PplWare Mobile

EUA: É o fim da neutralidade da Internet! E agora?


Autor: Pedro Pinto


  1. Danny says:

    Em Portugal, basta nao aceder a esses “pacotes de serviços ” ao qual apenas podemos aceder de forma ilimitada ao facebook, instagram e outros.
    De mim, nao levam um tostao nesses serviços. Eu apenas pago o pacote de dados, isso sim ao qual eu possa definir onde gasto o meu tráfego e não pagar a alguem que decide o que vou usar e onde usar.

  2. sakura says:

    https://www.theverge.com/2017/11/22/16691506/portugal-meo-internet-packages-net-neutrality-ajit-pai-plan

    Os “”lobis”” levam PT a uma desinformação invencível, mas tem o que querem telenovelas, futebol, e festas. jornalismo de investigação, em PT é zero. resta a tvi que ainda denuncia a rarisimas…. e a Internet.

    • Armando says:

      É uma notícia sensacionalista. Neste caso não há limitação nenhuma porque a meo “oferece” mais tráfego em certos sites além do valor contratado. Se comparares o preço com outros serviços iguais mas sem este extra, é mais ou menos a mesma coisa, pelo que este serviço é um extra, não é uma limitação.

      • Belmiro says:

        Sem dúvida, está a misturar alhos com bugalhos.

        Ainda bem que há VPN e o tráfego fica desbloqueado …

      • André Fontes says:

        Boas, eu tenho uma aplicação e gostava de comprar um “extra” para poder aceder a aplicação através de dados moveis, já que eu uso mais a minha aplicação, como posso fazer?
        Já agora o que tenho de fazer para incluir a minha aplicação num desses pacotes extra para que todos os utilizadores tenham oportunidade de escolher um pacote com a minha aplicação?

        Obrigado, estou esclarecido, resto de um bom dia e um bem haja a todas as marionetas conformados, que acham que explorar um buraco na legislação torna tudo legitimo.
        Estudem mais princípios que é o problema de quem constitui a legislação, falta deles.

        Só para terminar, se das 50 a todos e 100 ao escolhido, claro que quem recebe 50 tem mais limitações. Bê a Bá

    • Carlos says:

      “resta a tvi que ainda denuncia a rarisimas”, isso foi apenas uma denuncia, o que já é bom, o “sexta ás 9” denuncia todas as semanas alguma coisa, portanto não resta apenas a tvi

  3. Chatemane says:

    Netflix….qres banda….estende cabo!!!

  4. Joel Carneiro says:

    É impressionante como o dinheiro gere o mundo. uma das coisas que era de certa forma igual para todos (sem ter em conta as velocidades de acesso mas sim o livre acesso livre por todos) já vai ser orientada de forma a que quem tem mais dinheiro tem mais acesso. Para mim, que estou a acabar o Mestrado em Engenharia Informática, é vergonhoso! Não foi para isto que a internet foi inventada!

  5. Rui Cruz says:

    “Como justificação, as operadoras insistem que, desta forma, conseguirão melhores receitas que ajudarão a melhorar as infraestruturas e assim beneficiar todos os consumidores.”
    Pois, pelo que pesquisei na semana passada, pelos vistos isto em tempos também já foi desculpa e no entanto as receitas nunca foram aplicadas neste sentido, apenas serviram para as empresas encher bolsos e adquirir concorrentes, favorecendo portanto monopólios/oligopólios ( minuto 5:40 do vídeo a seguir, mas vejam todo, vale a pena). https://youtu.be/BAELUGv4b9k

    • Joao ptt says:

      Nos states as redes só melhoram de duas maneiras: com o estado a largar dinheiro ou com a Google Fiber presente na área (de repente as mesmas empresas que diziam não ser necessário melhorar as velocidades ou que ninguém queria passam a disponibilizar Internet muito mais rápida pelo mesmo preço ou até mais barata)… ou seja: ou paga o contribuinte ou aparece um daqueles concorrentes com mais dinheiro que eles próprios, e eles não têm hipótese se não melhorar já que os outros têm tanto dinheiro para comprar políticos como eles mesmos e compram-nos mesmo para garantir que os outros não os podem impedir de aceder às áreas.

