” conseguido somente com 1 beep (agent-x) até a jogos sem praticamente “colorclash” e jogos com multiniveis que não sabiamos como cabiam em 48kb

  20. quilavos says:

    bons velhos tempos em que a iniciação à informática era feita com o spectrum (como aconteceu comigo e muitos outros), que saudades do spectrum 48k, tenho de ver se ainda funciona, ou será que a saudade é do tempo em que éramos uns putos?

  21. Miguel Marques says:

    Fantástico artigo!!!

    mas.. e o Paradaise Café!?

  22. maximilian says:

    Lindo post, fez me sentir muita nostalgia. Obrigado por relembrar daqueles tempos. Tenho 41 anos e lembro me perfeitamente das tardes passadas agarrado ao Spectrum… Sem duvida que os jogos de hoje apesar de serem muito mais sofisticados, para mim não tem a “magia” do Spectrum, mas claro que os tempos eram outros, a sociedade era outra, não havia telemóveis, nem internet e como alguem aqui referiu e muito bem, só existiam 2 canais de TV…

    Lembro me das horas passadas a duplicar cassetes… Hoje em dia já nem as cassetes se usam…

  23. Ricardo O. says:

    Eu já não fui da geração do Spectrum mas sim da Mega Drive, Game boy e a Sega Saturn. Belas tardes passadas a jogar Mega Drive com os amigos =).

    • Ricardo O. says:

      Já me esquecia da famosa Nintendo 1 acho que era assim o nome era uma consola que tinha aquelas pistolas todas xpto =) belos tempos sim sr. belo tópico !!!

      • a Friend® says:

        Havia a Nintendo NES e a “cópia” Family Game… Jogar Excite Bite até dizer chega, e sem duvida Mega Drive muito marcante, tenho jogado “ROMs” disso 😀 😉

  24. chicosoft says:

    Tive um Belo 48K como está no anuncio… 🙂 boas tardes em miúdo…

    Quanto ao vídeo do Load… deviam ter colocado o famoso que mais me irritava… O load chegava ao fim, e no fim… depois do tempo todo á espera dava erro… ou pendurava.. lol

  25. Mike says:

    Quem não podia na altura ter um ZX Spectrum 48K tinha que se contentar com um TIMEX 1000 (foi o meu caso), só mais tarde é que tive um ATARI 800XL, grande Máquina e belo concorrente ao ZX, pena
    que não tenha vingado por ai além.

    Saudações a toda esta geração de Platina.

  26. Nantunes says:

    Que saudades…

    E alguem se lembra de uma revista espanhola de informatica.

    A MicroHobby!!!

    Com o seu artigo “Codigo Máquina” sobre BASIC!

    http://www.microhobby.org/

    • PJviana says:

      Já nem me lembrava dessa revista! lol Tinha dessas aos montes! Acho que ainda devo ter lá para casa uma ou duas perdidas e uns livros de programação BASIC! 😉

    • R@lf says:

      E o jornal “A Capital” que, na edição de 6ª feira, trazia um suplemento de informática, em que publicavam Pokes, dicas, mapas e instruções para os jogos.
      Ainda lá vi as minhas instruções, para acabar o Navy Moves (2ª parte), publicadas, eheh.

  27. Sérgio Monteiro says:

    Viva,

    Já não lia um artigo assim interessante à muito tempo…

    Adorei…muito bom mesmo…dá cá uma nostalgia…(e só joguei no 128kb).

    Abraço e parabéns pelo artigo 😉

  28. Eu então comecei num ZX81 com uns estrondodos 1k de memória e uma impressora térmica, depois sim foi sempre a abrir:
    ZX Spectrum 16k > ZX Sp+ectrum 48k > QL > Atari 1040ST >…

    Realmente, bons tempos em que jogava TopGun com o ecrã partido ao meio ligado a outro Spectrum…

  29. Helder S. says:

    Grande post nostálgico! Bons velhos tempos sim senhor, em que se esperava, esperava e esperava pelo fim do load, mas depois tinham-mos um jogo soberbo de jogabilidade! Belos tempos de Matchdays, Renegade(o primeiro jogo que consegui acabar), R-Type, Elite, The Double, entre muitos outros. Tive um Timex 2048 e ainda me lembro das tardes passadas a jogar…

  30. pedro says:

    Obrigado. Do coração. É isto que nos faz olhar para trás e dizer que vale mesmo a pena ser um ‘cota’ nos trintas… 🙂

  31. PCdudePT says:

    Paulo Silva,

    Ainda hoje escrevi um pequeno artigo no meu blog sobre o site http://www.zxspectrum.net que não é nada comparado com o teu excelente artigo.

    Bons velhos tempos!!!!

  32. The Duke says:

    128k, com leitor incluído, dois joysticks e mt Bubble Bobble, e Emilio Butrageño, e mais uma data deles…Até o meu pai jogava disso. Ainda tenho a máquina lá em casa, em cima do armário, empacotada. Qq dia ligo-a só para ver.

    Foram bons tempos, mas era complicado arranjar jogos. Agora tudo é mais fácil! E os jogos bem melhores!

  33. Helder says:

    Bem este é sem dúvida candidato a melhor post aqui do pplware. E só quem teve a felicidade de um dia desembrulhar um spectrum/timex é que percebe o que eu estou a dizer.

    Já não sei que idade tinha (7/8/9 anos) num natal foi a minha prenda, e os meus pais engruparam-me até à última, diziam eles que me iam dar uma bicicleta nova. Quando vi o que era literalmente passei-me… Um fantástico 128k +2 munido de um infame monitor monocromático (só apresentava várias tonalidades de verde mas com definição e som muito acima das TV’s) porque na altura havia o mito que os Spectrums estragavam as TV’s e 4 tapes (Green Beret, Pac-Man, Cliff Hanger (grande enorme jogo) e Batty (uma espécie de arkanoid).
    No espaço de uma semana essas tapes correram e correram sem parar.
    Rapidamente conheci mais alguns felizardos e começamos a trocar jogos (graças aos gravadores de dois decks de K7). Quando nos juntavamos na escola parecíamos membros de uma seita religiosa, felizes da vida e ninguém mais parecia compreender-nos.
    Cheguei a ter uma colecção monstruosa de K7’s, mas em termos de horas a jogar, os jogos eleitos eram quase sempre os mesmos: Emlyn Hughes International Soccer, Target Renegade, Multyplayer Soccer Manager, Cliff Hanger, Match Point e mais alguns.
    Mais tarde comprei um Amiga em 2ª mão e depois PC’s mas nunca foi a mesma coisa, aquilo de esperar que o jogo carregasse para poder jogar acho que depois dava outro sabor à jogatina.

