PplWare Mobile

VLC para iOS com dias contados


Autor: Vítor M.


  1. Lourenço says:

    deixa-me só ir fazer o download po iphone, apesar de n ter!…
    pk para ipad ja ca canta!…

  2. ApacheDraco says:

    LOl “Ao que este programador reclama, numa notificação oficial enviada à Apple, é de que esta infringe as regras…”.
    Este Rémi Denis-Courmont deve ser “parvo” ou quer dar o golpe do baú.

    O mundo cada vez está pior…

    • a Friend® says:

      Ironico… depois os sistemas propriétarios é que são cheios de regras e atentados à liberdade… 😀

      • scheldon says:

        Tens razão, dar as pessoas direito de acesso livre a um conhecimento é algo autoritário….

        É cada uma, que até parece duas, tem applebixa que se esforça pra ser retardada.

    • jorge santos says:

      O contrato GPL é um contrato de urilização como outro qualquer. Como tal, deve ser cumprido.
      O que ficou bem demonstrado foi a ignorância de quem programou a versão para a App Store, tendo ignorado o contrato de utilização GPL.

      Acho muito bem que o programador original do VLC faça valer os seus direitos, e de toda a comunidade opensource, respeitando o GPL.
      Existem regras e estas têm de ser cumpridas, sob pena de entrarmos numa anarquia. E para os “defensores” da anarquia deixo aqui o exemplo máximo do que é uma anarquia: Somália.

    • Daniel Martins says:

      Jesus…
      O homem desenvolveu o VLC e fez-lo grátis e mais importante livre. Mas não! O que ele quer é “dar o golpe do baú”…

      • linch says:

        Não se trata de dar o golpe do baú trata-se de assumir uma posição em relação ao appstore da apple que é bastante injusto para as equipas de desenvolvimentos (já foi amplamente discutido).

        O VLC é gratuito porque a equipa assim o quis e para garantir que assim continua e proteger os seus direitos existe a licença GPL que a AppleStore não cumpre de todo!

  3. Redhawk says:

    Já a saquei faz uns dias e já foi pelo mesmo caminho.
    Não permite ler legendas… pelo menos da versão do iphone. Continuo com o CineXPlayer que apesar de pago, é incomparavelmente superior (único defeito até agora é o facto de não reproduzir som AC3). Quem tem JB feito existe nos locais habituais.

    • Vítor M. says:

      Bom, ainda não testei no iPhone, mas no iPad permite ler legendas.

      • jorge santos says:

        A aplicação multimédia nativa do iPhone também permite ler legendas 🙂 . Não precisam do VLC para nada 🙂 no Mac ou num iPhone/iPad.

        1) Basta converterem o vídeo para o formato M4V (penso que MP4 também dá) com a resolução do iPhone ou iPad pretendida.
        2) Terem o ficheiro de legenda no formato SRT.
        3) Usando o SUBLER (http://code.google.com/p/subler/) abrem o ficheiro de vídeo a adicionam o ficheiro de legenda (podem ser vários idiomas: Inglês, Português, etc). Gravam, o que demora 1 segundo 🙂 e estão prontos para ver o vídeo com o QuickTime Media Player e tranferi-lo para o iPhone.

        As legendas ficam gravadas no ficheiro M4V e disponíveis para serem visualizadas quando o utilizador pretender, inclusivamente no iPhone. E é possível mudar o idioma da legenda em qualquer altura, se tiverem gravado 2 ou mais legendas.

        Com isto, acaba-se a necessidade dos ficheiros de legendas externos.

        • Vítor M. says:

          Interessante… desconhecia. Isso dá um post. Se quiseres fazer este pequeno comment em jeito de post, com mais desenvolvimento e imagens, publicamos isso.

          Que me dizes?

        • Redhawk says:

          Acredito piamente que sim, mas para quê ter tanto trabalho quando tenho uma app que apenas coloco o ficheiro de video e o das legendas com o mesmo nome e tenho o que pretendo sem qualquer problema? Isso como dizes é uma forma de contornar o problema e ver na aplicação nativa os filmes que pretendemos com legendas. Eu faço “mea culpa”, nisto sou preguiçoso, assumo isso, quero app’s que me permitam fazer aquilo que pretendo sem grandes voltas nem problemas. Chegar, colocar e fazer. Simples.