  6. Kroko says:

    Trump não pára de ajudar os amigos (empresas) e a lixar o consumidor. Espero bem que na Europa a moda não pegue.
    Mas tenho dúvida é em relação a tráfego que tenha origem na Europa mas que vá a servidores do EUA como é que isso depois vai funcionar. Quem é que vai prevalecer o ponto de origem do tráfego ou no final. A minha dúvida é em questão de velocidades ou possibilidade de acesso porque a contagem do tráfego aí não deve haver problemas que será a regra do ponto de origem.

  7. Asdrubal says:

    Desde que não aumentem os preços para a largura de banda, e desçam os preços para quem quer menos velocidade, está tudo bem. De referir que nos aspectos de serviços de TV, existem pacotes adicionais para aumentar um conjunto de canais e pagar mais.

    • XYZ says:

      Baixem preços da internet mais fraca?

      Eu tava a pagar 30€ na NOS por serviçi fibra 100MB numa vilazinha com uns 5 mil habitantes…
      Mudei-me para uma cidade com 50 mil habitantes e só tenho disponivel satelite… E pago 50€… Tenho menos canais e net que descarrega a 200KB/s…

      Que anda a NOS, MEO, Altice, bla bla bla a fazer com os mais de 200 milhoes de euros em lucro?
      É pra infraestrutura e melhor servico tsmbem, aposto….
      Ja tenho fibra a mais de 5 anos la numa vila no interior do país, mas numa cidade, no centro do país a 50KM do mar, nem ve-la…

      • Patricio Costa says:

        Não quero estar a defender as operadoras, mas deves estar fora da cidade.

        • XYZ says:

          Nao tou fora da cidade, a ver, nao estou no meio da cidade também… Eu estou no limite da cidade, vivo junto de um hotel 4 estrelas, a 100m da camera municipal, 50m dos CTT, a uns 150m tenho a praça mais movimentada da cidade e a 30m tenho o parque da cidade, uns 100m das finanças, 200m da estação de camionagem e comboios… Tenho tudo ao pé, vou a pé pafa todo o lado…

          E mesmo assim, no centro da cidade mesmo lá para o centro, é tudo cheio De antenas parabolicas…

          Acho que as operadoras devem se ter esquecido de nós…

  8. jaugusto says:

    Isso quer dizer que eu só posso ter acesso ao Eco informativo do governo e se quiser confirmar ou ter acesso a sites internacionais ou dirvergentes vou ter de pagar mais?

    • Joao ptt says:

      Por exemplo… ou podem bloquear todos os web sites de entretenimento e terão todo o gosto em desbloquear por uma “módica” quantia. Ou colocam por exemplo o Youtube a “256 Kbps” por exemplo e o serviço deles à velocidade máxima… ah! E um operador de Internet já o tinha feito mesmo antes da lei estar em vigor! Estavam a preparar-se para ir ao bolso dos seus clientes os descarados… e lá a concorrência é como em Portugal… praticamente nenhuma e uns tão maus como os outros na maior parte do país.
      Por uns anos adivinha-se que vai ser esmifrar clientes e empresas, até que as tais rede de milhares de satélites de Internet de baixa altitude entre em funcionamento… e apenas se tiverem numa de arrasar com as empresas actuais… se tiverem as mesmas vão começar a fazer o seu caixão agora com todo o tipo de práticas que vai desagradar aos clientes e não tarda vai ser ver os clientes voarem dali para fora rumo à Internet via satélite… esqueçam os bitcoin… Internet via satélite de baixa altitude/ baixa latência e grande velocidade vai ser o futuro assim os dirigentes decidam não andar a descriminar tráfego e dar tráfego ilimitado de verdade mesmo que em muitos casos com larguras de banda mais apertada.

      Imaginem o que é poderem ter Internet por exemplo de 50 Mbps/ 50 Mbps em qualquer parte do país com tráfego ilimitado e sem descriminar… quem é que vai querer 100 ou mesmo 1000 Mbps do 4G/ 5G se tiverem tráfegos ridículos de 100 MB ou de 1Gb ou mesmo de 100 GB.

  9. Luis says:

    De volta ao modem 56k…

  10. Ri says:

    Como era a internet antes de existir essa neutralidade da internet? Eu não me lembro.

  11. Luís Palma Gomes says:

    Por mim, podem acabar com a internet. Não fez grande coisa pela minha felicidade.