    Parabéns grande post. Adorei.

  34. Pedro Gonçalves says:

    Este nova geração a geração XP como lhe chamo não sabem dar valor a estas coisas.
    Mas é certo que marcou uma geração, digamos que foi o BIG BANG das consolas.
    O meu Spectrum naquele tempo já tinha teclado ergonomico de tanta porrada levar quando as fitas das cassetes encravavam.
    Bons tempos… agora tanto jogo, tanto grafismo, tanta coisa mas nada nos cativa como naquele tempo aqueles simples jogos faziam.

  35. PJviana says:

    Eu também sou dessa geração! A minha primeira experiência com tecnologia foi uma consola que o meu pai comprou na Alemanha que aqui não existia com aqueles jogos só com linhas e bolas quadradas! Depois apareceu o zx spectrum 16k na minha casa que e para quem sabe nunca durava muito tempo com os murros que levava em cima! As teclas já saiam para fora e o que vale é que aquilo era de borracha! lol Depois foi o upgrade do Spectrum para 48k e depois o Zx Spectrum 128k 2+ que ainda o tenho na caixa original em casa! 😀

  36. Antonio Carlos says:

    Boa Tarde

    Excelente o artigo, na realidade e visto no presente, os finais dos anos 70, tiveram bons momentos, na minha opiniao o Spectrum 48K foi um dos melhores “brinquedos” que tive (o melhor mesmo era o grande “carrinho de rolamentos”), com ele aprendi a programar em BASIC, e desenvolvi bastante trabalho. Ainda o tenho em bom estado acompanhado das suas inseparaveis “centenas” de K7.

    Nota: tenho de referir a qualidade deste site, que semanalmente visito, Obrigado.

  37. Renato Sousa says:

    Também me recordo de ter outra consola antes do ZX Spectrum, este grande Videopac da Phillips:http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Philips_Videopac_G7000.jpg
    http://balduin.wordpress.com/category/game-collection/philips-videopac/

    Era com cartuchos, lembro-me de jogar hóquei, slotmachines, space invaders, um jogo de cowboys um contra um, um jogo de memória e pouco mais.

  38. prom says:

    Ainda tenho o meu 128k+2 no quarto. Não sei dos cabos o que é pena. Mas a última vez que joguei nele está tudo bem. Só o leitor de cassetes é que não arranca com load “”. Mas é uma bela peça de prateleira. 😀

  39. Nando says:

    Que nostalgia, grande artigo!! Hoje pode haver computadores muito bons, mas são tantos, de tantas marcas que se pode dizer que nenhum outro marcará como o ZXSpectrum, isto pelo menos no que refere à geração que o acolheu intensamente…a minha geração!!

    Ainda hoje jogo, mas agora recorrendo a emulador! Mas guardo em muito bom estado as cassetes, o leitor de cassetes e claro o computador!

    Tenho também um Commodore Amiga 600, que o meu sobrinho fez o favor de avariar!!

    Procuro há muito tempo um local onde o possa levar para ser reparado. Se alguém souber de um local onde saibam fazer reparações de Commodore Amiga 600 eu ficava muito agradecido.

  40. LL says:

    Tive o 128k +2 e lamento ser contra a corrente, mas não tenho grandes saudades.
    A evolução nesta àrea foi uma coisa fantástica.

    Mas concordo que o artigo está muito bom.
    Parabens!

  41. Bráulio says:

    Simplesmente BRUTAL !!! Este sim deu uma g’anda pica!!! Qual XBox, qual window7… E era bem mais instrutivo!

  42. Olá!

    Aproveito para deixar um convite para visitarem o site

    http://www.zxspectrum.pt.vu

    cumprimentos

  43. JTMartins says:

    Após ler este artigo, e estando a trabalhar na área das TI’s, é incrivel sentir que muita coisa mudou desde o tempo do Spectrum “de teclas de borracha” que eu ligava com todo o cuidado ao leitor de cassestes externo e por sua vez á tv a preto e branco. Muitas noites passadas a espera que na manha seguinte o jogo estivesse “Press any key to continue” … e acordar e ver que a fita encravou ou que a luz de casa foi abaixo ou alguem se lembrou de ir desligar a tv porque a luz incomodava…
    Eram tempos em que , e como alguem recordou, o Verão Azul era a serie favorita (e uma das miudas era tao gira para a idade que tinha), a série Claxon era o forte das tardes da rtp2 e o Natal dos Hospitais (com a ofterta de tv’s phillips ás prisões) eram o pior dia do ano. Não se podia jogar porque havia sempre alguem em casa a querer ver a emissão completa 🙁

    Olhando agora á minha volta, ipod, htc touch, pc que corre tudo e mais alguma coisa e projectos cada vez mais complexos, é com a maior das saudades que me lembro do tulicreme comido á “colherada” e das teclas de borracha…

    Como diria alguem , “nesse tempo era feliz… só que não o sabia”.

  44. Dusac says:

    Também foi o meu ponto departida para a informática! Acabou desmontado…como muitos outros que posteriormente tive!
    Excelentes tempos de descoberta, e o que se passou depois revolucionou o mundo, é um privilégio continuar a acompanhar todas estas evoluções, penso que é algo de único.

  45. Paulo says:

    parabens, bom post!!

    Eh pá, nós encantávamo-nos porque era uma brutal novidade. Reconheçamos que hoje em dia lembramos mais os tempos felizes do que propriamente a qualidade dos jogos.

  46. Além dos POKE’s referidos pelo “bruno” faltou também referirem o estranho (mas ainda assim verdadeiro) facto de que já andam por ai “uns malucos” leia-se “empresas” a criarem e venderem JOGOS NOVOS (e utilidades) para o Spectrum.

    Aposto que desta ninguém sabia ;p

  47. Pegasus says:

    Parabéns pelo post e pela forma como está escrito!

    Realmente outros tempos – eu utilizava um monitor monocromático (aqueles esverdeados) e chavinha de cruz sempre à mão para afinar o leitor de cassetes…

    Cumprimentos a toda uma geração!

  48. Wolverine says:

    Grandes tempos…

    Os meus jogos favoritos eram o Double Dragon, Target Renegade, Toobin, Bubble Bobble, Super Soccer, Enduro Racer, Outrun e o Super Hang On.