        • Pedro S. says:

          Estás-te a esquecer do passo em que temos que aguardar horas pela conversão para o formato que a Apple quer, dependendo do tamanho do vídeo.

  4. afrsa says:

    Que palermice! 🙂

    Bom… ficamos à espera para o Android… apesar de haver outras muito boas alternativas… que suportam legendas, por exemplo!

    • jorge santos says:

      O iPhone também suporta legendas. Num post acima explico como o conseguir facilmente.
      O VLC não é preciso para nada num iPhone. Até me admiro o porquê de tanta excitação por algo que nem num Desktop é preciso…

  5. Acima de tudo, considero uma grande falta de respeito por quem perdeu o seu tempo a programar uma aplicação para ser distribuída gratuitamente.

  6. Capitão Trovão says:

    Não acho “palermice” nenhuma, acho que se a licenca diz que “projectos Open-Source não podem ser distribuído com DRM” o gajo que fez o port para iOS tomou a decisao correcta.

    Se souberem o que e o DRM sabem que vai contra “tudo aquilo” que a FSF defende.

    a Friend®:
    “Ironico… depois os sistemas propriétarios é que são cheios de regras e atentados à liberdade…”

    Por estarem cheios de regras e atentados à liberdade é que ele retirou o VLC.

    Repara, provavelmente tens o codigo do VLC, para iOS, na net, só tens que sacar, compilar e meter no teu iPad/iPhone/iPod.

    Não custa nada!

  7. CMatomic says:

    onde ta o meu itunes para linux, lol , bem-feita , queriam não queriam a papinha toda feita agora compilem lo como eu faço , o ipad é difícil de instalar coisas tanta treta de direitos

    • a Friend® says:

      Então os aficcionados pelo Open-Source não são tão Geeks?
      Programem um iTunes de raiz e compilem…ou queriam a papinha toda feita? 😀

      • jorge santos says:

        Já existe e chama-se Rhythmbox 🙂 . E nem sequer é preciso compilar porque todas as grandes distribuições Gnome já o trazem pro defeito 🙂 .

      • a Friend® says:

        @jorge santos

        Eu sei 😉

        Estava só a ser ironico, porque ele estava a comparar uma coisa que não tem mesmo nada a ver e distorcer a realidade que estamos a falar aqui, que é uma App portada propositadamente para o iOS (por eles próprios) e de seguida retirada porque se lembraram que infringe uma regra GPL…

        Como se costuma dizer, primeiro convém pensar.. depois agir. Quem fica a ganhar é quem pega agora nesse código e o vai injectar no Cydia… já lá existia um VLC mas não era tão “rico” quanto este… 😀

      • JPedrosa says:

        como se já não existisse …

    • jorge santos says:

      Mas mesmo em Linux não preciso comilar nada…
      O Totem consegue ler tudo que seja multimédia, basta ter os codecs Gstreamer instalados a partir dos respositórios.

      • jorge santos says:

        “repositórios”.

      • jorge santos says:

        “compilar”.

      • Capitão Trovão says:

        Eles tb podem compilar o VLC para o iOS, nao o podem é meter no iP* a menos que facam jailbreak (se nao me engano lol).

        como diz o afriend:
        “Vá-se lá perceber a mente desta gente, (…) chamo a isso grande pancada mesmo.

      • a Friend® says:

        Capitão Trovão

        Se calhar não percebeste foi a parte que eles tiveram o trabalhão de compilar o VLC para o iPad… seguido do iPhone… enviaram para a AppStore por duas vezes em espaço de diferença de quase um mês, para aprovação, foram aprovados, e agora um deles lembrou-se que é melhor os retirar.

        Tanto tempo, tanto trabalho envolvido e agora jogam esse trabalho para o lixo? Andaram a trabalhar para aquecer.. só pode.