  12. Vituku says:

    S]o temos uma coisa a fazer: os serviços de Internet que não nos servirem, não os contratamos, se todos o fizerem, voltamos à idade da pedra, voltamos a brincar com piões e berlindes, que se lixe a Internet, se não podemos usá-la, para quê fazê-lo? É a mesma coisa que comprarmos um carro e não o podermos conduzir longe de casa.

    • Joao ptt says:

      Ou então abraça uma economia de concorrência em que o os operadores existentes não permitem que novos entrem no mercado com todo o tipo de truques tipo não permitir o acesso às condutas técnicas, nem às frequências rádio para 3G/ 4G/ 5G que eles ocupam praticamente na sua totalidade… infelizmente os operadores não conseguem restringir o acesso ao espaço e pode sempre lançar-se uns quantos satélites e começara a fornecer serviços sem que os mesmos possam fazer grande coisa… existam muitos milhões claro.

      • Toni da Adega says:

        Infelizmente, basta os EUA criar uma legislação qualquer que impeça o posicionamento de satélites ou transmissão de sinal de terceiros sobre o “seu espaço aéreo” e não há cá ligacoes por satélite

        • Patricio Costa says:

          Toni sai da Adega que estás a falar asneira.
          Se é no espaço é território internacional!

          • Toni da Adega says:

            Comentário passou-te ao lado. O espaço é território internacional mas enquanto os EUA deixarem.
            No dia em fizerem uma lei do género deixa de ser e infelizmente ninguém se ira opor.

  13. Hugo Gomes says:

    Se em Portugal ja é mau certas coisas com isso entao ui. Ja sofro de neutralidade com a NOS nos dias bons que nestes 2 meses tem sido muitos. Se ja pago 32€ onde a coisa de um ano pagava 50€ e nem por isso andava mais rápido na Net se fosse com essa lei as operadoras faziam logo novos tarifarios.

  14. jp99 says:

    Ora bem vamos cá dar uma achega a Malta que reclama. Se não gostam desta internet onde tudo é controlado e mais que recusado, e querem ser livres, apresento 2 opções.

    Usem a a deepweb ou usem a zeronet. Isso sim é liberdade mas tem preço tem que haver mais cuidado na navegação de resto é o máximo de liberdade que existe. Façam como eu em vez de reclamar, mudem vocês pois eles nunca vão mudarão vai piorar.

  15. Hefesto,o Grande says:

    Só peço a Deus é que continue tudo como está em Portugal a nível de oferta das operadoras de telecomunicações e que esta medida não seja implementada por cá.Pelo que li no artigo só vejo desvantagens,fogo !! Deus queira que este tipo de “lei” da neutralidade não nos afecte.Pelo que vejo no momento Portugal está muito bem como está.Que isto nunca surja por cá porque no dia que isto por acaso se executasse eu nem sei bem o que faria(acesso só a determinados conteúdos,menos largura de banda,o pagar mais,etc…).Faço um apelo e peço sinceramente às operadoras nacionais para não implantarem este tipo de medidas.Então nos dias de hoje estamos tão bem,com as operadoras a oferecerem tão boas condições nos pacotes e tarifários e regredimos para a pré-história da Internet ?? Com uma lista grande de imensos canais de televisão,de velocidades de download e upload muito aceitáveis,de telefone e telemóvel também,e agora vimos uma coisa destas ?? Que isto nunca chegue cá a Portugal,Deus nos livre.Porra,eu nem quero pensar mais nisto que fico logo triste como a noite,a falar a sério.

  16. Marco says:

    A NOS já anda a fazer um controle tal a porcaria de serviço Wifi que têm. Isto são as operadoras de TV cabo que nos USA andavam pela hora da morte, a negarem a redução de consumidores pagantes. Por cá temos o Pinto Balsemão (Sic, Impresa) que já tentou fazer censura várias vezes … A escumalha politica é toda corrupta e depois dá nisto.

  17. Tiago says:

    haaaaaaa THE AMERICAN DREAM!! THE FREEDOM!! <3

  18. Me and me says:

    Pelo que li a lei ainda tem de ser aprovada no senado… Pode ser que aí eles travem esta palhaçada…

  19. Miguel says:

    Os Estados Unidos estão a converter-se na Coreia do Norte. Restrições para pobres/sem influência.

