PplWare Mobile

Vodafone: Nova tecnologia OpenRAN pode diminuir fatura do cliente


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. André says:

    “Desta forma pode oferecer preços mais atrativos aos clientes finais no futuro”
    Ou então cobrar o mesmo que as outras mas ter maior margem de lucro 😀

  2. Rui says:

    Fantástico 😉 Quando a Huawei e outros fabricantes já estão a preparar as especificações para o futuro 6G estes vêm falar de 2G e 4G para as zonas rurais?!! Já se está a ver todo um valor acrescentado agora que avançamos a passos largos para o IoT. Não me parece que vá ter sucesso. Enfim mete Intel americana e Vodafone britanica e isso poderá explicar a notícia.

    • Filipe says:

      Na minha opinião a huawei neste momento fala demasiado principalmente quando está com problemas relativamente aos seus futuros telemóveis não terem serviços da google e não haver possibilidade **pelo menos atualmente** de o utilizador instalar os serviços caso queira(compreendo que para muitos isto seja ótimo, mas para o mercado geral é uma desvantagem). E além disso, é tudo muito bonito falar de 6g, quando o 5g ainda nem está completamente implementado ou até mesmo funcional comparando com 4g pelo menos. E sabendo o país em que vivemos, em que a realidade adsl ainda existe bastante, e zonas que apenas têm 2g, vai ser uns longos tempos até se tornar usável.

    • mmendez says:

      Não sei se percebe que o 5G é nocivo a saúde humana não foi por acaso que a Bélgica parou a implementação do 5G antes de se efectuar mais estudos.
      Eu não faço tensões de comprar equipamentos 5G

      • Joao Ptt says:

        Mesmo sem o equipamento 5G a radiação vai estar por toda a parte, terão de colocar centenas de milhares, talvez milhões de antenas tal é a pouca área que aquilo cobre nas frequências mais elevadas.
        Nas frequências normais, é mais ou menos o mesmo número de antenas.
        Conhecendo-se a como funcionam as operadoras, quem não tem agora o 2G/ 3G/ 4G, pode contar que o 5G também não deverá aparecer.
        Felizmente o satélite por toda a parte está prestes a tornar-se uma realidade e para muitos passará a ser a verdadeira alternativa às “Internet Móveis” que nunca lá irão chegar, e se chegarem é com “aquela” (não) qualidade que já muitos conhecem.

  3. MMM says:

    Quem iniciou o Open RAN foi a Nokia e a Huawei é a única que não participa.
    Muito giro para laboratório e inovação, mas quando o custo de integração, baixa performance e limitação nas funcionalidades disponíveis acaba mata antes de nascer.

  4. SANDOKAN 1513 says:

    Pelo menos foi a primeira operadora a iniciar esta nova tecnologia em toda a Europa !! Foi a pioneira.E não esquece quem mais precisa,que são as pessoas que vivem nos meios rurais.Muito bem,Vodafone !! 🙂

  5. Maritns says:

    “ver-se livre da Huawei, Ericsson e Nokia” e abraçar a INTEL!?

  6. Luís Filipe says:

    Só para rir, a PT já a alguns anos que o material que está por detrás de alguns pontos finais de cliente já é PT-inovação e alcatel. Em relação a Huawei nesta altura devera ter 80% da rede desde o Core principal até a BTS ou no caso de IPTV até a casa dos clientes, estaría a Huawei preocupada com não quererem utilizar a sua tecnologia? Na regra geral, baixo custo=baixa qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.