        Se achas que isso faz sentido… então não tenho nada a acrescentar. Eu se tivesse uma App e não aceitava as politicas da Apple, nunca sequer teria mexido uma palha… ficava quieto no meu canto.

        No fim disto tudo, quem ficou a perder foram eles…a Apple continua na deles.. os utilizadores continuam com alternativas umas boas e outras BEM melhores… e a equipa do VLC fica a anhar porque foram os que tiveram o trabalho todo para nada… fizeram figura de parvos.

        • Capitao Trovao says:

          Tu só sentes falta das coisas que já tiveste.

          Se eles tivessem ameaçado que iam fazer e depois não faziam por causa das politicas da Apple.

          tu ficavas na mm, tavas-te a cagar lol.

          Agora viste o resultado e querias mais, e eles retiraram.

          Claro que a Apple se está a cagar, porque eles não se preocupam assim tanto com os clientes, mas os clientes mais atentos se calhar da próxima pensam 2 vezes antes de comprar um produto da Apple.

          Sim, porque mesmo depois de teres pago por ele, não és tu quem decide o que podes lá ter.

          Se fosses, podias pegar no código que eu meti lá em cima, compilar e tinhas um VLC player no teu iP*. =)

  8. DiaZ says:

    Este pplware está com uma quantidade enorme de comentários estúpidos e de gente que nem sabe do que se está aqui a falar.

    Façam o vosso homework antes de virem paqui mandar bitaites que só vos faz parecer mais ignorantes.

    http://www.fsf.org/blogs/licensing/vlc-enforcement

    O que vale é que existem pessoas e organizações que ainda se importam com a liberdade informática de todos independentemente de estas se importarem e acharem parvas estas acções, senão estaríamos ainda pior se estivesse tudo nas mãos dos utilizadores que não querem pensar no assunto.

  9. JPedrosa says:

    Aqui a única coisa que falhou, foi o levantamento de requisitos para o port.

    A empresa devia saber, que ao colocar a App nos servidores da Apple, ia deixar de respeitar o licenciamento GPL.
    Portanto, ou alteravam a licença ou não se davam ao trabalho.

    Não me parece que agora meter as culpas na Apple seja grande ideia. Ainda se a Apple tivesse mudado as regras do jogo, depois do port, ainda era como o outro … agora, nada mudou entre o port e esta tomada de decisão.

    Que a Apple não cumpre as regras do GPL já todos sabem, ou é “the Apple way” ou é “no way”, é o que temos, quem gosta, gosta, quem não gosta, mete à borda do prato.

    A Apple nestas situações encosta literalmente os programadores à parede, ou perdem esta fatia de mercado, ou aceitam as regras deles, porque eles não cumprem as regras de ninguém.

    • a Friend® says:

      “A empresa devia saber, que ao colocar a App nos servidores da Apple, ia deixar de respeitar o licenciamento GPL.
      Portanto, ou alteravam a licença ou não se davam ao trabalho.”

      Essa é a grande questão.. mas aparentemente ninguém percebeu. Já levam o assunto para :

      “as regras GPL são para serem respeitadas e esta gente só diz é porcaria”…

      Claro que sim, devem ser respeitadas e acho muito bem… o estupido deste assunto é que, quem as desrespeitou foram os próprios… será assim tão dificil perceber? Pelos vistos sim… para a próxima o pplware tem que fazer desenhos.

      • Capitão Trovão says:

        lol, se eles não tivessem feito isto, não estavas aqui a falar.

        se eles tivessem metido um comunicado na pagina deles, nem sabias que eles tinham um port para iOS.

        ou sabias?

        se eles dissessem que não faziam porque … blablabla politica da Apple blablabla … eram só mais uns gajos do OpenSource a falar mal da apple.

        portanto eles foram mais longe, meteram na appstore, e depois retiraram!

        Se continuas a não perceber o porque das coisas, acho que só com uma “keynote” da VLC é que vais lá …

        • a Friend® says:

          Pelos vistos quem não lá chega és tu.. mas pronto.