    • Carlos says:

      Na Coreia do Norte não se restringe por classes sociais, pois é essa a base de um regime comunista. Restringe-se sim de outras formas, como a informação exterior e controlos apertados aos seus cidadãos.

      Os EUA sempre foram capitalistas e agora com um governo republicano, ainda mais se nota com decisões assim.

  20. Rafael Cardoso says:

    Em Portugal nem serviços normais conseguem dar a toda a população, como podem vir a fornecer vários pactotes de conteúdos.

  21. pois..... says:

    é uma questão de tempo ate chegar á europa, visto o pessoal deste lado seguir sempre tendencias da malta dos USA.
    Por outro lado tb ainda não se viu muito bem as consequencias desta decisão , e a malta tem mt tendencia para o dramatismo.

  22. adioscarlito says:

    O facto é que por mais que se explore, nunca chega. É uma luta constante para sacar mais dinheiro. Mas o que é grave é a hipotese de se começar a limitar a cultura. Neste momento é possível saber o que se passa no mundo pois quase todos os cidadãos podem participar em foruns, blogs, vblogs, podcasts, etc. Espero que nunca consigam acabar com isso.

  23. Joao says:

    Infelizmente, a julgar pelos comentários, a gravidade desta decisão não parece ter sido compreendida pela maioria. Não se trata da qualidade ou o preço cobrado pelas operadoras, mas do poder concedido a estas de decidirem se dão ou não acesso a determinado conteúdo da internet. Trata-se de uma restrição, de uma censura que poderes economicos podem usar em seu favor. Esperemos que a Europa resista. Ponho as minhas dúvidas.

    • Jorge Carvalho says:

      Finalmente alguém que percebeu o que estava em causa. Curiosamente a situação da Altice a comprar a Media Capital ainda não fez muitas ondas … Queixem-se depois.

      Abc

      • Marco says:

        A altice está falida (a casa mãe) e essas compras e não compras … “há quem diga” que foi para lavarem dinheiros … e meter dinheiros (montantes bilionários) a salvo …
        Muita tinta vai correr. A Me(r)dia Capital e a Impresa também estão tecnicamente falidas pois os lucros cairam muito nos ultimos anos. As novas gerações são online e não na tv e jornais … pelo que será de adivinhar os “grupos média” a controlarem as telecomunicações, tal como as “gasolineiras” a passarem a controlar as energias.

      • Bruno Albano says:

        Remember, remember the 5th of november. Fiquem atentos é à entrada da CM-Tv no sinal aberto, pois vai ser uma Fox News portuguesa no dia que isso acontecer.

    • Rui says:

      Provavelmente o comentário mais lúcido por aqui. Tenho fé que isto não avance.

    • RT says:

      Excelente e esclarecido comentário e também a minha interpretação. Espero que ainda seja possível travar ou pelo menos que não seja implementada na Europa.

    • Bruno Albano says:

      Na mouche, daí o Internet Archive e outros serviços estarem a sair dos EUA, é exactamente isso. O problema é que isso vai contribuir para um grande atraso tecnológico dos EUA, além do descrédito perante outras potências não-democráticas, o chamado diz o roto ao nú. Possivelmente, vai abrir a porta para outras soluções não-americanas. Para mim, América, é o continente menos a Gringolândia, que cada vez mais parece a Broncolândia. “We are all born ignorant, but one must work hard to remain stupid.”-Benjamin Franklin

  24. Filipe Matias says:

    O fim da neutralidade da internet é o fim do que a fez crescer, prosperar e ser o que é hoje.

  25. DrFrankenDerpen says:

    Na prática o que vai acontecer é algo muito parecido a isto:

    – Imagina que tens um passe de autocarro, para o qual pagas mensalmente um valor à empresa que gere, possui, contrata motoristas e mantém os autocarros em andamento.
    – Escolhes a paragem onde estás, entras no autocarro, mostras o passe e vais-te sentar nas calmas até chegares ao teu destino. Ninguem te pergunta onde vais nem o que vais fazer quando lá chegares.
    – Chegas ao teu destino e sais do autocarro.

