Quantcast
PplWare Mobile

Cataclysm atingiu a Fnac do Colombo!

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Paulo Silva


  1. Joao Reis says:

    Estão todos brancos como a cal, vão entender mais para a frente o tempo perdido nesta “droga” será nulo para as suas vidas.

    Acho bem jogar, mas este tipo de jogos é mto fácil ficar viciado e os que têm mais fraquezas mentais, acabam nisto. Tal como a droga.

    Pensem nisto como critica mas como conselho. Se jogarem 2 ou 3 horas por dia não é dramático mas mais que isso, perdem um Mundo Novo a vossa beira…com mtas oportunidades.

    • dajosova says:

      Compreendo, respeito e partilho em parte do seu comentário, exceptuando que, na minha opinião, 2-3 horas diárias é um exagero!

      Os que são novos perdem tempo para estudar e brincar em coisas mais saudáveis…

      …os que são mais velhos perdem boas oportunidades de se enriquecerem mental, financeira e familiarmente!

      Independentemente do jogo ser bom ou não, o mais certo que se pode dizer aqui é que vivemos demasiado as coisas materiais e gastamos o nosso tempo como se fossemos imortais!

      Abraço

    • aka says:

      Vida não é viva sem experiências, virtuais ou não.
      Não percebo como as pessoas tem moral para falar de tempo perdido quando se rendem aos costumes da sociedade moderna em trabalhar 8-10 horas diárias (que infelizmente, salvo raras excepções, é necessário) quase nem tendo tempo para a família de tão ocupados que andam, de terem hábitos completamente nocivos para a saúde como tabaco e uma alimentação completamente desequilibrada, isso tudo contribuindo para uma esperança de vida mais baixa.
      E criticam alguém que usufrui de um algum tempo de lazer (jogando um jogo neste caso).
      Nada diferente de alguém que prefere estar num sofá a ver uma boa serie/filme, ou ir ao café com os amigos ao final do dia, etc.
      As pessoas “mentalmente pobres” perdem-se seja qual for o motivo, muitas vezes em coisas triviais à sua volta.
      O WoW é um jogo acessível a uma vasta gama de jogadores por estar adaptado indirectamente a todas as dificuldades (Daí a popularidade), passando pelos jogadores que nunca tiveram muito jeito para grandes desafios, passando por aqueles que apenas querem passear no ambiente do jogo conviver e/ou relaxar jogando casualmente no seu tempo livre, ou como jogadores mais competitivos que impossível não existe no dicionário deles.
      Argumentar que é um desperdício de tempo é errado, todas as pessoas podem aprender qualquer coisa com todas as suas experiências (e o WoW não é excepção) desde que estejam de mente aberta.
      Porque para outras pessoas, nem a ler um livro com informação pura vão aprender alguma coisa.
      Ter uma mente aberta é a chave.

      • CMB says:

        Apesar de não ser jogador do WoW, concordo plenamente com tua introspecção

      • dajosova says:

        Balelas… o que se está aqui a discutir (e n importa a moral, cada um tem a sua..) é a ideia de que aquilo que feito de vez em quando não tem problema nenhum… mas repetido muitas vezes torna-se um mau hábito ou vício e isso não é bom.. ponto.

    • miguel simões dos reis says:

      Tenho 20 anos e sou estudante de Engenharia electrotécnica e computadores,concordo plenamente com a sua opinião,vejo colegas meus que perdem horas de estudo “à pala” destes joguinhos,ao invés de estarem por exemplo a programar ou a estudar e depois queixam-se.
      Cumprimentos!

  2. Eradication says:

    Posso falar por experiência própria joguei 5 anos , e sinceramente foi daquelas coisas como jovens que fico chateado não me arrependo porque diverti-me mas abusei e perde-se muita coisa da vida nem que seja um simples café …

  3. Fonseca says:

    Sinceramente os vossos comentários não fazem sentido. eu jogo. eu saiu. nao sou um branquinho, e secalhar até me divirto mais do que vós.

    mas opinioes sao opinioes. por isso eu nem ligo =)

    Cataclysm ta abusado =D

  4. Tono says:

    Com tanta Crise, com tanto Desemprego, em especial entre os jovens, gostaria de saber onde esta gente vai buscar o dinheiro para estas porcarias que enchem os bolsos aos “grandes espertos”. Das duas, uma: ou esta gente tem ganhos extra ou andam a receber ilicitamente subsídios pagos por quem trabalha e paga Impostos. Que alguma coisa está podre, lá isso está!

