PplWare Mobile

Windows 7 – Quem escolhe o browser sou eu!


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Joel says:

    Bem, penso que por uma lado será bom, visto podermos escolher qual o browser a usar, mas penso que não seja necessário, visto já existirem muitos…

  2. Malamen says:

    A partir do momento em que é a escolha o que mais interessa aos consumidores, acho que foi a melhor solução.

  3. mokoto says:

    Quando a esmola é de mais o santo desconfia…

  4. Emannxx says:

    Esta proposta é mesmo muito boa, pois se a microsoft não tivesse criado nenhum ecra de escolha, o utilizador teria que recorrer a outro computador com um browser para baixar outro browser… se é que me entendem…

    Assim eliminam esse problema!

    Well-done…

  5. Stiven says:

    Até que enfim Microsoft fez uma coisa legal. Assim é muito melhor pra nós, consumidores. Foi mesmo uma boa solução. Eles deviam aproveitar pra fazer mais coisas deste tipo. Quem sabe…

    • Filipedgb says:

      Uma coisa legal? Uma coisa estúpida… Aliás nunca percebi qual o problema de o windows trazer os seus produtos, como IE…Embora seja uma m*rda por que motivo haveria de trazer outro?! O SO é deles fazem com ele o que querem…

      • Hugo Cunha says:

        Mas assim toda a gente usa o IE.

        Firefox, Opera e outros browsers não conseguem apoios para continuar o seu desenvolvimento porque não são usados.

        Cá pra mim gente como tu já está a microsoft cheia que só pensam em monopolizar o windows com os seus produtos.

        • softclean says:

          Eu neste momento uso o Firefox, e contudo o meu Windows tinha o IE: usei-o durante muito tempo, até descobrir o Firefox por um amigo.

          E quem diz amigo, diz publicidade na internet, entre outras formas de passar a palavra. E não foi por isso que fiquei agarrado ao IE.

          Eu discordo completamente da decisão da UE, mas infelizmente já não há volta a dar…

        • Mast3rGhooosT says:

          E tu vendias o produto da concorrencia? Colocavas uma placa a a localização da concorrencia no teu establecimento? Existem outras formas de markting! 🙂

          O que a UE pretente é criar mais concorrencia e reduzir o monopolio a favor dos consomidares, concordo com esses objectivos mas não com a forma aplicada para a obtenção dos mesmos.

        • Filipedgb says:

          “Cá pra mim gente como tu já está a microsoft cheia que só pensam em monopolizar o windows com os seus produtos.”

          Amigo, eu não sou fã da microsoft (como aliás deves ter reparado pela forma como falei do IE), mas compreendo perfeitamente que eles queiram monopolizar…como é obvio! E por que raio não haveria de inserir os seus produtos no seu SO?

      • CarlosMC says:

        Precisamente por ser uma m*rda e a maioria das pessoas não saber ou se dar ao trabalho de mudar – se tivesses um produto concorrente também não ias gostar, com certeza.

        • Filipedgb says:

          “maioria das pessoas não saber ou se dar ao trabalho de mudar”

          E as empresas como a MS é que têm de se preocupar com a ignorancia das pessoas ou com a sua preguiça?! Pessoal eu não sou nenhum MS fanboy ou assim mas tento ver as coisas de uma forma racional…

          • CarlosMC says:

            Conheces aquela em que alguém tenta salvar um animal que já se resignou a morrer? Não há volta a dar-lhe, é o povo que temos…

          • Nuno says:

            Filipedgb,

            por não ser responssabilidade da MS (nem das outras empresas) em se preocupar com os consumidores é que a UE teve que intervir, é por isso também que existe a DECO e outras instituições que nos defendem.

          • Joao says:

            Eu cá quando quero saber alguma coisa, vou à procura, não fico sentado à espera que a UE intervenha.

            Mas pronto.. sou só eu..

          • Nuno says:

            João,

            Suponho que não percebeste o essencial do que se discute neste tópico.

  6. Magnata says:

    Agora já só falta um ecrã inicial para a instalação tipo:

    Que sistema operativo pretende instalar:

    1)Linux
    2)Windows
    3)Mac OS
    4)..

  7. sagres mini says:

    Gostei

  8. Jay Jay says:

    Desde início – na minha opinião meramente pessoal – que não concordei com esta questão por parte da União Europeia de obrigar a Microsoft a incluir na instalação do Windows outros browser para além do IE8.
    Sendo o Windows um produto MS, tem toda a lógica que venha o seu próprio browser. E se a Microsoft tem uma posição dominante no mercado (que é o argumento usado pela UE), foi porque o conseguiu às suas custas.
    Quem não gostar do browser, então (como se passa com o restante software que acompanha o Windows) que procure e instale uma alternativa que lhe sirva melhor.
    A mim pessoalmente não fará grande diferença porque quando comprar o próximo portátil, na parte dos browsers escolherei o IE8 (que uso como browser secundário) e a partir desse instalarei o Firefox (para usar como browser principal).
    Sinceramente acho que era mais importante a UE combater a questão do SO que vem incluído na compra de PCs/portáteis… Há muita boa gente que prefere Linux, e vê-se obrigado a comprar uma licença Windows. E com isto nem estou a “puxar a brasa à minha sardinha” porque utilizo única e exclusivamente Windows. Já experimentei Linux (Ubuntu)e não me dou com aquilo (voltarei a experimentar um dia mais tarde, mas para já o Windows continua muito “entranhado”)

    Fiquem bem.

    • dc says:

      Concordo contigo.

      E depois mais tarde ou mais cedo, ser-nos á forçada a instalação do Internet Explorer porque alguma ferramenta do Windows apenas será compatível com o Browser em questão ou isto ou aquilo e pronto, acabamos por não o instalar á primeira, mas vai á segunda.

      Eu também uso o Firefox como Browser Pré-Definido, mas existe muito Website que ainda só funciona plenamente no Internet Explorer 7 e 8 e pequenas ferramentas e plugins que apenas funcionam com o IE.

      Mas pronto, no final desta saga vamos ver os resultados, pois não será por isto que a Mozzila ou a Opera irão ganhar ou perder clientes, pois este mercado hoje em dia gere-se mais á base de confiança do que impingir ás pessoas.
      Eu instalo o Firefox aos meus clientes porque eles confiam em mim, e sendo assim passam a confiar nas aplicações que eu instalo, e ficam felizes, mas também sei que á clientes que é melhor não lhes por o Firefox á frente porque conheço os hábitos de alguns e sei que o tipo de site que visitam no Firefox seria uma trapalhada.

      É tudo um jogo…

    • Fábio says:

      Concordo contigo, acho uma estupidez quererem remover de origem o IE por ser dominante, o que acho que teria a sua lógica , era a possibilidade de remover aplicações do Windows caso fosse a nossa vontade, como por exemplo o IE, é muito dificil aos utilizadores comuns remove-lo.

      • Mast3rGhooosT says:

        Concordo plenamente com o teu comentário, é como dizer que numa disputa de 2 restaurantes por um produto semelhante um deles é obrigado a vender o produto da concorrencia.

        Para os cosumidores é bom terem a noção da cardinalidade do mercado, contudo existem muitos outros pontos de marketing a explorar que não ir à concorrencia colocar lá uma placa de publicidade.

        Sou utilizador de Opera desde a versao 8-9, raramente uso mozilla ou chrome e muito menos o internet explorer, e mesmo sendo utilizador do Opera discordo com a cção deles, à que por os pontos nos i’s.

