PplWare Mobile

Está a chegar o SteamOS da Valve


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. NT says:

    Boas,

    Agora só falta a tão especulada steambox 🙂

    • R says:

      nem acho tao necessário a tal steam box!
      uma vez que é baseado em linux, gostava que partilhassem uma lista de hardware compativel para se tirar o maximo de partido de Hardware com software (SteamOS) 😀
      uma vez que é um SO, a ser possivel a sua compra como o Windows, ou distribuicao como o Linux, poderiamos fazer o nosso mini pc para gaming/multimedia

  2. Ruben says:

    Sinceramente, na minha opinião, o Windows e OSX vão entrar em desuso, daqui a muito templo é claro.
    O OSX ainda vai ter grande uso nos MAC porque é um SO feito para as especificações dos seus equipamento, agora o Windows não sei não.
    Eu pessoalmente já ponderei saltar definitivamente para Linux mas especificamente Ubunto, mas ter que saltar de SO para fazer umas coisas num e depois saltar para outro, para mim não me agrada muito.

    Nvidia já desenvolve drivers para linux faz tempo, já se vendem uns poucos portáteis com Linux já instalado, agora a própria Steam faz o seu próprio SO com base em Linux (ainda bem), acho que a ultima “facada” no Windows para muitas pessoas deixarem de o utilizar será a Adobe desenvolver os seus programas para Linux também, isto claro é só a minha opinião, para mim é só o que basta para eu deixar Windows.

    Estou para ver quais são os anúncios deles nos próximos dois dias, aposto que finalmente vão anunciar a Steam Box

    • Scheldon says:

      Você aparentemente não viu o Linux mostrando o dedo do meio a nvidia por conta dos drives horrorosos que eles distribuem.

      Alem do mais a dominância do Windows se da por conta do apoio com drives e a facilidade de programação, jogos são irrelevantes para a plataforma ja que quem quer jogar compra um video game.

      • Rascas says:

        O Linus não mostrou o dedo do meio à nvidia por causa dos drivers serem maus, ou terem baixo desempenho. Apenas porque, como é codigo fechado, ele entende que a nvidia deveria fornecer mais documentação de modo a se poder melhorar a interacção com o kernel. Neste caso estava-se a falar de uma tecnologia de troca de processamento gráfico de modo a se poder conservar energia, conhecido como tecnologia optimus por exemplo intel+nvidia.

      • Ruben says:

        Não diria que são irrelevantes, seja jogos casuais a a títulos AAA há uma grande quantidade de pessoas que utilizam os computadores só e unicamente para isso.

        No meu caso utilizo tanto para trabalho como para divertimento.
        Graças à Steam ter começado a fazer jogos em Linux a Nvidia pouco depois anunciou que fez um driver para Linux das suas Gráficas GTX não sei qual o modelo mas era das ultimas que tinham saído no mercado na altura e a Nvidia afirmou (posso estar em erro) que tiveram um melhoramento gráfico de 300% tentei encontrar a noticia mas não sei onde é que a vi.

        O Sr. Linus Torvalds mostrou o “dedo do meio” , literalmente, foi mais por causa de não terem o apoio e não tratarem o Linux como o bom SO que ele é, e estarem mais virados para o mercado do Android (nisto comparando o Linux para pc com o Android).
        E até compreendo um bocado o Sr. Linus, mas é aquela coisa as grandes empresas vão para onde há mais procura como agora o interesse anda virado para Linux é óbvio que outras empresas comecem a desenvolver drivers e outro software para Linux.

        • Pedro Pinho says:

          +1
          Utilizo um computador desktop só para jogos.
          Sinceramente gostava de ver a passagem de interesse da EA, Bethesda, etc do Windows para o Linux… mas não prevejo a curto prazo isso acontecer…

          • Ruben says:

            Sim claro a curto prazo é impensável.
            Mas como a Steam está a fazer e migração para Linux muitas companhias da industria do games também irão fazer essa migração, mas vai ser muito demorado mais de 5 anos na minha opinião para ter títulos AAA em Linux

      • Carlos says:

        Os drivers da NVIDIA podem ser maus, mas sempre são melhores que os da AMD que nem sequer existem.

        • lmx says:

          boas…

          Eles existem na mesma, é mais fácil(em parte) instalar os drivers ATI/AMD, do que os NVidea, mas os drivers NVidea são melhores…porque sempre foram!!