    Infelizmente não sei onde pára o meu Timex 2048K… Tinha o leitor de K7 ao lado e que muitas vezes tinha que afinar a cabeça de leitura com uma chave de fendas ou passar álcool para limpar. Tinha montes de jogos graças à aparelhagem lá de casa que tinha duplo deck com gravação rápida. Enchi K7’s de 60min com vários jogos que trocava depois com amigos. O esquema que utilizava era o de ir a uma papelaria que havia na Marinha Grande, comprava dois ou três jogos a 300 paus e ia para casa copiá-los. Depois voltava lá e dizia que não “entravam”. Diziam-me para trocar por outros e então assim conseguia ter o dobro dos jogos pelo mesmo dinheiro.

    Alguém aqui já mencionou os POKES… Ainda lá tenho folhas rasgadas da revista do Correio da Manhã onde isso era publicado!

    Abraço a todos!

    • Hugo Cunha says:

      Grandes titulos que falaste agora… O Double Dragon era um vicio mais ou menos e quando jogado a dois mais vicio era, assim como o Golden Axe. Depois o Bubble Bobble que ainda hoje me deixa saudades o formato em que ele funcionava. depois veio o Rainbow Islands que era uma espécie de Bubble Bobble 2 ou 3 (já não tenho a certeza)…

  49. Orite says:

    Como o tempo voa… estou mesmo a ficar velho… bons tempos!!
    Chegava a juntar-me com um grupo de amigos e faziamos campeonatos, para ver quem fazia mais pontuação.
    E o barulhinho do jogo a entrar…quando entrava :). Parece que estou a ouvir…
    GRANDE post.

  50. Redhawk says:

    Paulo, que idade tens? Eu recebi o meu um certo Natal, tinha eu 10 ou 11 anos, foi quando apareceram os 48k. O meu Pai está sempre a dizer que se recorda desse Natal como se fosse hoje, foi o que mais gostou em toda a sua vida, diz que não foi pelo Natal mas pela reacção que eu tive assim que abri a caixa… fiquei sem palavras e as lágrimas caiam-me pela cara abaixo. Enfim, saudosismo.
    E quem é que se lembra dos tempos e tempos que se passava de chave de fendas junto ao gravador para “afinar” os jogos para eles entrarem? Até já sabíamos o “som” que era necessário de cor e salteado.

  51. Pablito says:

    O meu primeiro contacto com os videojogos foi com um Spectrum :’)

    Moon Cresta e Rambo :’)

    tenho que o pôr a funcionar outra vez =D

  52. Pois says:

    pois antes do zx spectrum tive uma consola tv brinca 🙂 alguém se recorda ?

  53. R says:

    Load “” (enter)
    Beeeeemmmm!!! Isto dava um fórum, só este tema. LOL.
    Vou tentar não me alargar muito, que já estou práqui a chorar baba e ranho. :DDD
    O primeiro jogo que joguei: acho que foi o Snake.
    Foi uma alegria acabar o Bruce Lee (cuja imagem aparece acima).
    Adorava o Full Throtle.
    O mais rápido a carregar (e com níveis mais rápidos): Sir Lancelot.
    Míticos: Chukie egg, Rambo, Commando, green beret (o primeiro a ser jogado numa televisão a cores), sei lá bem…

    Aí há uma quinzena de anos, eu mais o meu primo começamos a ficar nostálgicos e lá fomos os dois marmanjolas desenterrar a relíquia do sótão. Jogamos até fartar, só nos ríamos. Depois de matar saudades, encostamos aquilo outra vez. :DDD

    Mas a saudade/nostalgia é uma coisa que de vez em quando invade com força. Foi quando há uns tempos atrás arranjei um emulador de spectrum e me pus a jogar aqueles joguinhos todos outra vez. Desta vez sem os tempos de loading. :DDD

    Enfim…

    E procurar jogos naquelas k7s com dezenas de jogos?
    Desliga o fio, procura o silêncio e depois… Biiiiiiiiiiii bip! Ok, mete o fio. Load “” (enter) (e claro, play).

    A minha mulher também tem uma história para contar:
    Ela mais o irmão iam jogar um jogo novo. Eles não se aguentavam com a excitação. Então a minha mulher introduz a k7, faz: Load “” (enter) e carrega no REC (isso mesmo, gravou a k7 toda)!!! LOOOOOOOOOL
    Agora riem-se feitos totós quando se lembram disso.

    • a Friend® says:

      “Ela mais o irmão iam jogar um jogo novo. Eles não se aguentavam com a excitação. Então a minha mulher introduz a k7, faz: Load “” (enter) e carrega no REC (isso mesmo, gravou a k7 toda)!!! LOOOOOOOOOL
      Agora riem-se feitos totós quando se lembram disso.”

      😆 Essa história é linda! Devia ser eleita o “Epic Fail” nº1 da geração spectrum!! ahahah LOLOLOL

  54. JCool says:

    Este artigo trouxe-me de facto várias lágrimas aos olhos só da nostalgia e saudade que senti ao ler sobre o mundo do zxspectrum.
    Tenho 32 anos, o meu primeiro computador foi um zxspectrum 68k, para quem não sabe éra versão timex com drive de cartuxos incorporado.
    Aquilo que éra uma autentica festa todos os dias. Depois das aulas vinha com os colegas todos e ficavamos viciados na jogatina longas horas, a jogar jogos como o famoso Formula One, Multiplayer Socker Manager, renegade, rambo, chucki egg 1 e 2, Jet Set Will, Match Day, chase hq 1 e 2, power drift, etc, etc, etc…
    Depois, combinavamos e tentava-mos ir com um irmão de algum amigo com mais de 16 anos, entrar nas salas de maquinas para nos deslumbrar-mos com os graficos dos jogos que existiam na altura, eram tempos fabulosos.
    Quem é que não se recorda da rubrica da revista do Jornal de Notícias de Domingo sobre os jogos que saiam no mercado, todos os domingos e a casa dos meus avós resgatar a revista para devorar cada artigo que saía nessa rubrica, ainda hoje tenho a colecção desses artigos que todos os domingos recortava da revista.

    Dou os meus parabéns pelo o artigo que me por momentos fez-me regressar aos melhores tempos da minha vida.

  55. velf says:

    parabéns pelo excelente artigo.que belos tempos esses.500 escudos era quanto eu pagava por uma cassete com um jogo para o commodore 64,no centro comercial dalas…

  56. Paulo says:

    Era uma guerra eu e os meus 3 irmãos pra ver quem jogava primeiro! Isto se não houvesse amigos em casa, o que era raro e aumentava a confusão…
    Só pra fechar com estas pérolas, algumas já mencionadas acima:
    – F1 Manager
    – Enduro Racer
    – Super Hang On (este até o meu pai jogava)
    – Cliff Hanger (lol)
    – Bomb Jack
    – Sabouteur (Brutal, já não me lembro até k nivel fui, mas fui looonge)
    – Kung Fu Master!