    • Filipedgb says:

      @ Jay Jay

      Também concordo contigo… Por mais rasca que fosse o IE por que motivo o Windows haveria de trazer outro browser que não é deles? :S

      E se a Microsoft tem uma posição dominante no mercado, como tu disseste, foi às suas custas mas também à custa das pessoas que o compram os produtos

      • CarlosMC says:

        À custa das pessoas a quem foram impingidos os seus produtos (com pré-instalações exclusivas, por ex.), queres tu dizer.

        • João Simão says:

          Será que estou enganado ou o IE foi o primeiro browser gratuito? Será que com o meu win95 devia vir uma licença do Mosaic e o IE tendo eu de pagar a licença do Mosaic à parte?

          E se não viesse nenhum browser pré-instalado como poderia eu instalar outros? Tinha de pedir um PC emprestado ou… comprar um browser em CD ou disquete na altura para instalar?

          A posição dominante do IE foi manipulada, é verdade, mas foi graças a ele que hoje em dia os browser são gratuitos…

        • Filipedgb says:

          Por amor de Deus Carlos MC… Alguém te obriga a usar Windows?! Ninguém tem de usar Windows, mas se usas, ficas com os programas deles também, olha que raio! Era o mesmo que ir ao restaurante do “x” e dizer que me estavam a impingir comida do “x” e que eu exigia que eles trouxessem comida do “y” para eu escolher. Faz sentido?

          • CarlosMC says:

            Num mundo (país) em que a maioria das pessoas não sabe a diferença entre o computador e o SO (quanto mais entre o SO e os programas incluídos), e em que por causa disso é muito difícil fazer-lhes concorrência, claro. Num mundo (país) ideal, nada disto era preciso, até porque o Windows, em si nunca teria ganho tal importância (logo, com IE ou sem IE, não haveria posição dominate que a MS pudesse abusar, como FEZ).
            Chiça!

          • João Simão says:

            Num mundo (país) ideal o windows não tinha ganho tanta importância? Em 1995 que SO usavas? Se tivesses um PC que corrias nele?

          • CarlosMC says:

            Tinha, e bem melhor, para a altura (pelo menos) que os actuais (PS/2 – para desligar, bastava apertar o botão do pc e ele tratava de tudo – guardar (Rapid Resume, precursor da hibernação) e desligar, inclusive, o monitor!) e corria o Windows 3.1 😉 (e porque também _já_vinha_com_o_computador_), mas com o Calmira Desktop, de muito boa memória, e que me fez desiludir-me enormemente com o OSR2, e que fazia coisas que nem o W7 ainda faz (e muito provavelmente assim continuará) – o CD era grátis e de código livre, em Delphi (1 ou 2)…

            E num mundo não ideal (como este), em 1995 o Windows já tinha uma posição dominante (mais ainda que agora) e a MS abusava dela (mais também que agora, e inclusive com o Office), mas este mundo é mais antigo que isso (pelo menos, para alguns, que já cá andavam…) e já antes a MS abusava da sua posição (via uma imprensa completamente pervertida) – alguma vez leste uma comparação entre SOs, em que a conclusão é: o DOS386, NovellDOS, etc. são melhores e tal, mas o MS-DOS é que é, daí,…? É que eu já li.
            Ou então (sobre o OS/2 v3): quem precisa dum sistema 32 bits, multitarefas para quê? Isto, para depois, essas mesmas pessoas virem gabar o Windows 95 exactamente por essas razões – isto está tudo escrito, em revistas tipo PC World, PC Magazine, PC Review, PC Guide, etc…

    • Zé Miguel says:

      Concordo plenamente, é totalmente ridiculo o que a UE está a fazer em relação ou IE. Mais tarde ou mais cedo a grande maioria vai ter de o instalar. Ainda mais giro é que a maior parte das pessoas que usam o computador nem sequer sabem o que é um browser, e vão ficar bem confusas quando tiverem de escolher algo que nem sabem bem o que é… Pode ser aquele com o grande “e” azul, é no que tenho clicado nos ultimos 5 anos!

      • CarlosMC says:

        Não é a UE (CE) que está a fazer, o Windows E (e o N) é ideia da MS.

        • kekes says:

          Não percebi o teu comentário direito, mas não e a UE que está a fazer o Windows, isso toda gente sabe, e isto ser ideia da MS é ideia, porque a UE assim o exigiu, não é que ache mal, mas acho que a Ms deve ter os direitos de escolher o que quer no seu PRÓPRIO sistema operativo, inclusivo, por o que quiser sem restrições.

          • CarlosMC says:

            O que eu disse é que a MS é que escolheu retirar o IE do Windows E (o que nem é verdade – vê acima o link do keznews), ninguém lho impôs – a prova é esta notícia.
            A CE nada exigiu nada, a não ser igualdade de oportunidade para a concorrência (por queixa da Opera).

            Como já disse, tenta concorrer com eles num mercado que lhes interesse, e logo vês o que pensas…

          • CarlosMC says:

            O Windows N não inclui o WMP

          • CarlosMC says:

            Parece que haverá uma terceira versão, a NE, sem IE nem WMP – se fosse comprá-lo, seria esta, mas não estou pelos ajustes, novamente.

          • Pedro Leitão says:

            Este CarlosMC é um irritante.

            Gostava de o ver a gerir uma empresa um dia, em vez de falar mal apenas.

          • CarlosMC says:

            Obrigado, pela parte do irritante 🙂

            Eu gostava era de te ver a ti, a tentar competir com alguém que não joga limpo; mas tu deves ser daqueles que vai para os jogos criticar quem lá está dentro sem nunca lá ter posto os pés.

            Fica bem (e estás dispensado de ler mais os meus posts…)!

            😀 😀 😀

          • Nuno says:

            Pedro Leitão,

            eu não conheço o CarlosMC, mas parece-me que ele não se importava de gerir uma empresa que tivesse 90% do mercado e por isso ter de respeitar uma quantas regras para não ter o monopólio.

    • xtugap says:

      isso nao e bem assim no windows XP na consiguias remover o IE6/IE7
      1a nao conseguias porke o windows nao deixa
      2a porque ele estava com algumas configuracoes da rede do windows e se conseguises tirar irias fikar com problemas de navegacao 🙁

    • Manuel José says:

      Totalmente de acordo!

    • CarlosMC says:

      Jay Jay, é essa a razão – o entranhar software com o fim de o tornar insubstituível.

  9. Jorge Martins says:

    E os outros??

    Os Linux, o MacOs, etc??? Também irão ter isto?

    É que muitos se esquecem que falam da MS e esquecem que os outros como o MacOS, deve fazer igual..

    Mas pronto..

    De resto, isto, penso que não altera nada de especial.. Mas é sempre bom ter mais hipóteses disponíveis..

    • Bruno says:

      A Aplle e o Linux não devem fazer isso, afinal não dominam o mercado.

      Mas seria, sim, interessante. 😀

      • Filipedgb says:

        Qual é o problema de dominar o mercado? Eles chegaram onde chegaram com trabalho e também com a ajuda da população obviamente. Vêm com estas medidas da treta em vez de resolverem problemas bem mais importantes… enfim.

        • Manuel José says:

          Tens toda a razão. Acho que seria mais importante darem a escolher ao consumidor entre windows e linux do que isto, que simplesmente não muda nada. Quem não percebe nada acaba por escolher o internet explorer na mesma, que já usa firefox, vai escolher este na mesma. É verdade que caso fosse possível escolher o SO, 99 % escolhiam windows, mas ao menos quem usa linux, ou tem licenças gratuitas da universidade não teria que pagar.