          A AMD está a melhorar muito os seus drivers, e nas ultimas versões , estão muito melhores, o suporte para muitas coisas tem sido adicionado ao kernel 3.11,3.12, mas estes são muitos recentes e vai demorar algum tempo até que as pessoas os comecem a usar…

          Mas o suporte a Linux tem vindo a melhorar e muito depois da valve avançar, naquilo que me parece uma opção certa.

          cmps

      • CMatomic says:

        drivres da NVIDIA horrorosos ?

        Mas tu utilizas sistemas Linux ?

        Há anos que utilizo placas da Nivida e nunca tive problemas , alias funcionam também como as do windows e ate melhor em certas ocasiões , testado por mim .
        O problema do dedo trata-se simplesmente das drivers da Nvidia serem proprietárias e código fechado mas do ponto de vista de Linus Torvalds , e que foi causado por uma pergunta de alguém numa conferencia em que o Linus Torvalds participava , onde essa pessoa se queixava a falta de suporte para computadores com placas gráficas híbridas “nvidia/intel” onde a nvidia não dava suporte a esse tipo de computares com esse tipo de placas para sistema Linux .
        Só isso mesmo , mas o pessoal gosta muito de generalizar , acho injusto estar a dizer ” drives horrorosos que eles distribuem” a uma empresa que mais suporte da a sistemas linux , todos que verdadeiramente utilizem sistemas linux sabem disso.

      • darth says:

        eu prefiro jogar num pc, nao me quero restringir a “videogame” (deduzo que se esteja a referir a consolas

        muita gente é como eu. videogame nao é opçao aceitavel

    • R says:

      Entendo perfeitamente o que dizes relativamente ao Windows. Sim é uma “facada” na Microsoft, mas n serámais do que um arranhao… O windows para alem dos pcs pessoais está na maioria das empresas como SO, ou outro tipo de software. continua com muita forca!

      mas fico muito contente que se comesse a apostar mais em linux!
      ja fiz varias tentativas para ir para o ubuntu, mas no meu caso, barro nos drivers da minha ati 7970m… 🙁 quem sabe dentro de algum tempo terá suporte!

    • darth says:

      sim, porque o OSX, como sabemos, so existe e é tao popular devido aos jogos

      ha cada um

  3. Bruno M. says:

    Este definitivamente está a ser o ano do Linux um pouco ás custas do Steam!!

    Vamos a ver o que o futuro nos reserva no mundo dos videojogos em linux!

    Será desta que finalmente Linux vai ganhar (MUITO) terreno face a Windows e MAC?

    Será desta que os maiores criadores de software (Ex. Adobe) vão começar a suportar OFICIALMENTE e DEFINITIVAMENTE Linux?

    Oxalá que sim! 🙂

    • JMCS says:

      Acho que o contributo da Valve ao Linux era o passo que faltava.
      Espero que tenham sucesso com a distribuição deles!

    • pixar says:

      Acho que nenhum produto ou empresa (salvo raras exceções) se afirma de forma isolada sem ajuda ou colaboração de outras empresas.
      No caso do Windows/MSDOS não foi exceção. O seu sucesso não foi ditado a sós. Teve de ter o apoio dos fabricantes de PC.
      O Linux precisa que os fabricantes de dispositivos o instalem de raiz, bem como, as empresas de software desenvolvam software para a sua plataforma.
      Espero que o Linux comece a aparecer mais, pois não sendo perfeito, tem muito para oferecer.

  4. camsarria says:

    off topic, a crytek está a contratar programadores para linux para portar o cryengine para a plataforma, isto vai dar as ferramentas para o port com sucesso de jogos AAA ás editoras

    http://ene3.pt/crytek-quer-o-cryengine-nolinux/

    PS – Death to microsoft :pp

    Linux rules 😀

    • R says:

      nao sou nenhum defensor de nenhum SO mas “PS – Death to microsoft :pp” nao me parece bem. A microsoft como qualquer outro software tem as suas coisas boas e más, mas pelo sua historia acho que devemos estar contentes com “ela” pelas inovacoes que nos ofereceu!
      e que ao mesmo tempo serviu paro outros sistemas evoluirem e surgirem com outras inovacoes.. e por ai fora 🙂

      • lmx says:

        Boas…

        No que toca a inovações, não são tantas quanto isso…

        A unica coisa que as pessoas se sentem agradecidas , foi pela grande obra da MS que foi a democratização dos PC’s, ou seja trazer coisas baratas para a informatica…como fazem os chineses…

        Antes disto os PC’s custavam furtunas…eram so para alguns, a MS veio mudar isso, oferecendo productos mais fracos/instaveis é certo, mas muito mais baratos, e isso fez com que as pessoas podessem ter acesso a um computador, algo impensavel no passado.

        cmps

  5. sakua says:

    não gosto de jogar sosinha only play mmorpg s. and y love it.

