Quantcast
PplWare Mobile

Já pode descarregar a nova tabela da ADSE! Saiba o que mudou

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Pe@ce says:

    Já agora podem informar sobre as tabelas da Médis?

  2. Rui says:

    Não deixa de ser admirável o actual governo da geringonça de esquerda/extrema-esquerda e terem um sistema de saúde para terem descontos nas instituições privadas!!!!!!

    Estes geringonça não são contra tudo o que é privado? E porque têem um sistema de saúde paralelo ao SNS que é público? Não confiam no SNS?

    E porque é que não existe um só sistema único?

    Mas estas dúvidas podiam ir mais longe, por exemplo perguntar porque é que os rendimentos mínimos são pagos por descontos da Segurança Social, mas quem desconta para a CGA não paga um cêntimo para os subsídios…… atribuídos por funcionários públicos (trabalhadores da Segurança Social).

    Um país de muitas contradições!!!!!!!!

    • Bruno Ferreira says:

      Não sei se sabe mas a ADSE e outros subsistemas não são gratuitos. São pagos pelos funcionários públicos, nenhum cêntimo ao contribuinte típico. Cada FP desconta 3.5% do seu salário! Mas que descontos?! Eu pago 800€ por ano e se gastar 70€ num ano é muito. Quanto à CGA desconta-se 11% em detrimento dos 10% da segurança social. Portanto, é na prática um subsistema como outro qualquer, que se paga para o ter e que não dá despesa ao estado, apenas lucro! Informe-se antes de comentar. Não confunda FP com membros do governo, estes sim têm tudo de mão beijada, incluído reformas, subsídios, ajudas de custo e subvenções e por estarem 4 anos num poleiro muitos deles uma reforma antecipada entre outras regalias.

      • Ricardo says:

        Indica-me um seguro privado com as mesmas características da ADSE e mesmo preço claro. Não tem. E a adse é suportada apenas e só pelos seus contribuintes? Deve ser deve, tanta gente ai com ADSE a fazer gastos a dar com pau, quem tem a ADSE é o pai, mas quem usa é o pai, a mãe, o filho, a filha…

        • Elisabete Sá says:

          Engano seu, a se tiver a trabalhar tem o seu regime de saúde e a ADSE não paga nada. Quanto aos filhos, se fizerem opção pela ADSE têm direito até aos 24 anos se estiver a estudar e tiverem rendimento

      • Miguel says:

        Não há justificação possível, não te esforces, existir diferenças no publico/privado não fazem sentido..
        Mas sejamos realistas, se a ADSE fosse para todos o serviço seria ainda pior e seria o mesmo que não ter, apenas descontaríamos…

      • Pe@ce says:

        Uma correção, no privado pagamos 11% (e não 10% como dizes) para a segurança social, e o empregador paga outros 23,75%.

        • Elisabete Sá says:

          Os descontos que se fazem para a Segurança Social (11%), não são para o Serviço Nacional de Saúde-SNS. Ninguém desconta para o SNS, mas os Funcionários Públicos descontam e os Bancários também. Os Ctt e a EDP, também têm descontos especiais para a Saúde e com melhores regalias.
          Acho que andam muito mal informados…

      • Rui says:

        Não é verdade o que afirma. Eu desconto para a SS desde 2000 e posso garantir-lhe que sempre paguei 11% para a SS a somar aos 23,75% que paga a entidade (ao todo são 34,75% sobre toda a massa salarial), ao contrário, os funcionários públicos descontavam até 2011 só 10% para a CGA + 1,5% para a ADSE! E chegaram a pagar só 1% para a ADSE + 10% para a CGA. Não invente!!!!!

        Como é que eu sei isto? Porque trabalho numa instituição ligada ao ensino em que uns têem direito a ADSE + CGA e outros é SS e mais nada e sem bem das desvantagens!!!

        Aliás quem diz que a ADSE tem muitos defeitos, abdiquem que não é obrigatório!!!!!!!!

        O que não faz sentido é uns terem mais direitos que outros, isto não é uma democracia!!!!!! Já nem refiro a idade de reforma da CGA em comparação com a SS que é outro escãndalo!!!!!!!