    • JPedrosa says:

      Porra que em todos os tópicos sobre isto aparece uma alma a falar dos outros SO’s.

      Santa paciencia, a porra do argumento principal da parte da comissão foi o facto da M$ ser dominante no mercado e com isso garantir igualmente o dominio para o seu browser.

      Os outros não têm o dominio, será dificil perceber isto?

      caramba.

      PS: Vejam os tópicos anteriores sobre este assunto, já há meses eu tinha sugerido que era uma das duas hipoteses, eles optaram por um menu, nice.

      Cumps,
      JP

      • Jorge Martins says:

        A Apple não terá posição dominante em alguns sectores???
        E o linux ja noa tera em termos de servidores???

        Eu acho isso da posição dominante pouco razoavel..

        Um exemplo, o IE tem perdido imenso terreno para os outros.. então qual a razão actual??

        Mas claro, ha sempre uma alma por ai que vem atacar a MS

        lolol

      • Zé Miguel says:

        Acho isso da posição dominante uma coisa ridicula, se a tem foi à sua custa com bons investimentos e acordos…
        E essa mesma posição dominante não impediu o IE de perder mais de 20% de quota nos ultimos anos…

    • Manuel José says:

      O linux e o Mac OS permitem desinstalar o browser de origem e instalar outro, no windows podes instalar outro, mas não podes remover o que vem de origem.

    • CarlosMC says:

      Que eu saiba, todas as distribuições do Linux têm uma quantidade de browsers à escolha, logo durante a instalação – para começar, só por escolheres entre kde, gnome, etc.; logo, essa questão não se põe, nesse caso…

  10. Neto says:

    Acho não precisava isso.. acho que apenas a microsoft teria que dar a opção de desinstalar o IE e pronto… vc mesmo baixa e instala o que quer… alem do mais a versão dos software que vinherem com o windows em pouco tenho vai ficar obsoleto.. pois lançam novas versões sempre!!!

    • Filipedgb says:

      E por que motivo teria a opção de desinstalar o IE?! Repito, o SO é deles e por isso eles é que decidem como o fazem! Se não gostas do browser sacas outro e pronto, como Firefox. Mas se te incomoda tanto o facto do IE estar aí instalado algures n compres Windows então… Simples.

  11. Simões says:

    Independentemente da questão de ter ou não o Iexplorer por defeito instalado, acho que a grande campanha da Microsoft é limpar as nódoas da sua imagem e recuperar o seu estatuto, coisa que tem perdido nos últimos anos. Isso vê-se se olharmos para todas as estratégias da empresa neste ultimo ano.

  12. curioso says:

    Ridiculo, isto já começa a ser completamente ridiculo!

    Não morro de amores pela Microsoft, nem nada lá perto, mas tb já começa a ser de mais, eles têm que pegar seja com o k for, a microsft tem cedido a particamente tudo, mesmo assim costumam recusar todas as propostas da Microsoft para a resolução dos “problemas”, vamos a ver se tb têm coragem recusar esta.

    E então, é só a microsoft que tem más praticas???? e os outros??? pois, pois…

  13. Ricardo Fernandes says:

    Queria saber para onde vai o dinheiro da multa, isso sim é que é interessante saber!

  14. M.Manuelito says:

    Qualquer dia a UE diz que o paint, o Media Player ou o bloco de notas da microsoft tem que levar a mesma volta que o IE, já que há alternativas no mercado e até gratuitas. Parece que estou a ver a instalação de um SO da Microsoft a incluir ecrãns de tudo e mais alguma e no final temos um sistema operativo todo “retalhado”!!!
    É uma ironia, claro está, mas é também uma crítica à UE que tem tantas coisas com que se preocupar e anda a mexer em coisas que, para mim, não fazem o menor sentido.
    Mas se a UE se quisesse preocupar com os consumidores de produtos informáticos, talvez fosse melhor ideia dar a hipótese aos compradores de computadores de escolherem qual o SO que querem instalado na máquina, em vez de terem que “gramar” com o Windows, quer queiram quer não.
    Há, de facto situações em que o consumidor pode escolher, mas, na maioria das vezes, as pessoas são “obrigadas” a comprar o computador que querem com o sistema operativo que não querem.
    E note-se que eu não sou nada anti-Microsoft, até é o SO que mais uso, mas isso não implica que ache que todos devíamos ter mais liberdade de escolha.

  15. Tetsu says:

    Vocês são mesmo inocentes lol Isto é uma clara medida para dominar o mercado. É apresentado ao utilizador inexperiente(90% da população mundial) uma janela de sistemas operativos, no meio da lista vêm um ícone que reconhecem(internet explorer), o qual acham que vai escolher?
    A microsoft que dê masé a hipótese de remover o internet explorer, não gosto de ter o pc com lixo.

  16. ManThing says:

    Ora boas,

    Não é por nada mas isto da UE, mais parece que querem fazer parte da MS, melhor parece que a querem.

    Quem são eles para dizer que (por exemplo) em minha casa eu não posso ouvir musica, como muita gente faz?

    Enfim, completo absurdo a cena da MS ser dona do mercado, como alguém já comentou, são donos porque as pessoas gostam e confiam.

    Isto vai ser giro quando chegarem a Apple e os seus Ipod, e isso sim, que “toda a gente” que ouve musica quer ter um. O que será que proíbem? O tipo de musica que se pode ouvir? xD Ridículo (eu não sou fan deste produto, odeio)

    Cumprimentos

    • Filipedgb says:

      “Quem são eles para dizer que (por exemplo) em minha casa eu não posso ouvir musica, como muita gente faz?”

      “Enfim, completo absurdo a cena da MS ser dona do mercado, como alguém já comentou, são donos porque as pessoas gostam e confiam.”

      Agora é que disseste as verdades todas… 😉

  17. VY says:

    Eu achava esta medida correcta se fosse aplicada a TODOS os sistemas operativos!! O argumento de ser líder de mercado não faz sentido nenhum! Ou subitamente o Continente também terá de passar a vender produtos de marca branca de outras cadeias de supermercados (Pingo Doce, LIDL) só porque é líder de mercado?

    Ridículo…

  18. Bruno SIlva says:

    Sendo assim, as actuliacaçoes do windows, já podem ser feitas com o FF?

    • aver says:

      Não. As actualizações do Windows a partir do site da Microsoft continuam a ser feitas obrigatoriamente com o IE.
      Para se poder fazer com o Firefox tem que se instalar a extensão IETab. Integra-se no “menu de contexto” (botão direito) sobre um link – seja a página da Microsoft com os downloads – e a tab é inteiramente reconhecida como sendo do IE.
      Quem quiser desactivar o IE no Windows 7 (não é desinstalar totalmente) vai ter que instalar o IETab no Firefox.

    • aver says:

      Na minha modesta opinião, durante a primeira inicialização do Windows aparecer a janela para seleccionar o browser que se vai usar por defeito não vai alterar grande coisa.
      Quem só conhece o IE instala o IE, não vai ser o aparecimento dessa janela que os vai levar a mudar. Quem tem preferência por outros browsers acabaria por os instalar mais tarde.

  19. Pacha says:

    Deixei de usar o IE desde que o firefox foi lançado mas mesmo assim não concordo com a multa aplicada à M$ porque deste ponto de vista também deviam ter multado a apple.