    • R says:

      no saboteur não era só apanhar um disco para parar o tempo e apanhar o helicóptero para fugir? Tinha mais alguma coisa? Acho que não… mas o jogo era demais. Ninjas, cães, salas com ar envenenado… LOL

  57. José Fonseca says:

    Que saudades daqueles tempos! Daquela espera para ver se o jogo “entrava” ou se tinha de afinar o azimute do leitor de cassettes, já com as teclas todas partidas de tanto o usar…
    Aqueles momentos com os amigos a jogar os maravilhosos jogos, que agora parecem vindos da idade da pedra 🙂

    Que saudades…

  58. José Fonseca says:

    Foi onde começei a programar. BASIC e Assembly. Bons tempos…

  59. R says:

    Este post corre o sério risco de se tornar um documento Histórico, pois quem é que vai acreditar daqui a mais 30 anos (por isso, os que sobrarem, vão andar à volta de 60 anos numa época de geração “speed”, isso vai ser muuuuuuiiiiiito velho), quando os remanescentes de nós já estiverem com “os pés para a cova” e a contar estas histórias, os nossos netos vão dizer uns para os outros: “Não ligues, que ele já está Qué-qué…! Fala de coisas como Spectrum, K7s, jogos que levavam mais de meia hora para carregar e mais coisas malucas que não se entende bem!!! Quem acredita em histórias de velhos malukos?”
    Vamos mazé fazer um teleport a Jupiter e jogar um Rv antes de fazer o “rest-reset” à mioleira” “Peraí, deixa só meter uma pill que estou com fome… pronto! Vamos!”

  60. Mário says:

    Foi onde também comecei a programar!!! O Spectrum era espectacular.

    O primeiro jogo que vi para o spectrum foi o Chuckie Egg mas o jogo que me marcou mesmo foi o Dizzy!!!

    Ninguém se lembra do Dizzy??? O Dizzy era para o Spectrum o mesmo que o SuperMário é para a Nintendo e o Sonic para a Sega.

    Aqueles jogos tinham uma espécie de magia em volta deles que hoje já não se encontra.

    Tardes com o amigos a jogar… que saudades. E não havia BSOD’s naquele sistema operativo. Aquilo é que era um aço!

  61. a23637 says:

    Lembro de ser bem pequenino(nasci 1985) e de ir a casa do meu primo mais velho de passagem e ele por as cassetes para jogar e demorava tanto tempo ou falhavam que por vezes saiamos de lá e nem chegava a jogar 🙁

    Mais tarde lembro de ser uma correria na Bobadela para casa do Nuno Veludo que era o único que tinha um Amiga!
    A minha a avó não me deixava ir para lá mas eu não resistia e ia às escondidas para poder jogar :p

  62. Ana Narciso says:

    Bem, eu nasci no fim da década de 80, por isso não cheguei a apanhar o Scpectrum, apanhei outras coisas. 😛

    Mas Paulo, adorei ler a tua nostalgia, fez-me realmente perceber o porquê da vossa admiração por esse gadget da altura!

    Como nasci no fim dos anos 80, a minha geração foi sem dúvida a geração 90.

    https://pplware.sapo.pt/2009/01/31/se-cresceste-nos-anos-90/

    • Mário says:

      Gadget?!?!?!?!

      Como assim GADGET?!?!??! SENHOR Gadget, sff!!!

      Aliás: “MAQUINÃO”!

      Já não se fazem coisas destas! heheheheheh

      vê-se mesmo que nunca tiveste o prazer de fazer Load”” ou a frustração de ver um “R: tape loading error 0:1”

      hehehehheeh

      • bruno martins says:

        a geração dos anos 90 ainda tem a frustração sim.. os famosos bsod do win 95.. lololl 😀 infelizmente maquina minha só comecei com o win 95 (pentium 333mhz ou algo assim, ja nao me lembro ao certo), mas já tinha contacto com o win 3.1.. loolo..

  63. Cão Babão says:

    Parabéns Paulo,

    Que post fantástico, de facto o Spectrum continua a ser uma religião.
    As cassetes que mais entravam no meu 2048 se bem me lembro eram, a saga Renegade, o Cliff Hanger (fantástico), o Sir Fred (a 1ª aventura gráfica que me lembro), o Chaos (mítico jogo de estratégia), Laser Squad e claro o best of all Match Day Day II.

    Este post caiu que nem uma bomba aqui no site, nunca vi tanta gente de acordo nos comments.

    Se fizeres um post de Subbuteo consegues cobrir parte importante da minha infância. 🙂

  64. mrgo says:

    Manic Miner e Chuky Egg…. horas a fio. também tinha um 48k e que grande computador. Até já não haver teclas. e aquelas k7 de 60 minutos carregadas de jogos em que no fim de contas só jogávamos 1 ou 2. Load “” triiiiiiiiiiii tri triiiiiii (minutos e mais minutos)
    Se os nossos telemóveis tem mais resolução que este 48k, como será daqui a mais 30 anos? lol

  65. Hugo Cunha says:

    Ainda hoje me deixa saudades o vício que os jogos da altura davam…

    Lembro-me como se fosse hoje os tempos passados em frente à televisão à espera que a cassete corre-se e por vezes ter ainda que virar ao contrário para acabar de ler (como o NARC) ou então os tempos a jogar o Multi Player Soccer Manager e tentar levar a equipa da 4ª divisão à Premier League (uma espécie de Football Manager da altura), jogo me deu cabo do cinescópio da televisão de tanto estar ligado.

  66. MMA says:

    Um verdadeiro ícone e mais um dos tantos símbolos daquele tempo:

    Sapatilhas Sanjo
    Tuli-Creme
    Spectrum
    O Verão Azul e o hino nacional quando a emissão da RTP terminava
    Bombocas
    O Monstro da Lagoa Negra e o Raio Azul
    TV a Preto & Branco
    Formato Betamax & VHS
    K7
    Bota Botilde
    a moda do calçado ortopédico para crianças
    as bicicletas BMX

    • JTMartins says:

      sapatilhas sanjo para jogar á bola na rua onde as mochilas eram as balizas e havia sempre a duvida se a bola passou por cima da mochila ou se passou dentro da “baliza”.
      tuli-creme comido á colherada!
      o mitico verao azul!!!
      a cassete VHS e o video que para por a gravar á hora certa era uma luta.
      as botas ortopédicas que sempre foram motivo do meu pai me dar na corneta pq nao duravam 2 meses.

      velhos tempos … grande colheita a de 81 😀

      • Vítor M. says:

        Sem dúvida… grandes lembranças:

        Verão Azul

        Mas estes tempos foram mais aproveitados pela malta de 75 😀 esses é que nasceram, cresceram já numa tempo de mudança, onde apanharam estas pérolas todas…

        Grande colheita a de 75 😛

        • acho que depende muito do local e das pessoas com quem se convivia.