  6. Dc says:

    O, [O ] e O+O

    tendo em conta que o primeiro é o SteamOS calculo que o segundo seja a “Steam Box”, já o terceiro é mais mais dificil de perceber se calhar um certo tipo de ligação este dois OS

  7. Nelson says:

    Ta bem, dou-lhes 6 meses… Isto é um mercado para big boys e não para amadores…

    Estamos a falar num mercado de milhões, não estamos a falar de projectos de amadorismo, e a valve tem zero de relevância no mercado da televisão (programas, networks), aproximadamente zero no mercado da distribuição electrónica (só jogos para PC), que é que ela vai fazer contra empresas como a netflix, amazon, apple, Sony, etc… Lol!

    O facto de ser linux não interessa para nada… Podem meter isso onde quiserem, o meu Raspberry Pi também é linux e é um htpc…

    • Rascas says:

      O objectivo deles não é competir com essas empresas. Será mais um solução para os amantes de jogos e uma maneira de eles de estarem menos dependentes da Microsoft. No fim disseste num dos pontos “Podem meter isso onde quiserem”

      • Nelson says:

        também não vão competir nada com a playstation, Xbox, Nintendo, não vão competir com o gaikai da Sony, nem com o equivalente da Ms. para jogar jogos as pessoas compram consolas, que são caras para set top boxes, para jogar em set top boxes existem esses serviços em teste (gaikai, por ezemplo), mas são coisas que a valve não tem dinheiro para investir, nem vai arranjar investidor no shark tank ou nos dragons den lol

      • Rascas says:

        Se têm dinheiro para investir ou não é problema deles, o facto é que estão a investir no SteamOS.

        Acho que será mais o segundo caso que referiste. Set top boxes que darão para jogar jogos tb e partilhar media com o resto dos dispositvos na rede.

    • Carlos says:

      É.

      E se começar a ameaçar a Microsoft (o que seriamente duvido, mas fácil o contrário acontecer), basta a Microsoft chegar ao pé do Sr. Newell com uma pipa de massa e comprar a Valve.

      Eu não duvido que o Sr. Newell tenha grandes princípios mas recusar mil milhões de dólares (ou mais, muito mais…) é… problemático.

      (Por acaso até duvido que a Valve esteja a seguir este caminho porque o Sr. Newell gosta do Linux e do OpenSource, eu diria que é mais porque como tanto o OS X como o Windows têm lojas de aplicações incorporadas, o Steam arrisca-se a tornar-se irrelevante. No caso do Windows ainda mais porque para além da loja, a Microsoft é um dos grandes estúdios de jogos e tem carradas de jogos exclusivos para a Xbox e para o Windows.)

      • Tiago says:

        Realmente, mandar postas de pescada para o ar sem conhecimento de causa é fácil:

        A Valve é uma empresa de capitais privados que pública os seus próprios jogos (coisa rara na indústria). Esta imbutido no espirito/missão da empresa (ver o documento de boas-vindas para novos funcionários que está disponível na net).

        Quanto ao “zero de relevância e amadorismo” da Valve que foi referido por outro utilizador, uma empresa que tem +54Milhões de clientes não se pode considerar irrelevante no mercado. Quanto ao amadorismo, só mesmo por brincadeira é que se pode referir isso. Aconselho-te a tomar em atenção ao detalhe e qualidade dos produtos da Valve. Já não para não falar na qualiadde e detalhe artistico dos jogos comparemos Origin com Steam e facilmente chegamos à conclusão que a Steam dá 10 a 0 a qualquer dia da semana.

      • Rascas says:

        Aqui ninguém está a ameaçar ninguém. A Steam está no seu direito de apresentar as suas propostas da maneira que enteder melhor (como os outros fazem) e além disso continuará a ser suportado tanto em Windows como em Mac.