    Agora imagina isto tudo mas com o seguinte:
    – Quando entras no autocarro, perguntam-te para onde vais.
    – Tu respondes que vais para o hospital A
    – Aí o motorista pede-te mais dinheiro, digamos 2€…mas tu já pagaste o passe mensal
    – O motorista diz-te que se quiseres ir ao hospital A tens de pagar mais. É para ajudar nos custos de combustivel…
    – Mas eu já paguei o passe… facam a gestão dos custos com esse dinheiro! Não me venham pedir mais! pensas tu
    – E tu perguntas ao motorista: e se for para ir ao hospital B?
    – O motorista: aí é de borla, a empresa que gere este autocarro é tbm dona do hospital.
    – E se for para ir ao cinema? O motorista responde-te que são mais 1,5€
    – E depois aí lembras-te que a empresa que gere os autocarros não é dona nem do hospital A nem do cinema e que mesmo assim estão-te a cobrar para te dar acesso a algo que não são detentores. Mas se for para algo dentro da rede deles aí não pagas nada.

    PS: e como a empresa de autocarros é a maior e mais popularizada, comecas a apanahar o autocarro para ir sistematicamente ao hospital B que é da mesma rede…

  26. André says:

    O pessoal não percebe mesmo!
    No dia em que forem fazer o download de algum produto tipo uma ISO de instalação de algo (por exemplo uma ISO de Linux/Windows/etc ) ou ver uma serie/filme online e a velocidade ser terrivelmente lenta e após ligarem para a operadora vos disserem que têm que pagar mais €€€ para terem acesso a uma “linha” mais rápida para aqueles conteúdos então já vai haver problema…

  27. Samsunga5 says:

    temos uma sorte do caraças de estar na UE

  28. PopeY says:

    Quando um gajo acha que as coisas não podem piorar. Eis que aparecem com algo novo. É fantástica esta politica. No final, isto vai ser implantado no mundo todo e nós meros mortais vamo-nos adaptar à realidade. Como ja aconteceu com tudo o resto.

  29. int3 says:

    agora as grandes empresas que venham para cá 🙂

  30. Carlos says:

    Não mudou absolutamente nada. Havia Internet antes da “Net Neutrality”, continua a haver Internet depois do “Net Neutrality”.
    O argumento de que sem “NN”, os ISP podem bloquear ou recusar acesso a certos conteúdos é absolutamente falso e não existe um único caso documentado que justifique a existência das regras draconianas do NN.

    Usarem leis usadas para cabos telefónicos dos anos 20 para a Internet é insultuoso. O verdadeiro problema são empresas como Google, Facebook e Twitter que andam a aplicar medidas de censura de conteúdo sem grande controle ou critérios.

  31. Redin says:

    Meus caros! Digo-vos isto com tristeza… Este ano não há presépio!
    A vaca está louca e não se segura nas patas.
    Os Reis Magos não vêm porque os camelos estão no governo.
    José e Maria foram meter os papéis para o rendimento mínimo e a ASAE fechou o estábulo por falta de condições.
    O Tribunal de Menores ordenou a entrega do menino ao seu pai biológico.
    E antes que me cortem a internet, aproveito para vos desejar um Feliz Natal!

    (fonte pplware)

  32. José Bacalhau says:

    Bolas, estes comentários são quase todos reveladores de uma ignorância… Eu não percebo bem o alcance desta revogação de uma lei de 2015, mas não é preciso ser muito esperto para perceber que as coisas não vão mudar assim tanto. Antes de 2015 as coisas funcionavam perfeitamente. Depois, a União Europeia não é obrigada a fazer lei idêntica no seu território. Em terceiro lugar, o presidente da FCC é uma personalidade com longa experiência em telecomunicações; seguramente não apoiaria uma lei que prejudicasse o consumidor americano, que jurou defender. Por mim estou na boa e desejo ao senhor Pai toda a sorte do mundo.

  33. sakura says:

    “”É uma notícia sensacionalista. Neste caso não há limitação nenhuma porque a meo “oferece” mais tráfego em certos sites além do valor contratado.””

    Lol hoje é …. mas um direito que tinhas da qui a 2 anos nem sequer vai se questionado.
    Factos consumados sei la como a capital dos judeus (Jerusalém).
    a meo é cool ….. continua a ver futebol.

  34. Carlos says:

    Aproveito para esclarecer a quantidade absurda de erros neste artigo.