          Mesmo pessoas nascidas em 84 podem ter vivido bem a época, desde que tivessem, por exemplo, um irmão com um Spectrum… isto tendo em conta que o furor do Spectrum por aqui durou até cerca de ’92

  67. Alberto Ferreira says:

    Também a mim me marcou definitivamente a minha vida.

    Obrigado pelo artigo.

  68. Phillippe says:

    Eu tive um Amstrad 128k… Que feliz que fui com essa maquina 🙂

  69. Vítor M. says:

    Eu tenho recordações desse tempo.

    Eu não tive um Spetrum, tive (e ainda cá está) um Commodore 64. Antes de o ter ia para casa do meu vizinho onde passava tarde fantásticas de “jogatana”

    Ligávamos o Spetrum à TV, deixávamos o jogo a carregar e íamos lanchar. Aquilo “silvava” fortemente enquanto preparávamos o lanche. Uns bons minutos depois era sempre a abrir, grandes tardes de jogo… era muito divertido.

    Paulo, obrigado por este momento de saudosismo 😀 é bom relembrar estes tempos.

  70. L.Mata says:

    No meu entender o ZX marcou uma geração. Não ha nenhum sistema hoje em dia que seja capaz de marcar gerações como o ZX. Esse tempo já lá vai. As horas que eu passava a programar para aquilo, por tentativa e erro, a arranjar PEEKs e POKEs que depois mandava para as revistas… Enfim… grandes tempos.

    Para mim existem dois tipos de pessoas. As que conheceram o ZX e as que não o conheceram. E quem não passou por isto não sabe o que perdeu.

    Já agora… vejam na ebay para quem queira um. Ha muitos a venda. E bons. E Amigas e outros ainda que nao tiveram o mesmo sucesso mas que eram grandes maquinas.

  71. kendimen says:

    😀
    Também tenho um religiosamente guardado, acompanhado de bastantes jogos!!! Da última vez que liguei aquilo, há anos, funcionava OK!! Uma bela máquina 🙂 Muitas histórias havia para contar!!!
    De referir que no vídeo “Carga del Spectrum” que aparece no artigo, aquilo era o tempo de carga daquela mesma imagem, apenas! Um jogo demorava uns minutos a carregar!! Ainda acho espantosa a originalidade e complexidade de certos jogos, além da capacidade de colocar isto em áudio, em suporte magnético, para carregar! Fantástico!!!

  72. Cão Babão says:

    Lembram-se que se comprava a Capital à 6ª Feira que trazia críticas, soluções e POKES de jogos.

    Ainda se lembram como se carregavam os POKES?

    Uma pista MERGE”” ENTER diz-vos alguma coisa?

  73. SirHaiva says:

    Pá, tantas recordações de repente vindas ao de cima…

    Eu não tive nenhum Spectrum nem Timex nem nada… mas tinha um o meu melhor amigo de infância, e eu não saía de casa dele a curtirmos os jogos… e mais tarde a dar os primeiros passos de programação…

    Já não falo com o meu amigo há algum tempo… e vou fazê-lo brevemente à conta deste post.

  74. Só por causa deste artigo fui buscar o meu à arrecadação (sim porque ainda funciona), claro que agora só me falta “arranjar” um leitor de k7s.
    Ainda gradei algumas, tenho aqui o Chuckie Egg, o ManicMiner e o TopGun.

  75. Alopes says:

    Belos tempos tive um 48 k teclas cinza, depois de dar cabo do teclado a jogar o formula 1 (de raiva por estampar os dois pilotos) repararm-mo e obtive um com teclas plásticas. Acabei por migrar para um +2 depois um Amiga 500 a seguir (e já fruto das minhas poupanças) um commodore amiga 4000 (uma máquina fantástica).
    E devo a estas máquinas o que tenho hoje o know how de várias linguagens de programação, o kow how de desenho 3d obtido no Amiga, o know how de hardware, etc. etc.
    Quanto ao Spectrum os jogos que mais gostei foram o Quazatron, Magnetron e Rana-Rama. Mas havia jogos fantásticos o Gauntlet, o R-Type (uma conversão quase inacreditável da máquina arcade). Enfim os miúdos dos dias de hoje têm acesso a tudo e acabam a dar muito pouco valor às coisas. Mas isto também os nossos pais diziam relativamente a nós. É a inevitabilidade da evolução da tecnologia. Belos tempos.

  76. Hugo Cura says:

    eheh, imagino o que sente que teve disto.
    Não sou dessa geração mas sim da mega drive, 1ª e única consola que tive.
    Joguei uma vez num spectrum em casa de um amigo, que nem sabia o que era, e só tenho ideia de esperar pela famosa leitura da cassete 🙂 cassete de quê? Bomb jack! 😀

    Mas afinal, quanto custava esta belíssima máquina na altura?
    Hoje em dia, por norma, na geração dos pais nascidos abaixo dos 70, os filhos é que pediam o que queriam! Fui eu a pedir a mega drive 🙂
    Como é que um pai oferece um zx spectrum de surpresa ao filho? Onde eram divulgados?
    Tenho a noção que não foram muitos que o tiveram, mas esta ideia faz-me um pouco de confusão 😛

    • Mário says:

      O meu custou 25 contos e foi oferecido pelo natal…

      por aqui toda a gente teve um! 🙂

    • Helder says:

      Pois Hugo quanto custava não sei…
      Realmente não vias publicidade nenhuma e havia apenas algumas lojas especializadas que os vendiam.

      No meu caso eu fui um dia a casa do namorado de uma tia minha e ele estava a jogar no seu Timex mais uma seita de amigos o Chuckie Egg e perguntaram-me se eu queria jogar e aquilo foi amor à primeira vista.

      Dois natais depois os meus pais lá me deram um Spectrum comprado na rua do Loureiro no Porto numa micro-loja da especialidade.