    Acho que esta foi uma boa medida para acabarem com os problemas e as criticas(apesar de alguém vir criticar esta medida com certeza) uma vez que não faz sentido instalarmos um S.O. e este não ter um browser.

    Cumps.

  20. Alain says:

    bem ,acho um solução simples para um problema de proporções enormes. Acho que foi uma solução simples e direta que pode acabar com o litígio. Sinceramente eu , que via de regra sou contra as ações da microsoft, não vejo nada de mais em ter o IE já instalado no windows. quem quiser mudar que mude. Mas como existe essa briga uma maneira bem inteligente de se acabar com ela seria justamente incluir outros browsers também 😉

  21. AntónioPT says:

    JÁ SAIU NOS TORRENTS/RAPIDSHARE/ETC O WIN7 ULTIMATE FINAL X86/X64.

    http://www.rlslog.net/microsoft-windows-7-ultimate-original-ms-iso-x86-x64-grp/

    JÁ INSTALEI E CONFIRMO QUE É O FINAL!!!

  22. gotamaluko says:

    Mas afinal quais vão ser esses tais browser’s?

  23. Nuno Amaral says:

    RIDICULO.
    Também vão obrigar a Bmw a obrigar ao comprador escolher motor bmw, fiat, renault.

    Mais uma vez RIDICULO

    • CarlosMC says:

      Não sejas ridículo (tu), qual é a relação – a BMW tem 90 e tal por cento do mercado de carros? Existe alguém que fabrique motores para chassis BMW? Enfim, haja paciência…

      • Nuno Amaral says:

        Cala-te

        • CarlosMC says:

          Tenta calar-me… ou cala-te tu, cretino!

          • Pedro Leitão says:

            Cretino és tu. COmuna do *******.

            Se eu tiver uma empresa que tem 99% do mercado tenho direito a fazer o que quiser com ela: até fecha-la. Sou dono, acabou.

            Eu faço o sistema, eu coloco lá o browser que quiser. Não gostas? Usa linux, porque do windows há sempre quem goste e não se queixe.

            Menos choro, pato.

          • CarlosMC says:

            Parabéns, mostraste a tua versdadeira face, “leitão”, agora vai chafurdar e grunhir para outro lado, que o triunfo dos porcos ainda está para vir…

            Isto está bonito, Vítor, está, está…

      • Vítor M. says:

        Eu até acho ridículo, mas ok… vocês é que sabem, a figura não é muito digna, mas…

        Se apago, é porque censuramos e não permitimos que as pessoas se defendam, se não censuramos as pessoas têm atitudes destas, não sabem argumentam sem entrar em disparate… espero que parem, sinceramente, espero que reflictam.

        • CarlosMC says:

          É caso para dizer: ó Tempra, ó Morris!…

          A verdade é que a questão não é nem o browser, nem o Windows em si, mas sim os controladores, porque, sem estes, mesmo que queiras, se não há controladores para o equipamento que queres/precisas, _pura_e_simplesmente_ NÃO TENS ALTERNATIVA.
          Essa é que é a questão e essa é que é a verdade (eu uso o Windows porque só esse tem controladores para o raid da minha placa – enquanto não comprar um novo disco, não há nada a fazer :/).
          É claro que, neste contexto, isto são só paliativos, que a CE só tomou porque a isso a forçou a procedência da queixa da Opera (o que não quer dizer que não seja uma decisão útil e necessária, até, dada a situação actual, decorrente da do Windows, assim como esta o é (em parte) da dos controladores).

          E, por mim, acabou-se. Ponto final.

  24. Eu acho que esta lei não tem grande logica. Acho que a Microsoft, Apple, ou qualquer outro, têm todo direito de colocar nos seus OS, os seus browsers, porque afinal são eles que desenvolvem os seus produtos e não faz sentido nenhum andar a trazer a concorrência as costas. É que se realmente fosse uma questão de escolha, mas não é, qualquer pessoa que num grupo de 5 browsers saiba realmente aquilo que esta a escolher e porque tem capacidade de o sacar e instalar, não é nada de outro mundo. Pessoalmente não uso IE à alguns anos, e nunca vi um problema em usar windows que vem com o mesmo.

  25. Marcos says:

    Eu sou contra este tipo de cenas, a Microsoft para chegar onde está agora, investiu muito e ainda vir estes gajos dizer que não podem meter um programa(IE) que é deles um OS deles(Windows), qualquer utilizador pode bem trocar por outro browser não é preciso vir cá comissões obrigar a Microsoft a nada, quer dizer não pode meter o IE que é deles e se meter a escolha do utilizador já podem. Há leis sem sentido nenhum.

  26. gotamaluko says:

    Basta ver quem é o presidente da União Europeia…

  27. 3biz says:

    é muito, mas muito lixado para a microsoft ser obrigada a incluir navegadores da concorrencia directa!!!

  28. Rui Brás says:

    Se o Direito da concorrência europeu fosse feito pela maioria dos leitores do Pplware, estávamos tramados.

    Os porquês da proibição já foram aqui referidos dezenas de vezes mas mesmo assim insistem em não perceber ou a invocar os motivos errados.

    Abuso de posição dominante. Não é posição dominante, mas abuso desta. Ganho de quota de mercado de forma artificial através da inclusão do browser que só vinga no mercado porque está incluído no sistema operativo dominante (90%). Há uma concorrência desleal. Há uma barreira artificial e injustificada para os browsers concorrentes.

    O que acho mais graça é que os economistas e juristas estão todos de acordo com este artigo do TCE, mas claro, o povo sem ter estudado bem a lição e sem compreender a ratio da norma, o motivo que está por detrás dela, manda logo bitaites a dizer que “é ridículo”, que é “para roubar a Microsoft”, que “não percebem nada disto”.

    Pois claro: o mundo está todo louco e a UE anda a legislar “à parva”, sem saber o que faz.

    • gotamaluko says:

      então e o Linux que vem com o FF ou o mac que vem com o safari? E quando sair o google OS? Vai vir com o Google Chrome…

      Uso FireFox. Não gosto do IE. Mas verdade seja dita que a UE não obrigou a Apple ou o Linux a dar a escolher o browser… Ou se fazem leis para todos ou não se fazem…

      • Rui Brás says:

        Qual é a parte do abuso de POSIÇÃO DOMINANTE que não percebes?

        Não está aqui em jogo uma proibição de ter um browser dentro de um sistema operativo, mas sim, ter um browser dentro do sistema operativo dominante e, por isso, esse mesmo browser fica também numa posição de domínio.

        A quota de mercado do Mac OS X e das distribuições de Linux não é suficientemente alta para ser considerada “posição dominante”, e por isso, o browser incluído não ganha quota de mercado relevante.

        A justiça de que falas não é tratar todos por igual, mas sim, tratar igual o que é igual e diferente aquilo que é diferente, na exacta medida da diferença. Este é um desses casos.

        • CarlosMC says:

          Esquece, devem ser todos madeirenses… (sem querer ofender os madeirenses)

        • João Simão says:

          Desculpem mas essa ideia da “posição dominante” como justificação para não poder trazer de origem o IE é “esfarrapada”. Eu instalo o browser que quero e nunca o windows me bloqueou qualquer instalação de outro browser.
          E se vamos pela posição dominante quando faço uma pesquisa no Google ele também me terá de mostrar as hipóteses de pesquisa da yahoo e da bing? É que a Google também tem uma “posição dominante”.