    • RaCcOn says:

      Já pensaste na hipótese de eles devido ao facto de desejarem ter o jogo em questão e também devido a terem um prazo “limite” (A data de lançamento), estabelecem o objectivo de ter dinheiro para o comprar e comprometem-se com ele?
      Independentemente de terem rendimentos extra ou estarem a receber subsídios(Se for ilicitamente o assunto já é outro, mas apenas os condeno por receberem ilicitamente), estão a movimentar dinheiro o que é bom para a economia…

      Já a muitos anos que não tenho o habito de jogar, seja online ou não…mas já joguei e muito mesmo…
      Ás vezes sinto o bichinho, ainda estes dias estava mesmo quase quase para comprar uma PS3, no entanto para que?Não tenho tempo para usufruir da mesma…
      Cada um tem a sua definição de felicidade, esta pode ser a das pessoas que foram adquirir o jogo no seu lançamento…e contra isso, nada.

    • aka says:

      Tanta raiva por 35€ de entretenimento, quando vejo centenas de euros a esfumaçarem-se (ás vezes literalmente) em porcarias. O Tabaco apenas como um dos inúmeros exemplos.

      • André Costa says:

        Estavas tão bem aka (não estou a ser irónico, estou a falar bastante a sério), mas estragas-te tudo quando falas-te do tabaco…
        Peço desculpa, mas não me contive, porque parece que o tabaco vem sempre a baila, como fosse o “patrão” dos vícios.
        Estou de acordo com toda esta gente, excepto, que gostaria que gostaria de deixar uma palavra: moderação.

        Tal como muitos de vós já joguei esse tipos de jogos, já fumei que nem um cavalo, já bebi que nem uma esponja e quem sabe outros vícios…
        Na vida meus caros, o que deve existir é bom senso e honestidade. Não venham com coisas do género: “E porque a coisas piores como o tabaco e que se gasta noutras coisas piores”; todos nós temos vícios. E nenhum vicio é bom (exceptuando o sexo, mas até esse, tem limites do bom senso “super-homens”). Uma pessoa que fuma um maço de tabaco por dia, é viciada (eu fumo), sou viciado – consequência: cancro do pulmão, mais cedo ou mais tarde; conheci as melhores pessoas da minha vida quando comecei a fumar. Por isso, admitam que são viciados, porque vocês próprios sabem, não há mal nenhum. Uma pessoa que joga mais de 3 horas por dia, é viciado, mas como qualquer vicio, tem o seu lado bom e mau (o mau, acaba sempre por vencer passado algum tempo).

        Isto não é criticar dizendo mal, ou bem, mas sei que um dia muitos de vós compreenderam o que acabei de dizer.

        Abraço aí e bons vícios 😉

        • Diogo says:

          Até nem costumo comentar mas só em relação ao tabaco..

          Tenho amigos que há muitos anos só de ouvir falar em tabaco enojavam-se todos. Hoje em dia é praticamente um maço por dia.. e agora quem se enoja sou eu. Tens que perceber que é normal que o tabaco venha à baila.

          Se fores viciado em alcoól a tua vida não é a mesma, ficas bebado não consegues trabalhar, não falas da mesma maneira etc..

          Se fores viciado em drogas, a tua vida não é a mesma, ficas tão fod*** que não trabalhas, etc..

          Se fores viciado em tabaco.. nada disto acontece. Mas morres tanto por dentro.. tanto. O tabaco é dos vicios mais mortiferos e silenciosos. Aqueles cigarros todos que vejo a serem fumados diaramente são uma estupidez. Preferia que os 3.50€ diários fossem gastos em cerveja, ou num bom vinho ao jantar ou num melhor pequeno almoço ou .. ou ..

          Não defendam o tabaco. Não há maneira de o defender. É um vício ridiculo e pronto.

        • aka says:

          Sim isso é verdade, a moderação é regra de ouro em tudo.
          Eu mencionei o tabaco por duas razões:
          1º É o exemplo mais comum de um habito 100% maléfico.
          2º É uma vendetta pessoal 🙂
          (Sim eu já fumei e gostei)

          Mas no fundo o que mais prezo é a liberdade pessoal.
          Coisa que felizmente ainda não desapareceu neste país

          Relativamente a € esfumaçados acho que devia ter mencionado era submarinos, aí acho que todos concordávamos 😉

          Nota: Eu não chamo vicio porque acredito que qualquer um tem a capacidade o largar quando perde o interesse pessoal.
          Resumindo, larga isso André 😛

          • André Costa says:

            Um dia quem sabe Aca! LOL

            Mas olha, pior que o vicio do tabaco é o alcool. Já vi pessoas destruirem-se com esse vicio. É que o tabaco destroi pulmões. Nunca vi destruir familias, empregos, amigos,…

            Emfim… (gostei das dos submarinos).