      Penso que nós pedíamos aos nossos pais porque viamos em casa de alguem… e não era tão pouca gente assim que tinha, lembro-me que na escola preparatória (5º/6º ano) o clã era bem grande havia sempre mais ou menos 10 viciados por turma…

    • catchy says:

      olha hugo eu nasci em 1976 e tive um com 12 /13 anos e chorei 2 anos para o ter e custou salvo erro 80 contos, 400 euros de hoje , foi duro mas tb só tive esse num espaço de 10 anos e depois ja com vinte e poucos anos comprei com o meu dinero uma play 1…e so depois tive um pentium3 com win 98 2ª edição depois tive um p 4 com xp de pois tive um portatil da targa lidl com win vista ( muito bons ) e agora tenho mackbook pro 2.66 2 duo core 6 mb de cach l2… como podes ver em 10 anos so tive aquele … agora os putos mudam de pc de 2 em 2 anos e sempre altas máquinas….

  77. TiagoKito says:

    Não cheguei a conhecer esta consola, no meu tempo saiu a mega drive e também me lembro bem do que era na altura, um espirito totalmente diferente do de hoje em dia…

    Realmente o que isto evoluiu, a pontos de agora nem se dar metade do valor às coisas do que o que se dava na altura…

  78. dajosova says:

    Realmente grande post… só quem por l´passou sabe dar o valor porque sentiu na pele!

    E quem se lembra do Carlos Cruz no “1,2,3” anunciar como prémio um PC Amstrad ou um Schneider.

    Era muito à frente na altura e todos desejávamos ter um. Belos tempos!

  79. Bruno Jacob says:

    Load “”

    Bem qualquer dia ainda ligo o meu 48K, o único PC que me marcou…

  80. FatGiant says:

    Ai o meu rico Spectrum.

    Que pena ter-se queimado num pico de corrente. Passei anos com aquilo, a jogar, a aprender a programar.

    E os jogos!!! Como é que eles conseguiam meter aquilo tudo em 48K?

    Isto não é um post, é um “monumento”. Uma homenagem à máquina que nos meteu o vício e que servirá para sempre de termo de comparação para todos os felizes o suficiente para as terem experimentado.

    Obrigado por estas lágrimas de pura saudade, pelas memórias, pelas alegrias e frustrações, pela viagem à nossa adolescência.

  81. bruno says:

    Eu sou do 85, mas ainda joguei nesse bichinho. Os meus primos tinham um e lá ia eu mega puto a estorvar, a vê-los jogar e à espera que me deixassem lá para o final da tarde xD

  82. Luís Santos says:

    Nostalgia, mesmo. Também sou desse tempo, mas o primeiro que tive já foi um +2A, apesar de já jogar há mais tempo no 48K dum amigo.
    Jogos como o Double Dragon, Target Renegade, Rick Dangerous, ACtion Force 1 e 2, Saboteur e eu sei lá mais o quê… eram um vício desgraçado. Tinha montes de cassetes mas há uns largos anos dei tudo (Spectrum e jogos) a um primo meu, mais novo.
    Foi ainda nesse Spectrum que fiz os meus primeiros programas. Na altura cheguei a ter um monitor de fósforo (verde e preto) para não monopolizar a televisão da sala e, ironia do destino, mais tarde viria a tornar-me programador em AS400 (ecrã verde e preto também :P).
    Nada do que se faz hoje em entretenimento “informático” se compara aos saudosos tempos do Spectrum. As consolas andam lá perto (e, para todos os efeitos, são a mesma coisa e a sua evolução lógica), mas falta-lhes qualquer coisa 😉

  83. Carlos A. says:

    Até fiquei emocionado a ler este post.
    Eu comecei com um 16K que só mais tarde saiu o 48k e fomos à fábrica Timex deixar o Spectrum para fazerem o upgrade e poucas semanas voltamos a buscá-lo.
    Lembro-me de tudo…

  84. Luís Santos says:

    Há pouco tempo um amigo meu descobriu o manual do Timex dele. Aliás, foi na noite de consoada, 24 de Dezembro, e já toda a gente tinha bebido uns whiskeys. Mas o que nós chorámos a rir a ler aquele manual hehe

  85. Alexandre says:

    Já lá vai o tempo, ja tive o prazer de jogar alguns destes jogos “via Arcade”.

    Como o tempo passa… e tou a ficar velho… lol

  86. Bruno Cardoso says:

    Bem, eu tive um 128K +2. Comprei-o com dinheiro que consegui amealhar durante uns tempos. Eu e os amigos passamos horas, dias, semanas a jogar o Enduro Racer, Target Renegade, Double Dragon, WEC Le Mans, Cabal, Marauder, etc, etec… Que saudade. Ainda o tenho mas infelizmente já não funciona. Seria merecido fazer num futuro próximo um post sobre o Amiga e os seus jogos espectaculares!!

    Cumprimentos

  87. Joao Santos says:

    Boas pplwarianos

    Que boas recordaçoes estas…
    Ainda me lembro… Foi numas ferias grandes: Uma malta la em casa a jogar o “F1 manager”, uma semana inteira, só paravamos pra comer e dormir… Queimei um transformador porque nao qeriamos perder a nossa evoluçao no jogo… Só depois é que descobrimos q dava para salvar!!! no fim d cada temporada!! Eheh

    Abraço e bons naveganços!!

  88. R says:

    Vocês também sentiam a ansiedade de, quando jogavam um jogo pela primeira vez, ficar à espera que a imagem carregasse, para ver como era? Tipo a do Rambo, em que aparecia o (que nos fazia lembrar) o Stallone… “Já tem mais umas linhas, já falta pouco, tá quase… tá!!!”. LOL

  89. jmtdstoc says:

    Obrigado Paulo, por este excelente momento nostálgico.

  90. Mário says:

    Alguém sabe por aqui qual é o recorde de Comentários???

    Seria giro quebrar o recorde num post sobre o ZX Spectrum hehehe 😀

  91. Paulo Silva says:

    Boa noite.

    É-me difícil colocar em palavras o quão bom é sentir que este post vos tocou também duma forma tão profunda.
    É com enorme prazer e satisfação que vejo que a maior parte de vós se revê nas minhas palavras, e é com total sinceridade que vos digo que de todos os posts que coloquei até agora no pplware, este foi, sem qualquer tipo de dúvida, o mais pessoal e intimo que fiz. É um post que tem muito de mim, e é com muito orgulho que me declaro um membro da GERAÇÃO LOAD “”.

    Na estrada da vida, é importante sabermos onde estamos e para onde vamos, mas nunca nos devemos dar ao luxo de esquecer de onde viemos.

    Queria agradecer a todos vós pela vossa participação.
    Um grande bem-haja e bom fim-de-semana!