        Maior escolha para o consumidor, só vejo vantagens.

        Fiquei sem perceber se achas que o SteamOS é para competir com as empresas que o Nelson falou…

        • Carlos says:

          Se achas que a Loja Windows do Windows 8 não é uma ameaça ao Steam…

          Só uma pergunta, se, como já está a começar a acontecer para já com os jogos da própria Microsoft, os jogos passarem a ser vendidos pela Loja Windows para que achas que vai servir o Steam?

          Antes de responderes toma em consideração o facto de já haver hoje uns 3 vezes mais utilizadores do Windows 8 que do Steam.

          Além disso, uma vez que tanto em funções como em performance não há grande diferença entre o Windows 7 e o 8, pelo menos nada que afete particularmente os jogos, porque é que o Sr. Newell acha o Windows 8 uma ameaça (ele disse isso literalmente), mas o Windows 7 não?

          E os senhores da Valve até podem ter princípios e gostarem de jogos e dos gamers, mas isso também o Larry “Major Nelson” Hryb tem e gosta. E como disse, se a Microsoft se chegar ao pé deles com uma data de milhões fica complicado ter grandes princípios.

          • Tiago says:

            Acho que não estão a perceber…

            a Valve estasse nas tintas para isso da concorrência e já assim o é desde que estive atento à empresa e aos seus produtos já lá vai mais de uma decada (tenho conta na Steam desde o dia que saiu fez 10 anos à uns dias justamente).
            Pode parecer fanboismo mas não é…basta verem a politica da empresa e a maneira como funciona para perceber (o próprio Economist-in-residence indica que a empresa internamente funciona de uma forma que ele descreve como Anarco-Sindicalista). Bastam pormenores como: conhecem mais alguma plataforma de jogos que: está traduzida para tudo quanto é língua? Que têm um mercado interno para troca e venda de items/jogos? Ou que tem uma workshop em que há pessoas que, como freelancers ou até a trabalhar noutras empresas da àrea, fazem mais dinheiro na workshop a criar conteudo para os jogos da steam do que nos seus empregos? Que disponibiliza uma plataforma (greenlight) para qualquer pessoa submeter os seus jogos para poderem ser comercializados na Steam? Uma plataforma que tem integrado, arte que as pessoas fazem dos jogos, guias? A ‘concorrência’ não tem metade disso.

            Ou seja, colocar no mesmo saco Valve e 99% da “concorrência”, nomeadamente os monolitos mainstream como a EA, só pode ser mesmo pura brincadeira e certamente que eles lá na Valve se estariam a rir de toda esta conversa se estivessem a ler :).

          • TuxPT says:

            Eu respondo-te o porquê do Windows 8 sim e do Windows 7 não: SecureBoot.

            Se não sabes o que é procura um bocadinho no Google e logo percebes.

        • Rascas says:

          Bem, 1º queria dizer que eu não conheço o Windows Store porque não uso o Windows 8. Acho que só está disponível para o Windows 8, e este ainda tem uma baixa cota de mercado no ecosistema Windows.

          Mas acho que de facto será um concorrente ao Steam, mais a longo prazo. Daí a Steam estar a tomar precauções e a tentar enveredar por mais caminhos.

          Agora as outras empresas acho que não.

          Em relacção á Microsoft poder comprar a Steam, acho que seria possível caso o negócio fosse bom para ambas as partes, é a lei do mercado, não perder o monopólio. Mas tb acho que as prioridades actuais da Microsoft são outras como o mercado móvel, gadgets…

    • Bruno M. says:

      As Search Engines e os seus serviços eram também um mercado para big boys, como dizes….

      No entanto, a google chegou e olha onde está agora…

      E por google, tens o android que veio destronar ou equivaler o ios da apple…

      Tens o firefox e o google chrome que veio destronar por completo a microsoft com o seu IE…

      Como estes tens muitos outros exemplos mais antigo e mais modernos.

      O facto de ser linux interessa para tudo! Já se começa a ver a luz ao fundo do tunel para finalmente, a massificação de linux de forma definitiva!

      Não tarda muito terás linux massificado e reconhecido em tudo o que é lojas.