            Claro que uma boa bubadeira nunca matou ninguem. Mas lá está, uma de vez enquando. Agora ver pessoas todos os dias…

        • RaCcOn says:

          Não deveria de todo estar a comentar isto até porque não tem a ver com o assunto, pelo menos directamente…
          Todos nós independentemente da idade, raça ou nacionalidade…uns são mais ou menos prejudiciais que os outros e como disseste todos eles tem consequências, geralmente más como todos os vícios.

          No que diz respeito a fumar, eu pessoalmente não fumo nem nunca fumei na minha vida visto que nunca me puxou para tal, no entanto como todos os outros tenho vícios.
          Daí nada a condenar ninguém que fume…
          Mas que ao menos estejam conscientes das suas consequências.

          Fumar mata silenciosamente e é mais prejudicial que determinados tipos de drogas, no entanto isso nem é o pior…
          Prejudicar-nos a nós pelas nossas atitudes é naquela…prejudicar os outros é que não…

          Imaginem as pessoas que como eu não fumam e que não suportam tabaco…
          Imaginem as pessoas que gostam de vocês que gostariam de vos ter durante mais uns anos por cá…
          Imaginem essas mesmas pessoas e outras que devido ao tabaco mais tarde poderão correr o risco de vos ver em sofrimento e que vão sofrer a par com vocês…

  5. António says:

    # aka

    No geral compreendo o teu ponto, mas é bom não descurar o lado viciante da coisa… (quanto ao “mentalmente pobres”, nem comento).
    Quanto ao “..rendem aos costumes da sociedade moderna em trabalhar 8-10 horas” isso diz-me que ainda não entraste ou estás agora a entrar no mundo do trabalho… estou errado ?

    • aka says:

      Não posso dizer que já trabalhei uma vida, (apenas 10 anos).
      Mas olhando para trás pareceu realmente uma vida (Quase) desperdiçada, não digo que não teve os seus bons momentos.
      Mas continua a ser um mal necessário, não desgosto do meu trabalho apenas gostava de ter a liberdade de o fazer por opção quando quisesse.
      Quanto aos “mentalmente” pobres era uma referência à expressão que o João Reis usou “com mais fraquezas mentais” e que infelizmente ele até tem a sua parte de razão, existem pessoas neste mundo que simplesmente é impossível arrancar algum bom senso.

  6. Vasco says:

    Sucesso… Pode-se dizer que sim… 5 cosplayers para 3 prémios xD devia ter-me vestido de Putridus – e uma audiencia semi anormal que tudo o que sabia dizer era “eish! akilo foi erótico!” a uma elfaa declamar.
    (sim, cataclysm tá abusado, e sim, ignorei os comentários acima, aos quais apenas quero deixar dois comentários contraproducentes: não são só 35€, é também a mensalidade, e sim, o tabaco deve ser a mãe de todos os vícios e faz gastar BEM mais que o WoW – Isto vindo de um jogador há 6 anos, e fumador.)

  7. Peter says:

    Realmente, penso que o tabaco e um videojogo, o único termo de comparação que poderão ter é o facto de ambos serem vícios. Nas restantes matérias penso que não faz grande sentido. Sim porque a meu ver, e não deixa de ser a minha opinião, criada através daquilo que vejo e leio, o tabaco não só faz mal a quem fuma, mas a quem está em seu redor, o tabaco não só gera cancro, como dá conta dos dentes, da mau hálito, suja tudo e deixa cheiro em tudo o que chega perto.
    Não há hipótese, o tabaco é bem pior que um videojogo, pois este ultimo, para já tem uma taxa de mortalidade muito mais baixa, depois só cria problemas “se criar” a quem joga, e em termos de problemas físicos é capaz de criar alguns problemas a nível de visão.
    Enfim, em relação ao jogo em si, não sou grande fã de jogos online, pois não tenho tempo nem paciência para estar “preso” ao jogo. Gosto de jogar, quando me apetece, como me apetece e onde me apetece, sem ter de estar a pensar que se não estiver a jogar estou a perder isto, ou não estou a evoluir e coisas assim.
    Há bem mais coisas para fazer além de jogar, há muita coisa por esse mundo fora para fazer, e até mesmo em casa!!! Mas como costumo dizer, e como já li aqui, a moderação é a palavra chave, o que é de mais enjoa.

    • Joao Reis says:

      Esqueçam a discussão, o que estamos a alertar só vai fazer sentido e compreensão quando deixarem o jogo.

      Eu sei do que faço, há gente a jogar 6 ou mais horas por dias, miudos é certo mas vai afectar lhes a vida social e inter-pessoal no futuro. Tentem argumentar para onde quiserem, eu falo dos casos extremos que é a maioria. È um jogo mto fácil de ser jogado, e como define objectivos fáceis, só depende do número de horas, torna-se fácil também viciar, é demasiada facilidade…como a droga.
      Ignorem este comentário e tornem a ler quando saírem do jogo.