          Se há liberdade em instalar o que se quer não vejo justificação nesta polémica. Se fossem pagos ainda percebo… Pagos como eram antes da microsof começar a distribuir gratitutamente o IE com o windows fazendo que ele fosse dominante porque era gratuito e fazendo com que os browsers passassem a ser gratuitos. É esse o problema?

          Volto a repetir. Não uso o IE, sou utilizador regular de FF. tenho instalados quase todos os browsers mais conhecidos e como webmaster nem gosto do IE. Mas esta questão é completamente descabida.

          • Rui Brás says:

            Não é esfarrapada; é sim um modo de corrigir as falhas de mercado.

            Quem tem uma posição dominante num mercado, tem não só o poder de o manipular sozinho como também tem o poder de manipular outros mercados que estão associados ao primeiro; é o caso dos SO e dos browsers.

            Neste caso, verificou-se que a Microsoft abusa da sua posição dominante porque inclui o browser no SO dominante e assim o browser tornou-se dominante também. Isto não é ficção, todos nós sabemos que o IE chegou a atingir os 90%.

            “Ah e tal, mas eu posso escolher o browser que quero porque ninguém me obriga a usar o IE” — Isso é verdade, mas tu tens esse conhecimento, tu já utilizas outro browser. Agora, há quem use o IE porque é o que vem instalado e não se querem chatear mais ou porque simplesmente não conhecem que há alternativas (e pensam que a Internet é o IE).

            Ora, no meio disto tudo, os browser concorrentes ficam numa desvantagem injustificada porque é muito mais complicado combater o browser de alguém que usa a sua posição dominante nos SO para ter uma grande quota de mercado na área dos browsers.

            Quanto à Google, neste momento ainda não foi descoberto nenhum abuso de posição dominante (falta a parte do abuso), mas se algum dia isso acontecer, terá o mesmo tratamento que a Microsoft.

            Quanto à questão dos browsers serem gratuitos: o consumidor não paga por eles, mas a sua utilização provoca lucros de milhões através das barras de procura, por exemplo: o Firefox teve uma receita de 66 milhões de dólares provenientes da Google por esta incluir o seu motor de busca no browser.

    • Diogo says:

      Olá boa noite

      Acho k não tens razão nenhuma no que dizes porque eu posso ter menos estudos que tu e ser muito mais culto que tu… Por isso não te aches melhror que alguém que pode ter só o 9º ano por ex.

      Depois se quiseres comparar um partido politico se ganhar com maioria absoluta também pode usufruir do Abuso de posição dominante e não é por isso que tem de ter políticos de outros partidos na sua bancada parlamentar.

      Tenho dito…

      Cumps.

      • Rui Brás says:

        Mas o que é que uma coisa tem a ver com a outra? Mas que analogia tão absurda. Estamos a falar de mercados, de concorrência, de oferta e procura; e tu vens falar de partidos políticos e deputados de outras bancadas?!

        Haja paciência.

    • Daniel Martins says:

      “Ganho de quota de mercado de forma artificial…”
      Mercado? Qual mercado? Se bem me lembro da última vez que verifiquei nenhum browser era pago…

    • João Simão says:

      Ainda bem que há licenciados e peritos em economia a comentar este assunto. Assim talvez me possam esclarecer uma questão:

      Se estamos a falar de aplicações gratuitas onde está primeiro a concorrência, segundo o mercado, terceiro a economia e quarto o lucro?

      É mesmo uma pergunta, gostava de ver estas dúvidas esclarecidas por alguém competente na matéria.

      É que eu enquanto povo. licenciado em comunicação, não percebo muito bem o problema concorrencial aqui é quem consegue oferecer mais? Não falamos em mercado quando há dinheiro (compra e venda) envolvido? A economia não se preocupa com transacções económicas ou agora também estuda e regula os downloads de browser e a sua utilização? E por ultimo que lucro haverá para uma luta tão acessa por uma “posição dominante”?

      • Rui Brás says:

        Não é uma questão de ser licenciado ou não na matéria, é sim de investigar e pensar um bocadinho. A UE não se lembrou de repente que havia de passar a vida a chatear a Microsoft. É absurdo as pessoas pensarem assim. Existem inúmeros casos de direito da concorrência e, mais concretamente, de abuso de posição dominante. Esta norma não apareceu hoje ou ontem: tem dezenas de anos.

        Vamos começar pelo fim: há lucro, basta olhares para o Firefox que em 2007, através do motor de busca da Google que nele está incorporado, gerou 66 milhões de dólares. Outro belo exemplo é a Opera Software que se dedica exclusivamente a criar as várias versões do browser Opera e que em 2008 obteve lucros de quase 10 milhões de euros.

        Este é um mercado como outro qualquer e no qual há muito dinheiro em jogo. O produto é gratuito para o consumidor mas é rentável para o produtor.

        • João Simão says:

          Efectivamente mas a concorrência destina-se a proteger os consumidores e a equilibrar o mercado. A iniciativa da MS em incluir o IE com o windows foi uma grande campanha que lhe deu a importância que tem hoje. Mas não vejo tratar-se de um abuso se formos por esse prisma todas as aplicações gratuitas que o windows trás teriam de ter um instalador que indicasse produtos da concorrência.

          Diziam à pouco que a Google não abusa da sua posição dominante. Se a microsoft não pode pre-instalr os seus produtos num serviço base que é o SO, a Google também deve dar a escolher qual a publicidade que quero ver no seu produto base que é a pesquisa. Estou a ir para extremos incomparáveis. Mas vejo argumentos aqui que são ainda mais disparatados.

          E apesar da posição maioritária da MS não acho justo que exista tratamento discriminatório se é valido para uma tem de ser válido para todas. Assim é que se equilibra o jogo…

          • Rui Brás says:

            Trata-se de um abuso na medida em que utiliza o extremo poder que tem no mercado dos sistemas operativos para conquistar o mercado dos browsers. É uma arma “desleal” face à concorrência.

            Mais uma vez repito: não se aplica aos restantes (aqueles que não têm posição dominante) porque estes não têm o poder de manipular o mercado dos browsers através do seu sistema operativo. Por exemplo, Linux não pode “inundar” o mercado dos browsers com o Firefox porque é um SO que não tem quota de mercado para isso. É esta a grande diferença e que faz com que se coloque “um freio” ao poder avassalador do que domina um determinado mercado para que este não se aproveite disso para conquistar um outro mercado de forma artificial e injusta.

            Quanto à questão dos restantes programas que se encontram no Windows: será sempre uma questão de ver no caso concreto se estão ou não preenchidos os requisitos: se há abuso ao coloca-los lá; se está ou não a prejudicar os concorrentes (se alguém se queixou, se os produtos concorrem realmente um com o outro), se está a travar o desenvolvimento tecnológico nesse mercado, etc, etc. Cada caso precisa de ser analisado cuidadosamente para concluir ou não pela necessidade de intervir e corrigir.

  29. gotamaluko says:

    Ainda não houve ninguém que respondesse à minha pergunta: Mas afinal quais vão ser os browsers a escolher?

  30. Yuy says:

    Penso que esta é uma boa solução, porque dá visibilidade a todos quanto desenvolvem programas para visualização de páginas WEB.
    Promove por tanto a divulgação, fará com que muitas pessoas / empresas se procurem informar sobre as vantagens / desvantagens e impulsionem o desenvolvimento de aplicações cada vez melhores.

