Quantcast
PplWare Mobile

Via Verde vai chegar aos transportes públicos, táxis e carsharing

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Marco says:

    “Deixamos de estar focados no automóvel e acompanhamos as pessoas nas suas deslocações.”
    Quer dizer que vai se possível a mesma via verde andar a pular de carro em carro?

  2. miguel says:

    Foi mesmo criado em Portugal? Ou pegaram numa ideia já existente, e posseram em pratica/implementaram?
    É que maneiras de cobrar dinheiro facilmente, com o mínimo custo acredito que Portugal seja pioneiro..

    • Modem says:

      Foi mesmo criada em portugal, penso que foi em parceria com o ISEL se me lembro bem.

      • flavio says:

        Sim ,foi criado em Portugal, mas na Universidade de Aveiro, e não no ISEL

        • miguel says:

          hum, é que a pouco tempo lembro-me de me um professor meu referir que isso não foi um invenção portuguesa, que pegaram na tecnologia de outros e implementaram para servir para cobrar portagens.

        • miguel says:

          e como eu confio mais nos meus profs que nos Sr. da ViaVerde, aqui esta uma referencia”a tecnologia foi desenvolvida pela empresa norueguesa Q-Freee instalada em 1988 emTrondheim”.

          Conclusão: tecnologia norueguesa, mas portugal Pioneiro a COBRAR de modo mais facil e com menos despesas.
          portugal na vanguarda na maneira mais cómoda da cobrar dinheiro ao zé povinho.

        • Joao says:

          Não, foi criado por uma equipa de alunos do ISEl, tal com o sistema de MB! Em Aveiro foi o Sapo

          • flavio says:

            “A Via Verde é um sistema de portagem electrónica utilizado em Portugal, desde 1991, criado na Universidade de Aveiro[2] e que se estendeu a todas as portagens de auto-estradas e pontes do país desde 1995”.

    • Nuno José Almeida says:

      O sistema é português a tecnologia dos identificadores é dinamarquesa, mas sim o sistema é português.

  3. irlm says:

    Quando o assunto é roubar o povo nós somos os melhores em tudo incluindo portagens

  4. Pedro J Duraes says:

    País maravilhoso este
    Adoro esta discussão, paga, paga, ….

  5. Joao says:

    Recuso-me a pagar via-verde, eles é que poupam com os funcionários, devia ser grátis, para quem utilizasse regularmente ou fize-se um certo consumo anual.

    Ao não ter via verde é também uma motivação extra para ir pelas alternativas grátis.

  6. Pt1000 says:

    Alguém sabe de que forma é que a Via Verde vai chegar aos transportes públicos e táxis? É que se for simplesmente colocar Via Verde em autocarros, então isso já existe há muito tempo, para colocar nos táxis tb não é difícil: basta o taxista aderir à Via Verde. Também não me parece que a intenção seja cada pessoa andar com um identificador Via Verde dos veículos nos transportes públicos, devido ao seu tamanho. Pagar com cartão de débito/crédito não sei se será porque há muitas empresas que podem implementar esse sistema, a Via Verde (Brisa) não é propriamente a empresa mais relacionada (acho eu) com esse assunto. No carsharing provavelmente será algo como colocar um identificador em cada carro e depois cobrar automaticamente ao condutor que estiver no carro nessa altura através do seu cartão/da sua conta. Sendo assim, não percebi a intenção de colocar Via Verde nos transportes públicos e táxis

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.