        Mas para mim mais escandaloso é existirem profissionais de saúde que trabalham no SNS e depois têem as consultas nas clínicas e hospitais privados ….. desviando clientes ao estado!!!!!!!

        • Elisabete Sá says:

          Esquecem-se de dizer que os Funcionários quando descontavam 1% para a ADSE e 2002, também descontavam 1% para o Montepio.
          Andam muito mal informados…

      • Luís Costa says:

        Diz-me um seguro de saúde privado que pelo dinheiro que os FP pagam tem tantas benesses como a ADSE.. fico a espera, mas sentado

        • Vedder says:

          Carissímo, caso não saiba há vários concursos ativos para trabalhar na função pública, concorra!!! Mas deixo-lhe aqui dois pequenos avisos: primeiro, tenho 16 anos de serviço, entre o meu primeiro ordenado e o último tive um aumento de cerca de 20€. Segundo, prepare-se para ouvir “bocas” de alguns iluminados que não sabem do que falam!!!

          • Duarte says:

            Mas convém não esquecer que no dia em que se reformar vai receber 90% do seu salário e os trabalhadores do privado nem 50% recebem

    • Aster says:

      Santa ignorância…..

    • Spirit says:

      Sabe que cada funcionário paga 3,5 % do seu ordenado mais a comparticipação?

      • Rui says:

        Desde quando sabe?
        É que até 2011 só descontavam 10% para a CGA + 1% para a ADSE! Ou não sabia!!!!!
        Veja o que escrevi em cima e diga-me lá que argumentos tem para este escândalo que é o Estado confiar tanto no SNS que impinge aos privados com a SS e permite aos seus funcionários terem ADSE para irem a instituições privadas e depois vêm o PS, BE e PCP criticarem os privados. Ide gozar com o C……

        Quantos euros dão os funcionários públicos que descontam para a CGA para os rendimentos mínimos, sabe? E sabe quem atribui os rendimentos mínimos? São os funcionários da Segurança Social não são? QUe descontam para a CGA!!!!!!

        Isto é um pagode!!!!
        A única esperança é que os novos funcionários públicos já descontam para a SS e ou há para todos ou não há para ninguém!!!!!!

        Olhe e funcionários públicos reformarem-se com menos de 50 anos? Sabia? E não são políticos, veja GNR hoje com 60 e picos anos e reformados à 20 anos!!!!!!!

    • B@rão Vermelho says:

      E se não fosse a ADSE, muitos dos Hospitais e clinicas privadas já estavam fechadas, são uma autentica boia de salvação para muitos.
      Eu como doente crónico não dou lucro nenhum a ADSE, mas a minha esposa vai ao médico de anos a anos, para felicidade dela não necessita de grandes acompanhamentos e o que pagamos com os nossos descontos dava para um supere seguro.
      Agora o que acho que se devia de controlar são aquelas pessoas que marcam as consultas médicas e não aparecem esses sim, deviam de pagar a totalidade da consulta.
      A mais de 20 anos que tenho consultas com regularidade e nunca faltei a nenhuma.

  3. DJNG says:

    Já agora podes dar-te ao trabalho e procurar???

  4. Miguel says:

    A Basuca europeia era para isto, não para linhas de comboio, estradas e TAP…..
    Deviam levar uma castanhada….

  5. Miguel Portela says:

    Grupos Privados de Saúde a chorar em 3, 2, 1…

  6. Vitolas says:

    Vivemos em um pais de portugueses de primeira e portugueses de segunda, os de primeira tem ordenado mínimo mais alto, trabalham a grande maioria em part-time, têm a media de ordenado e de reformas mais altas, descontam 3.5% do ordenado para terem acesso a serviços de saúde a preços estupidamente low cost onde podem “enfiar” lá familiares diretos (e ainda se choram de o pagarem quando ironicamente podem não o fazer prescindido da regalia o que, curiosamente ninguém o faz).
    Depois temos os de segunda, com ordenado mínimo mais baixo que os outros, que para ganharem menos tem de trabalhar 40 horas, com reformas e ordenados médios consideravelmente mais baixos e que, nem que paguem metade do ordenado conseguem ter um seguro de saúde que se aproxime minimamente do que é a adse.