    Espero contudo que o ecrã de escolha vá buscar a versão mais recente directamente aos servidores dos fabricantes, e caso estes deixem de existir a Microsoft tenha forma de informar o programa de instalação desse facto e de só oferecer as opções existentes em cada momento.

  31. mmick says:

    Eu simplifico isto: o Windows 7 (apesar de pago) é o MELHOR e MAIS COMPLETO sistema operativo de sempre e o melhor que a Microsoft já fez. PARABÉNS! Há outros pagos (OSX, etc) e gratuitos (Linux) com as suas vantagens e desvantagens e no final nao vencem o W7.
    Relativamente aos browsers: já experimentei muitos e o Internet Explorer 8 é muito muito bom e muito rápido. Nao é preciso outro *mas* ainda bem que há possibilidade de escolha para quem preferir outros: Firefox, Safari, etc.
    Ás vezes uso Safari e Firefox mas retorno ao IE8…é o que mais me enquadro e nunca me deixou mal, nunca!
    Parabéns Microsoft e o Windows 7 + IE8 é o conjunto que nao me importo de pagar porque realmente é material muito bem feito.

  32. João Simão says:

    Não percebo ódios nem paixões pela microsoft. Tal como a maioria de todos os visitantes do pplware a primeira experiência que tive com computadores foi com windows e a democratização do Computador Pessoal deve a esse SO. Sejamos moderados…

    Quanto à União Europeia obrigar a Microsoft a dar a escolher outros browsers na instalação do PC? É simplesmente ESTÚPIDO. Eu uso maioritariamente do FireFox, tenho instalado o Chrome, o Safari, o Opera e é claro o IE8. Ora se eu consegui instalar todos estes browsers todos conseguem… o windows não me bloqueou nenhuma instalação.
    Agora adivinhem como eu os instalei? Abri o IE instalado de origem, fui ao site da Mozilla, fiz o download do FF e instalei. Será que há pessoas alérgicas ao IE ao ponto de morrerem por terem de o usar 1 minuto?
    Esta caça às bruxas à microsoft é simplesmente infundada… Será que a MAC também tem de ter uma janela para se poderem escolher os Browsers a usar? Se não porquê? E as distribuições linux? O Fedora 11 KDE apenas trás o Konqueror.

    Mais uma vez repito sou diariamente utilizador windows, mac e linux. Não tenho ódios nem paixões.

  33. Ricardo says:

    Então e se a microsoft deixar de ser dominante? ja pode incluir o IE no sistema operativo?? lololol

    Que teorias da treta, se a união europeia andasse preocupada em resolver a sua situação economica, em criar mais autonomia, e em resolver os abusos por partes dos governos e outros que tal, para nos sobrar mais dinheiro nos bolsos e termos um ordenado mais decente! eram uns grandes homens, agora andarem a guerra por causa de browsers gratis! Tenham paciencia, por causa de politicas sociais exageradas é que a Europa está a bosta que está!!

    • CarlosMC says:

      Segue o que te diz o coração: vai para os EUA 😀 Oh, não, está na mesma (ou pior), porque será, alí?…

    • Nuno says:

      Ricardo,
      ” Então e se a microsoft deixar de ser dominante? ja pode incluir o IE no sistema operativo??”

      exactamente, e isto porquê? Porque aí a posição da MS já não influencia o mercado.
      No entanto se caso a Apple passasse a ter a tal posição dominante, aí também se calhar já não podia incluir apenas o Safari como browser.
      Se fosse o Linux a ter a tal posição dominante, nesta situação já não seria necessário obrigar a incluir várias opções de browsers (ou outro programa) porque isso é o que acontece naturalmente.

  34. pph says:

    Ridiculo isto.

    Andam os gajos da comissao europeia na mama, para perderem tempo com este tipo de coisas.

    Sera que estamos mais bem servidos por terem dobrado a microsoft nesta questao? Ganhamos alguma coisa? A nossa vida melhora?

    Enfim….ainda bem que ganham como ganham por la.

  35. RoB says:

    Como não se trata de uma imposição da EU mas sim uma sugestão da MS julgo que a MS sabe o que está a fazer.
    Esta ideia e os litígios entre a MS e EU não me afecta minimamente porque me incluo na minoria que apesar de ter poucas alternativas para pagar apenas pelo que quero ter, sei o que quero comprar, sei o que aceito e o que utilizo. E tenho capacidade para chegar às alternativas porque não sou uma mente fechada.

    Mas o problema poderia ser abordado de forma diferente, em relação à posição dominante da MS, como se diz, cortando o mal pela raiz! Ainda tenho esperança que um dia seja possível adquirir qualquer computador livre de qualquer sistema operativo quer ele seja dominante ou não, quer ele seja Americano ou Europeu. Isso contribuirá para eu melhor saber o que estou a comprar e ter a noção de quanto estou a pagar por isso. Era mais que bom chegar a casa com a factura descriminando o custo do computador e o custo da licença do sistema operativo se aplicavel.

    1) Ler as instruções. Ok, normalmente desempacotamos montamos e ligamos, só pegamos nas instruções quando algo não funcionar como era de esperar.

    2) Pegar no DVD OEM que nos foi fornecido e colocar-lo na gaveta para as chávenas do café.

    3) Ler o EULA e aceitar

    5) Raspar a etiqueta magica que acompanha o DVD para sabermos o código que nos permite continuar a instalação do sistema ou não raspar caso não se aceite o EULA e devolvemos o o DVD e recebemos o nosso dinheiro de volta.

    4) Aguardar que o sistema operativo que pagamos em separado seja carregado para o disco sem qualquer intervenção do utilizador.

    5) Pronto a usar para o comum dos utilizadores.

    Esta ideia não afectaria o consumidor, só faria com que os fabricantes oferecessem mais opções de escolha e preços mais competitivos entre produtos iguais com sistemas diferentes.

    É o meu ponto de vista, cada um tem o seu, suas crenças e ideologias.

    • CarlosMC says:

      O que devia haver, na minha opinião, eram normas para SOs, (e computadores, em si) como há para qq outro produto desta importância (e não só): o que faz, o que não, como faz, como não, o que inclui, o que não, segurança de dados, privacidade, etc., o que não impediria a criatividade, mas asseguraria a qualidade.

      E, principalmente, a obrigação para os fabricantes de material de, ou produzirem controladores para os distintos SOs, ou disponibilizarem todas as informações necessárias para estes serem produzidos por outros, sem custo para os utilizadores, e ANTES dos produtos sairem para o mercado – ESSA é que é a verdadeira questão no que se refere à posição dominante do Windows, não os abusos da MS.

      Com isto sim, se ia poder escolher o melhor SO.

  36. RoB says:

    Caro moderador, os meus comentários estão a ser moderados só porque não vou à missa? Ou porque não tenho a mesma opinião que a igreja católica?