      Cumpts

      • Peter says:

        João Reis, mas eu estou de acordo com a sua opinião, não penso que seja minimamente saudável estar tantas horas em frente a um videojogo. Não sou a favor dessa situação nem nada que se pareça, aliás no final do meu comentário referi isso mesmo.
        Agora, também referi e isso mantenho, que o tabaco é bem pior do que qualquer tipo de videojogo.
        E neste campo já sou eu que digo para ignorarem esta parte e voltarem a ler quando deixarem de fumar;)

        Cumprimentos

  8. zeras says:

    Comentário removido porque… porque é parvo!

  9. Chatmais says:

    sou jogador de wow à cerca de 2 meses e é uma experiencia incrível, como tudo na vida é preciso moderação e não passar 20 horas por dia em frente em pc a jogar, para mim o jogo do seculo que envolve milhões de pessoas a jogar

    aproveito para publicidade 😛 (se me deixarem)

    Visita o Chat

  10. Tiago says:

    Para quem diz que jogar é uma perda de tempo, eu que jogo desde os 3-4anos ainda me lembro da altura em que o puzzle bubble era viciante, ainda hoje, com 19anos de idade, jogo a volta de 6-8horas por dia. Neste momento tenho várias ideias que quero por em prática sobre criação de jogos, a interacção do utilizador com a interfaçe, o estilo de jogabilidade, a custa disso vou aprendendo mais sobre linguagem programação, criação de imagens, modelação 3D, etc.
    Eu admiro bastante quem cria jogos indie, já eu sozinho sinto que é uma tarefa muito complicada mas mesmo assim tenho de seguir em frente.
    Agora lá porque o fulano xpto jogue 14horas por dia não quer dizer que seja desperdício, em USA há pessoas que eu conheço que são pagas 400$ por semana para estarem 8horas por dia a jogar, em troca têm de bater certos recordes.

  11. Game Master says:

    É so dor de cotovelo. quem dera a muitos daqui curtirem tanto como eu, e eu jogo! saiu mais a noite do que a maioria aqui. e não é ir ao cinema ou shopings ROFL. World of Warcraft FTW 🙂

  12. zeras says:

    é por isso que este País não evolui.
    É só colados nos jogos. Depois vem queixar-se que não há emprego nem produções.
    Enfim triste gente

  13. woot says:

    Este tipo de jogos são demasiado viciantes. Deveria de existir um limite de horas diárias. É impraticável… infelizmente :\

  14. Alright says:

    Boas,

    Bom post.
    Um jogo muito fixe, mas mais interessante é:

    – GAJAS depois não se queixem! 😀

  15. Kevin Oliveira says:

    É tudo uma questão de bom senso.
    Eu joguei 5 anos.
    Durante esse tempo, terminei uma licenciatura, comecei a trabalhar, e agora estou a terminar outra.
    Nunca reprovei e só parei de jogar agora porque sabia que Cataclysm e exames em janeiro não são compativeis. Fora isso, consigo conciliar muito bem. Tenho tempo para amigos, ginásio, desporto, praia, alimentação e ainda fazer uns dungeons. 🙂

    Mas que há muito pessoal que tem hábitos nocivos para a sua saúde fisica e mental à custa do wow, isso há. Mas isso é como tudo.. há que saber temperar as coisas.

  16. Ana says:

    Boa tarde !
    Gostaria de saber, se podem disponibilizar as foto que estão aqui no site, por e-mail ?

    Obrigada

  17. pedro says:

    eu nunca fui fa deste jogo nem deste tipo de jogos, e admiro os “colados” que dizem ignorar os comentarios da vida real, e que curtem e etc, ser um parasita da sociedade deve ser realmente interessante, não fazerem nada a não ser jogar lá no mundo virtual, não fazer produção pessoal nenhuma, andar a comer a pala de pais e etc, como infelismente tenho o caso, de uma inutil de 23 anos, que passa o dia ate as 5 da manha colada a jogar isso, e acorda as 3 da tarde e não tem trabalho, não faz tarefas domesticas, limita-se a comer e a jogar , acho que é uma tristesa ser-se inutil ser sinonimo de rebeldia e de “fixe” a mente humano é muito deprimente

    • Dr Phil says:

      Parece-me é que anda para aí um caso familiar mal resolvido… e olhe que a culpa se calhar não é só do jogo!

    • tek says:

      Desculpa que te diga mas é errado afirmar isso e sinal de quem posta e não lê os outros posts.
      Sim é verdade que existem pessoas assim.
      Eu pessoalmente também conheço uma pessoa com uma descrição assim estupidamente semelhante.
      Mas isso é da mentalidade de cada um, ele já era assim muitos anos antes de existir o world of warcraft mas com outro tipo de vicio e/ou jogo completamente diferente.
      Simplesmente o bom senso é necessário para tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.