    Os ISP nunca bloquearam acesso a conteúdos nos EUA antes de 2015 e não é depois de Dezembro de 2017 que o vão fazer.
    Um IP só pode ser bloqueado se violar os termos de serviço de onde quer que o IP esteja registado. Pode haver situações onde o IP pode pertencer a uma blacklist acidentalmente pela firewall do router, mas isso não é nada que um telefonema ao operador não resolva. Qualquer IP pode estar sujeito a ataques DoS o que pode abrandar a velocidade.
    Vou só chamar a atenção ao erro mais crasso no artigo: a Internet não é um serviço de utilidade pública.
    O modelo que negócio de que estão a falar é exatamente o mesmo que fazem por cá: tens 20 MB para quem não usa a Internet para atividades muito intensas, tens Net a 100 MBs para fazer stream de netflix 24/7 ou Net 1 GB para quem joga online.
    Ajit Pai foi nomeado por Barack Obama e na altura foi uma das vozes mais críticas do conceito de Net Neutrality, pelo menos na forma em que foi criado. O que me tem chocado foram as ameaças de morte e o racismo demonstrado pelos apoiantes de Net Neutrality nos EUA.
    A FCC regula conteúdos, não preços ou atividades comerciais. A FTC é quem lida com estes assuntos.

    • Pedro Pinto says:

      Carlos Carlos

      Absurdo parece-me o seu comentário! Até quase me arriscaria a dizer que não leu o artigo ou simplesmente quer opinar por opinar. Vamos por parte já agora

      “Os ISP nunca bloquearam acesso a conteúdos nos EUA antes de 2015 e não é depois de Dezembro de 2017 que o vão fazer”
      Como autor do artigo, escrevi em algum lado que os operadores vão bloquear acesso a sites????

      “Um IP só pode ser bloqueado se violar os termos de serviço de onde quer que o IP esteja registado. Pode haver situações onde o IP pode pertencer a uma blacklist acidentalmente pela firewall do router, mas isso não é nada que um telefonema ao operador não resolva. Qualquer IP pode estar sujeito a ataques DoS o que pode abrandar a velocidade”
      Voltamos ao bloqueio…isso é outra guerra. “Qualquer IP pode estar sujeito a ataques DoS o que pode abrandar a velocidade”? O que quer dizer com isto? Qual velocidade?

      Vou só chamar a atenção ao erro mais crasso no artigo: a Internet não é um serviço de utilidade pública.
      Onde leu isso? Começo a ficar preocupado. Lê coisas que não estão escritas em lado nenhum.

      O modelo que negócio de que estão a falar é exatamente o mesmo que fazem por cá: tens 20 MB para quem não usa a Internet para atividades muito intensas, tens Net a 100 MBs para fazer stream de netflix 24/7 ou Net 1 GB para quem joga online.
      Confunde Gbps com GB…falamos de velocidade ou de tráfego?

      Ajit Pai foi nomeado por Barack Obama e na altura foi uma das vozes mais críticas do conceito de Net Neutrality, pelo menos na forma em que foi criado. O que me tem chocado foram as ameaças de morte e o racismo demonstrado pelos apoiantes de Net Neutrality nos EUA.
      Isso está no artigo também? Não leio em lado nenhum….

      A FCC regula conteúdos, não preços ou atividades comerciais. A FTC é quem lida com estes assuntos.
      E isto também não está escrito em lado nenhum….

      Resumindo…um comentário desenquadrado com o que está escrito no artigo….loga ABSURDO!

  35. Gum Skyloard says:

    Isso foi tudo manipulado. MILHÕES, E MILHÕES de pessoas nos EUA queriam que a Net Neutrality ficasse, mas o Pai e os seus amigos do verde-no-bolso manipularam tudo.
    Eles usaram os nomes das pessoas sem autorização, e fizeram imensos “votos” de remoção da NN. Muitas dessas pessoas já estavam MORTAS faz muitos anos. Outras queriam que a NN ficasse. Mas isso não acabou, a FCC tem de apresentar isso para o Congresso. Se o congresso concordar com a FCC, ai acabou mesmo, mas não é provável, visto que eles disseram “deixa a NN em paz” 2 vezes antes, e eu tenho a certeza que vamos ter um combo de 3. Viva a Liberdade, e a Neutralidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.