  8. Pedro says:

    A meu ver, e esta é apenas a minha opinião, o Linux não esta mais presente nas casas dos consumidores, apenas porque ainda é algo “complicado” de manusear.
    Ou seja, uma pessoa tem o windows, coloca um CD e instala um jogo ou aplicação sem pensar, é intuitivo. No Linux as coisas não são assim, e há pessoas que não têm cabeça, ou capacidade para pesquisar por ajudas e perder tempo a aprender.
    A meu ver essa é mesmo uma das grandes desvantagens face à “concorrência”.
    Há pessoas que querem chegar ao computador e usufruir das coisas com rapidez, sem ter que pensar muito sobre o assunto, e sem ter que perceber de programação etc.

    Já dei umas voltas pelo linux, no trabalho ainda uso de vez em quando, mas sempre me pareceu um sistema mais vocacionado para quem realmente percebe de programação.

    • TuxPT says:

      Pois, isso actualmente é um engano. Basta abrir uma janela, fazer um search, e carregar no install. Feito.

      Linux não tem nada a ver com programação.

      • R says:

        éverdade, nao é ligado a programacao.
        a verdade é que as pessoas normalmente estao habituadas desde sempre, em casa, na escola, no trabalho a usar o windows e a fazer as coisas de uma certa forma.
        trabalho com tecnologia e sistemas de informacao (se é que isto conta para alguma coisa) e a verdade é que achei o linux (ubuntu) out of the box mais facil para se usar e com quase tudo o essencial para o dia a dia… no entanto dou outros exemplos, jogo LoL e no Ubuntu nao consegui meter a funcionar, o openoffice/libreoffice apesar de ser muito completo, em certos documentos perde a formatacao de documentos do Microssoft office (que sao a maioria) ainda ha falta de suporte para alguns drivers e softwares mais usados pelo pessoal chamado normal.

        • Nuno Vieira says:

          Estás a queixar-te que não conseguiste colocar a correr no linux um jogo feito para o windows? Isso é a mesma coisa que dizer que eu não consigo correr no windows algum software feito para linux. E é possível jogar o LoL no Linux usando Wine. É óbvio que este método não é suportado pela Riot.

          Em relação aos documentos de Office abertos no LibreOffice/OpenOffice aparecerem com formatação errada, o mesmo se passa com o Office quando abre documentos do LibreOffice/OpenOffice.

          É óbvio que o ecossistema do Linux ainda têm muito que melhorar, mas aos poucos se vai lá.

    • pixar says:

      Isso já foi assim. Agora, para uma utilização comum, é perfeitamente possível usar o Linux sem recorrer à linha de comandos ou programações.

    • Tiago Santos says:

      LOOOOOL, claro é que é so por o “CD” (?!?! cd :D) e instalar porque o jogo foi desenvolvido … Agora imagina que tinha sido desenvolvido para linux . . . Era só por o CD (?!?!!?) e instalar o jogo 😀 simple as that

    • Nuno Vieira says:

      Desculpa lá mas essa visão está bastante actualizada. Primeiro uma grande quantidade de software já existe nos repositórios que vem com o SO. Basta apenas procurar e instalar. Se não existir nos repositórios muitas vezes são disponibilizados links para repositório de terceiros. Se mesmo assim não houver repositórios também há quem distribua o seu software usando pacotes de software como deb e rpm, um duplo clique de depois carregar em instalar e fica tudo resolvido. Mesmo assim existem empresas que não disponibilizam nenhum dos três métodos, em grande parte dos casos as empresas fornecem um instalador estilo Windows, que é o caso de como por exemplo o NetBeans e o VMWare Workstation. Os tempos de seres obrigado a compilar um programa já acabaram há algum tempo.

      A minha mãe usa somente linux (não gostou do windows) e só começou a trabalhar com computadores a uns 4 anos. Se uma pessoa nos seus 70 anos sem nenhum tipo de experiência consegue utilizar o linux sem problemas, qualquer pessoa o consegue.

      • lmx says:

        Boas…

        Verdade.

        A minha tem 79 e usa Linux também,(ela acha o Windows muito complicado, mas eu também acho…).

        No entanto, existem duas situações…

        Se tudo correr bem, linux é basico, mas se correr mal, vai ser preciso uns truques de kungfu extra, e ás vezes algum trabalho.