    • Maybrick says:

      Excelente post.

      Estamos mesmo velhos, pois já andávamos a jogar computador em 1982.

      Eu tenho um Timex 2048 desde essa altura, e este texto é absolutamente verdade.

      Grandes tempos!!

    • Mário says:

      Parabéns pelo post, Paulo!

      Acho que falaste por todos nos (e quando digo por todos, na verdade refiro-me pelo Intimo de todos nós!!!). dizes que tem muito de ti, mas sem quereres acabaste por incluir também muito de nós.

      Quando se faz um post com o coração… é nisto que dá!

      Os meus parabéns!!!

      (continuo realmente intrigado com o recorde do numero de comentarios de todos os artigos??? Não dá para sabermos isso de alguma forma?! Era interessante estabelecer um recorde LOL)

  92. Marco Pita says:

    Felizmente também faço parte da geração Load “”.

    Com este post fiquei com vontade de rir e de chorar.

    Rir ao recordar as peripécias porque passamos com o velhinho ZX Spectrum 48K.

    Chorar com pena de não ter 13 anos outra vez e receber um Zx Spetrum 48K acabadinho de chegar via CTT.

    Sim, o meu veio pelos CTT. Custou-me todo o meu dinheiro na altura: 48.000$00 (quarenta e oito mil escudos, ou 48 contos, como se dizia na altura).

    Mas valeu bem a pena todo o dinheiro que custou. Foi com ele que me iniciei na programação e nesta doença da informática. Fiquei agarradinho.

    Já agora, alguém se lembra do jogo “Atic Atac”?

  93. Axys says:

    Gostei muito da postagem.
    Apesar de não ter vivido essa época (Nasci em 1993), eu creio que essa geração deve ter marcado muito de vós que hoje podem contar com orgulho esse tempo vivido.
    O meu tio também tinha um ZX Spectrum e ele me dizia que aquilo era a tecnologia em si. Levando em conta que a tecnologia hoje é muito avançada, eu não levava muito a sério o que ele dizia, até que porque, como uma pessoa pode gostar de uma coisa tão velha e inútil como essa, comparado ao meu “incrível” Quad Core com 4 GB de RAM?
    Mas só agora eu pude perceber o quanto isso é valioso, até que porque, a história que o ZX Spectrum conta para vós é uma maravilha no mundo da informática.

  94. Fatassa says:

    Que GRANDE POST. Muito Parabéns Paulo.
    A sensação de receber um Spectrum foi unica!
    Nunca me vou esquecer quando pus as unhas em cima e teclei Load “” e … Manic Miner para a carola.
    MUITOS PARABENS!

  95. Carlos says:

    Parabéns pelo Post. Nostalgico sem dúvida, Zx Spectrum, Chuckie Egg, Tulicreme, pastilhas pirata, e escapadelas á antiga feira do Martins Moniz para comprar cassetes pirata, quando havia dinheirinho.
    Abraço

  96. Paulo Oliveira says:

    Há coisas extraordinárias.. e uma delas é sem dúvida me identificar na plenitude com o que acabei de ler!!.. Podia mesmo dizer “esta é a minha história!”… É um espelho daquilo que sinto, daquilo que vivi!
    O Spectrum 48K (ou mais concretamente, no meu caso, um Timex 2048) foi a semente de tudo o que sei hoje sobre informática, do gosto que nutro por este mundo de bits e bytes, a programação (agora em C, C++, PHP, PYTHON,… ) o 3D, o HTML, o MySQL… etc etc
    Foi no mínino o catalizador que fez despertar ou ampliar esse gosto, ou essa aptidão, na minha vida.
    E claro as infindáveis horas “agarrado” a este ou aquele jogo!
    As várias folhas A4 quadriculadas, arrancadas de um caderno da escola, coladas com fita cola no verso, e o mapa completo que lá desenhei dos túneis, galerias, corredores e escadas do “Saboteur”…
    Aquele BASIC “arcáico” com que se iam fazendo algumas brincadeiras muito a sério e treinando o pensamento na forma de pensar informática, e depois as incursões pelo Assembler (código máquina) a ampliar esses métodos de pensamento, de criação de algoritmos, e a gerar a curiosidade de como é que tudo funcionava dentro daquela pequena caixa… e a cada descoberta, a cada passo, a amplificar esse gosto pela informática, pela electrónica digital… a iniciar um trilho que me fez chegar hoje à programação de computadores, à programação de microcontroladores, à Robótica!
    Muitas vezes dou comigo a discutir com algumas pessoas sobre temas da informática de hoje e, dou comigo a pensar, sem querer parecer arrogante: “mas que raio estás tu a dizer?!… será que sabes o que é um bit?… um byte?… que falta te fazia ter tido um 48k.. que falta de fazia ter vivido um spectrum!
    Recordo muitas vezes ainda o dia em que o meu pai me inscreveu num curso de programação BASIC nesses tempos do spectrum: a matemática utilizada pra resolver os problemas e a forma de a aplicar, as conversões entre base decimal e binária, os ciclos, fluxogramas, e por ai fora!… e no final arrancar a melhor nota! O Orgulho no peito de assimilar aquilo tudo quase com naturalidade!

    Abraços.

  97. Bruno Silva says:

    Nostalgico, mas muito bom artigo….

    Faz grandes tempos dos quais não podemos deixar de recordar com muito carinho!

    Obrigado!

  98. catchy says:

    Nasci em 1976 e cedo , mais ou menos com 12/13 anos , depois de uma grande choradeira consegui que o meu pai me fosse comprar um timex ( o 2048) na altura custou 80 e tal contos se não me falha a memoria … foi o dia mais feliz da minha vida (senti eu naquela altura)… fiz tudo o que está descrito por todos os que usaram estas belas maquinas( copiei jogos e devolvi , afinava leitores de cassete ate a exaustão gravava jogos em cassetes de 60 minutos eu sei lá) … tal como foi dito e eu concordo plenamente, eram máquinas munidas de uma magia unica ,que hoje os computadores não tem ( pelo menos para mim) … era um culto uma maneira de estar … era muito nosso, muito da malta lá da rua ( grandes jogatanas de chucky egg , target renegad, rick dangerous,etc …tinha mais de 350 jogos …ontem , e por isso cheguei até este forum , vi um homem a deitar fora uma versão do amstrad 64k com monitor com leitor de disquetes , fiquei desolado por ja não ter o meu timex com o monitor monocromatico a castanho e preto … foi lá e fiquei com aquela maquina ,mas por minha desgraça acho que não funciona , tenho de averiguar melhor … pode ser que ainda tenha safa … era bom … abraço e viva a esta linda ideia de abrir este tópico…

  99. Hugo says:

    Oi, tudo bem

    Gostaria de saber se alguém me consegue um teclado em borracha
    para o ZX Spectrum 48k.