  37. CarlosMC says:

    Este país…

  38. Daniel Pontes says:

    90% dos utilizadores nem sabe o que é um browser…

  39. Ozi says:

    Não tenho ódio contra a Microsoft, mas não sei se já deram conta que a razão principal não foi um melhor serviço aos utilizadores, embora ate se tenha traduzido nisso. Ou seja a razão para terem incluído os browers na minha opinião foi só para não perderem mais dinheiro por causa da CE, como é óbvio. Acho muito hipócrita da parte desta empresa só o fazer agora, tendo estado sempre atrás da concorrência a léguas de distancia por exemplo do seu concorrente directo Firefox ( não a nível de utilização, porque isso parte do conhecimento de cada um e do que lhe põem a frente), e só neste momento por essa opcao em que tem um browers bom ( sempre utilizei outros browers como o safari, Mozilla, opera, chrome etc… e reconheço que este IE8 me surpreendeu, sobretudo a rodar no Windows 7, que é o que uso actualmente já desde a versão antes da 7000 🙂 ).
    Resumindo, boa iniciativa —>SIM! Mas nao pelos melhores motivos.
    Comprimentos a todo o pessoal do pplware.

  40. Nuno says:

    O que eu acho engraçado é que a maioria do pessoal que defende a M$ e a sua posição dominante e que acha muito bem, foi tudo por mérito e quem não quer que escolha outra alternativa e blá blá blá (whiskas) blá blá blá, quando se fala na PT já a opinião muda radicalmente (pelo menos aquelas pessoas com quem eu tenho falado)… já são uns parasitas e dominam o mercado e não valem nada. Ou seja para 2 situações iguais têm opinões diferentes. Já não há aqueles argumentos de só compra quem quer, se eles chegaram onde chegaram foi por mérito e etc.
    E como toda a gente sabe a PT é obrigada a instalar a linha até casa do cliente, mesmo que o cliente queira ter outro operador. É também obrigada a fornecer qualquer cliente em qualquer parte do país que queira ter telefone. É igualmente obrigada a reservar uma parte das centrais para os outros operadores instalarem lá equipamento.

    • Filipedgb says:

      A microsoft costuma telefonar-te às 11 da noite a perguntar-te se estás contente com o Windows? Pois…mas a PT faz… e isso sim, é impingir e invadir a privacidade das pessoas.

    • mmick says:

      A PT nao tem nada haver porque é por moldes diferentes: a PT foi a única a criar infra-estruturas e é a única que tem poder suficiente (€€€) para que o Estado possa obrigar a instalar telefones, linhas. A PT já foi do Estado e o estado investiu milhoes para que houvesse linhas telefónicas logo, como agora só progressivamente os outros operadores (muito mais pequenos) vao tendo linhas dedicadas, ainda muito assenta nas linhas da PT (ex-Estado, logo ex-nossas). A questao é que a PT (e a Telefónica em Espanha, etc) abusam desse poder para manipular preços, etc.
      No caso da Microsoft -tirando marcas conhecidas- os PCs podem vir sem SO e só pagas o hardware. Ou podes comprar as peças tu e podes (ou nao) instalar o Windows.
      Aliás, SEM WINDOWS continua a haver PC, Peças, outros SO. No caso da PT sem linhas nao há nada.
      No caso da Microsoft o browser, media player, etc fazem parte do programa! E podes desinstalar alguns componentes e podes instalar outros que queiras!!!
      E nao vejo o ódio pela MS: se nao querem Windows comprem PC´s ás peças ou de marcas que nao o incluem (que sao muitas)!.

    • Nuno says:

      Como eu escrevi no comentário anterior e vocês estão a confirmar, para a mesma situação, ABUSO de posição dominante, as opiniões são diametralmente opostas. A M$ tem toda a razão mas a PT não tem razão nenhuma!?!?!?!?!

    • CarlosMC says:

      O mesmo se pode dizer de quem reclama contra a Zon/Netcabo: não gostam, mudem; não podem, não comprem… (segundo a lógica “vigente”) 😛

  41. Uma coisa, será que a opção do browser é apresentada na instalação do Windows?

    É que se assim for as pessoas que compram o computador com o sistema já instalado não poderão escolher… e o mais certo é que já venha com o IE instalado visto que será a primeira opção na lista.

    Seguinte Seguinte Seguinte Finalizar ‘Windows Instalado’.

    E mesmo que seja pós instalação os utilizadores básicos acabaram por escolher o primeiro e/ou então o nome que conhecerem na lista, que será o IE.

    De qualquer maneira acho que foi dado um passo contra o abuso de poder da Microsoft.

    E já agora não façam comparações ridículas com marcas de carros e supermercados.

  42. Filipedgb says:

    Daqui a pouco obrigam a Apple a fazer mac’s com opção para instalar windows ou assim alguma coisa ainda mais idiota… Já agora tão a impingir o Mac OS nos seus produtos eheheh (gozo) 😉

  43. mmick says:

    Ninguém é santo mas há que ver uma coisa:
    Eu compro um Macbook e vem com o OSX e Safari, entao porque nao vem sem SO? Porque nao é o mesmo que a Microsoft?
    Eu compro um Nokia avançado e vem (99%) com o Symbian e browser, porque nao vem com Linux e outro browser?
    Eu compro uma PS3 e vem com SO e Browser já! Entao??? Isto nao é manipular?
    OK, os PCs deviam ser OBRIGADOS a vir sem SO e a vir só com um CD com drivers/software que preferissem. Depois as pessoas poderiam comprar um Windows, meter Linux, etc MAS ISTO DO BROWSER é demais!!! Ou seja, a UE em vez de incidir na obrigatoriedade de vir sem SO obriga o Windows a vir sem browser??? Entao que obrigue todos os outros produtos (telemóveis, OSX, distros de Linux, etc) a virem sem browser! Senao daqui a pouco o Windows tem que vir sem browser, sem Media Player, sem calculadora, sem notepad, sem wallpapers, etc que é por causa da concorrencia!!!
    Que palhaçada, a sério… é mesmo roubar dinheiro á descarada…

    • 3biz says:

      e até digo ao contrario.
      porque nao podes meter osx num pc teu?

      para teres osx és obrigado a comprar hardware.
      é exactamente o inverso do que a M$ faz, para mim areia do mesmo saco!!

  44. Daniel Martins says:

    Acho isto uma total palhaçada e uma demonstração cabal da falta de competência da entidade reguladora europeia.
    Se se preocupassem em permitir aos consumidores a escolha do SO pré-instalado no acto da compra de um PC, ou em exigir a compatibilidade dos BootLoaders entre outras questões que me tiram verdadeiramente do sério…
    Não os vejo a intervir quando a Google usa da sua posição dominante no “mercado” de motores de busca para colocar outros produtos na ribalta (Gmail, Gdocs, etc….).
    Abriram um precedente e agora ou vão agir em comformidade nos restantes casos, ou vai tornar-se muito claro que têm um ódio de estimação pela Microsoft.

    • mmick says:

      Ora nem mais

    • Nuno says:

      A minha dúvida é a seguinte, quanto é que tens de pagar à Google para usares os ses produtos?

      • Daniel Martins says:

        A minha é a seguinte: quanto é que custa o Internet Explorer? E o Firefox? E o Opera?…

        • Nuno says:

          O Firefox e o opera são grátis (eu uso Linux), o IE custa, pelo menos, a licença do Windows 🙂

          • Daniel Martins says:

            E se o IE for instalado noutro SO?
            Para todos os efeitos o IE também é gratuito.

          • Nuno says:

            Qual outro SO? Posso instalar o IE no Linux? Existiu (não sei se ainda existe) uma versão para Mac, que além de ter tantos bugs tinha sempre de pagar a licença do MAC. Portanto teres IE grátis como podes ter Firefox, Opera e outros ainda não consegues.

          • Daniel Martins says:

            Continuo sem te perceber.
            Então o Chrome tambem não é livre, só porque para já só pode ser corrido em windows???
            E podes sempre correr o IE no Linux, basta quereres.