        O windows é ao contrario(muitas das vezes), se correr bem, é complicado, se correr mal é mais facil que em Linux…
        Porém há coisas que são impossiveis em Windows…e essa palavra “impossivel” no linux é muito dificil de perceber…

        cmps

        • TuxPT says:

          Quando corre mal em Windows é facil porque é “formatar e instalar novamente” 😛

          • Rascas says:

            Bem é verdade que alguns dispositivos são dificeis de por a funcionar no linux, mas aqui a culpa é quase sempre dos fabricantes que não desponibilizam drivers nem documentação como para o Windows.

            No entanto a maior parte com maior ou menor dificuldade consegue-se por a funcionar. Até hoje que me lembre, na área de impressoras e afins, a unica coisa que não consegui por a funcionar foi uma copiadora profissional minolta e uma plotter que já não me lembro da marca.

            Se quiseres ajuda passa na comunidade linux do pplware e deixa mais detalhes desses problemas que tens e pode ser que eu ou alguem que te conssigam ajudar nos problemas.

            Cumprimentos

        • hilario says:

          Ora esta discussão está interessante e eu vou expor o meu caso.Uso windows há alguns anos e decidi tentar entrar no linux, e esbarrei logo com os seguintes problemas.Tenho de usar para o meu trabalho uma impressora “DYMO LABELWRITTER” drivers nem pensar.Uso uma antiga HP só como scanner, drivers nem pensar, isto é, há drivers para a função de imprimir mas nada para scannear.Tenho um sistema de som 5.1 não consigo por todas as colunas a tocar e ainda outros pequenos problemas que agora não me ocorrem.Depois a maior parte da informação sobre o linux (forums etc…) é praticamente tudo em Inglês, o que para mim ainda dá para desenrascar mas há quem não tenha essa hipótese.Portanto ,mesmo com muita vontade como é o meu caso não é nada fácil entrar no mundo Linux.

      • TuxPT says:

        Os meus putos com 4 e 8 anos nem sabem o que é o Windows 🙂 E o de 0 também vai ser assim se tudo correr bem 😛

  9. Pedro Pinho says:

    “O mundo dos jogos vai mudar-se para a TV”…
    O mundo dos jogos já existe na TV desde a Atari 😀 antes de 1980 🙂

  10. kkcoisa says:

    O linux precisa é de se manter numa só versão e não em centenas. Cada uma é dif da outra e assim ninguémse entende. Criem um para servideres o outro para utilizadores domesticos.É o problema de ser livre. Todos fazem o que querem. Pode ser livre mas ser uma companhia unida.

    • Bruno Jesus says:

      Ai é?

      Então imagina que a Ford (Linux) agora só passava a fabricar Mustangs (Desktops) e Transits (Servidores)…

      O António só quer o carro para ir de casa para o trabalho e gosta muito da Ford mas o Mustang (o unico carro que a Ford fabrica) bebe muito e é um carro pouco prático para andar na cidade, o que lhe dava jeito era um Fiesta mas a Ford deixou de o fazer para se focar no Mustang.

      Percebes o que quero dizer?

    • TuxPT says:

      Linux não é uma companhia, logo a partir daí não há como impor controlo sobre isso como dizes.
      Depois, a diversidade é boa porque assim tens mais por onde escolher (bem, há pessoas que não gostam de escolhas, mas pronto). Escolhes a distro que queres e gostes e usas durante o tempo que quiseres. Se entretanto te fartares, muda, o que não falta para aí são distribuições 🙂 Umas dão mais trabalho que outras, mas todas têm a mesma funcionalidade.

  11. Carlos says:

    Vai mudar?

    Já há consolas de jogos que se ligam à televisão há *literalmente* décadas.

    O ZX Spectrum ligava-se a uma televisão. O C64, o Atari ST, o Amiga, idem.

    Vai mudar? Em que sentido da palavra “vai”?

    Primeiro, não deixa de ser engraçado que todas as “vantagens” da SteamBox fossem “desvantagens” na Xbox One. Curioso como basta mudar *quem* faz uma coisa para ela ser considerada “boa” ou “má”. Enfim…

    Além disso, toda a gente, com a possível exceção da Nintendo, tem prejuízo a vender consolas. O truque está na venda de jogos e serviços extra.E não estou a falar de pequenas perdas, globalmente a Microsoft tem um prejuízo de mais de mil milhões de dólares com a Xbox e a Sony mais cêntimo menos cêntimo também. A Valve vai conseguir suportar o prejuízo da SteamBox com outras fontes de rendimento? A Valve tem onde ir buscar mil milhões de dólares todos os anos para enterrar numa consola? A Sony e a Microsoft têm, mas pouca gente tem…

    E bom, se o GTA 5 fosse exclusivo para o Steam, teria vendido o que vendeu? E mais, nem todos os jogos estão no Steam, especificamente os da Electronic Arts. Aliás, o GTA 5 *não* está disponível no Steam.