    Tenho o meu a funcionar mas o teclado é um Saga 2+ (substituto do teclado de borracha, que se vendia na altura)

    Estou a ver se consigo por um mp3 a ler jogos directamente no Spectrum. Vi isso num site e após algumas conversões de ficheiros consegue-se ler apartir de um mp3.

    Um abraço

  100. topgum says:

    Aproveito para deixar o meu testemunho de 2 coisas que também fiz com o ZX Specrtum, além das já referidas.
    1. Montei uma saída antes do modelador RF e desta forma ligava à televisão com um sinal de melhor qualidade;
    2. Como na altura (meados de 80)já fazia os meus filmes caseiros, utilizei um programa que não me lembro do nome, para fazer os titulos dos filmes e os créditos finais, tudo isto era gravado em cassetes VHS e montado com os filmes feitos numa camara Compact VHS.

    Só quase 1 ano depois do artigo original ter sido publicado é que o li. Há 1 ano atrás ainda não era leitor do PplWare.

    • vitor ribeiro says:

      Ola como fizes-te essa saida?
      abraço

      vitor ribeiro

      • topgum says:

        Essa é dificil de memória.
        Vou ter que abrir o bicho para confirmar. Mas a ideia que tenho é que como quando saiu o Spectrum poucas televisões tinham entrada AV, mas todas tinhas entrada de antena. Daí que o fabricante tenha pegado no sinal AV que estava na placa de circuito impresso e acrescentado um modelador RF. Por isso tenho ideia que seja só uma questão de soldar 2 fios antes do modelador RF e montar numa ficha RCA.
        Bom ano

  101. vitor ribeiro says:

    Ola como foi feita essa saida?tens planos?

    abraço
    vitor ribeiro

    • Luis says:

      Essa adaptação embora fácil de realizar, não dá resultados satisfatórios em todas as TV´s. Para se ter realmente uma saida com boa imagem, há que montar um circuito baseado num transistor com seguidor de emissor e mais alguns componentes(poucos), para adaptar a impedância do sinal do Spectrum à impedância que as TV’s “esperam” receber na entrada AV.

      Cumprimentos

  102. Sabu says:

    Quantas e quantas horas a jogar Dictator, em que faziamos de presidente de um país. Mais tarde arranjei o mesmo jogo mas todo em portugues. Esse sim de nome ”PRESIDENTE”.
    Outro jogo que me encheu as medidas: ”Multiplayer soccer manager”, onde conseguiamos jogar ate 4 players cada um com a sua equipa para treinar, com apenas o campeonato inglês em 4 divisões.

    Que saudades.

  103. Jaime says:

    Eu tive um, mas já não me lembro de o usar. Foi adquirido em segunda mão e era muito novo eheheh. A segunda consola que tive lembro-me dela, Mega Drive.

  104. vitor ribeiro says:

    Tenho 1 zx spectrum +2A para reparação, gostaria de saber o seu contacto telefónico para falarmos sobre este assunto.
    Existe alguem que ainda faça reparaçoes nestes computadores.:)

    um abraço
    vitor ribeiro

  105. Tiago says:

    Foi onde aprendi a programar, o manual do Timex 2048, que foi feito em Portugal, era muito fácil de aprender.

  106. Sr Paulo, mas havia jogos num centro comercial nos Olivais?? Sinto-me enganada! 😀 Ao fim de tantos anos descobrir que se vendiam perto quando os que tive (e ainda tenho) vinham de loooonge. (mas se calhar eram piratas eehhhe)

    Sr Renato Sousa, se calhar foi por sua causa que ganhei jogos que nunca funcionaram rssss!

    Meu computer disk avariou e com ele foi o link de um site onde se podem jogar quase TODOS esses jogos míticos, sem complicações. Estive a jogar à uns tempos, é… algo que nos alegra. Até um jogo muito idiota do qual nunca apreciei fiquei ali a carregar infinitivamente nas teclas ehehe. Mas alguns não “respondem” como antigamente.

    O Manual do Timex 2048K era todo utilizado, sim Tiago. Bem lembrado. Usei tudo o que permitia fazer: compor “musica” com códigos (ainda hoje tenho algo anotado algures), “desenhar” e fazer “estrelas” animadas. Muito fixe. Saudosista.

    Load “” Enter – ForEver! ;D

    • Pedro says:

      Pois é.. já não funciona o simulador na net.. (www.zxspectrum.net) 🙁 tenho o meu que funciona (48k) mas já não sei o que foi feito das centenas de cassetes e jogos que eu tinha… Na Net estava a jogar o school Daze., o Franknstein., Manic Minner, Chuckie Egg … Bruce Lee …. 🙂 que bons feelings ….

  107. Tiago says:

    Alguem me sabe dizer como se liga a spectrum a tv?

  108. António says:

    Artigo muito bom e muito bem escrito, vou partilhá-lo na minha página.
    Aproveito para convidar todos a darem uma vista de olhos na minha página

    https://www.facebook.com/pages/Zx-Spectrum/285263024982846?ref=hl

  109. André says:

    Olá Paulo, ainda tens esta versão do Snake que fizeste na altura?

  110. José Meirinhos says:

    Eu tinha o zx+2 muito ne lembro de o meu nãoconseguir lêr o Wec le Mans e ficar frustrado, tinha apenas 7 anos
    O meu pai trazia me jogos da Texas Instruments no Porto
    Tive de desafinar o leitor para ler este jogo pois no fundo ao ler este deixava de lêr outros
    E o saboteur eu com aquela idade matava os ninjas todos chegava á mota paraacabar o jogo mas chegava lá acho que sem fazer os objectivos pois o jogo parecia complexo para a minha idade
    Grande nostalgia
    E o da prisão the great escape

  111. Eurico says:

    Acabo de vêr parte do descrito e até fiquei de lagrimas nos olhos. Obrigado pela partilha. Voei para a adolescência, comecei com um Timex 16k, um dot era um quadrado com 1cm de lado. Grande “calculadora”. O zx 48k com gravador foi mesmo uma ida à lua. O que mais me marcou foi o simulador de voo, 45minutos à espera e com frequência, rw e volta a ler. Depois era estanpanços balentes depois de hora de voo. Obrigado pelas memórias, já me tinha esquecido do que era ser inocentemente muito feliz. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.