    Temos também a facilidade que um FP tem no acesso a por exemplo ao credito a habitação quando comparado a um trabalhador do privado mesmo que, o segundo ganhe mais que o primeiro, a questão de basicamente não poderem ser despedidos o que explica em muito a miséria de qualidade de serviços públicos que temos.

    E tudo isto se acentua em governos de esquerda que, são um manto protetor para a função publica, com o aval do PCP (felizmente um partido em vias de extinção) fazendo ou não parte do governo com o seu papel que defende os trabalhadores que infelizmente na visão deles os mesmos são só os FP.

  7. Elisabete Sá says:

    Sim, vivemos num País em que cada um puxa a brasa à sua sardinha…
    Em vez de, andarmos a desdenhar do que os outros conseguiram, devíamos lutar para que os que não têm, pagassem para ter.
    Na função publica também há muitos funcionários com o ordenado mínimo e fazem descontos de 3,50 para a saúde, enquanto que na Segurança Social, ninguém desconta para a saúde e tem taxas + baixas a pagar quando fazem exames diagnóstico (RX, ecografias…) e nas análises.

    • Rui says:

      Não é verdade o que afirma!
      Quem recebe o salário mínimo, se for funcionário público ou vai ao SNS ou vai a qualquer instituição privada, provavelmente servido pelo mesmo Médico de um Hospital público (eticamente reprovável, não se passa numa empresa privada). O funcionário privado paga o mesmo ou mais do que o funcionário público e não pode escolher quem o atende nem quantos anos tem de esperar para ser consultado.

      O que é justo para a Elisabete é um funcionário público que desconta para a CGA estar de baixa e receber entre 81 e 100% do salário e o colega funcionário público mais recente que desconta para a Segurança Social receber pela mesma baixa 65% no 1º mês e 75% do salário a partir de 30 dias! Isso é que é justo para sí, não?

      Para sí também é justo a Segurança Social pagar todos os rendimentos mínimos e rendimentos dos refugiados e que por ironia são atribuídos por funcionários públicos que trabalham na Segurança Social mas que descontam para a CGA, quando a própria CGA não dá 1 tostão para esses subsídios da carreira não contributiva!!!!

      Ou é justo que alguém que desconte para a CGA reforme-se mais cedo do que qualquer trabalhador que desconte para a Segurança Social?

  8. Elisabete Sá says:

    Rui, não misture saúde (ADSE e SNS) com Aposentação e Segurança Social.
    O que não acho justo é a malta andar a desgastar-se com esta “guerrinha” que não leva a lugar nenhum.
    Seria melhor lutarmos por termos todos as mesmas regalias e deixarmos de votar em partidos que não fazem nada a nosso favor, apesar de prometerem…
    Não acho justo e nem concordo com rendimentos mínimos e de inserção. Para mim, justo seria terem empregos dignos, apesar de saber que muitos não querem trabalhar, pois preferem receber subsídios.

  9. Elisabete Sá says:

    Rui, recebi hoje a newsletter da Adse que diz que todos os funcionários públicos, mesmo que descontam para a Segurança Social, podem descontar para a ADSE e beneficiar das, ditas cujas regalias, de que tanto falam. Claro está terão que descontar os 3,5% e muito não querem. Consulte: https://www2.adse.pt/beneficiarios/adse-consigo/

  10. Maria Guedes says:

    A ADSE não é propriedade do Estado, mas sim dos funcionários públicos, que pagam para isso.
    Os privados não pagam nada para ter um subsistema de saúde.

    • Elisabete Sá says:

      Maria Guedes,
      é isso mesmo. O problema, está que o Governo, utiliza o dinheiro que pagamos para sustentar o SNS, pois ninguém paga para isso. Agora a ADSE fez cortes drásticos nas convenções que tinha com os Hospitais privados e quem está a pagar somos nós.
      Além disso, não actualiza a tabela das comparticipações directas aos Beneficiários desde 2004. Desde 1993 que não actualiza a tabela de estomatologia e não beneficiamos do “cheque dentista” como os utentes do SNS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.