Quantcast
PplWare Mobile

Vespa Elettrica – Scooter elétrica começará a ser vendida em outubro

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Daniel Jesus


  1. André Fontes says:

    Faz lembrar a história do Nokia 3310 lol

  2. miguel says:

    Se andar na casa dos 2500€ talvez pense comprar uma.

    • EacHTimE says:

      deve ser deve. Sendo Vespa deve estar mais próximo dos 10000€

      • Crow- says:

        Não vamos exagerar..
        Olhando para esta Vespa percebe-se que aparenta ser uma versão elétrica da Vespa Primavera, que na versão 50c ronda os 3000€ e a versão 125c os 4500€.
        2500€ é impensável mas também não vamos para o outro extremo.

    • One Armed Bandit says:

      Ah! Ah! Ah!
      Consulta os preços dos modelo tradicionais…

    • Metal says:

      Se andas à procura de meio de deslocação na ordem desses valores vê a PCX 125 de 2018.
      A melhor acelera com a relação custo beneficio.
      Desculpem. Sei que não se trata de um modelo eléctrico mas neste momento em duas rodas acho que ainda é muito cedo para se comprar uma “mota eléctrica”. Se querem algo eléctrico de duas rodas vejam as bicicletas. Existem no mercado boas ofertas ( dependendo do numero de Km´s que se pretende fazer nelas). As baterias são mais baratas (substituição), manutenção mais barata e custo mais barato também (em alguns casos).
      Mas eu avaliei isto tudo e cheguei à conclusão que para uma média de 30Km diários o melhor é mesmo uma Scooter 125.
      Carta de carro.
      Baixo custo (mesmo tendo em conta que seja nova)
      Puxa por mim e não sou eu a puxar por ela.
      Baixa manutenção (muito baixa mesmo)
      Consumos (2.5l aos 100km)
      Autonomia
      Disponibilidade imediata sem necessitar de estar á espra que carregue.

      • Pedro says:

        Sem dúvida.
        Incluiria também a Yamaha NMAX no rol de scooters a escolher.
        Recomendo sempre tirar a carta de condução mais cedo ou mais tarde. É uma mais-valia e a segurança adicional justifica-o.

        • Filipe santos4 says:

          Totalmente de acordo, por lapso e por jeito a alguém amigo de alguém, a lei foi alterada para todo e qualquer cidadão com carta de ligeiros, com ou sem formação ou pratica em duas rodas( bicicleta não conta ) agarra numa 125 e enfia-se de qualquer maneira no trânsito depois os motociclistas não teem respeito por nada

    • João says:

      Na China quase já só se vendem motas elétricas. Algumas delas estão já disponíveis na europa. Vejam o exemplo desta marca por exemplo. https://www.niu.com/ consegues motas a 2500€ sim.

  3. Miguel Matos says:

    Estou curioso para ver os preços..Como é que serão face aos da scooter Niu que está a começar a chegar ao mercado também.

  4. Miguel says:

    Acho que a Vespa (Piaggio) é a marca que pode fazer a diferença no salto para veículos de duas rodas eléctricos, não pela tecnologia dos motores, que no meu ver até podia ser melhor (mais potente e um pouco mais de bateria, mesmo que tivesse de ser mais corpulenta como as 125CC Super ou 300CC). No entanto podem marcar a diferença por serem a primeira marca que aposta no design e com certeza fará uma mota electrica que não se distinga assim tanto de uma mota normal..

    Veremos se estou certo, mas na minha opinião, para os veículos Hibridos / electricos, etc vingarem têm de ter um design apelativo, coisa que geralmente não acontece, normalmente optam por looks demasiado futuristas que não são aceites pelo publico. Com um bom design ou igual à alternativa de combustível fossil haverão sempre algumas pessoas a optar pelo eléctrico.

    A motorização devia ser tão simples quanto no configurador dizer se quer um 1000CC gasolina, um 1.5 gasóleo
    ou um 50-kWh eléctrico.

    P.S.: Conhecem isto?
    https://www.youtube.com/watch?v=0zwazxjPI_g

  5. Nuno says:

    A Xiaomi lançou uma scotter elétrica

    • EC says:

      Scooter tipo mota ou tipo trotinete? Eu tenho uma trotinete há + de 1 ano comprada na Gearbest. Tem autonomia de 30Km, velocidade max de 25km/h e travagem c/ ABS. Comprei tb um assento adaptável que da um look algo estranho, mas é bastante pratico. Recomendo trocar os pneus de origem (tradicional de pressão) para uns sólidos, pois senão vão passar a maior parte do tempo a arranjar furos.