    A ideia da Valve é obrigar-me a instalar um sistema operativo ou vender-me uma consola na qual depois não posso jogar ao GTA, ao Battlefield, ao Mass Effect, etc. etc.?

    Sim, tem tudo para ser um sucesso!

    • Nuno Vieira says:

      Qualquer um dos ZX Spectrum, Commodore ou Atari que te estas a referir são computadores pessoais, não são consolas. Como é óbvio estou a excluir as verdadeiras consolas como o Amiga CD32, Atari 2600,…

      Então quer dizer que não existe nenhuma vantagem em comprar a PS porque apenas existe o Gears of War, Halo,… na Xbox. Por outro lado também não faz sentido comprar uma Xbox porque não posso jogar o Gran Turismo, God of War,… a não ser na PS. Lógico…

      • Carlos says:

        Com a PS4 e a XB1, a linha entre “consola” e “computador pessoal” e “centro de entretenimento” começa a esbater-se. Principalmente (pelo menos com o que tem sido anunciado) com a XB1.

        E eu também falei em consolas.

        E se é verdade que o Spectrum era um computador pessoal, também há o facto da maior parte das pessoas que tinham um só saberem um comando do ZX BASIC, o famoso LOAD “”

    • JP (djlinux) says:

      A Valve ainda só anunciou um SO… Nada mais, correto?

      Então porque isso tudo? Mania de crucificar algo que ainda não se sabe nada a não ser que o SO é baseado em Linux.

      Se realmente lançarem um consola, onde exista ligação, tudo o que tenho no Steam no PC tenha também numa consola ligada a uma TV, claro que quero. E não esquecer que só porque a consola é baseada no Linux que os outros ficam de fora… É igual tanto para quem tem Windows ou MAC ou Linux… Desde que tenha Steam.

      • Carlos says:

        A questão:
        “A ideia da Valve é obrigar-me a instalar um sistema operativo ou vender-me uma consola na qual depois não posso jogar ao GTA, ao Battlefield, ao Mass Effect, etc. etc.?”
        mantêm-se.

        Porque raio irei instalar um sistema operativo inteiro, com todos os riscos inerentes a uma operação dessas e com o trabalho que dá, para jogar ao Half Life 3 (partindo do princípio que será exclusivo para o SteamOS) que não duvido que vai ser um jogão, mas no qual depois não posso jogar aos outros jogos todos que já tenho (incluindo vários no Steam) e que garantidamente não vai dar para jogar o futuro Mass Effect (o único lançamento futuro que realmente me interessa)?

        Eu até percebo que para um super fã da série Half Life, ou para aqueles que têm uma consola de cada, até façam isso, mas isso é uma minoria.

        • JP (djlinux) says:

          Percebo Carlos, só acho que te estas a precipitar. Ainda não se sabe nada. Olha o coração Lol

        • TuxPT says:

          Acho que não percebeste mesmo. O anuncio foi do SteamOS (amanhã haverá outro). Irá ser um sistema operativo que tu instalas num PC de sala ou que vem instalado numa SteamBox (especulação). *Todos* os jogos que já alguma vez na vida compraste no Steam *vão* estar disponíveis no SteamOS.

          Exclusivos SteamOS? Poderá haver, para tentar difundir a coisa, mas nunca o serão por muito tempo, e pessoalmente não acredito que a Valve faça uma coisa dessas. A Valve é muito pro-PC, e a SteamBox é uma extensão do teu PC, não uma consola como estamos habituados (sistema estanque).

  12. jesus says:

    Hummm RPi Steam tb era bom.

  13. JP (djlinux) says:

    Acho que se estão a esquecer de uma coisa…

    “Os criadores de conteúdo podem ligar-se diretamente com os seus clientes. Os utilizadores podem alterar ou substituir qualquer parte do software ou hardware que desejarem. Os jogadores terão a capacidade de unir forças no desenvolvimento dos jogos que adoram.”

    Que outras consolas permitem alterar sem qualquer problema tanto o SO como o Hardware?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.