          Com desenhos não vai ser possível, mas explico.

          Uma parte da equipa entusiasmou-se pelo projecto e seguiu em frente e estava contente com o trabalho ao ponto de ter feito primeiro para o iPad…. seguido de iPhone (passado quase 1 mes).

          Um da equipa (deve ter amuado porque não gosta da Apple.. os tais fanaticos do open-source) decidiu arranjar uma forma de tirar a app de lá.. e invocou o GPL para o fazer, lixando todo o trabalho da outra equipa…jogado pelo cano abaixo.

          Se fosse “movimento publicitário” não precisavam ter feito a App para iPad e iPhone… uma só bastava.

          Agora, tenta procurar a reacção dos programadores e a reacção dele (deste programador que invocou o GPL)…. talvez percebas um pouco a estupidez que todos os sites estão a chamar de “caso bizarro”.

        • a Friend® says:

          E repara, ele agora quer jogar as culpas à Apple por ter aceite. Só falta pedir uma indeminização.. lol

          Mas pensa por esta lógica, eu posso fazer um projecto open-source com licença GPL, mas eu, como mentor/autor desse projecto e mesmo tendo GPL posso enviar o meu trabalho para a AppStore e ser distribuida com DRM. Isto porque, eu sou o “dono” do projecto, e tal como fui eu que invoquei a licença “GPL” posso abrir excepçoes ou retirar. Agora quem pegar no meu código, não o pode fazer…por motivos obvios. E foi o que este programador fez… olhou para os outros a terem créditos… deve ter amuado e invocou algo que poderia muito bem deixar em branco, caso ele ou eles entendessem.

          • Capitão Trovão says:

            LOL, os outros e que deviam ter lido a licença antes de enviarem.

            não e uma questão de amuar, e uma questão de princípios.

            de qualquer maneira, sabes bem quem ficou a perder.

            e não foram os “3 ou 4” developers do vlc, foram todos os utilizadores iOS por causa de duas parvoíces da parte da Apple.

            a Apple não e a vitima, na verdade eles não se podiam estar mais a cagar para ti e para todos os users iOS.
            ( sem ofensa claro )

            Eles só querem saber de uma coisa: $

          • a Friend® says:

            Eles, como qualquer empresa querem saber de $… mas neste caso, nem faz sentido.

            O VLC, como milhares de outras aplicações que podes encontrar na AppStore, são gratuitas.

            A Apple distribui apps com DRM porque o iPhone só instala aplicações certificadas, eles sabem perfeitamente que é assim. Os consumidores, sabem igualmente.. é um modelo que satisfaz, oferece qualidade e segurança. Quem não gosta desse modelo, existe outros sistemas. Se fossem todos iguais, não valia a pena haver vários. 😉

          • a Friend® says:

            Li agora esta noticia que só saiu hoje no Engadget, e.. outro factor para juntar aos possíveis motivos:

            “Rémi Deni-Courmont, who is also senior MeeGo software engineer”

            Portanto, no que toca a promover e jogar sujo em aplicações, open-source…proprietario… Apple ou Remi.. no fundo vão dar todos ao mesmo. Quanto toca a “nós” é que sabemos. Ele acusa a Apple de defender forte e feio os seus projectos, mas ele fez o mesmo. Podemos condenar Remi… não. Mas ele não tem moral para condenar a Apple da forma que joga.

  10. Rui "ALL" Sousa says:

    VLC diz: Cydia ai vou eu! ;D

  11. linch says:

    Eu gostava de saber quem é que comeu o bolo ?
    Se o bolo estava em cima da mesa, era para não mexer, ok!

    “The GPL gives Apple permission to distribute this software through the App Store. All they would have to do is follow the license’s conditions to help keep the software free. Instead, Apple has decided DRM”

    O homem está a tentar que a apple mude as regras… Será que comprou um IPAD e decidiu “isto assim não pode ser, vão ver, isto vai mudar”, e ele lá vai tentando lol

    Boa sorte Rémi!

    PS. e quero o meu bolo de volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.