  6. Xnelox says:

    Melhor esperar pela PCX elétrica, pois atualmente é a compra mais inteligente a nível de scooters

  7. Zé Pedro says:

    Xiaomi M365 é o melhor que ainda por aí relação preço / qualidade

  8. Filipe santos4 says:

    A xiaomi não tem scooter, tem trotinetes e bicicletas eléctricas, teem a sua utilidade mas não são de forma alguma scooter.

    • TugAzeiteiro says:

      Não tem? Então a Xiaomi Super Soco é o quê?!
      haaa e começa nos 650€ para 80Kms… 780€ para 100kms e 950€ para 120kms…. esta Vespa para os mesmos 100kms devem pedir bem mais.. mas bem mais!!

  9. Filipe santos4 says:

    Bom! Hesiste uma coisa com um quadro e plásticos para cobrir a falta de nada por dentro, que parece uma scooter mini, mas até estar minamente dentro da lei portuguesa para ter matrícula, é possível que venha a ser mais uma mas sem pedais, ou como o Renault eléctrico por 7000 eur.
    Não pode ser comercializado na Europa.

  10. VaGNaroK says:

    ” usando uma pequena bateria adicional e um gerador a combustível.”, não seria mais fácil fazer algum método de aproveitamento da rotação do pneu dianteiro como um alternador acoplado na roda igual o motor elétrico acoplado na roda de trás e aproveitar o movimento de deslocamento para gerar energia para carregar uma bateria auxiliar e aumentar a autonomia? ou até mesmo para carregar a própria bateria enquanto está usando-a? Não sei por que tanta dificuldade de fazer algo desse porte principalmente em carros.

    • Ruy Acquaviva says:

      Já existe, chama-se freio regenerativo. Usa o próprio motor como gerador e freio, recuperando parte da energia cinética nas frenagens e descidas, convertendo-a em energia elétrica e com isso aumentando a autonomia das baterias.
      É um item encontrado em quase todos (senão todos) os automóveis elétricos atuais.

      • VaGNaroK says:

        O problema dessa tecnologia que ele só carrega a bateria quando se “freia” ou retira o pé do acelerador, já o método descrito acima carregaria a bateria tanto “freiando” quanto em movimento já que só o movimento em si já geraria carga para as baterias independente da velocidade.

        • Ruy Acquaviva says:

          Pegue um livro de física básica e estude um pouquinho de termodinâmica porque o que você está dizendo é fisicamente impossível.
          A energia não pode ser criada do nada. Quando você gera energia elétrica a partir do movimento você reduz a energia cinética (ou seja, freia) e transforma essa energia cinética em energia elétrica.
          Pelo que você disse parece que você acha que quando um dínamo gerador está produzindo eletricidade o seu eixo gira livre. Mas não é assim, para gerar eletricidade por indução um condutor tem que atravessar as linhas de força de um campo magnético, gerando uma corrente elétrica e outro campo magnético induzido em torno ao condutor. Os dois campos magnéticos interagem entre sí resistindo ao movimento. Na verdade essa resistência ao movimento é a própria transformação de energia cinética em elétrica.
          E se não é possível um movimento livre (sem frenagem) produzindo energia elétrica, obviamente não faz sentido ter um motor elétrico produzindo o movimento que sofre oposição de um gerador que, como expliquei, atua como freio. O único resultado seria acumular perdas por atrito e pela transformação de uma parte da energia transformada em energia térmica, provocando apenas aquecimento do sistema.
          Concluindo: Não funciona.
          Um bom livro de física básica pode ajudá-lo se quiser entender melhor, Comece pela termodinâmica e depois siga para eletromagnetismo.

        • PeterJust says:

          Como é óbvio esse método resulta quando se quer propositadamente perder energia, ou seja, quando trava ou abranda o movimento. Se tem outro motor a converter energia eléctrica em mecânica, onde obviamente há perdas, e colocar outro motor a transformar energia mecânica em eléctrica onde também há perdas, repare que são só perdas, a bateria ia durar metade do tempo nesse caso. Se assim não fosse todos os problemas energéticos, de baterias e autonomias estavam resolvidos

    • Daniel says:

      É, há uma dificuldade. Chama-se Física.

  11. gonçlo says:

    Gosto mais da Vectrix Premium: http://www.vectrix.pt
    Poderosa e Confortável…!

  12. Vanderlei Werneck says:

    aqui no Brasil a quem se interessar pela a versão e quiser , desenvolver um trabalho de vender em todo o Brasil eu tenho para apresentar em design e qualidade 200% https://scontent.fcwb1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/40371561_1697001013742961_8754016726552674304_n.jpg?_nc_cat=0&oh=d600a826486224b270c4c8ea66226786&oe=5BF56E79

  13. Matheus Prado says:

    Empresa Piccoli Green Technology tem motos Eletricas e Scooters com preços apartar de 1500,00 Euros.
    Banco Santander, Montepio,BPI fazem financiamento também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.