          • Nuno says:

            Vou ver se me consigo explicar 🙂

            Para começar não confundas livre com gratuito, o Opera e o IE são gratuíto mas não são livres, já o firefox é livre e gratuíto.
            Obviamente que eu estava a ser sarcástico em relação ao IE ser gratuíto e o chrome tam o mesmo, embora me tenha esquecido do Wine e como podia usar o IE no Linux.
            Em relação ao Chrome eu não o mencionei e enquanto não houver versão para Linux, o “preço” dele é igual ao do IE 🙂

          • Daniel Martins says:

            Jura?
            Eu sei que ao falar do Chrome falei em livre, mas foi um engano.
            Até porque toda esta discussão tem a ver com o “mercado”, e logo com o “preço” dos browser.

      • CarlosMC says:

        Para te dizer a verdade, começo a ficar bastante farto do Google – por ex.: procurei por “trial bike” e só encontrei jogos online… “trial moto”, e pouco mais do que vídeos… qq procura, mesmo em .pt está completamente contaminada por conteúdo brasileiro (e nas notícias, ídem, aspas), sem que o contrário aconteça – o Google, para mim, já deu, em termos de eficácia – está completamente contaminado e abusado e nem permite qq personalização/afinação digna de nota (ao contrário do Exalead, por ex.), infelizmente não há grandes alternativas em termos de cobertura.

    • CarlosMC says:

      A questão é essa: a CE só reagiu a uma queixa da Opera, não agiu iniciativa própria, e, como disse acima, devia era haver regras para SOs e fabricantes de material, que é onde começa o problema.

  45. redefoca says:

    Uma coisa é verdade, se fizerem estudos, exista ou não este “favor” do Bill Gates, os consumidores tratavam de eliminar o que vinha no pc e colocar um ao seu gosto, isto é um tapa olhos para a união europeia, porque como diz o Publico, citando entidades, eles já não estão tão fortes e estas coisas são o minimo para eles. Basicamente acho que nã é favor nenhum o que a microsoft está a fazer, e podia fazer bem mais, se não fosse uma empresa que produz dinheiro, pode ser com o decorrer dos tempos pensem em se mostrar como uma empresa que faz tecnologia e investigação para as pessoas, e não a vende nem faz politicas egoistas.

    se calhar o que digo pode ser forte, mas custa-me a ver os acordos que eles fazem com os governos, só para terem exclusividade, e custa a ver os preços tão alto que praticam e ver que tentam de tudo para bloquear a concorrencia.

    http://reviravolta.net

    • CarlosMC says:

      A necessidade aguça o engenho, diz o ditado, e nada como perder popularidade para se mostrar humilde (mesmo que contrariado) – será que o Sócrates é exemplo disso?

  46. Nuno says:

    Em alguns comentários atrás foi escrito que a continuar assim qalquer dia para cada programa actualmente instalado pelo windows tem de passar a haver alternativas na própria instalação. Mas o engraçado é que isto foi escrito como uma opção nagativa?!?!? Quando, por exemplo o Linux, é isto mesmo que faz, quando estamos a instalar escolhemos todos os programas que queremos que sejam instalados, desde o browser até ao próprio ambiente de trabalho. nada é impingido ao utilizador.

    • CarlosMC says:

      Num país que (diz que) tem saudades do Salazar…

      • Nuno says:

        CarlosMC,

        Essa frase até me provoca dores de barriga, mas melhor que essa só a outra que diz que nem 2 Salazares endireitavam isto:)

        Mas se calhar o problema e mesmo esse, as pessoas não querem pensar. Por isso até acham bem que lhes inpinjam tudo e mais alguma coisa.

        • J.C says:

          as pessoas querem é trabalhar e resolver os seus problemas da forma mais rapida possivel, sem ter de se informar acerca das multiplas opçoes que tem. Querem algo que funcione e mais nada e com u minimo de perguntas possivel.

          A grande maioria das distribuiçoes de linux hoje em dia nao te da opçao a partida de que browser instalar, a nao ser que escolhas a opção de costumizar a instalação, o que a granbde maioria que começa no linux nao faz. Normalmente ha dois browser instaados. O do GUI escolhigo (KDE o Gnome normalmente) e o Firefox.

          A MS agora quer dar o poder de escolha indo de encontro ao que quem a acusa de concorrencia desleal advoga. Agora quero ver se no linux tb vai aparecer copm a mesma simplicidade a mesma opçao de escolha. E já agora nos Mac tb. Os bons exemplos devem ser seguidos. Tendo ou nao posiçao dominante no mercado.

          • Nuno says:

            J.C.
            A minha frase não tem tanto a ver com esta qustão do IE vs outros browsers, mas sim com aquelas pessoas que acham bem que alguém lhes impijja tudo sem questionar o porquê, e ainda criticam se aparecer alguém a questionar o porquê de ser assim.
            Em relação aos browsers a MS só está a fazer isto por obrigação e se fosse fazer isso para todos os programas desta forma a instalação ficava medonha.
            O Linux oferece-te os programas por defeito que tu ou aceitas ou escolhes outro, mas dá-te sempre a lierdade de escolha, embora nós saibamos que 90% das pessoas instala tudo por defeito.

  47. Jaime says:

    Tava farto de instalar o Firefox

    Mas como desvantagem ah coisas que obrigam o uso do IE (ou simplificam o seu uso com o mesmo o que é a mesma merda que dizer que estamos obrigados a usar IE)

  48. Eric says:

    News: Vista e XP ‘também’ terão navegadores alternativos

    “A Microsoft publicou em seu site hoje (http://www.microsoft.com/presspass/presskits/eu-msft/docs/07-24-09Commitment.doc) os detalhes sobre sua proposta para a Comissão Européia no caso antitruste envolvendo a inclusão do IE no Windows.

    No dia 24 de julho foi confirmado que a Microsoft incluirá uma lista de navegadores alternativos no Windows 7 como parte do acordo sobre o caso. A posição original da Microsoft era a remoção do IE no Windows 7, que seria lançado como Windows 7 E.

    Agora além da adição da tela com a lista dos navegadores ao Windows 7, a Microsoft propôs que ela também seja adicionada ao Windows Vista e Windows XP para os usuários europeus.

    Se a proposta for aprovada, a tela será adicionada ao Windows Vista e ao Windows XP através de uma atualização distribuída pelo Windows Update.

    Ao clicar em um dos navegadores disponíveis na lista, ele é baixado e instalado no computador do usuário. Os OEMs também poderão optar pela instalação de outros navegadores ao invés do Internet Explorer.”

    Fonte: http://www.baboo.com.br/absolutenm/templates/content.asp?articleid=35921&zoneid=221&resumo=

    Apesar dessa fonte puxa o saco pro lado da microsoft a noticia é autentica.

    Parece que a ordem da lista de navegadores será por ordem de dominancia no mercado, ou seja, respectivamente internet explorer, firefox, safari, google chrome, opera e outros.

    • aver says:

      Bom. Então o “Ballot Screen” (ecrã de escolha dos browsers) terá, destacados, os 5 browsers com maior quota de mercado na União Europeia e mais os que tenham uma quota de mercado superior a 0,5%, desde que o total não exceda 10.

      Quem determina, semestralmente, as quotas de mercado “é uma fonte comummente acordada entre a Microsoft e a Comissão Europeia”. Vai ser giro ver as confusões que isto vai dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.